Liga dos Campeões

Deslize perigoso

Desatenção geral que permitiu empate do CSKA nos acréscimos pode custar caro e tirar Roma das oitavas de final da Liga dos Campeões

“Esse empate foi como tomar um soco de Mike Tyson”, disse Totti após o 1 x 1 contra o CSKA, válido pela 5ª rodada da fase de grupos da Liga dos Campeões. E se o golpe ainda não foi capaz de derrubar a Roma, ao menos a deixou tonta para o round final, no próximo dia 10, contra o Manchester City, na capital italiana. Antes de sofrer o empate aos 48 minutos do 2º tempo, a equipe de Rudi Garcia chegaria ao duelo contra os ingleses praticamente classificada, com a vantagem do placar igual. Agora, o jogo no Olímpico torna-se de vida ou morte.

Para avançar às oitavas sem depender de outros resultados, os giallorossi precisam vencer o estrelado elenco do City, que chega embalado por causa da grande virada sobre o poderoso Bayern de Munique nessa rodada. E é por isso que a declaração de Totti soa tão sincera. Antes favorita, a Roma agora chega desnorteada e com a real chance de ficar fora da fase final da Liga. Para os torcedores, imaginar essa possibilidade dói, ainda mais lembrando do que foi a partida contra o CSKA, em Moscou.

A Roma foi melhor na maior parte do jogo e controlou o adversário até os instantes finais, apesar de também não ter criado muitas chances. De Sanctis não teve muito trabalho e apenas assistia de longe a partida – talvez até achando ruim a falta de ação, visto os -15ºC que marcava o termômetro. Mas todo o trabalho foi por água abaixo nos acréscimos da partida, quando uma desatenção coletiva permitiu que cruzamento despretensioso de Berezutski passasse por todos e morresse só no fundo das redes. 

O belo gol de Totti, em cobrança de falta, ainda no primeiro tempo, ficou em segundo plano. Provavelmente os romanistas vão lembrar mais das chances perdidas que poderiam ter ampliado a vantagem giallorossa. Ljajic foi quem despediçou a melhor delas. Depois de entrar livre na área russa, pela esquerda, o sérvio pensou tanto antes de chutar que, quando decidiu finalizar, já não havia mais espaço. Akinfeev fez defesa fácil.

Ao fim do jogo, o técnico Rudi Garcia confessou a decepção, mas lembrou que o time ainda depende só das próprias forças para se classificar. “Claro que o empate como foi é ruim. Mas vamos lembrar que logo depois do sorteio ninguém acreditava no nosso time. Diziam que éramos apenas visitantes nesse grupo da morte. Mas estamos na briga e dependemos só de nós para classificar”, disse o treinador. 

FICHA
CSKA Moscou 1-1 Roma 

CSKA (4-2-3-1)
Akinfeev; Mario Fernandes, V. Berezutski, Ignashevich, Schennikov; Natcho, Cauna (Milanov); Dzagoev, Musa (Tosic), Eremenko; Doumbia.
Técnico: Slutsky.

Roma (4-3-3)
De Sanctis; Florenzi, Manolas, Astori, Holebas, Keita, De Rossi, Nainggolan (Strootman); Gervinho (Iturbe), Totti, Ljajic (Pjanic).
Técnico: Garcia.

Gols: Totti, aos 43 minutos do 1º tempo; e Berezutski, aos 48 minutos do 2º tempo.
Árbitro: Brych (Alemanha)
Amarelos: Berezutski, Dzagoev e Schennikov

Deixe um comentário