Coppa Italia

Os donos do jogo

El Shaarawy e Seedorf destruíram o sistema defensivo da Lazio na classificação à semifinal da Coppa Italia (La Presse)

Os torcedores que compareceram ao San Siro viram duas equipes que pouparam pouquíssimos titulares. Edy Reja não se importou com a disputa da Serie A e mandou o que tinha de melhor ao gramado e Allegri, que já pensa nos jogos do Milan pela Liga dos Campeões, deixou Ibrahimovic no banco e promoveu a estreia de Mesbah (ex-Lecce). Thiago Silva, por sua vez, foi poupado. Quem presenciou o embate viu um Milan aguerrido, que bateu o adversário por 3 a 1, de virada, para encarar a Juventus na semifinal.

No início, parecia fácil para o time laziale. Cissé, que não marcava desde o primeiro jogo da Serie A contra o próprio Milan no San Siro, finalizou de voleio após cruzamento de Álvaro González. Amelia ainda defendeu chute de Lulic antes dos donos da casa passarem a mandar na partida.

O posicionamento rossonero deu-se quase da mesma forma contra o Novara, na última rodada do campeonato. Entretanto, ao invés de El Sharaawy como trequartista, Allegri apostou em Seedorf para executar a função. O jovem italiano foi deslocado para o ataque juntamente a Robinho. Esse trio apavorou Diakité, Stankevicius e André Dias. No primeiro gol, El Shaarawy abriu para o cruzamento de Abate, Merkel desviou e Robinho, também de voleio, empatou. Minutos depois, o “pequeno faraó” do Milan tirou a bola de dois para assistir Seedorf, que entortou André Dias e fuzilou. Antes do fim da primeira etapa, Amelia defendeu cobrança de falta de Hernanes.

O zagueiro brasileiro da Lazio, aliás, passou dos limites. No segundo tempo, ele deu um soco na nuca de van Bommel. O árbitro Gervasoni não viu o lance e não expulsou o jogador – que deve ser punido pela federação nacional após a análise das imagens. Antes do apito final, Ibrahimovic veio do banco para completar para o gol a linda jogada de Emanuelson – com direito a drible por entre as pernas de Lulic. Uma prova de força do Milan, que vai mostrando fome de disputar todos os títulos a que concorre.

No outro chaveamento, semifinal inédita

Outubro não foi um bom mês para o Chievo. Na Serie A, enfrentou Juventus e Inter, mas também enfrentou Cesena, Bologna e Siena sem uma vitória sequer. Contra os bianconeri da Toscana, aliás, sofreu: 4-1, fora de casa, com uma boa exibição de Mattia Destro.

Ano novo, vida quase nova. Renovada. A do Siena, obviamente, após a vitória na Coppa Italia e ao avanço inédito à semifinal da competição. Destro, o superstar da sub-21 da Itália, marcou o gol solitário da classificação.

Giuseppe Sannino e Domenico Di Carlo entraram com times praticamente reservas. Dos 22 em campo, 13 não jogavam constantemente. O Siena tinha razão: atual 17º colocado, enfrenta a Fiorentina no fim de semana, no clássico toscano que mais deve valer nos últimos anos, já que as equipes estão bem próximas na tabela. O Chievo se deu ao luxo de poupar alguns jogadores, pois está na honrosa 9º posição.

No primeiro tempo, pouquíssimas chances: um voleio de Frey por cima do travessão aqui, uma finalização errada de Uribe ali. Do lado preto-e-branco, Pablo González quase balançou a rede de Puggioni. O jogo mudou em 120 segundos. Foi Destro entrar para Gazzi assistir o atacante para o gol. O Siena ainda pôs lenha na fogueira ao ter Grossi expulso por agredir Acerbi. Cruzado tentou, Paloschi também. Mas a defesa adversária, sobretudo por uma boa exibição de Gazzi na volância, segurou o ímpeto do Chievo.

A sensação na equipe eliminada é que poderia ter feito mais. Vacek foi grandíssimo em Verona, mas faltou alguém que o ajudasse na armação. O zagueirão Mandelli também perdeu uma chance clara na pequena área. E se Sammarco tivesse entrado? O camisa 7 estava à disposição e marcou dois gols nos últimos três jogos – inclusive o da classificação ante a Udinese na própria Coppa, na última semana.

Se para o Chievo resta apenas a Serie A, o Siena tem o campeonato pela frente, onde lutará para não cair, e, logo ali, o sonho de chegar a uma inédita copa europeia, caso bata o Napoli nas semifinais – considerando que Juventus e Milan deverão se classificar para uma competição europeia pelo campeonato, a vaga na Liga Europa cairia nas mãos do Siena, mesmo em caso de vice-campeonato. Cavani, na Campânia, não precisa de muitas chances para fazer a alegria do torcedor napolitano. Nas bandas da Toscana, Destro tem feito o mesmo. Aos 20 anos, é o principal jogador do time na temporada e um dos atacantes italianos em melhor fase. Não seria loucura imaginar a zebra atacar na competição novamente. Há de se lembrar que os bianconeri mandaram para casa mais cedo Palermo e Cagliari.

Deixe um comentário