Serie A

Super Roma – mega Inter

Depois de uma batalha aguerrida no estádio San Siro, o time romanista, comandado por Totti e De Rossi, demonstrou uma pequena superioridade diante da Internazionale. As duas equipes não utilizaram suas formações principais e trataram de usar escalações mistas, seja devido a desfalques, suspensões ou opções físicas.

A Internazionale, mandante e favorita, estava desfalcada de Adriano, por causa de dores nos glúteos (!), além da perda do lateral Maicon, suspenso. Ambos jogadores brasileiros. A dona da casa entrou em campo com o oficialmente estreante Cristian Chivu – numa situação quase inimaginável há um ano atrás – e o medonho Olivier Dacourt, conhecido por sua perseguição aos tornozelos alheios. Também em campo o hondurenho Suazo, cuja velocidade faz sê-lo difícil de se capturar pelas câmeras. Fico imaginando como seria se Obafemi Martins ainda estivesse nesse time – os olhos humanos não seriam capazes de acompanhar tanta sagacidade.

O time giallorosso teve sua defesa desmantelada pelas lesões de Juan e Ferrari. Talvez por falta de experiência, Luciano Spalletti tenha preferido optar por Panucci na zaga ao invés de Andreolli, que pode contar nos dedos suas atuações na Serie A. No meio campo, Pizarro nem foi relacionado para o jogo e, indo um pouco mais à frente, Mancini ficou no banco ao lado de jogadores como Rosi e Nonda, provando o quão desfalcado estava o time da capital. Ambas as squadre eram somente um esboço do que vem por aí na temporada.

O ponto em quero chegar é a profundidade do elenco interista: apesar da derrota causada por um gol de pênalti, por sua vez causado por uma atuação bizarra de Burdisso, os nerazzurri dispõem de um plantel fantástico, que pode contar com goleiro reserva de qualidade e atacantes que seriam titulares na grande maioria dos times do mundo. A começar pelo arqueiro, já que muitos quebram a cabeça na hora de escolher entre Toldo e Julio César (Carini deixou o time de Milão e rumou ao Real Murcia), sua defesa conta com um jogador excepcional, Chivu, laterais pelo menos úteis, Maicon, Maxwell e Coco (este último já uma incógnita), e zagueiros no mínimo competentes como Samuel, Materazzi, Burdisso e Córdoba. Além da chegada do colombiano Rivas, conhecido como Tyson pelo seu modo carinhoso de jogar (deve adaptar-se facilmente a Materazzi).

O meio campo tem Vieira e Cambiasso, ambos a nível mundial; e Dacourt, é, Dacourt, que é bom em… deixar os torcedores com os cabelos que nem os seus. Ah sim, pode-se contar também com o deslocado capitano Javier Zanetti, um jogador fantástico. Por falar em fantástico, tem-se também Luís Filipe Madeira Figo, um veterano que esbanja qualidade, somado ainda às presenças de Solari, Jiménez e do retornado César, trazendo profundidade ao elenco. Claro, não pode-se esquecer de um dos destaques mais recentes da Internazionale, Dejan Stankovic, que conquistou por méritos seu lugar ao Sol.

O ataque é, na teoria, um dos melhores do mundo – são poucos, quase ninguém, os que podem dispôr de jogadores utilíssimos como Suazo e Ibrahimovic, artilheiros como Crespo e Cruz e bons vendedores de figurinha como Adriano e Recoba, este último quase formado em medicina. Roberto Mancini deverá optar por duas táticas, uma, clássica, com o 4-4-2 em teórica linha, com Stankovic mais um em cada lado, junto de Vieira e Cambiasso no núcleo centro-campista. A outra opção é uma já conhecida do treinador, o 4-3-1-2, com 3 mais atrás do meio-campo, ajudando na marcação e dando mais liberdade para o trequartista.

A Roma, em contrapartida, se reforçou muito bem diante das necessidades do time, trazendo Ahmed Barusso para médio-defensivo suplente, e Ludovic Giuly e Esposito, que podem atuar em qualquer lugar dos mais ofensivos de seu esquema. O clube ainda garantiu Andreolli, uma aposta na defesa, Brighi, que trará mais experiência ao meio-campo, e os retornos provavelmente temporários de Kuffour, Nonda e Alvarez. Cicinho deve desembarcar na cidade eterna dentro de alguns dias; além do brasileiro, a equipe ainda deve se reforçar com mais um lateral, e entre as possibilidades está Modesto. Se o jogo rápido e entrosado dos romanistas for mantido, o que provavelmente acontecerá, a Roma há de ser temida.

6 comentários

  • Ae! Dajeee Roma!

    vitória merecidíssima. destaque pra atuação do Vucinic, que jogou muito bem pela esquerda, e mostrou que tem qualidade pra jogar na posição quando Mancini não puder jogar. Acredito que esse ano o montenegrino terá mais chances de mostrar seu futebol.

    de fato os times estavam com desfalques, mas no geral creio que a temporada será muito boa. a diferença EXORBITANTE de elenco entre Roma e Inter diminuiu em comparação à temporada passada, mas continua muito grande.

    No entanto, num jogo com as 2 equipes completas, deu pra ver que ultimamente não há tanta diferença entre os times titulares.

    abraços e continuem com o bom Blog!

  • “. . .e bons vendedores de figurinha como Adriano e Recoba, este último quase formado em Medicina.”

    heuhuaehueahuhuhae

    muito bom !!!
    parabens

    flw

  • Legal o texto. E legal os vídeos tambem.

    Imaginei que seria duro mesmo. Roma é sempre Roma.

    Burdisso jogou muito mal, puta que pariu.

    Dacourt é horrível! Meu Deus do Céu.

    E espero o mesmo sucesso da temporada anterior. Boa sorte a Inter a Roberto Mancini (¬¬) Não gosto dele, já cansei de critica-lo, mas já que está aí, boa sorte.

    Hugo Fernandes

    (Eu posto em anônimo porque é mais rápido, hehe)

  • Ah que jogo lindoooooooooooo amei podia sre goleada se Giuly acertasse aqueles chutes mas pouco importa vençemos mais uma em Milão,rsrs!!!!

    E aquele Chapéu do Totti no Materazzi lindo lindo,demais sem conta que Chivu antes ele deixou não chão,rs!!!

    é isto ai fui!!!

Deixe um comentário