Mercado

A nova ambição genovesa

Nas aulas de história, sempre se ouve falar que Gênova era uma cidade muito importante como entreposto comercial e que era a terra do visionário navegador Cristóvão Colombo. A mentalidade revolucionária do conterrâneo parece ter influenciado as diretorias de Genoa e Sampdoria neste período entre-temporadas. Há algum tempo, os dois clubes não lembravam de perto seus esquadrões vitoriosos. Ambos os clubes encaravam uma condição de assíduos freqüentadores da Serie B até pouco tempo e o Derby della Lanterna nunca mais havia sido disputado na divisão máxima italiana. A Sampdoria pouco lembrava aquela comandada por Vialli e Mancini, campeã italiana em 90-91. Os blucerchiati conseguiram sua promoção apenas na temporada 2002-03, enquanto seus rivais citadinos ostentavam o peso de ser um clube nove vezes campeão italiano que disputava a série cadetta. Na última temporada, enfim, os grifone trouxeram sua tradição de volta a Serie A. Então, neste mercado de verão, as duas diretorias parecem ter renovado suas ambições. Em mercados interessantes, os dois clubes prometem mais combatividade na temporada que está quase se iniciando. E, como sempre, o Luigi Ferraris promete ser um aliado importantíssimo para os donos da casa. As visitas ao Marassi devem ser ainda mais duras para os grandes clubes – e um terror para os menores. Abaixo segue uma rápida análise dos dois clubes e suas movimentações de mercado até 07/08. Você pode conferir todo o mercado italiano aqui. Legenda:
Empréstimo
[Retorno de empréstimo]
[Transferência definitiva após empréstimo] Sampdoria: fantasista e bomber para o ataque Chegam:
30/06 – [Massimo Bonanni (m, Itália) – Bari]
30/06 – [Francesco Virdis (a, Itália) – Ravenna]
30/06 – [Salvatore Foti (a, Itália) – Messina]
30/06 – [Fabrizio Cacciatore (d, Itália) – Foligno]
30/06 – [Daniele Padelli (g, Itália) – Pisa]
01/07 – [Antonio Cassano (a, Itália) – Real Madrid]
03/07 – Marius Stankevicius (d, Lituânia) – Brescia
09/07 – Marco Padalino (m, Suíça) – Piacenza
10/07 – Daniele Dessena (m, Itália) – Parma
21/07 – Bruno Fornaroli (a, Uruguai) – Nacional (URU)
21/07 – Nicola Ferrari (a, Itália) – Sassuolo

Saem:
30/06 – [Antonio Mirante (g, Itália) – Juventus]
30/06 – [Vincenzo Montella (a, Itália) – Roma]
30/06 – [Ikechukwu Kalu (a, Nigéria) – Bellinzona]

01/07 – Nikola Gulan (m, Sérvia) – Sampdoria
01/07 – Sergio Volpi (m, Itália) – Bologna
01/07 – Christian Maggio (m, Itália) – Napoli
01/07 – Fabrizio Cacciatore (d, Itália) – Triestina
01/07 – Cristian Zenoni (d, Itália) – Bologna
08/07 – Alessandro Bastrini (d, Itália) – Sassuolo
11/07 – Leonardo Martín Migliónico (d, Uruguai) – Livorno
22/07 – Matteo Lanzoni (d, Itália) – Bari
28/07 – Danilo Soddimo (m, Itália) – Ancona
05/08 – Daniele Padelli (g, Itália) – Avellino
05/08 – Vladimir Koman (m, Hungria) – Avellino Provável time base (3-5-2): Castelazzi; Campagnaro, Lucchini, Accardi; Stankevicius, Sammarco, Palombo, Dessena, Pieri; Cassano, Fornaroli. A Sampdoria já vinha se erguendo a algum tempo, sob o comando de Walter Novellino – disputou a Copa UEFA em 2005-06 e conseguiu classificação para a edição 2007-08 -, mas foi apenas com outro Walter, o Mazzari, que a Samp encontrou seu melhor futebol, alcançando mais uma vez a classificação para a Copa UEFA. Para esta temporada, o clube assegurou importantes reforços. O primeiro deles foi a permanência de Cassano, contratado em definitivo após empréstimo ao Real Madrid. Se mantiver as boas atuações que lhe renderam participação na Euro 2008, o fantasista barese continuará a ser o principal jogador da Samp. Seu companheiro de ataque deve ser o bomber uruguaio Fornaroli, contratado para suprir a vaga de centroavante mais fixo, que ficaria deficiente com a volta de Montella para a Roma. El Tuna, que marcou 15 gols em 26 partidas pelo Nacional de Montevideo, deve ser a referência ofensiva da equipe na disputa da Serie A, a menos que a Sampdoria acerte com Suazo ou Crespo, ambos em baixa na Inter e já especulados no clube.

Cassano: “Minha Samp é from hell” Apesar de ter perdido o experiente meio-campista Volpi para o Bologna, e Maggio, um dos melhores terzini sinistri da última Serie A, para o Napoli, os genoveses não têm muito com o que se preocupar. Dessena, mesmo em baixa pelas más atuações na última temporada, deve assumir uma das vagas no meio-campo, enquanto Pieri deve ser o substituto de Maggio, embora com menos qualidade. O suíço Ziegler também pode fazer esta função. Como consolo, Stankevicius deve dar maior possibilidade de variação de jogadas, tornando o lado direito mais útil ofensivamente que na última temporada. Conciliar duas competições é sempre uma tarefa difícil, e praticamente impossível quando se tem um elenco limitado em algumas posições. Resta saber se o clube pretende levar a disputa continental a sério. Para levá-la a sério, faltam dois defensores e pelo menos uma opção no ataque, já que as boas revelações da Primavera campeã italiana de 2007-08 sae concentram no meio-campo – como, por exemplo, o húngaro Koman, emprestado ao Avellino – e no ataque. Genoa: ambição e deslize

Chegam:
30/06 – [Gianluca Pegolo (g, Itália) – Mantova]
30/06 – [Andrea Masiello (d, Itália) – Bari]
30/06 – [Stefano Botta (m, Itália) – Cesena]
30/06 – [Giuseppe Greco (a, Itália) – Rimini]
30/06 – [José Mamede (m, Portugal) – Salernitana]
01/07 – Francesco Modesto (d, Itália) – Reggina
01/07 – Davide Di Gennaro (m, Itália) – Milan
01/07 – Andrea Gasbarroni (m, Itália) – Parma
01/07 – Abdelkader Ghezzal (a, França) – Crotone
01/07 – Giuseppe Biava (d, Itália) – Palermo
01/07 – Salvatore Bocchetti (d, Itália) – Frosinone
01/07 – Fernando Forestieri (a, Itália) – Siena
01/07 – Francesco Renzetti (d, Itália) – Lucchese
01/07 – Salvatore Aurelio (a, Itália) – Cesena
01/07 – Alessandro Potenza (d, Itália) – Fiorentina
02/07 – Giandomenico Mesto (d, Itália) – Reggina
03/07 – Raffaele Palladino (a, Itália) – Juventus
08/07 – Andrea Gasbarroni (m, Itália) – Parma
12/07 – Diego Polenta (d, Uruguai) – Danubio
12/07 – Andrea Ranocchia (d, Itália) – Arezzo
22/07 – Rubén Olivera (m, Uruguai) – Juventus
23/07 – Steve Pinau (d, França) – Monaco
28/07 – Mariano Stendardo (d, Itália) – Messina
28/07 – Nicolás Domingo (m, Argentina) – River Plate
28/07 – Magnus Troest (d, Dinamarca) – Parma
01/08 – Sokratis Papastathopoulos (d, Grécia) – AEK
06/08 – Matteo Ferrari (d, Itália) – Roma

Saem:
01/07 – Marco Borriello (a, Itália) – Milan
01/07 – Abdoloulay Konko (d, França) – Sevilla
01/07 – Cesare Bovo (d, Itália) – Palermo
01/07 – [Andrea Masiello (d, Itália) – Bari]01/07 – [Manuel Coppola (m, Itália) – Siena]01/07 – Alessandro Di Maio (d, Itália) – Lucchese
01/07 – Giacomo Cotellessa (m, Itália) – Lucchese
01/07 – Emmanuel Jorge Ledesma (m, Argentina) – Queens Park Rangers
02/07 – Fernando Forestieri (a, Itália) – Siena
09/07 – Julio Cesar León (m, Honduras) – Parma
09/07 – Danilo Russo (g, Itália) – Pergocrema
09/07 – Paolo Facchinetti (m, Itália) – Pergocrema
09/07 – Michele Tarallo (a, Itália) – Pergocrema
10/07 – Gleison dos Santos (d, Brasil) – Reggina
11/07 – Francesco Renzetti (m, Itália) – Albinoleffe
12/07 – Giacomo Cotellessa (m, Itália) – Sangiovannese
13/07 – Andrea Ranocchia (d, Itália) – Bari
20/07 – Fabiano (m, Brasil) – Reggina
22/07 – Matías Masiero (m, Uruguai) – Pisa
23/07 – Diogo Tavares (a, Portugal) – Frosinone
25/07 – Alessandro Lucarelli (d, Itália) – Parma
29/07 – Magnus Troest (d, Dinamarca) – Parma
31/07 – Thiago Pires (d, Portugal) – Potenza
31/07 – José Mamede (m, Portugal) – Potenza
04/08 – Giuseppe Greco (a, Itália) – Pisa
04/08 – Silvano Raggio Garibaldi (m, Itália) – Pisa Provável time (3-4-3): Rubinho; Bocchetti, Ferrari, Criscito; Mesto, Milanetto, Rossi, Modesto; Gasbarroni, Olivera, Palladino. O leitor deve ter se cansado ao ver a excessiva movimentação rossoblù neste mercado de verão. Muito se justifica pelo grande número de jogadores emprestados ou em co-propriedade, que participaram de negociações, mas não é tudo. O Genoa se demonstra bastante ambicioso até agora. As saídas de Konko, Borriello, Bovo, Gleison e abiano permitiram ao clube trazer Palladino, Modesto, Gasbarroni, Mesto e Bocchetti, pretendidos por outros clubes, mas que aportaram em Genoa. Todos devem ser titulares no ofensivo 3-4-3 de Gasperini. A defesa certamente é o ponto mais forte do time, excetuando a escassez de goleiros. Rubinho é fraquíssimo, Scarpi e Lanza não inspiram confiança. Pelo menos a linha de três defensores é boa; muitas opções de qualidade e outras de muito potencial. Papasthatopoulos (ufa!), Criscito e Bocchetti são alguns dos jovens defensores mais cobiçados da Europa, embora dois deles devam ser ofuscados pelo superestimado Potenza e pelo fraquíssimo Ferrari. Aliás, a contratação do ex-Roma foi um deslize da diretoria, que vinha contratando muito bem: Ferrari, além de contratação desnecessária, pois já havia muitas opções para a posição no elenco, deve ser titular pela experiência, mesmo sendo inferior tecnicamente aos outros e provável autor de pataquadas ao longo da Serie A. Deve ter ficado na cabeça da diretoria sua boa passagem em 97-98, quando era apenas em jovem recém-saído da Primavera interista. Ferrari no miolo de zaga e Rubinho no gol pode gerar problemas para os grifone. Quanto ao meio-campo, Mesto e Modesto devem dar bastante saída de bola pelos lados, enquanto Milanetto e Rossi ajudam a fazer um meio-campo de muita pegada. Paro, Domingo e Di Gennaro são outras opções muito interessantes e que tem possibilidade de ganhar a vaga ao longo da competição.
Ferrari: “Como seria melhor sem a bola…”
O ataque ainda gera desconfianças. Palladino é uma boa contratação e terá a chance de provar que ainda pode vingar para o futebol. Na outra ponta, Gasbarroni vem credenciado por ter sido uma das poucas boas coisas no Parma rebaixado em 2007-08. Mas, por outro lado, as outras opções para o ataque são bastante contestáveis. O Genoa também foi buscar um uruguaio para ser seu goleador. Rubén Olivera (ex-Sampdoria) vem emprestado pela Juventus e será outro que terá chance de provar algo. Até hoje o carequinha não vingou na Itália. O decadente Marco Di Vaio deverá ser negociado – o Olympiacos parece ter feito uma oferta oficial. O argentino Figueroa, o brasileiro Wilson (ex-Corinthians) e o italiano Sculli completam a lista de avantes. Se dependerem desses três últimos nomes, a torcida do Genoa terá motivo para ter pesadelos. Embora tenha alguns problemas a corrigir, o Genoa pode surpreender. Não disputam competição européia nenhuma e já estão treinando na Áustria há cerca de três semanas. Uma vaga na UEFA pode ser um objetivo real, mas a falta de nomes de frente e goleiro confiáveis pode fazer com que o sonho desapareça.

1 comentário

Deixe um comentário