Coppa Italia

O clichê Cavani

Cavani, Cavani, Cavani: é fácil adivinhar quem fez gol quando é o Napoli que balança as redes (Foto: DayLife.com)

Parece clichê, mas não é. Talvez seja quase. Afinal, nada na Itália tem sido tão repetitivo quanto boas atuações coroadas com gols de Edinson Cavani. Principalmente quando o Napoli precisa dos gols de seu matador para definir partidas difíceis. Caso da partida entre os partenopei e a Internazionale, nesta tarde, válida pelas quartas de final da Coppa Italia. Foram dois gols do uruguaio e vitória dos napolitanos por 2 a 0. Um script que tem se repetido com frequência animadora para a fanática torcida azzurra.

Pela primeira vez em 2012 o Napoli conseguiu iniciar uma partida com seus três principais jogadores. Cavani teve a companhia de Hamsík e Lavezzi, este voltando de lesão. Foi o suficiente para bater uma Inter que parece focar suas forças em uma recuperação em andamento na Serie A. E como é praxe em jogo envolvendo equipes de força nivelada, boa parte do primeiro tempo foi de estudo. Os nerazzurri, porém, tomaram mais iniciativas. A postura mais ofensiva dos comandados de Claudio Ranieri, no entanto, proporcionavam contra-ataques constantes para os partenopei. Com este panorama a primeira etapa terminou sem gols.

O segundo tempo, porém, era do Napoli. Mais do que isso, era de Cavani. Em uma jogada toda errada de Thiago Motta, que recuou a bola nos pés do uruguaio, os napolitanos obtiveram pênalti cobrado com perfeição por seu matador, que no final de semana havia desperdiçado uma penalidade. Com a vantagem no placar, os azzurri recuaram ainda mais e passaram a ser atacados com frequência pela Inter. Em lance polêmico na sequência, Diego Milito reclamou bastante de suposto pênalti cometido por Maggio. Reclamações sequer ouvidas pelo árbitro do duelo.

Mesmo atrás, a Inter continuou melhor e forçando a defesa adversária com ataques constantes. Tática que, no entanto, só permitiu ao Napoli explorar a velocidade de seus atacantes para jogar no contra-ataque. Pandev, que entrou no lugar de Lavezzi e fazia seu primeiro jogo contra a Inter desde sua saída do clube de Milão, era o responsável por levar os partenopei ao ataque por meio de contra-golpes. E foi justamente em uma jogada destas que o Napoli, após ser pressionado durante toda a segunda etapa, ampliou com Cavani já nos descontos. Gol de misericórdia e que selou a classificação napolitana, apesar da superioridade da Inter em todo o jogo.

Para a Inter, que perdeu sua invencibilidade de oito partidas em todas as competições, resta concentrar suas forças em seu processo de retomada na Serie A e, principalmente, nos duelos que se aproximam pela Liga dos Campeões – competição na qual o Napoli também passa a se focar cada vez mais. Os partenopei, agora, se preparam para encarar uma maratona de três competições. Pelas semifinais, enfrentará o Siena, e é favorito para chegar à final da Coppa Italia. Coisas de quem tem um dos maiores matadores da atualidade inspirado em praticamente todos os jogos. E é dos pés de Cavani que pode sair o primeiro título do Napoli desde o scudetto de 1990.

Deixe um comentário