Liga Europa

Liga Europa: Italianos em baixa

A torcida esperou 21 anos para ver de novo um grande jogo internacional
no San Paolo, mas o placar não saiu do 0 a 0. (Foto: LaPresse)

No desafio mais esperado dos últimos anos de sua história, o Napoli não alcançou a vitória. Contra um Liverpool muito organizado em campo, os azzurri não conseguiram furar o bloqueio e tiveram que se contentar com mais um empate na Liga Europa. Já é o terceiro, em três jogos pela competição.

Enquanto Mazzari mandou a campo seus melhores jogadores, Hodgson escalou seu time com muitas mudanças em ralação à equipe titular. Gerrard e Torres ficaram na Inglaterra e Fábio Aurélio, Joe Cole e Maxi Rodríguez iniciaram a partida no banco de reservas. A aposta do treinador inglês nos seus jovens suplentes deu certo: o Liverpool foi superior quase que o tempo inteiro e saiu da Itália com o ponto que queria. Em momento algum o Napoli apresentou o bom futebol que o coloca na quarta posição do campeonato italiano. O time pareceu nervoso em campo.

O azzurro não conseguia jogar pelo meio, congestionado pelos reds, e nem as fortes jogadas pelas alas, com Hamisk e Lavezzi, estavam dando certo. Só Cavani manteve o alto nível e levou algum perigo ao gol adversário. O goleiro De Sanctis foi o melhor da partida pelo lado napolitano. O empate só não ficou pior para o Napoli porque o Utrecht também não conseguiu vencer o Steaua Bucarest no outro jogo do grupo (confira classificação). Destaque negativo para os torcedores ultrà que agrediram ingleses na madrugada de ontem. Três envolvidos foram presos.

Veja os melhores momentos do jogo aqui.

Salzburg 1×1 Juventus
Quem também chegou ao terceiro empate em três jogos pela Liga Europa foi a Juventus. O resultado coloca os bianconeri apenas na terceira colocação de seu grupo, atrás de Manchester City e Lech Poznan (veja classificação). A situação é preocupante para o time de Turim, que não tem muito o que fazer para mudar o time, uma vez que Aquilani e Quagliarella não podem jogar a Liga Europa, Grygera se machucou e deve ficar pelo menos um mês parado, e Del Piero e Amauri não encontram seu melhor futebol. Krasic, poupado ontem no primeiro tempo, continua sendo o único diferencial da Velha Senhora.

A primeira etapa de ontem em Salzburg foi péssima para a Juve. O time da casa, sob o comando do bom Mendes, dominou facilmente seu adversário, deu trabalho para Manninger, que, surpreendentemente foi muito seguro e decisivo, e encontrou o gol aos 36′, com Svento. O time de Delneri só entrou no jogo a partir da entrada de Krasic, no início do segundo tempo. O sérvio mostrou toda a sua disposição e habilidade e logo aos 2′ empatou o jogo. Três minutos mais tarde, deixou Del Piero na cara para marcar, mas o capitão não acertou o alvo. Martínez pela ala é um desastre e fragiliza demais o 4-4-2 de Delneri. A dependência de Krasic é séria e se a equipe quiser chegar longe na competição europeia, a diretoria vai ter que fazer boas contratações no mercado de janeiro.

Veja os melhores momentos e os gols da partida aqui.

Palermo 0x3 CSKA Moscou
Em casa, o Palermo perdeu para um CSKA fulminante e também ficou para trás no seu grupo (veja classificação). O atacante Doumbia foi o homem do jogo. Deu velocidade e eficiência ao ataque russo e ainda marcou os primeiros dois gols do time. O terceiro, de Necid, serviu só para afundar ainda mais os rosanero. Quando, aos 22′, Vagner Love errou pênalti e Pastore acertou lançamento perfeito para Hernandéz quase marcar parecia que as coisas melhorariam para o time siciliano. Mas nada feito. O CSKA continuou melhor e alcançou o gol poucos minutos depois. A escolha de Delio Rossi de colocar Darmian na lateral esquerda e avançar Cassani se mostrou errada e o time russo se aproveitou disso e fiz boas jogadas pelo lado direito do ataque. Pastore fez um bom primeiro tempo e foi um dos principais jogadores do time, para variar. Mas na segunda etapa esqueceu de jogar, se pôs contra o juiz e acabou expulso. O CSKA alcançou sua sétima vitória seguida e ainda não tomou gol na Liga Europa.

Veja os melhores momentos e os gols da partida aqui.

Metalist 2×1 Sampdoria (Mateus Ribeirete)
Os blucerchiati até saíram na frente, mas a felicidade durou pouco. A virada chegou através de dois jogadores brasileiros: Taison – que ainda viria a ser expulso – e Cleiton Xavier. Quando Konan abriu o placar, após belíssima triangulação pela direita, com pouco mais que meia-hora de jogo, um resultado cômodo era esperado. Embora o Metalist também pressionasse, via-se uma Sampdoria tranquila e bastante perigosa através de Cassano e Marilungo. Palombo e Pazzini, poupados para o jogo de domingo contra a Inter, não faziam falta até a defesa abrir e Taison chutar de fora da área, empatando a partida. Logo após o intervalo, Pozzi quase fez, e alguns minutos depois Taison foi expulso, o que aumentou ainda mais as esperanças da Samp. Quem cresceu, entretanto, foi a equipe ucraniana, que não sofreu dominação e achou o gol da virada num voleio de Cleiton Xavier, após bom cruzamento do também brasileiro Edmar. Di Carlo ainda realizou as três alterações, mas não obteve sucesso. Os italianos, curiosamente perdidos em campo, sequer ameaçaram a meta adversária. A situação do grupo não é das melhores: com a derrota, a Sampdoria, com quatro pontos, vê os ucrianos chegarem a seis e encostarem no PSV, com sete.

Veja os melhores momentos e os gols da partida aqui.

Deixe um comentário