Serie A

37ª rodada: Acabaram os tempos de Nutella

Emocionado, o capitão Palombo pede desculpas à torcida doriana. Talvez seja ele o único dos pilares remanescentes para a reconstrução da Sampdoria (Getty Images)

Dois anos atrás, em um dos seus litígios com a torcida da Sampdoria, Cassano soltou uma de suas contumazes frases de efeito: “estavam acostumados a comer Nutella e, quando provam um pouco de m…, agem desse jeito”. Hoje, a frase tem um quê de profético, já que Fantantonio comemora o scudetto com o Milan e vê sua antiga equipe rebaixada para a Serie B depois de conquistar as preliminares da Liga dos Campeões jogando bom futebol e vinte anos depois do histórico título nacional, conquistado pela equipe de Mancini e Vialli. Os tempos de Nutella acabaram. Para o Napoli e, muito provavelmente, para a Udinese, eles vigoram e devem render por pelo menos mais uma temporada. Acompanhe o resumo da rodada.

Sampdoria 1-2 Palermo
É oficial e merecido: a Sampdoria, campeã italiana em 1990-91 e quarta colocada na última temporada está rebaixada para a Serie B. Para manter as esperanças, a equipe teria de vencer um Palermo despretensioso, que tinha apenas em Miccoli, torcedor fanático do Lecce, vontade de atrapalhar seu caminho. A Samp era melhor no jogo, mas não chegava ao gol – quando chegou, com Pozzi, o gol foi mal anulado pelo árbitro Mazzoleni. No final do primeiro tempo, quando Miccoli marcou para o Palermo, a situação ficou complicadíssima. Biabiany até empatou, mas Pinilla deu números finais ao confronto e fez com que o capitão Palombo se emocionasse.

Tímidas ações de mercado levadas a cabo pelo presidente Riccardo Garrone, desde a escolha de Domenico Di Carlo para assumir o lugar de Luigi Delneri até as transferências de Cassano e Pazzini são vistas pela torcida como o principal fator que levou a Samp ao redimensionamento, à queda na auto-estima e consequente retrocesso. A família Garrone não deve deixar o comando da sociedade, mas deve ganhar sangue novo, com a entrada de Edoardo, filho do atual presidente, no conselho administrativo. A promessa é de ambição e um entre Delio Rossi (Palermo) e Stefano Colantuono (Atalanta) deve ser o novo treinador do time.

No entanto, segurar o desmonte da histórica equipe de 2009-10, que já tinha começado com as saídas de Delneri, Cassano e Pazzini, além do diretor esportivo Beppe Marotta, deve ser ainda mais complicado: pilares da equipe, como Curci, Ziegler, Gastaldello, Poli e Guberti podem ser negociados. Se resolver abrir mão de uma transferência para uma grande equipe e do sonho de voltar a figurar nas convocações para a seleção italiana e permanecer, Palombo será fundamental na reconstrução.

Bari 0-2 Lecce
O domingo foi de dupla satisfação para o Lecce e seus torcedores: a permanência na Serie A foi conquistada justamente com uma vitória sobre o Bari, seu rival histórico. Mesmo com as ameaças dos ultrà de Bari, a equipe da casa pouco fez para atrapalhar o rival e o viu dominar o jogo, chegando ao resultado final com dois gols do brasileiro Jeda, no segundo tempo. Apesar de ter a pior defesa da competição, os salentinos tem mérito pela permanência: o time é bem organizado ofensivamente e conta com bons destaques individuais, como Di Michele, Olivera, Giacomazzi, Vives, Munari e Chevantón.

No entanto, o maior artífice da conquista é o técnico Luigi De Canio, mantido no cargo depois da queda do Lecce para a Serie B em 2008-09. Especialista em treinar equipes pequenas, De Canio terá, para a próxima temporada, o mesmo objetivo desta: a salvezza. Quem sabe não chega ao terceiro ano consecutivo no comando da equipe da Apúlia? O Bari, por sua vez, deve perder alguns jogadores importantes para a disputa da cadetta, como Barreto, Belmonte e Almirón, além dos ícones Andrea Masiello e Gillet.

Napoli 1-1 Inter
Comemoração também em Nápoles, pela confirmação oficial de que o Napoli jogará a fase de grupos da Liga dos Campeões pela primeira vez em 21 anos, quando Maradona. A partida começou com o domínio da Inter, que pela primeira vez em anos parecia favorita a vencer o Napoli no San Paolo. Prova disso é que o gol de Eto’o, seu 35º na temporada, foi o primeiro marcado pela equipe no estádio em 14 anos. Milito, o melhor em campo, e Maicon, também tiveram chances claras, mas esbarraram na defesa e na trave.

No fim da primeira etapa, uma patacoada da defesa nerazzurra possibilitou o empate napolitano, com Zúñiga, que satisfazia ambos os times – a Inter ficaria com o vice e o Napoli com a terceira posição -, e a partir de então praticamente não houve mais jogo. Após o apito final, jogadores e comissão técnica festejaram com o presidente Aurelio De Laurentiis e com o técnico Walter Mazzarri. Mas, agora, em Nápoles, o tempo é de os dois se reunirem e negociarem a permanência do treinador, que pode se transferir à Juventus ou Roma.

Catania 2-1 Roma
Mais uma vez, a Roma romou. Jogando contra uma equipe que não tinha mais qualquer pretensão na Serie A e precisando vencer para continuar sonhando com a próxima Liga dos Campeões, a equipe de Montella até saiu na frente, mas foi dominada e levou o empate a quinze minutos do fim e permitiu que Gómez virasse, no último lance. A temporada decepcionante e a troca de presidência deve, enfim, fazer com que a Roma renove seu plantel e deixe de ter a maior média etária do futebol italiano.

Quem comemorou o resultado foi a Juventus, que mesmo perdendo para o Parma mantém ínfima chance de classificação para a Liga Europa. Outro que comemora, claro, é o ex-laziale Diego Simeone, interessado diretamente em vencer a ex-rival e valorizar-se um pouco mais no mercado de técnicos para a próxima temporada. No jogo do domingo, Simeone teve boa participação ao mexer taticamente no jogo, colocando Gómez aberto pelo lado esquerdo do ataque e, no segundo tempo, colocando Lodi no meio-campo – uma alteração que costumou dar certo nesta temporada. No comando do ataque, a escassez de boas exibições de Maxi López tem feito com que Bergessio se sobressaia. Ainda pretendido por outros clubes, talvez o ex-atacante do Grêmio não encontre obstáculos para trocar de clube desta vez.

Parma 1-0 Juventus
Quantas vezes uma decisão errada de mercado pode condicionar uma temporada? No caso da Juventus, uma porção delas deve significar, salvo uma reviravolta inesperada, um ano fora das competições europeias e, ao menos contra o Parma, valeu uma vingança, nesta temporada. Emprestado ao Parma porque não se encaixaria no 4-4-2 de Delneri, Giovinco deu a volta por cima e marcou três gols na Juventus nesta temporada. No domingo, marcou um golaço e livrou, matematicamente, o Parma do rebaixamento.

Perdido e sem opções, com Krasic e Aquilani suspensos, o técnico juventino fez opções questionáveis como, no meio da partida, colocar Pepe no centro do meio-campo. Deverá ser demitido logo após a última rodada do campeonato. No entanto, a crise da Juventus está longe de acabar. Um dia antes do jogo, Buffon foi duramente criticado por John Elkann, um dos principais acionistas do clube, mas ao menos respondeu em campo: foi o único bianconero que mereceu citação honrosa. Até setembro, o ambiente interno da Juve promete fervilhar.

Chievo 0-2 Udinese
Única interessada em conseguir a vitória, a Udinese protagonizou jogo de uma equipe só durante mais de dois terços da partida ocorrida no Bentegodi. Mesmo sem Sánchez, a equipe friulana jogou de maneira extremamente vertical, mas desperdiçou gols demais. Só no primeiro tempo, foram seis chances muito claras de gol, mas apenas uma, com Isla, terminou vencendo Sorrentino. No segundo tempo, o Chievo acordou e, aos 18 minutos, Handanovic fez dupla defesa fundamental para segurar o resultado. Mas o ímpeto clivense parou por aí: logo após as chances, Asamoah acertou um belo chute rasteiro de fora da área e fechou o placar.

Com o resultado, a Udinese chegou a 20 vitórias em uma única temporada e estabeleceu seu recorde histórico. Uma das melhores temporadas da história do clube está perto de terminar com chave de ouro: um empate contra o Milan, no próximo domingo, garante a equipe na fase preliminar da próxima Liga dos Campeões, coroando o excelente trabalho de Francesco Guidolin.

Cesena 1-0 Brescia
Festa muito grande também na Emília-Romanha, que viu o Cesena garantir a permanência na Serie A, depois de dois acessos consecutivos, desde a Lega Pro. Mandando no jogo, o Cesena chegou a acertar duas vezes a trave do já rebaixado Brescia, que resistiu pouco e deu chance a jovens, como o goleiro Leali, de 18 anos, pretendido por meia Europa. No segundo tempo, o gol de Giaccherini confirmou o destino cesenático para a próxima temporada e fez o Dino Manuzzi explodir em festa – talvez tardiamente, já que os recursos da equipe eram suficientes para um campeonato um pouco mais tranquilo.

Para a próxima temporada, já se começa a discutir o futuro do técnico Massimo Ficcadenti, enquanto, o Brescia segue com indefinições em relação à passagem do título societário das mãos de Gino Corioni para outro empresário. A equipe também pode perder jogadores importantes, como Caracciolo, Éder, Diamanti e Hetemaj.

Fiorentina 1-1 Bologna
No dérbi do Appennino, Fiorentina e Bologna jogavam apenas para cumprir tabela. Cheia de incertezas sobre a permanência de jogadores importantes, como Gilardino e Montolivo, a Fiorentina contava com a volta de Frey à titularidade, após longo período de lesão. Mesmo em um mau dia de boa parte da equipe, os viola saíram na frente, depois que Cerci completou cruzamento de Vargas, ratificando a importância dos dois na reta final da Serie A.

No segundo tempo, o Bologna cresceu após a entrada de Ramírez e logo empatou, com o próprio uruguaio. Os visitantes ficaram com um a mais após a expulsão de Kroldrup, que cometeu pênalti sobre Di Vaio, mas o atacante acabou desperdiçando a cobrança. Perto do fim do jogo, o árbitro Giannocaro coroou a má apresentação ao não marcar pênalti sobre Ramírez e expulsá-lo, por reclamação, logo depois. Mas há pouco pelo que se lamentar.

Para resultados, escalações, classificação e estatísticas da 37ª rodada, clique aqui.
Para relembrar os jogos de sábado, clique aqui.
Para relembrar a 36ª rodada, clique aqui.

Seleção da 37ª rodada
Buffon (Juventus); Isla (Udinese), Thiago Silva (Milan), Paletta (Parma), Mesbah (Lecce); Ledesma (Lazio), Hernanes (Lazio), Giovinco (Parma); Robinho (Milan), Bergessio (Catania), Jeda (Lecce). Técnico: Luigi De Canio (Lecce).

2 comentários

  • Garrone é dono de 97% da culpa desse rebaixamento. Simples. A começar com o medíocre Di Carlo, não falando depois da campanha dele nesta temporada, mas com as outras campanhas ridículas que ele havia feito anteriormente. Desde quando ele era técnico para UCL? Depois foi Cavasin, que dispensa comentários.

    Ziegler termina seu contrato agora, em julho, salve engano, mas já havia recebido ofertas do Milan no meio da temporada. Já está fora. Curci que suma, é melhor para o time. Gastaldello e Guberti são bons o bastante para não quererem ficar na Serie B. Poli, tanto faz. Não fede, nem cheira. Mas Palombo renovou contrato, no meio da temporada, até 2020, chamando a Samp de família. Claro que palavras no futebol não valem muito, mas ACHO que ele fica.

    Vejamos se Edoardo limpa a sujeira que o pai deixou em Bogliasco. Ser pior, eu duvido que ele consiga.

Deixe um comentário