Serie A

11ª rodada: O colorido agora é outro

O vermelho e preto do Milan é novo dono do topo da tabela. Muito disso por conta da dupla Ibra e Pato, que marcou 11 dos 20 gols da equipe no campeonato (Foto: AP/La Presse)

Em uma rodada que começou com pouca emoção e quase nenhum gol (foram apenas dois nos 45 minutos iniciais), o Milan venceu o Palermo e assumiu a liderança da Serie A, que era da Lazio desde a sexta rodada. Enquanto isso, Inter e Juve desperdiçaram a chance de encostar ainda mais nos líderes e apenas empataram com Lecce e Brescia, respectivamente. Chance que o Napoli não deixou escapar: com gol de Lavezzi, já nos acréscimos, o time derrotou o Cagliari fora de casa e pulou para a terceira posição. Destaque também para o jogo cheio de gols entre Fiorentina e Roma, que segue na zona de classificação para competições europeias. Confira os jogos da 11ª rodada.

Milan 3-1 Palermo
No San Siro, os primeiros minutos da partida foram bem intensos. Com um meio de campo bem modificado, mas equilibrado, o Milan conseguiu ficar com a posse da bola e levou perigo ao gol de Sirigu pelo menos três vezes nos 15 primeiros minutos. Gattuso, suspenso, e Pirlo, poupado, deram lugares a Flamini e Ambrosini, enquanto, um pouco mais à frente, Seedorf fez o papel do trequartista, atrás de Pato e Ibrahimovic. Ronaldinho ficou no banco e sequer entrou no decorrer da partida. Do lado rosanero, foi Miccoli que ficou no banco. O técnico Delio Rossi escalou o time no 4-3-2-1, com Pastore ao lado de Ilicic e apenas Pinilla na frente, e decepcionou os que queriam ver a dupla Miccoli e Pastore atuando junta. A tática deu boas opções para o time, que atacava bem com três ou mais jogadores, mas também se recompunha com rapidez. Ainda assim, foi o time do Milan que saiu para o intervalo em vantagem. Pato aproveitou cobrança de escanteio e cabeceou para o gol, marcando seu sexto no campeonato e se isolando na artilharia da equipe.

No segundo tempo o jogo ficou ainda mais movimentado, mas dessa vez era o Palermo que levava mais perigo ao gol adversário. Pastore não estava no melhor de seus dias e deixou o time logo aos sete minutos, dando lugar a Miccoli, que deu mais mobilidade e ação aos sicilianos. A pressão deu certo e Bacinovic empatou o jogo, aos 18′. De olho nos três pontos, Delio Rossi sacou Pinilla e botou Maccarone, mas o atacante pouco fez. Do outro lado, Allegri mostrou a falta de prestígio de Robinho e colocou Inzaghi no lugar de Pato, que, de novo, saiu machucado. O veterano, no entanto, também se machucou (exames confirmaram que ficará fora do resto da temporada) e aí sim Robinho teve sua chance. Dessa vez, aproveitou: depois que Ibrahimovic já tinha marcado o segundo gol rossonero, o ex-santista participou efetivamente do terceiro, no qual iniciou e concluiu a jogada. Os visitantes reclamaram muito da arbitragem do árbitro Banti, que deixou de marcar um ou dois pênaltis para o Palermo e não assinalou a posição ilegal de Ibra no lance do terceiro gol milanista. Reclamações à parte, o Milan aproveitou o tropeço da Lazio e pulou para a ponta da tabela, acumulando 23 pontos, um a mais que a concorrente, e agora chega com a moral elevada para o clássico de domingo, contra a Inter.

Cagliari 0-1 Napoli
Quem também aproveitou o tropeço dos adversários para conquistar algumas posições foi o Napoli. Jogando no Sant’Elia, Mazzarri confirmou a volta de Aronica, Maggio, Dossena e Lavezzi desde o início da partida, deixando Cavani no banco de reservas, mas não viu um bom jogo em campo. Bem fraca tecnicamente e com poucas emoções, a partida só foi decidida aos 49 do segundo tempo, quando Cavani aproveitou sobra, puxou contra-ataque rápido tocou para Lavezzi marcar, com um belo chute, seu quarto gol nas últimas cinco partidas. O uruguaio entrou apenas no segundo tempo e, mais uma vez, se mostrou essencial para a equipe. O resultado confirma os bons resultados do time fora de casa: são quatro vitórias e dois empates até aqui. Na próxima rodada, mais um importante compromisso longe de seu estádio: enfrenta a Lazio.

Roma 3-2 Fiorentina
Se em Cagliari o jogo foi ruim e faltou emoção, em Roma a situação foi bem diferente. Em uma partida de cinco gols, o time da casa foi melhor a maior parte do tempo e garantiu sua quarta vitória seguida, mantendo a boa curva de ascensão. A aposta de Ranieri em Ménez como trequartista do 4-3-1-2 vem dando certo e o francês não está decepcionando: mais uma vez, foi um dos grandes nomes da partida. Apareceu muito bem no segundo gol romanista, de Borriello. Antes disso, o brasileiro Fábio Simplício já tinha aberto o placar. Com o 2 a 0, a Roma diminuiu um pouco o ritmo e a Fiorentina conseguiu diminuir com Gilardino. Perrotta voltou a alargar a vantagem, depois, e D’Agostino diminuiu novamente aos 44′ com um belo gol de ex, mas já era tarde demais para uma reação. A vitória no dérbi, domingo passado, parece ter ampliado o fôlego gialorosso, que há pouco tempo tinha Ranieri na corda bamba. O objetivo é manter o bom momento na próxima rodada, quando a equipe vai à Turim enfrentar a Juve.

Cesena 1-0 Lazio
No lado biancoceleste da capital, parece que os efeitos da derrota no clássico ainda não passaram. A Lazio foi pressionada pelo Cesena a partida inteira e em poucas ocasiões levou perigo ao gol de Antonioli. Talvez a bola de Foggia no travesão tenha sido a única real oportunidade do time romano. A equipe sentiu muita falta de Hernanes e Mauri e pouco criou. A falta de experiência também pesou. Já perto do fim da partida, o técnico Reja pedia para seu time esfriar a partida e assegurar o ponto fora de casa, mas sem sucesso. Resultado: o Cesena alcançou seu gol aos 40′ da segunda etapa, com Parolo, e conquistou os três pontos que dão um pouco de tranquilidade para a equipe, que, graças à derrota do Bologna, termina a rodada fora da zona de rebaixamento. Na próxima rodada, a Lazio recebe o Napoli, em Roma, para tentar se reabilitar dessas duas últimas derrotas. O Cesena vai à Florença enfrentar a Fiorentina.

Lecce 1-1 Inter
No estádio Via del Mare, o Lecce mostrou sua força dentro de casa e manteve a invencibilidade. Até aqui, são três vitórias e dois empates em seu território, ou seja, 11 pontos dos 12 conquistados pela equipe no campeonato, o que pode ser o caminho para a salvezza gialorossa. O time de De Canio foi premiado pelo seu esforço coletivo e pela boa atuação de Rosati, que fez defesas importantes, e Olivera, autor do gol e dono de um passe de classe no meio de campo. Do lado interista, destaque para o retorno de Santon e Milito, que fizeram boa partida. Em alguns momentos do jogo, o atacante argentino lembrou o bom e “velho” Milito, aquele da temporada passada. Mas no final perdeu uma chance que poderia ter dado os três pontos à atual campeã. A próxima rodada será importantíssima: com uma vitória no dérbi de Milão, o time de Benitez iguala a pontuação do Milan. Uma derrota, contudo, abre uma diferença de seis pontos entre os dois. E o momento atual, sem dúvidas, é melhor para o Milan. A confiança dos nerazzurri está na volta de Júlio César, Stankovic e Sneijder.

Brescia 1-1 Juventus
No Mario Rigamonti, o empate entre Brescia e Juve foi o mais justo. Em um jogo bom, ambas as equipes buscaram o gol e fizeram um jogo agradável de assistir. Com um time bem montado, os donos da casa dominaram o primeiro tempo e tiveram algumas chances de abrir o placar. A combinação de dois jogadores rápidos (Hetemaj e Baiocco) e um que dita o ritmo do jogo (Cordova), no meio de campo, deu boa mobilidade ao time, que ainda tinha os técnicos Diamanti e Éder atuando atrás do veterano Caracciolo. Diamanti chegou pelo menos três vezes com perigo e ainda marcou o gol (e que golaço) de empate dos donos da casa. Foi o melhor da partida. Quem também apareceu muito bem foi Quagliarella, sempre com perigo. O artilheiro da Juve na Serie A acertou uma na trave, antes de abrir o placar. O cruzamento para o gol foi de Fabio Grosso, que voltou na rodada passada, depois de seis meses parado, e, surpreendentemente, foi bem até agora. Krasic ainda faz falta.

Genoa 1-0 Bologna
Na estreia de Davide Ballardini no Genoa, mudanças já puderam ser verificadas no futebol da equipe da Ligúria. Um time muito mais compacto, montado pelo ex-técnico de Palermo e Lazio num óbvio 4-3-3, foi muito mais incisivo e jogou com mais velocidade do que na era Gasperini. Dessa maneira, os grifoni colocaram o Bologna contra as cordas durante os 90 minutos e só não chegaram ao gol com rapidez por causa de um excelente Viviano, sempre com defesas fundamentais. No meio-campo, Milanetto e Veloso fizeram partida interessante, equilibrando bem as funções de marcação e apoio ao ataque e, não por menos, foram os melhores do time da casa em campo. Pecado por Viviano foi não ter alcançado o bonito chute de Milanetto, a 10 minutos do fim, que tirou o zero do placar e fez o Bologna ir ao ataque. Tarde demais.

Chievo 0-0 Bari
Chievo (um ponto em dois jogos) e Bari (nenhum ponto em cinco partidas) fizeram um dos piores jogos desta Serie A, muito em virtude das péssimas condições do gramado do Bentegodi, que receberá o jogo de rúgbi entre Itália e Argentina no sábado. Ontem, o Bari foi a campo com um time desfigurado e cheio de jogadores Primavera no banco e conseguiu segurar o resultado, somando o primeiro ponto em seis partidas, muito embora o Chievo não tenha se esforçado tanto para chegar à vitória. Mais prejudicial do que o próprio resultado foram as lesões de Andreolli e Kutuzov, que podem ficar de fora dos jogos de domingo.

Catania 1-0 Udinese
Partida terminada em 1 a 0, cujo gol saiu numa jogada de escanteio. Reflexo ideal do nível técnico fraquíssimo apresentado no Angelo Massimino. A Udinese, sem Di Natale, raramente ameaçou a meta de um Catania igualmente em dificuldades. Máxi López, centro-avante dos donos da casa, sequer teve chance de aparecer, tal qual o principal finalizador do outro lado do campo, Denis. López, porém, deu a vitória aos rossazzurri numa cabeçada certeira, após escanteio cobrado por Mascara. Guidolin ainda lançou Floro Flores – que entrou bem – e Corradi, tão inutilizado quanto Denis. Ledesma e Pasquale (no banco) ainda foram expulsos no fim do jogo, bem como o próprio Guidolin. O Catania respira depois de passar um mês e meio sem vencer, enquanto a Udinese tem sua ascensão freada. As duas equipes têm 14 pontos.

Parma 1-0 Sampdoria
No fechamento da rodada, Bojinov salvou a pele de Pasquale Marino. Com um gol nos minutos finais da partida, o búlgaro deu sobrevida ao treinador, decidindo outro jogo de nível questionável. Sob uma névoa intensa – digna de um entardecer no Alfredo Jaconi – uma Sampdoria desprovida de qualquer brilho só ameaçou quando Pazzini bateu falta na trave, no início do segundo tempo. A lacuna que deixa Cassano é inegável: até o momento, a Samp tem mantido uma irregularidade capaz de cortar qualquer ambição e foi incapaz de atingir duas vitórias seguidas. Ao Parma restou um gol sofrido depois de atuação protagonizada pelo esforço, e tão somente isso. Os três pontos afastam os crociati da lanterna, mas ainda mantêm o clube ao lado de Bologna, Cesena, Brescia e Cagliari nas últimas posições, com 11 pontos, à frente apenas do Bari, com nove.

Colaborou Pedro Spiacci

Para resultados, escalações, classificação e estatísticas da 11ª rodada, clique aqui.
Para ver todos os gols da rodada, clique aqui.
Para relembrar a 10ª rodada, clique aqui.

Seleção da 11ª rodada

Viviano (Bologna); Zébina (Brescia), Yepes (Milan), Mexès (Roma), Miguel Veloso (Genoa); Ambrosini (Milan); Ménez (Roma), Olivera (Lecce), Diamanti (Brescia); Lavezzi (Napoli), Quagliarella (Juventus). Técnico: Massimo Ficcadenti (Cesena).

Deixe um comentário