Serie A

23ª rodada: As cinzas de Roma

Frustração de Cole resume bem a negativa fase da Roma (Reuters)

O grande incêndio de Roma, no início do século I, quando o império era governado por Nero, está na história. Em tempos de carnaval e quarta-feira de cinzas, não foi a cidade, mas o time da Roma que parece arder em chamas, sem conseguir apagar o fogo que o consome. Sob o comando do técnico Rudi Garcia, que tem sido criticado por, assim como Nero, destruir o que havia feito, a Loba giallorossa vai caindo pelas tabelas. Forma figurada, é claro, pois o time segue na vice-liderança da Serie A, mas apresenta um futebol cada vez mais distante daquele que impressionou pela objetividade e coesão no último ano e meio. Com isso, a Juventus se dá ao luxo de também empatar com um time da zona de rebaixamento – os romanos tropeçaram no praticamente falido Parma; a Velha Senhora no Cesena – e nem assim sentir-se ameaçada. Enquanto o título vai caminhando para sua decisão, a briga pelas restantes vagas europeias continua emocionante. Acompanhe o resumo da rodada.

Roma 0-0 Parma

Contra o lanterna do
campeonato, a Roma ficou no quinto empate seguido em casa. Os dois
jogadores marfinenses que retornaram da Copa Africana de Nações, Gervinho e Doumbia, campeões pela Costa do Marfim,
iniciaram a partida entre os titulares. O atacante recém-contratado
sequer apareceu para a partida e foi, de longe, o pior em campo. Na única oportunidade criada para ele,
por Verde, no segundo tempo, ele chegou atrasado no lance. 

Nem
o conterrâneo criou tantas chances de gol, porém, com o auxílio de
Ljajic e Florenzi, fez mais que Doumbia. A entrada de Verde no lugar de
De Rossi deu mobilidade à Roma no Olímpico. O jovem de 18 anos, que fez
boa partida contra o Cagliari, na rodada anterior, ainda deixou Cole com
chance de finalização. O lateral acertou a trave. Cole voltou a ter outra chance sozinho, mas chutou por cima do gol de Mirante. No final do jogo, muitas vaias para a Roma, que não conquista uma vitória em casa desde 30 de novembro, quando bateu a Inter. Pior do que isso, a equipe tem jogado mal e só não vê a Juventus se distanciar mais na tabela por puro relaxamento da Velha Senhora. Pela primeira vez desde que chegou à Itália, o técnico Garcia passa a ser contestado. (Murillo Moret)

Cesena 2-2 Juventus

Os donos da casa conseguiram o
segundo bom resultado depois de alterar as dimensões do gramado do Dino
Manuzzi. Após vencer a Lazio, o Cesena arrancou um empate em 2 a 2 com a
líder Juventus. Buffon fez três defesas nos primeiros 11 minutos, em
finalizações de Defrel e Zé Eduardo. Um dos chutes de Defrel só saiu por
conta de um erro defensivo – este, de Bonucci. O gol inicial também:
Pirlo vacilou na saída de bola e Djuric foi contemplado com assistência
de Defrel. O Cesena também errou – Djuric não dominou o passe de Brienza
– e Pogba cruzou para Morata empatar.
Marchisio
comemorou o 200º jogo na Serie A com gol, aproveitando a jogada de
Llorente. Brienza não conseguiu acertar um voleio, mas, na sequência,
deixou tudo igual novamente depois de um cruzamento de Djuric. A líder
do campeonato teve a oportunidade de retornar a Turim com três pontos,
porém, Vidal errou o pênalti nos minutos finais. Mesmo assim, o conforto na liderança continua grande. (MM)
Palermo 3-1 Napoli
O
Palermo acabou com a série de seis vitórias seguidas do Napoli ao
derrotar o adversário no Renzo Barbera. Aos 14 minutos, Rafael aceitou o chute de longa distância de Lazaar e, com o peru, deu a vantagem no marcador ao rosanero.
Vázquez aumentou após um bom contra-ataque puxado por Quaison e que teve
participação de Dybala, mais uma vez infernal. Rigoni ainda deixou a marca dele após Dybala
interceptar um passe de Albiol, cortar Strinic com um drible da vaca e acionar o companheiro nas proximidades da
área.
O Napoli, que estava completo para a
partida na Sicília, criou apenas duas chances claras de gol durante os
90 minutos. Higuaín parou em Sorrentino, na primeira – o atacante ainda levou cartão
amarelo e cumpre suspensão na próxima rodada contra o Sassuolo. Na
outra oportunidade, Gabbiadini, substituto de Hamsík, concluiu meio sem querer um cruzamento de um cruzamento de De Guzmán, diminuindo o placar. (MM)
 
Sassuolo 1-3 Fiorentina
Depois de uma fase negativa no campeonato, a Fiorentina finalmente se acertou e começa a despontar como principal rival do Napoli à terceira vaga na Liga dos Campeões. Jogando no duro campo de Reggio Emilia, a equipe viola teve excelente atuação, e comandada pelo estreante Salah e pelo redivivo Babacar, conquistou uma vitória com propriedade, construída no primeiro tempo. Com a vitória no sábado e o tropeço do Napoli pouco depois, o time de Montella está apenas quatro pontos atrás dos azzurri – 38 contra 42 pontos.
Sem Rossi e Gómez, Montella optou por um ataque que nunca havia jogado junto e colheu frutos. No primeiro tempo, Babacar, que vinha sendo criticado pela torcida, deixou Salah na cara do gol com inteligente toque de calcanhar. O egípcio não desperdiçou e, minutos depois, achou o companheiro na área, retribuindo o presente. O forte atacante senegalês deslocou o goleiro Consigli, que no início da partida já havia feito defesaça em chute à queima-roupa. No segundo tempo, um erro de linha de impedimento do Sassuolo permitiu que Pizarro achasse Babacar na área com um lançamento de primeira. Novamente, o atacante teve tempo de pensar antes de vencer o arqueiro adversário. Berardi, uma das poucas notas positivas dos neroverdi na partida, chegou a acertar a trave com belo chute no primeiro tempo, e descontou, com toque de cabeça, na segunda etapa. (Nelson Oliveira)
 
Atalanta 1-4 Inter
Pela primeira vez sob o comando de Roberto Mancini, a Inter conquistou duas vitórias consecutivas na Serie A. O nome da partida foi Guarín, que fez a Beneamata quebrar um tabu de três anos sem vitórias em Bérgamo e subir na tabela, encostando mais na briga por Liga Europa. O colombiano, que já havia se destacado contra o Palermo, participou dos quatro gols da equipe no jogo, e vive seu melhor momento desde que chegou a Milão. Mais recuado, prende menos a bola e aparece perto da área apenas para concluir. Todo o meio-campo da Inter jogou bem e, mesmo sem Icardi e Kovacic, que ficaram no banco, a equipe venceu com tranquilidade.
O primeiro gol dos visitantes surgiu logo nos primeiros minutos. Guarín sofreu pênalti e Shaqiri converteu, mesmo com todo o esforço de Sportiello. Após Pinilla perder chance sem goleiro, Moralez empatou, aproveitando erro de Ranocchia e passe do chileno. Só que Guarín logo tratou de fazer um gol de fora da área, em jogada individual. Com a expulsão de Benalouane, a Inter teve a vida facilitada, e nem o carrasco Denis ameaçou a meta defendida por Handanovic. Com a direita, Guarín acertou um lindo chute de fora da área, fazendo o terceiro. O meia encerrou a noite de gala servindo Palacio, que aproveitou um bate-rebate e, com sorte, anotou o gol da vitória milanesa. (NO)
 
Milan 1-1 Empoli
Mais um fiasco do Milan jogando no San
Siro. Ante o Empoli, o rossonero até saiu na frente, mas cedeu o empate
no segundo tempo e quase viu a equipe azzurra virar o jogo num lance que
culminou na expulsão de Diego López. O resultado aumenta a pressão
sobre Inzaghi, mas ao menos trouxe um alento com a boa partida de
Destro. E foi o novo atacante da equipe
que abriu o placar, aos 39 minutos. Posicionado no meio da área, só teve
o trabalho de completar o cruzamento de Bonaventura.

Antes
disso, porém, o Milan mostrou mais do mesmo. Uma defesa pra lá de
inconsistente, um ataque sofrível e o meio campo sem criatividade. Não
bastassem os 11 desfalques, Inzaghi ainda perdeu Alex logo aos cinco
minutos. Organizado, o Empoli deu trabalho ao Milan. Com toques rápidos e
precisou, controlou o jogo na primeira etapa, pecando apenas no lance
do gol do Diavolo. Na segunda etapa, porém, o gol saiu. Hysaj cruzou na
cabeça de Maccarone que, sozinho, foi preciso no arremate. Nervoso, o
Milan não teve reação e quase viu a situação piorar com a expulsão de
Diego López e a lesão de Paletta, o que obrigou a equipe a terminar a
partida com dois jogadores a menos. (Caio Dellagiustina)

Udinese 0-1 Lazio
Vitória
importantíssima da Lazio. Jogando no Friuli, a equipe da capital
derrotou a Udinese, quebrou a sequência negativa de duas derrotas
consecutivas, chegando à quinta colocação, já dentro da zona de
classificação das copas europeias. Após homenagear Di Natale por suas
407 partidas (jogador que mais vestiu a camisa bianconera), a equipe da
casa iniciou melhor o jogo e Totò quase abriu o placar nos primeiros
minutos, em cobrança de falta.

A Lazio foi melhorando
aos poucos até, aos 23, encontrar o gol. Klose foi derrubado na área por
Wague, num lance contestado pelos jogadores e pela torcida friulana. Na
cobrança, Candreva usou toda sua qualidade para cobrar com uma
cavadinha, anotando seu primeiro gol em quatro meses. A Lazio ainda
criou oportunidades para ampliar, mas parou no goleiro Karnezis.
Berisha, por sua vez, também teve trabalho, defendendo as oportunidades
de Badu e Guilherme, segurando assim a vitória da equipe biancoceleste.
(CD)
 

Chievo 2-1 Sampdoria
Após grande momento no
campeonato, em que chegou até a integrar o grupo dos que se classificam para a
Liga dos Campeões, a Sampdoria parece ter esquecido como vencer. Nesse
fim de semana, contra o Chievo, a equipe chegou à quarta partida
consecutiva com tropeço e despencou para a sexta posição, fora até da
zona de classificação para a Liga Europa. Méritos para o time de Maran,
que soube agredir o adversário, mas também demérito de Mihajlovic, que
escalou time muito diferente das últimas partidas, talvez preocupado com
o dérbi contra o Genoa na próxima rodada. 
Desfigurada,
a equipe blucerchiata não deu muito trabalho aos donos da casa. Izco e
Meggiorini fizeram 2 a 0 para o Chievo ainda no primeiro tempo. Muriel
só empatou para a Samp no fim da segunda etapa. Um dos poucos pontos a
se comemorar pelos torcedores do time genovês foi a boa apresentação de
Eto’o, que começou o jogo e criou pelo menos duas chances de
perigo. Com o resultado, o Chievo fica a quatro pontos da zona de
rebaixamento e respira aliviado no campeonato. (Rodrigo Antonelli)

 

Genoa 5-2 Verona
Escalado
como titular, Bergdich, recém-emprestado pelo Valladolid, subiu ao
campo de ataque, cruzou e Agostini jogou contra o próprio patrimônio. Em
10 minutos, o Genoa já tinha a vantagem no Marassi contra o Verona.
Dois minutos mais tarde, Niang escorou o cruzamento de Iago Falqué e
marcou pela primeira vez na Serie A. Christodoulopoulos parou em Perin,
enquanto Toni recolocou o Verona na partida com um gol de cabeça. O
Genoa aumentou novamente, com Niang, mas a equipe visitante voltou a
encostar com outro gol do experiente centroavante. Primeiro tempo movimentadíssimo em Gênova.
Após a volta do intervalo, o jogo mudou e continuou favorável ao time da casa, que após alguns resultados negativos influenciados pela arbitragem, voltou a engrenar. O Verona ameaçou, porém, e
Juanito acertou a trave, no que seria o empate do Verona. Só que Bertolacci
marcou o quarto gol genovês no Marassi. A assistência foi do uruguaio Laxalt,
apenas 60 segundos após sua entrada em campo. Perotti deu
números finais a partida aos 41 do segundo tempo e fez o Genoa subir para 35 pontos, empatado na 6ª posição com a rival Sampdoria. O dérbi entre as equipes na semana que vem promete ser mais quente do que o normal. (MM)
Torino 1-1 Cagliari 
Em casa, o Torino perseguia a
quinta vitória consecutiva no campeonato para se manter em grande fase e
continuar forte na briga por vaga na Liga Europa. Contra um Cagliari
muito mais organizado do que nos últimos jogos e um goleiro Brkic em
grande forma, porém, a tarefa se tornou difícil. Os visitantes,
inclusive, saíram na frente, com Donsah – grande nome do jogo pelo lado
dos rossoblù. O empate granata saiu 50 segundos depois, com El Kaddouri,
e esses foram todos os gols que os cerca de 16 mil torcedores ao
Olímpico de Turim viram. 
A falta de gols não
significou um jogo ruim, contudo. No segundo tempo, o Torino pressionou
para tentar o empate, mas não foi bem dentro da grande área. Darmian e
Quagliarella perderam chances claras de virar o jogo para os donos da
casa. Do outro lado, o Cagliari se defendia com propriedade, mas tinha
dificuldades para chegar à frente. Mas após duas derrotas seguidas, um
empate fora de casa acabou comemorado pelo time de Zola, que continua na
zona de rebaixamento, com 20 pontos, três atrás da Atalanta, primeiro
time fora. O Torino é nono colocado e agora se prepara para o jogo
contra o Athletic Bilbao, sexta-feira, pela Liga Europa. (RA)
 

Relembre a 22ª rodada aqui.
Confira estatísticas, escalações, artilharia, além da classificação do campeonato, aqui.

 

Seleção da rodada
Brkic (Cagliari); Basta (Lazio), Savic (Fiorentina), Medel (Inter), Lazaar (Palermo); Guarín (Inter), Izco (Chievo), Vázquez (Palermo); Niang (Genoa), Babacar (Fiorentina), Dybala (Palermo). Técnico: Roberto Mancini (Inter).

Deixe um comentário