Serie A

Fabiano, lateral do Genoa

Fabiano Lima Rodrigues, 28 anos, lateral-esquerdo, conhecido apenas por Fabiano, ou ainda Fabiano Rodrigues, é hoje jogador do Genoa e esquecido por muitos brasileiros. Para quem não se lembra, ele foi um dos destaques da bela equipe do Atlético Paranaense montada por Geninho que foi campeã brasileira em 2001, jogando num entrosado 3-5-2. Com esta formação, a capacidade de ataque do então jovem lateral pôde ser utilizada, e tal temporada foi uma ótima vitrine para o jogador. Foi dele o chute de fora da área na final do Campeonato Brasileiro de 2001, contra o São Caetano, no Anacleto Campanella, cujo rebote foi empurrado para o gol por Alex Mineiro e deu a vitória.

Após a conquista do Brasileirão, ele continuou outra temporada no Atlético, antes de se transferir para o São Paulo em 2003, onde não teve um rendimento tão memorável. Participou de 37 jogos, marcando apenas 1 gol, contra o Corinthians. Sub-aproveitado no tricolor paulista, que passava por uma fase conturbada, sofrendo de constante pressão dos torcedores e imprensa, foi emprestado para o Perugia, onde começaria sua história na Itália: participou da temporada 2003-04 antes de ser transferido definitivamente para o Fenerbahçe-TUR. Fez apenas uma temporada na Turquia, e voltaria para o Brasil em 2005, para jogar novamente no futebol paulista, dessa vez pelo rival de seu ex-time, o Palmeiras.

Novamente, chegou para jogar num time que passava por momento delicado, e outra vez sobre forte criticismo da torcida. Resultado: mais uma temporada mediana, sem muito sucesso e sem a mesma boa impressão causada no início de sua carreira. Não obstante, por estar numa equipe de maior visibilidade no futebol brasileiro, de novo despertou interesse de clubes europeus, e foi contratado junto ao Arezzo, time que disputava então a Serie B italiana. Tendo feito boas apresentações, foi procurado pelo Genoa, time também da Serie B no momento, mas com um potencial mais forte, e uma história mais gloriosa.

Já pelos rossoblù, participou ativamente da ótima campanha de 2006-2007, que promoveu o clube italiano de origens inglesas de volta à Serie A. Hoje, está praticamente esquecido pelas torcidas paulistas, sendo lembrado principalmente pelos torcedores do Atlético-PR que viram nele potencial e um rendimento notável, de alto nível. Apesar desta falta de reconhecimento em solo brasileiro, Fabiano conseguiu se manter bem no futebol e hoje é um dos primeiros nomes deste time do Genoa, titular absoluto no esquema 3-4-3 bem ofensivo do Gasperini, voltando a atuar como um ala, onde tem mais liberdade para atacar, apesar de não ser como muitos laterais brasileiros totalmente ofensivos e sem grandes preocupações na retaguarda.

3 comentários

  • Fabiano foi bem DEMAIS no Atlético, eu era fãzaço dele. No São Paulo, não acompanhei muito. Já no Palmeiras, acabou indo mal demais, nem lembrava o que se ‘consagrou’ aqui – errava todos os cruzamentos, subia mal, falhava muito, não tinha confiança.

  • Realmente, o Fabiano surgiu muito bem na época de Atlético…e eu gostei da passagem dele pelo São Paulo, mas como foi dito, a época era conturbada, jogadores que mereciam ganhavam pouco, outros que não mereciam tanto ganhavam muito, e os boatos de atritos internos só confirmam mais um motivo dessa má fase.
    Na minha opinião, se ele jogasse na Espanha hoje em dia, seria um desses “alas-artilheiros”, estilão Daniel Alves e Adriano mesmo. Mas mesmo no duro Calcio, o Fabiano tem feito boas atuações, provando que suas má fases ficaram no passado.

  • Eu lembro do Fabiano e não considero que ele tenha ido tão mal assim no São Paulo, não. Gostava bastante do futebol dele. Mas, admito, eu era minoria.

    Interessante lembrar de jogadores como ele. Não saiu do Brasil há tanto tempo – só cinco anos -, mas já foi, em suma, esquecido. Futebolisticamente falando, cinco anos são uma eternidade, hein!

    Abraços.

Deixe um comentário