Serie A

Balanço final: Fiorentina

Gilardino voltou a tocar seu violino com frequência nesta temporada

A CAMPANHA 4ª colocação, 68 pontos. 21 vitórias, 5 empates, 12 derrotas. Classificada para a fase preliminar da Liga dos Campeões.
FORA DA SERIE A Eliminada pelo Torino nas oitavas-de-final da Coppa Italia, eliminada na fase de grupos da Liga dos Campeões e eliminada pelo Ajax na terceira fase da Copa da Uefa.
O ATAQUE 53 gols, o 8º mais positivo.
A DEFESA 38 gols, a 4ª menos vazada.
OS ARTILHEIROS Alberto Gilardino (19 gols), Adrian Mutu (13), Riccardo Montolivo (4).
OS ONIPRESENTES Sebastien Frey (37 jogos), Alberto Gilardino, Alessandro Gamberini e Riccardo Montolivo (34).
O TÉCNICO Cesare Prandelli
QUEM DECIDIU Alberto Gilardino
QUEM DECEPCIONOU Juan Manuel Vargas
QUEM SURGIU Stefan Jovetic
QUEM SUMIU Sergio Almirón
MELHOR CONTRATAÇÃO Alberto Gilardino
PIOR CONTRATAÇÃO Luciano Zauri
NOTA DA TEMPORADA 7

Para conseguir a segunda classificação seguida para a Liga dos Campeões, o time de Florença contou com a permanência do técnico Cesare Prandelli, a manutenção de seus principais jogadores (Mutu, Montolivo e Gamberini) e apostou num mercado milionário com boas contratações, como as de Felipe Melo, Gilardino, Jovetic e Vargas. Dos quatro principais contratados o único que decepcionou foi o peruano mais caro da história.

Alto e forte, Juan Manuel Vargas era pretendido por grandes times europeus ao final da última temporada, quando era destaque da lateral-esquerda do Catania, mas foi a Fiorentina que venceu a concorrência de Real Madrid e Roma para desembolsar doze milhões de euros pelo bom futebol do jogador. No entanto, o peruano não conseguiu repetir as boas atuações da temporada passada, quando sua velocidade e bons dribles apareciam muito mais, e terminou a temporada com um rendimento bem abaixo do esperado.

Em compensação, as apostas em Gilardino (flop do Milan na temporada 2007-08), Felipe Melo e Jovetic deram muito certo – no caso do montenegrino, principalmente no returno. O reencontro com Cesare Prandelli, treinador do Parma na época que Gila estourou na Serie A, fez muito bem ao atacante, que recuperou a boa forma e voltou a marcar gols importantes. Já Felipe Melo aproveitou a queda de rendimento de Montolivo para se tornar a principal peça do meio-campo viola e, com boas apresentações, conseguir uma vaga na seleção de Dunga. E o jovem Stefan Jovetic, de apenas 19 anos, conseguiu mostrar o futebol que o fez ser considerado o melhor jogador do Mundial Sub-17 de 2006.

Deixe um comentário