Serie A

1ª rodada: um recado de Milão

A Serie A 2017-18 começou com vitórias para os cinco times que prometem disputar ponto a ponto as primeiras posições na tabela. No sábado, a hexacampeã Juventus estreou do mesmo jeito que terminou a última temporada: dominando seus adversários. O Napoli também foi hegemônico, mas sofreu nos minutos finais contra o rival Verona – tal qual a Roma contra a Atalanta, sensação do campeonato anterior.

O destaque ficou mesmo com a dupla de Milão, que tenta ressurgir: tanto Inter quanto Milan tiveram vitórias categóricas e enviaram um recado para a outra gigante italiana. Enquanto os rossoneri se impuseram com um time modificado numa difícil viagem a Crotone, os nerazzurri expurgaram a Fiorentina, que vinha sendo uma pedra no sapato nos últimos anos. Confira como foi o fim de semana, que também teve a estreia do árbitro auxiliar de vídeo (VAR), bem utilizado quando chamado em causa.

Inter 3-0 Fiorentina
Icardi (pênalti), Icardi (Perisic) e Perisic (João Mário)

Tops: Perisic e Icardi (Inter) | Flops: Sánchez e Vitor Hugo (Fiorentina)

Em um dia de muitas novidades e reencontros no San Siro, algumas coisas não mudaram: além de Nagatomo titular na lateral esquerda, Icardi marcou a diferença para a Inter. Pobre de Vitor Hugo, traído pela própria sinceridade: o brasileiro declarou que não conhecia o argentino e não precisou de muito tempo para ver do que ele é capaz. Logo aos cinco minutos o camisa 9 nerazzurro foi lançado por Nagatomo e derrubado na área por Astori – Tagliavento deu a penalidade mesmo antes de o VAR confirmar a infração. Cobrança tranquila no canto oposto de Sportiello e placar aberto. O time de Spalletti seguiu pressionando e não demorou para chegar ao segundo, novamente com Icardi, que se antecipou a Tomovic para fazer seu nono gol contra sua vítima favorita. Perisic, que não irá mesmo para o Manchester United e renovará o contrato em breve, também brilhou: além da décima assistência para o capitão interista, fecharia o placar de peixinho, na reta final da partida. Pelo volume de jogo, que só cresceu no segundo tempo, com a entrada de João Mário, o placar poderia ter sido ainda maior.

A vitória interista foi conquistada sobre uma Fiorentina em reconstrução, que escalou seis reforços desde o início. Na medida do possível, a equipe treinada por Pioli foi competitiva e deu trabalho para os anfitriões, embora Vecino e Borja Valero tenham sido soberanos contra sua antiga equipe. Apesar da boa participação do português Gil Dias e dos franceses Veretout e Eysseric, os centroavantes Simeone e Babacar pararam na segura dupla formada por Skriniar e Miranda. Nas poucas vezes que a Fiorentina conseguiu passar pela zaga, esbarrou na trave e em Handanovic, autor de três intervenções decisivas para que sua equipe mantivesse a vantagem. Os sustos, porém, não macularam a boa impressão que os nerazzurri deixaram para seus torcedores: há tempos não se ouviam aplausos tão convictos no Giuseppe Meazza.

Crotone 0-3 Milan
Kessié (pênalti), Cutrone (Suso) e Suso (Cutrone)

Tops: Cutrone e Suso (Milan) | Flops: Ceccherini e Martella (Crotone)

80% de posse de bola. Sim, é isso mesmo que você leu. Na primeira partida na Serie A, o novo Milan registrou a impressionante marca fora de casa contra o Crotone, um recorde no campeonato desde 2004-05. Foram mais de 800 toques na pelota e 700 passes; números condicionados pelo que aconteceu logo aos dois minutos: de início o jovem árbitro Mariani pareceu confuso com o VAR, mas no final tomou a decisão correta e marcou a penalidade sobre Cutrone. Ele também decidiu pela expulsão de Ceccherini, de forma precipitada, mas não irregular. Depois de três minutos de interrupção, o especialista Kessié converteu a cobrança e abriu o placar.

O protagonista da noite seria o jovem Cutrone, que fez boa pré-temporada e tinha oferta para ser emprestado ao próprio Crotone – sem trocadilhos. O centroavante de 19 anos permaneceu e aproveitou a chance na estreia como titular: além do pênalti sofrido, ele marcou o segundo gol aos 18 minutos, quando completou o cruzamento de Suso na primeira trave. O terceiro gol, aliás, veio cinco minutos depois, outra vez com a dupla Suso-Cutrone: dessa vez, o jovem italiano recebeu lançamento de Çalhanoglu e tocou para o espanhol ampliar. Entre o domínio do jogo e eventuais ataques, o Milan conduziu o jogo com tranquilidade e aproveitou para não se esforçar tanto, considerando a sequência cansativa por causa dos jogos na Liga Europa.

Juventus 3-0 Cagliari
Mandzukic (Lichtsteiner), Dybala (Pjanic) e Higuaín (Alex Sandro)

Tops: Dybala e Pjanic (Juventus) | Flops: Diego Farias e Faragò (Cagliari)

A hexacampeã Juventus inaugurou a Serie A 2017-18 à sua maneira: tranquila, a equipe de Allegri dominou a partida contra o Cagliari e teve em seu novo camisa 10, Dybala, o grande destaque. Mas quem abriu o placar foi Mandzukic, logo aos 12 minutos, completando bom cruzamento de Lichtsteiner. O jogo não teve grandes oportunidades durante a maior parte do primeiro tempo, até a arbitragem de vídeo entrar em ação pela primeira vez na Serie A – e de forma correta, marcando penalidade de Alex Sandro em Cop. Na cobrança, porém, Diego Farias parou em Buffon.

Pouco depois, em um lançamento aparentemente despretensioso de Pjanic, Dybala saiu na cara do gol e finalizou firme e sem chances para Cragno, ampliando a vantagem bianconera. A tônica não mudou na etapa final, especialmente depois do gol de Higuaín, que aos 66 minutos matou o jogo e fez os sardos lamentarem as chances perdidas por Farias e Faragò. Após o 3 a 0, tempo de estreias: Matuidi substituiu o camisa 9 e Douglas Costa entrou no lugar do apagado Cuadrado. O colombiano está cada jogo mais perto de perder a titularidade.

Verona 1-3 Napoli
Pazzini (pênalti) | Souprayen (contra), Milik (Insigne) e Ghoulam

Tops: Insigne e Zielinski (Napoli) | Flops: Souprayen e Heurtaux (Verona)

Contra um incômodo rival e em um gramado nada bom, até que a centésima partida de Sarri no comando do Napoli foi boa. Os visitantes tomaram o controle do jogo desde o início e se aproveitaram da estranha formação colocada em campo por Pecchia, ex-jogador azzurro e ex-assistente de Benítez. Sem Pazzini e os jovens Verde e Daniel Bessa abandonados na frente, o Verona pouco assustou e deu chances para o insinuante futebol napolitano se sobressair. O goleiro Nícolas segurou a barra por um bom tempo e, depois dos três gols sofridos, evitou uma goleada pior.

O placar foi aberto em um lance infeliz de Souprayen, que marcou contra após uma cobrança de escanteio de Callejón, aos 32 minutos. O segundo não demorou para sair: Insigne puxou contra-ataque com muita velocidade e virou o jogo com passe de trivela para Milik finalizar firme de direita. Belo jeito de o polonês comemorar sua primeira titularidade desde outubro do ano passado, quando sofreu grave lesão. O terceiro gol teve justamente a participação do jogador que virou centroavante com a ausência de Milik: Mertens dividiu com Nícolas e Ghoulam aproveitou sobra de bola para marcar. A vantagem, contudo, não desacreditou os anfitriões, que cresceram conforme os napolitanos diminuíram o ritmo e deram espaço na defesa. Mas já era tarde quando Hysaj fez pênalti em Bessa, foi expulso e Pazzini converteu a cobrança.

O renovado Milan também mostrou grandes momentos na estreia (Getty Images)

Atalanta 0-1 Roma
Kolarov

Tops: Gómez (Atalanta) e Kolarov (Roma) | Flops: Petagna (Atalanta) e Perotti (Roma)

Se o desempenho não convenceu, Di Francesco ainda assim pode comemorar bastante sua estreia como treinador da Roma. Afinal, conquistar três pontos em um dos campos mais complicados da Itália não é para qualquer um: a Atalanta não perdia em casa desde outubro do ano passado. Para se ter ideia, o goleiro Berisha não fez uma defesa sequer a partida inteira, porque no único chute a gol dos giallorossi Kolarov tirou um coelho da cartola. O sérvio, ex-Lazio, foi esperto na cobrança de falta e, ao bater por baixo da barreira, acertou o canto do albanês.

O time de Gasperini, embora tenha sido dominante na defesa e ganhado quase todas as antecipações, também atacou mal. A equipe nerazzurra foi extremamente dependente de Papu Gómez, que ainda assim proporcionou perigo aos visitantes e obrigou Alisson a fazer algumas intervenções. O mais destacável, porém, foi o domínio de Juan Jesus sobre Petagna e Cornelius, os centroavantes grandalhões dos nerazzurri, que pouco produziram. O mesmo vale para o estreante Ilicic, que perdeu a chance do empate ao acertar a trave de dentro da pequena área.

Lazio 0-0 Spal
Tops: Milinkovic-Savic (Lazio) e Gomis (Spal) | Flops: Palombi (Lazio) e Paloschi (Spal)

Assim como o Benevento, a Spal não voltou para a Serie A para brincar e fez jogo duro com a Lazio no Olímpico. Se Viviani assustou com um chute na trave e os veteranos Floccari e Borriello fizeram Strakosha sujar o uniforme em duas raras tentativas, Gomis roubou a cena do outro lado. O senegalês substituiu o titularíssimo Meret e não decepcionou: foi o goleiro que mais teve trabalho em toda a rodada e saiu de campo com impressionantes 13 defesas, sendo seis em chutes de Immobile. Claramente não foi por falta de oportunidades que o time de Inzaghi não começou o campeonato vencendo, mas também faltou pontaria para transformar o domínio sobre os spallini em três pontos. Louvável a concentração e determinação da equipe visitante, treinada por Semplici, mesmo concedendo tanto defensivamente.

Bologna 1-1 Torino
Di Francesco (Verdi) | Ljajic (Obi)

Tops: Di Francesco (Bologna) e Ljajic (Torino) | Flops: Mirante (Bologna) e Belotti (Torino)

Outro artilheiro que passou em branco na primeira rodada foi Belotti, que permanecerá em Turim – não por muito tempo, provavelmente. Em uma partida equilibrada e sem grandes oportunidades, Di Francesco foi o jogador mais perigoso dos anfitriões, e, pouco depois de ter acertado a trave, marcou um bonito gol. O filho do técnico da Roma abriu o placar aos 27 minutos após completar um cruzamento de Verdi com um belo chute, sem chances para Sirigu. Por sua vez, Ljajic esteve bastante ativo do outro lado e, inclusive, marcou o gol do empate após jogada individual e um chute da entrada da área, que teve a colaboração de Mirante. O ex-goleiro da Juventus se redimiu na segunda etapa com duas defesas, mas a verdade é que o Torino decepcionou ofensivamente e Belotti teve duas raras oportunidades. No final, o árbitro Massa invalidou o gol que seria o da virada, com a ajuda do VAR. A vídeo-arbitragem, destaca-se, teve participação decisiva e correta em sua estreia na Itália.

Sampdoria 2-1 Benevento
Quagliarella e Quagliarella (Ramírez) | Ciciretti (Cataldi)

Tops: Quagliarella (Sampdoria) e Ciciretti (Benevento) | Flops: Pavlovic (Sampdoria) e Lucioni (Benevento)

Quem disse que a Sampdoria teria vida fácil contra o estreante Benevento? Muito pelo contrário, e o craque da equipe campana, Ciciretti, abriu o placar com um belo gol aos 15 minutos. A resposta dos anfitriões foi rápida, no entanto. Com o auxílio do VAR, o árbitro Pasqua confirmou o empate depois que Quagliarella aproveitou o rebote de uma cobrança de escanteio. Mas o time de Giampaolo seguiu em apuros e o goleiro Puggioni evitou o pior, já que Ciciretti, Coda e Puscas incomodaram bastante. Do outro lado o goleiro Belec também trabalhou, mas não evitou a virada quando os blucerchiati roubaram a bola na intermediária e o estrante Ramírez deu belo passe para Quagliarella marcar sua doppietta e garantir a vitória no Marassi. O time de Baroni deu o recado: não será saco de pancadas e tem condições de competir na elite.

Udinese 1-2 Chievo
Théréau (De Paul) | Inglese (Birsa) e Birsa (Castro)

Tops: Birsa e Castro (Chievo) | Flops: Fofana e Scuffet (Udinese)

Tem coisas que realmente não mudam na Serie A. Uma delas é que o Chievo começará o ano ganhando. Mesmo que depois não mantenha o desempenho e fique estacionado no meio da tabela, o time de Maran é sempre um incômodo. E no Friuli os visitantes novamente contaram com seus três principais jogadores para ganhar: Castro, Birsa e Inglese. O centroavante italiano abriu o placar aos 15 minutos, desviando uma bola levantada pelo esloveno na primeira trave. E se, no final do primeiro tempo, Théréau executou a lei do ex e empatou para os anfitriões, com a ajuda de Sorrentino, Birsa marcou um golaço de fora da área e não deu a menor chance para Scuffet no início da etapa final. O time de Delneri bem que tentou, mas faltou criatividade e fôlego para evitar o tropeço em casa.

Sassuolo 0-0 Genoa
Tops: Consigli (Sassuolo) e Perin (Genoa) | Flops: Falcinelli (Sassuolo) e Pandev (Genoa)

No outro 0 a 0 da rodada, a estreia de um Genoa desfigurado contra um Sassuolo também bastante modificado saiu melhor do que a encomenda em mais uma partida que teve goleiros como protagonistas. Foram poucas, mas decisivas intervenções de Consigli e Perin diante de ataques sem criatividade e precisão. E não há, realmente, muito mais o que falar sobre a fraca partida em Reggio Emilia.

*Os nomes entre parênteses após os autores dos gols se referem aos responsáveis pelas assistências

Seleção da rodada
Buffon (Juventus); Conti (Milan), Miranda (Inter), Skriniar (Inter), Alex Sandro (Juventus); Birsa (Chievo), Kessié (Milan), Pjanic (Juventus), Perisic (Inter); Icardi (Inter), Cutrone (Milan). Técnico: Luciano Spalletti (Inter).

1 comentário

  • Belo resumo da 1ª rodada, porém, há um grande equívoco quanto ao uso do VAR na partida Bologna – Torino. O árbitro não usou o VAR, ele apitou equivocadamente o impedimento no exato momento em que Berenguer chutava para marcar o segundo gol do Toro, após passe de Belotti. A RAI exibiu o lance várias vezes e ficou claro o equívoco da arbitragem, pois, o camisa nove granata estava em posição legal quando recebeu o passe, porém como o árbitro paralisou a partida antes da bola cruzar a linha, não foi possível utilizar-se do VAR para corrigir a trapalhada. Mais uma vez, na dúvida, contra o Toro.

Deixe um comentário