Liga dos Campeões

Napoli cai de novo ante o Manchester City e se complica na Liga dos Campeões

Dos cenários possíveis, o pior. O Napoli até fez uma boa partida contra o Manchester City, mas acabou derrotado mais uma vez pela máquina treinada por Pep Guardiola. A situação dos azzurri no Grupo F da Liga dos Campeões ficou muito difícil, mas não impossível: em quatro jogos, os campanos somam apenas três pontos, seis a menos que o Shakhtar Donetsk, segundo colocado. Para se classificar, o time de Maurizio Sarri precisará vencer os ucranianos e o Feyenoord, além de torcer para que o City tenha gana de bater o Shakhtar no Leste Europeu.

O panorama dramático para o Napoli começou a ser escrito com linhas positivas. Em um San Paolo em festa, a primeira chance clara do jogo foi do time da casa e acabou convertida em gol. Insigne tabelou com Mertens, avançou em velocidade no meio da defesa dos citizens e tirou de Ederson, colocando na parte lateral da rede.

A vantagem, no entanto, durou pouco e começou a ruir após um duríssimo golpe. Um dos melhores jogadores napolitanos na temporada, o lateral esquerdo Ghoulam, deixou o campo machucado e deu lugar a Maggio, o que levou Hysaj à lateral esquerda. Há suspeitas de que o argelino tenha rompido ligamentos do joelho e a entrada do veterano lateral mostra que o banco azzurro não tem tantas opções confiáveis, o que deve fazer Sarri perder o sono ao menos até janeiro.

Logo após a saída de Ghoulam o Napoli começou a perder o controle da posse de bola – foram 60% a favor dos azzurri até o momento do gol. Ao cederem a pelota ao Manchester City, que teve 61% do tempo com ela a partir da metade do primeiro tempo, os comandados de Sarri perderam o jogo. Pouco após a substituição, Agüero arrumou um escanteio e, na bola parada, Otamendi apareceu para cabecear e empatar.

Logo depois do intervalo, outra vez o jogo aéreo vitimou o Napoli, já que Stones ganhou de Hamsík e virou o placar. Assim como foi contra o Real Madrid, nas oitavas de final da última Champions League, os partenopei sofriam com a artilharia pelo alto. Sarri reconheceu ao fim do confronto que a equipe ainda precisa melhorar neste quesito, no qual é “limitada”.

Perfeccionista, Guardiola superou Sarri novamente (Reuters)

A desvantagem em casa abalou a equipe italiana, que não conseguia golpear o adversário como está acostumada. Foram quase 15 minutos de pressão desordenada do Napoli, que viu um pênalti cair do céu quando Sané derrubou Albiol na área, aos 60. Mertens havia desperdiçado uma cobrança na partida de Manchester e o encarregado para a batida foi Jorginho, que deslocou Ederson com estilo e manteve o 100% de aproveitamento no quesito: converteu as nove penalidades as quais foi responsável por cobrar.

O gol deu novo fôlego ao Napoli, que esteve muito perto de virar com Callejón. O espanhol recebeu um lindo passe de Mertens, mas viu Ederson defender o seu chute à queima-roupa e colocar a bola para escanteio. Assim que o jogo foi retomado, Hamsík acabou perdendo a posse e permitiu que o Manchester City engatasse um velocíssimo contra-ataque. Sané saiu em disparada e, apesar dos esforços, a defesa azzurra não conseguiu evitar que ele levasse perigo. O alemão foi desarmado, mas a bola sobrou para Agüero, que finalizou com consciência e se tornou o maior artilheiro da história dos Sky Blues, com 178 gols marcados.

Depois de ter ficado tão perto da virada, o time napolitano estava novamente atrás no placar. A ducha de água fria voltou a afetar a equipe da casa, que não conseguiu penetrar mais a defesa adversária. Já nos acréscimos, Sterling matou o jogo depois de um contra-ataque puxado por De Bruyne. Koulibaly ainda recebeu cartão amarelo e, como estava pendurado, se junta a Ghoulam como desfalque para a próxima rodada.

No fim das contas, Guardiola levou a melhor sobre Sarri mais uma vez. A admiração do treinador catalão pelo estilo dos azzurri e de seu comandante permanecem – assim como no primeiro duelo, choveram elogios por parte de Pep. De fato, os napolitanos foram um dos poucos times que conseguiram impor dificuldades aos citizens nesta temporada. Resta ao Napoli, agora, fazer a sua parte e, sobretudo, torcer para que Guardiola seja afável novamente e lhe faça um favor, derrotando o Shakhtar Donetsk.

Deixe um comentário