Liga Europa

Riscos desnecessários

Com emoção ou sem emoção, interistas? (Getty Images)
Quando o então treinador do time Primavera interista, Andrea Stramaccioni, assumiu o comando técnico da equipe principal, substituindo Claudio Ranieri após a derrota no Derby d’Italia, contra a Juventus, por 2 a 0, a Inter, nas nove rodadas restantes da Serie A, surpreendeu em alguns jogos com seu poder de recuperado. Fato que até rendeu alguns trocadilhos com o sobrenome do técnico nerazzurro, como “Strareazione”.
E já desde seus trabalhos nas categorias de base de Roma e Inter, Stramaccioni ficou conhecido por seus times renderem, em alguns momentos, “fortes emoções” aos torcedores. Foi assim durante toda a campanha vitoriosa da Inter na NextGen Series, a “Champions League sub-19”. A esquecível temporada 2011-12 se foi, mas o gosto por fortes emoções, pelo visto, não. Só que o caminho é inverso agora.
Contra o Hadjuk Split, no primeiro jogo oficial da temporada no “novo” Giuseppe Meazza – que ganhou novo gramado -, após tranquila vitória por 3 a 0 na Croácia, a Beneamata entrou relaxada em campo e sofreu até o apito final, perdendo a partida por 2 a 0, mas se classificando no final. Nesta quinta-feira, o time enfrentado foi outro, mas a história se repetiu.
Após outra vitória tranquila fora de casa, por 2 a 0, agora contra os romenos do Vaslui, mais um novo susto para o torcedor interista. Na coletiva pré-jogo Andrea Stramaccioni havia destacado que a equipe deveria tomar mais cuidados, mas a julgar pelo desempenho, o conselho não foi recebido. Cheio de desfalques, principalmente no meio de campo, e com alguns poupados, Stramaccioni montou um time “alternativo” e passou aperto.
Sem Maicon (que deve mesmo sair), Handanovic, Chivu, Álvaro Pereira, Stankovic, Gargano, Mudingayi, Duncan, Mariga, Obi e Álvarez, Andrea Stramaccioni optou por um 4-3-1-2 cheio de modificações, com Jonathan e Juan nas laterais, Nagatomo (com febre, diga-se) compondo o trivote no meio-campo e Coutinho atrás de Cassano e Palacio.
Com a bola rolando, 15 minutos sonolentos, nos quais a Inter cadenciava o jogo trocando passes no meio de campo, enquanto o Vaslui, no 4-1-4-1, não oferecia pressão nem criava alguma chance relevante. Com uma chance aqui, outra ali, o tempo foi passando, até que aos 34, Sburlea foi derrubado por Castellazzi dentro da área. Pênalti e a expulsão do veterano arqueiro nerazzurro. O jovem Vid Belec entrou no lugar do sacrificado Cassano – que conseguiu produzir bons lances -, mas não conseguiu superar Stanciu, que inaugurou o placar.
Com um a menos, a equipe milanesa passou a sofrer ainda mais pressão, ainda tentando se reorganizar taticamente com a saída de Cassano, no 4-4-1. Somente na volta do intervalo, com a entrada de Guarín no lugar de Samuel, voltando de lesão, repassando Juan para o centro da zaga, a equipe melhorou.
Nagatomo foi deslocado para a lateral, enquanto no meio-campo Zanetti abriu na direita e Coutinho à esquerda. No centro, Cambiasso agora tinha a companhia de Guarín, enquanto Palacio seguia na frente, quase sempre isolado. Apesar disso, o colombiano melhorou o ritmo do setor, enquanto Zanetti se sentia bem à vontade pela direita, produzindo boas jogadas, sempre com seu controle de bola e vigor físico invejável.  Mas foi em contra-ataque que o empate veio, quando Coutinho arrancou pelo centro e, com passe preciso, deixou Palacio em boas condições. O argentino ainda teve calma para cortar um adversário e finalizar de esquerda, aos 76.
O sentimento de tranquilidade, porém, não durou mais que 3 minutos, já que, em mais um escanteio – foram 9 ao todo – os romenos voltaram a ficar na frente do placar, com gol de Varela, aproveitando falha de Belec e da marcação. 2 a 1 para o Vaslui e mais pressão romena. No final das contas, a pressão não resultou no gol que classificaria a equipe, e a defesa ficou aberta para que, aos 92, Guarín fizesse bonita jogava individual, passando por três defensores e arrematando sem chances para o arqueiro adversário, igualando e dando números finais ao placar. Foi no susto, mas a Inter jogará os grupos da Europa League.
Muito emocionado, Júlio César se despede dos torcedores e companheiros (inter.it)
Poderia ter sido mais tranquilo e a equipe necessita urgentemente de aprender com os erros, para que novos vacilos não se repitam contra equipe mais fortes. E antes do jogo, um pouco de tristeza acabou afetando os torcedores e demais envolvidos com a Inter. O momento de emoção foi uma simples cerimônia e poucas, mas gentis, palavras na despedida de Júlio César, que acertou com o Queens Park Rangers, após 7 anos de glória em Appiano Gentile. Neste período, o goleiro brasileiro conquistou 14 títulos, participando diretamente do período mais glorioso da história da Inter – ainda que não o mais marcante.
Ficha de Inter 2-2 Vaslui
Inter (4-3-1-2/4-4-1): Castellazzi; Jonathan (Ranocchia), Silvestre, Samuel (Guarín), Juan Jesus; Zanetti, Cambiasso, Nagatomo; Coutinho; Palacio, Cassano (Belec). Técnico: Andrea Stramaccioni
Vaslui (4-5-1): Straton; Celeban, Varela, Cordos, Salageanu; Antal, Cauê (Sanmartean), Tukura, N’Doye, Stanciu (Buhaescu); Sburlea. Técnico: Marius Sumudica
Gols do jogo, aqui.

Kozák foi o grande destaque da vitória laziale, com uma doppietta (Fotonotizia / S.S. Lazio Brasil)
Enquanto isso, em Roma…
Sustos em Milão, tranquilidade na capital italiana. Com doppietta de Kozák e gol de Zárate, a Lazio bateu, sem maiores dificuldades, o esloveno Mura, por 3 a 1. Como bem definiu Cleber Gordiano, a equipe de Vladimir Petkovic vai se encontrando após a decepcionante pré-temporada.
Juntamente com Napoli e Udinese, as classificadas Inter e Lazio estão na fase de grupos da Europa League. Valorizar a competição e “secar” os times alemães, portugueses e franceses é necessário para que o futebol italiano não fique para trás no coeficiente da Uefa. O sorteio que definirá os adversários do quarteto será realizado nesta sexta-feira.
Ficha de Lazio 3-1 Mura
Lazio (4-4-2): Bizzarri; Scaloni, Biava, André Dias, Cavanda; González (Rozzi), Onazi, Hernanes (Konko), Lulic (Candreva); Kozak, Zárate. Técnico: Vladimir Petkovic
Mura 05 (4-4-2): Drakovic; Kramar, Travner, Janza, Horvat (Kouter); Majer, Vas (Kozar), Marusko, Bohar (Buzeti); Fajic, Eterovic. Técnico: Oliver Bogatinov

Deixe um comentário