Coppa Italia

Pequeno hiato na alegria

Em meio aos festejos do Milan pela conquista do scudetto, o Palermo também conseguiu comemorar (Getty Images)

A derrota de hoje é dolorida, mas não pode ser entendida como uma tragédia para o Milan. Perder para o Palermo na semifinal da Coppa Italia significou, para os novos campeões italianos, apenas um breve momento de tristeza em meio à alegria pela conquista de um scudetto que não vinha desde 2004, apesar de tornar impossível o sonho da inédita dobradinha para o clube.

Se no primeiro duelo, em Milão, os rosanero já haviam dado um importante passo à classificação com o empate em 2 a 2, a vitória em casa por 2 a 1 apenas ratificou uma passagem de fase que é essencial para os planos do time para a próxima temporada. Quem está longe de comemorar o resultado é a Juventus, que não terá direito a uma vaga na Liga Europa caso termine a Serie A na sétima colocação, cenário provável.

O Milan claramente sentia a ressaca do título conquistado no final de semana. Os rossoneri foram presa fácil para um Palermo que entrou em campo ligado na chance de abocanhar uma vaga na próxima Liga Europa através do título da Coppa. Melhor em campo e com o apoio da torcida, os sicilianos pressionavam os campeões italianos sem muito sucesso. Mas mesmo sem gols, a primeira etapa da partida foi disputada com diversas chances criadas, com os donos da casa tomando a iniciativa e os visitantes aproveitando os contra-ataques para tentar reagir. Allegri, surpreendentemente, havia deixado Ibrahimovic no banco de reservas, apostando em um ataque formado por Robinho e Pato.

Apesar de a situação sem gols marcados favorecer o Palermo, o time da Sicília seguiu pressionando nos 45 minutos finais, sempre empurrado pela força da torcida e ajudado pela apatia rossonera. A pressão surtiu efeito apenas aos 18 da segunda etapa, quando após cobrança de escanteio Migliaccio se antecipou à zaga do Milan e, quase caindo, conseguiu cabecear para abrir o placar.

Com a vantagem de um gol, os donos da casa praticamente selavam a classificação, dando à torcida a impressão de que o duelo já estava decisivo. Os torcedores, porém, ainda viram Pastore achar Ilicic com um ótimo passe e ficar cara a cara com Abbiati – para evitar o gol, van Bommel fez pênalti e foi expulso. O capitão rosanero, Bovo, converteu e ampliou a vantagem, que daria tranquilidade ao time da casa caso ele não fosse expulso no lance seguinte, por errar tempo de bola e acertar Pato com um chute. Com Ibrahimovic já em campo, o Milan pressionava muito: o sueco chegou a atingir as duas traves com um único chute, mas, fora isso, o Palermo se defendia bem. Nos acréscimos, Ibra diminuiu, mas já era tarde.

Com a vitória o time da Sicília conseguiu a vaga em sua terceira final de Coppa Italia. Nas outras duas oportunidades em que disputou o torneio, em 1974 e 1979, a equipe ficou com o vice-campeonato, perdendo para Bologna e Juventus, respectivamente. Para conseguir o título e a vaga na Liga Europa, os rosanero esperam agora o vencedor do duelo entre Roma e Internazionale, equipes que tem no torneio sua última chance de tentar dar alguma glória a uma temporada de insucessos.

Deixe um comentário