Liga dos Campeões

Com goleada, a Inter se juntou ao Napoli nas oitavas da Champions League

Yuri Said

A noite de quarta-feira da Champions League teve bons ares para os times italianos que entraram em campo. No norte da Itália, em Milão, a Inter garantiu sua vaga nas oitavas de final com uma vitória incontestável sobre os checos do Viktoria Plzen. A Beneamata ainda contou com o retorno de Lukaku, após dois meses afastado por lesão. Reforço que chegou em ótima hora para ajudar na recuperação nerazzurra na temporada.

Em seguida, o já classificado Napoli enfrentou o Glasgow Rangers no estádio Diego Armando Maradona e buscava manter a ótima sequência que vem tendo ao longo da temporada. Luciano Spalletti chegou a poupar cinco titulares, pensando na sequência pesada de jogos antes da pausa da Copa do Mundo – e, claro, em manter a liderança da Serie A. Confira como foram as partidas.

Inter 4-0 Viktoria Plzen

Precisando de uma vitória simples para se classificar no Grupo C, a Inter começou a partida buscando o gol, ativando Dimarco com frequência. Com rápidas saídas pelos lados, a equipe nerazzurra apostava em cruzamentos e nas passagens em velocidade dos pontas, coordenadas com a inserção dos meias. Mesmo melhor, o time italiano mostrou nervosismo e não chegou a assustar a baliza adversária.

Depois de um momento de equilíbrio do Viktoria Plzen, a Inter conseguiu ótima chance em jogada trabalhada pelo lado esquerdo. Após a triangulação entre Mkhitaryan, Martínez e Dzeko, Dimarco apareceu de cara para o gol e parou em defesa de Stanek. Na sequência do lance, Bastoni cruzou para a área, Mkhitaryan antecipou o zagueiro e desviou de cabeça, obrigando o arqueiro a rebater com os pés.

Com a movimentação de Lautaro, a eficiência de Dzeko no pivô, o controle de Barella no meio-campo e as chegadas de Dumfries e Dimarco, a Inter marcou aos 35 minutos. Bastoni, que se apresentava bem pelo lado esquerdo, fez ótima jogada com o ala canhoto e cruzou para a área. A bola passou de Dzeko e sobrou limpa para o cabeceio de Mkhitaryan, que só colocou no canto de Stanek para balançar a rede. O armênio abriu o placar para a Beneamata, que agora poderia ter maior tranquilidade no restante da partida.

O segundo gol da Inter aconteceu aos 42 minutos, novamente num ataque pelo lado esquerdo, quando Barella emendou lindo lançamento para a infiltração de Dimarco. Após o bom domínio, o ala tocou para Dzeko, que chegou na pequena área e apenas tocou para as redes.

O resultado elástico, que praticamente carimbava a vaga interista na próxima fase, fez a equipe da casa voltar para o segundo tempo sem o nervosismo de antes e com a vontade de ampliar o placar de forma natural, como se estivesse num treino de luxo. Mkhitaryan acertou a trave em uma belíssima finalização de primeira e, logo depois, Lautaro parou em outra defesa de Stanek. O terceiro gol saiu apenas aos 66 minutos, após Martínez dominar e ajeitar para Dzeko arrematar no canto, marcando o seu oitavo tento na carreira contra o Viktoria Plzen.

Aos 81 minutos, a Inter teve o retorno de Lukaku, que entrou no lugar de Lautaro. Mostrando fome de gol e muita participação após ficar parado por quase dois meses, o belga logo balançou as redes. Aos 87, fez o pivô, tabelou com Correa e se movimentou para receber frente a frente com Stanek e só ter o trabalho de tirar o arqueiro da jogada. Um tento que animou a torcida para a sequência de jogos da equipe antes da Copa do Mundo.

Com o 4 a 0 em Milão, a Inter consolidou a segunda posição no Grupo C, com 10 pontos. O Bayern Munique, com 15, não pode ser mais alcançado e as equipes apenas cumprirão tabela na última rodada. O mesmo vale para o Barcelona, que viajará para enfrentar o zerado Viktoria Plzen: o time catalão tem 4 pontinhos e teve de se resignar com a vaga na Liga Europa.

Em mais uma grande noite na Liga dos Campeões, Simeone garantiu a vitória do Napoli (AFP/Getty)

Napoli 3-0 Glasgow Rangers

O Napoli, já classificado para as oitavas de final, foi para o jogo contra o Glasgow Rangers com um time misto. Poupando parte dos titulares, Spalletti deu descanso para algumas de suas estrelas e rodagem ao elenco, visando manter a boa fase também no Campeonato Italiano – liderado pelos azzurri.

Mesmo com alguns reservas, o Napoli matou o jogo com apenas 16 minutos. O primeiro gol saiu aos 11, quando o capitão Di Lorenzo enfiou uma bola para Simeone. Cholito dominou e bateu rasteiro, tirando do goleiro McGregor e abrindo o placar. Logo depois, num lance similar, mas do lado oposto, Mário Rui colocou com cabeça para o argentino, que surgiu como legítimo centroavante e testou firme, no canto.

Como um rolo compressor, o Napoli chegou a carimbar o travessão do Rangers com Ndombélé e ficou com a posse de bola no campo de ataque por quase toda a primeira etapa, contando com boas atuações de Politano e Di Lorenzo: as estatísticas ratificavam o domínio completo dos mandantes, que tiveram a pelota por 65% do tempo e produziram oito finalizações. Os escoceses só conseguiram levar perigo ao gol do Napoli perto do intervalo, após um chute rasteiro de Morelos, que Meret mandou para escanteio.

Perto da metade da segunda etapa, o Rangers tentou aproveitar o aparente cansaço do adversário e buscou crescer na partida. Através de lances isolados, assustou em um escanteio, com Morelos: o atacante só não marcou o gol pois Mário Rui, na última hora, se jogou na frente da bola para desviá-la para escanteio. O colombiano levou perigo pouco depois, mas não conseguiu completar um cruzamento rasteiro.

No intuito de controlar o jogo, Spalletti substituiu jogadores cansados e deu novo gás ao Napoli. Com isso, o time ainda ampliou o placar aos 80 minutos, a partir de cobrança de escanteio de Raspadori: Ostigard se desvencilhou da marcação e cabeceou no canto esquerdo do goleiro, balançando as redes em sua estreia na Champions League. Ainda houve tempo para Simeone ficar a centímetros de sua tripletta, com chute perigosíssimo.

Com mais uma grande exibição, o Napoli chegou a 12 vitórias seguidas na temporada e, mais importante, manteve 100% de aproveitamento na Champions League, com 15 pontos. Por isso, tem tudo para ficar com o primeiro lugar do Grupo A: para perder a liderança, os partenopei teriam que ser derrotados por uma diferença de quatro ou mais gols pelo Liverpool, que vem na sequência, com 12. O Rangers, zerado, e o Ajax, com 3, estão eliminados.

Compartilhe!

Deixe um comentário