Coppa Italia

Em dia de personagem surpreendente, Juve e Milan avançam à final da Coppa Italia

Está decidido. Nesta quarta, foram realizadas as duas partidas de volta das semifinais da Coppa Italia, que tiveram as vitórias de Juventus e Milan. As duas equipes reeditarão a final da temporada 2015-16 e, pela quinta vez, lutarão pelo troféu da competição. Os jogos de hoje tiveram como grande destaque o zagueiro Romagnoli, um milanista de coração laziale.

Em tempos de polêmicas vazias sobre a paixão futebolística da mãe de um goleiro, aqui no Brasil, Romagnoli mostrou que amar um clube não coloca em jogo o seu profissionalismo. Criado pela Roma, o zagueiro é assumidamente torcedor da Lazio. No final de semana, no Olímpico, fez uma grande partida contra o seu antigo clube e eterno rival. Hoje, no mesmo estádio, mostrou entrosamento com Bonucci e também brilhou contra os celestes: foi um dos melhores em campo no 0 a 0 entre Lazio e Milan. Ainda foi o responsável por cobrar e converter o pênalti que colocou os rossoneri na final. Não comemorou, mas cobrou com perfeição.

Antes disso tudo, Lazio e Milan fizeram uma partida tensa, com chances para os dois lados no primeiro e no segundo tempo. Os visitantes pressionaram mais na etapa inicial, mas foi o time romano que teve as melhores chances, em finalizações de Milinkovic-Savic e Immobile. Na melhor delas, Donnarumma foi reativo e fez uma defesa em que mostrou aguçados reflexos. O segundo tempo foi movimentado, mas sem grandes oportunidades. Na prorrogação, a torcida do Milan se desesperou quando Kalinic isolou uma finalização cara a cara com Strakosha – o croata voltou a repetir o “feito”, mas para sua sorte, estava impedido.

Nos pênaltis, os goleiros começaram brilhando. Strakosha e Donnarumma pegaram as cobranças de Rodríguez e Montolivo, de um lado, e de Milinkovic-Savic e Lucas Leiva, pelo outro. Os cobradores calibraram os pés depois disso e, já nas alternadas, Luiz Felipe bateu por cima. Foi aí que Romagnoli entrou em ação e fez o fatídico gol. Um tento que também foi importante para manter a empolgação do Milan em alta. A equipe de Gattuso está invicta há 13 partidas, algo que não conseguia desde 2009.

Carrasco da Atalanta, Pjanic colocou a Juve na final (LaPresse)

Mais cedo, a neve deu uma trégua e finalmente Juventus e Atalanta puderam entrar em campo no Allianz Stadium. Se o confronto do domingo pela Serie A foi adiado pelo mau tempo, a partida de volta das semifinais da Coppa Italia ocorreu sem maiores problemas. E acabou tendo o resultado mais provável: a Juve aplicou um novo 1 a 0 e passou pela equipe nerazzurra, para a qual não perde desde 2004. A equipe de Turim chegou à quarta final seguida da competição.

Precisando do resultado, a Atalanta de Gasperini começou pressionando muito e colocou a Velha Senhora contra as cordas. A Dea chegou a ter 77% de posse de bola na primeira etapa e foi para o intervalo com 65%. Entretanto, a melhor chance aconteceu no início, quando Gómez escorou um cruzamento e viu Buffon defender com segurança.

No segundo tempo, o time de Bérgamo continuou a manter um ritmo alto e ameaçou novamente com Papu. O argentino acertou a trave em chute de longa distância, mas perdeu uma chance muito boa pouco depois. O castigo veio a cavalo: Matuidi se enroscou com Mancini e a arbitragem assinalou o pênalti. Pjanic converteu e voltou a ser carrasco da Atalanta. Foi o quarto gol marcado pelo bósnio em uma Coppa Italia e o terceiro contra o clube lombardo.

Dia 9 de maio, no Olímpico, teremos a finalíssima. A Juve, atual tricampeã consecutiva, pode ampliar a sua sequência de títulos, chegar à 13ª conquista e ser também a única tetracampeã da história do torneio. O Milan, que já levantou a taça da copa cinco vezes, tentará acabar com a festa da rival.

Deixe um comentário