Serie A

35ª rodada: O discurso do rei

Com dois gols ante o Bari, Totti é o quinto maior marcador da história da Serie A e disparou: o Rei de Roma não está morto (Getty Images)

Faltando apenas um ponto para que o Milan confirme o scudetto, as atenções na Serie A continuam voltadas para a disputa da última vaga para a Liga dos Campeões, das duas para a Liga Europa e, na outra ponta da tabela, para a briga anti-rebaixamento. A rodada praticamente confirma matematicamente que Inter e Napoli jogarão a fase de grupos da próxima Liga dos Campeões, enquanto o tropeço da Lazio esquenta a briga e abre o precedente para que Roma e até mesmo a Juventus sonhem com a vaga – além da Udinese, que já estava um ponto atrás dos laziale antes de a bola rolar para a 35ª rodada. Na parte de baixo da tabela, Cesena, Sampdoria e Lecce tentam escapar da Serie B, enquanto o Brescia está virtualmente rebaixado. Acompanhe.

Bari 2-3 Roma
Neste domingo, a Roma venceu com dois gols de Totti, que chegou aos 206 gols na Serie A (todos pela sua Roma) e superou Roberto Baggio como o quinto maior artilheiro da história do campeonato. O Pupone, que ainda perdeu um pênalti, deixou uma mensagem para seus detratores: o Rei de Roma não morreu. De fato, esta é a melhor temporada de Totti pela Roma desde que foi Chuteira de Ouro, ao marcar 26 gols na temporada 2006-07. Foi um dia atípico, em que a Roma teve dois expulsos (De Rossi e Perrotta, que ganharam três jogos de suspensão e só voltam a jogar nesta Serie A se a Roma vencer apelo), quase tropeçaria contra uma equipe rebaixada mas conseguiu vencer no último segundo, com gol do aleatório Rosi.

Emoção demais, que chega a dar moral para o clube, que pode acabar vendo cair no colo uma vaga na Liga dos Campeões, sendo presenteada pela rival Lazio, mas que podia ter passado pelo vexame de cair em um momento crucial para uma equipe mais fraca e desmotivada. Foi também um dia de coincidências e de recorde para a Roma: com os dois pênaltis de domingo, o clube já teve 13 marcados a seu favor na temporada, recorde histórico giallorosso, mas não da Serie A – que é do Milan de 1950-51, com 18. Coincidentemente, a equipe rossonera é adversária do próximo sábado e deve enfrentar uma Roma sedenta pela vitória, disposta a adiar mais uma vez a festa do provável scudetto.

Lazio 0-1 Juventus
Na segunda visita juventina à Roma nesta Serie A, o panorama foi o mesmo: durante toda a partida, a Velha Senhora defendeu-se bastante e, cinicamente, conseguiu vencer quando menos se esperava – desta vez, de modo ainda mais inesperado, com gol de Pepe, após cruzamento de Salihamidzic (!). O resultado coloca os bianconeri com 56 pontos, três a menos que Udinese e Roma, e quatro atrás da própria Lazio. Sonho descabio meses atrás, a Juventus ainda está viva e pode, ao menos, conseguir a classificação direta para a Liga Europa.

A Lazio por sua vez, pressionou demais a Juve, que se segurou graças às boas atuações de Buffon e Barzagli, contrastando com o mau dia do restante da zaga. Hoje, o cenário é desfavorável para os aquilotti: para não entregar de bandeja a quarta vaga para a Roma, terá de torcer para uma derrota da maior rival contra o Milan e, em caso de vitória romanista, terá de vencer a Udinese fora de casa. As próximas rodadas prometem.

Fiorentina 5-2 Udinese
O resultado da partida do Artemio Franchi surpreende mais pela elasticidade do que pela vitória viola e só comprova o momento ruim que vive a Udinese. Pouco reativa, a equipe de Guidolin até chegou a encostar no placar por duas vezes, mas por lances isolados, de erro de posicionamento dos donos da casa. A hora é de acordar: a chance para chegar à LC ainda existe, graças ao tropeço da Lazio, e o confronto direto contra os laziali no fim de semana, em casa, será fundamental para uma eventual conquista da equipe provinciana.

Pelo lado da Fiorentina, o primeiro destaque foi para o golaço de Vargas – se o peruano tivesse jogado durante a maior parte da temporada, a Fiorentina teria ido mais longe? Todo o time jogou bem, atacando principalmente pelos flancos e, por isso, além de Vargas, acabou se destacando também Cerci, autor de dois gols e uma assistência. O final de campeonato do jogador revelado pela Roma é muito interessante e pode estar deixando para trás as más impressões causadas pelo mau futebol demonstrado pela Roma e, até um mês atrás, pelo próprio clube de Florença.

Sampdoria 3-3 Brescia
Um primeiro tempo muito fraco e dominado pelo receio das equipes em atacarem e, consequentemente, darem espaços para o adversário, fazia crer que o jogo acabaria em um chato empate. No entanto, o segundo tempo foi de provação: tanto Sampdoria quanto Brescia quiseram provar que não estavam mortas no campeonato. No segundo tempo, comandado por Caracciolo – autor de uma assistência e dois gols -, o Brescia chegou a ficar na frente do placar por três vezes, mas a Samp mostrou uma reatividade nunca vista desde que a crise assolou o clube, a partir de janeiro, e conquistou por três vezes a igualdade. O empate praticamente condena o Brescia à Serie B e não serviu para a equipe doriana se afastar da zona de rebaixamento, mas ao menos reduziu seu prejuízo. Pela frente, a Samp terá tabela difícil: dérbi de Gênova na próxima semana, além de Palermo, em casa, e Roma, fora.

Milan 1-0 Bologna
Os rossoneri não precisaram de muito tempo e de grandes esforços para passar pelo Bologna, que chegou à quinta derrota consecutiva e volta a se preocupar com o (improvável, mas possível) rebaixamento. O gol de Flamini, aos 8 minutos, foi a cara de um Milan que joga como equipe, por mérito de Allegri e que, provavelmente pelo dedo do treinador, sente pouco a falta de Ibrahimovic. No restante da partida, um Bologna muito passivo praticamente assistiu o Diavolo dominar as ações e só levou perigo ao segundo tempo, com duas cabeçadas, e viu o pouco ímpeto esvanecer com uma expulsão controversa de Della Rocca. Ao Milan, será suficiente apenas mais um ponto nas últimas rodadas para confirmar o scudetto.

Parma 3-1 Palermo
No duelo dos times que viviam fase ascendente após a mudança de técnicos, o Parma de Franco Colomba levou a melhor sobre o Palermo de Delio Rossi. O ex-técnico do Bologna chegou à terceira vitória em quatro jogos no comando da equipe parmiggiana e está próximo de comemorar a permanência na elite: precisa apenas de uma vitória. Colomba, inclusive, já foi confirmado no cargo para a próxima temporada e, com a chance de iniciar um trabalho do zero, pode repetir os bons resultados que tem conseguido. No Tardini, o Parma acabou favorecido por um Palermo que nem mesmo entrou no jogo no primeiro tempo, como mostraram o incrível erro de Sirigu com menos de dois minutos de jogo e a desatenção da defesa logo depois, que resultaram em gols de Dzemaili e Modesto. Os rosanero até melhoraram no segundo tempo com as entradas de Acquah e Pinilla, reduziram a desvantagem com Pastore, mas um gol de Candreva no finalzinho matou o jogo e deu justiça ao resultado.

Chievo 1-0 Lecce
Na próxima rodada, apenas um empate ou um tropeço do Lecce separa o Chievo da salvezza. Em Verona, os méritos para a conquista tem sido dados ao técnico Stefano Pioli, que já negocia a renovação do contrato para a próxima temporada, embora sofra o assédio de outros clubes. Pioli tem seguido uma receita óbvia – e que tem dado certo – no Chievo dos últimos anos: e, no domingo, como não podia ser diferente, o time scaligero foi a campo no 4-3-1-2, com três meias fortes e Pellissier no comando do ataque. O Lecce, por sua vez, não seguiu a fórmula que vinha utilizando na Serie A, praticando futebol ofensivo, e renunciou ao jogo. Perdeu sem maiores cerimônias e é candidatíssimo ao rebaixamento. Nos últimos três jogos, recebe Napoli e Lazio e visita Bari para o dérbi da Apúlia.

Catania 2-0 Cagliari
Outro time que está quase salvo é o Catania, que venceu um desinteressado Cagliari em casa e precisa de apenas uma vitória para confirmar-se pelo sexto ano seguido na elite, recorde histórico do clube. Em campo, o que se viu foi uma partida fraca e com muitos erros, sobretudo da parte sarda, mas os donos da casa não conseguiam aproveitar até a segunda etapa. O momento crucial para a vitória foi, ironicamente, a expulsão do lateral Álvarez, que fez falta como último homem sobre Cossu e evitou o gol cagliaritano. Aí, Simeone – pretendido pelo Atlético de Madrid para a próxima temporada – fez duas alterações importantes, inserindo Lodi e Schelotto, que participaram dos dois gols etnei, de Silvestre e Bergessio. Pouco, mas suficiente.

Para resultados, escalações, classificação e estatísticas da 35ª rodada, clique aqui.
Para ler sobre os jogos de sábado, clique aqui.
Para relembrar a 34ª rodada, clique aqui.

Seleção da 35ª rodada
Eduardo (Genoa); Lichtsteiner (Lazio), Barzagli (Juventus), Silvestre (Catania), Vargas (Fiorentina); Behrami (Fiorentina), Caserta (Cesena), D’Agostino (Fiorentina), Cerci (Fiorentina); Pazzini (Inter), Caracciolo (Brescia). Técnico: Franco Colomba (Parma).

Deixe um comentário