Liga Europa

Em dia fraco na Europa League, Lazio avança para a próxima fase

Lento, quase parando. Assim foi o dia de finados para quem assistiu os jogos da quarta rodada da Europa League, em especial aos dos times italianos. Atalanta, Milan e Lazio tinham a chance de garantir a passagem antecipada para os 16 avos de final da competição, mas somente a equipe romana teve a certeza matemática da classificação nesta quinta, com uma vitória por 1 a 0.

A Lazio foi a última equipe do trio italiano a entrar em campo hoje e tinha a tarefa mais fácil, mas contra o time mais qualificado. Diante do Nice de Balotelli e Sneijder, até mesmo uma derrota poderia lhe dar a vaga, em caso de um empate entre Vitesse e Zulte Waregem. Os belgas do Zulte venceram na Holanda e o empate ia adiando a classificação, até receber um presente aos 47 do segundo tempo.

Antes disso, a partida decepcionou bastante. Uma Lazio cheia de reservas se digladiou com um Nice com força quase total, em um duelo tático no meio-campo, mas de pouca produção de chances de gol. Em uma das únicas em todo o jogo, o zagueiro Le Marchand desviou um chute de Marusic e quase fez contra. Um prenúncio do que estava por vir, já que o beque francês acabou vendo uma cabeçada de Parolo explodir em seu tronco e entrar. Foi a quarta derrota do Nice em jogos oficiais para times italianos nesta temporada e na história. Com o triunfo, a Lazio chegou aos 12 pontos e, além da vaga, já garantiu a primeira colocação no Grupo K.

Milan e Atalanta estão perto disso, mas apenas empataram em suas viagens ao Mediterrâneo. Na Grécia, os rossoneri encontravam o AEK, no inóspito Spyros Louis: o estádio não é nada querido pelo Milan, que jogou lá pela terceira vez e novamente não conseguiu marcar um golzinho sequer. O segundo 0 a 0 diante dos aurinegros levou os italianos a 8 pontos no Grupo D – o AEK tem 6, seguido por Austria Viena (4) e Rijeka (3).

A partida em Atenas foi próxima do trágico. O horroroso primeiro tempo do Diavolo teve como melhor chance um chute de longa distância de Bonucci (de volta ao time titular), que nem assustou o goleiro Anestis. Para os donos da casa, uma finalização de Hélder Lopes testou Donnarumma e pouco mais. A entrada de Suso após o intervalo até levantou o moral dos rossoneri, que acertaram a trave com Montolivo – e foi só. Os 15 minutos finais da partida foram de uma burocracia invejável às repartições públicas brasileiras.

Por sua vez, a Atalanta teve sua festa frustrada pelo Apollon aos 49 do segundo tempo. Os bergamascos venciam a partida e, com o 3 a 0 do Lyon sobre o Everton, iam garantindo a vaga. Após o empate por 1 a 1, os nerazzurri ainda lideram o Grupo E com os mesmos 8 pontos do Lyon, seguidos pelo Apollon (3) e pelo eliminado Everton (1). Gasperini dispensou a modéstia e disse que já considera seu time classificado para os 16 avos de final.

Os atalantinos não sentiram a falta de Papu Gómez, que foi poupado por causa de más condições físicas. Em Limassol, no Chipre, a equipe orobica teve uma chance de ouro com Masiello, que a desperdiçou dentro da pequena área. O zagueiro se redimiu pouco depois, achando Ilicic com belo lançamento e criando a jogada que acabou no pênalti cometido pelo brasileiro Alef sobre o esloveno. O cmisa 72 bateu bem e abriu o placar.

Assim como na partida de ida, em Reggio Emilia, a Atalanta teve chances para ampliar, mas não conseguiu – na melhor delas, Petagna acertou a trave. Acabou punida, assim como no Mapei Stadium. Porém, à diferença do jogo anterior, em que teve tempo para alcançar uma nova vantagem, a Dea viu Zelaya aproveitar uma desatenção e deixar tudo igual aos 49. Fica para a próxima.

Deixe um comentário