Serie A

11ª rodada: Os emergentes

Qualidade de jogo e intensidade em campo: a Fiorentina cresce e entra na briga pela Liga dos Campeões (La Nazione)

Neste fim de semana, todas as atenções estavam voltadas para o Derby d’Italia, que aconteceu no sábado. Justificadamente, claro, sobretudo depois que a Inter fez 3 a 1, derrubou a invencibilidade de 49 jogos da Juventus e encostou na liderança, com 27 pontos, um a menos que a rival. A 11ª rodada, no entanto, teve outros bons jogos, e foi recheada de gols: 34, no total, igualando-se a outras duas rodadas como a mais rica em tentos. O sábado e o domingo, em especial, trouxeram recuperações, como as de Milan e Roma, além de a promover a contínua ascensão de equipes que desempenham um bom futebol, como a Fiorentina, nova quarta colocada, e o Catania, que não enfraqueceu após a última temporada. Lazio e Napoli, por sua vez, preocupam seus torcedores. Acompanhe a análise.

Fiorentina 4-1 Cagliari

Já se esperava bom futebol da Fiorentina, mas não havia garantias de que os resultados apareceriam tão cedo. O trabalho de Montella em Florença vai ganhando corpo à medida que o campeonato vai avançando e, hoje, a Fiorentina é a quarta colocada, apenas dois pontos atrás do Napoli, terceiro. Além disso, a equipe tem a terceira maior média de posse de bola do campeonato, com 55%, e a maior quantidade de dribles (139), e muito disso se deve às contratações de Pizarro e, especialmente, Valero, que trouxe para a Itália o melhor da escola espanhola. Tudo isso, porém, foi esquecido no primeiro tempo contra o Cagliari, e retomado apenas depois do intervalo.

Com 1 a 1 no placar (gols de Rodríguez e Casarini), a Fiorentina mudou sua postura. Primeiro, Jovetic tranquilizou a torcida, que se irritava, ao completar para o gol córner batido por Valero. Depois, os sardos quase empataram, com Sau, mas Tomovic e, depois Llama, salvaram. No contra-ataque, Toni guardou seu terceiro gol no campeonato. Para fechar a goleada, que acabou com a série de quatro sucessos do Cagliari, Cuadrado coroou sua ótima partida com um golaço por cobertura. A Fiorentina pode incomodar – e muito. No próximo fim de semana, contra o Milan em pleno San Siro, a equipe terá mais um teste importante, frente a seu ex-capitão Montolivo e a Pazzini, outro ex.

Milan 5-1 Chievo

O placar é exagerado, mas o Milan deu uma boa amostra de recuperação, na partida que aconteceu no sábado, em San Siro. O Chievo, a bem da verdade, facilitou, e os rossoneri também contaram com a sorte em dois gols, mas a postura da equipe agradou. Allegri aboliu o esquema com três zagueiros e montou a equipe em um 4-2-3-1 que deu vazão a uma boa prova de conjunto da equipe, que rapidamente fazia transições entre as fases defensiva e ofensiva. Montolivo regia a equipe, enquanto El Shaarawy, Bojan e Emanuelson faziam bom trabalho na linha de três que dava suporte a Pazzini. Não à toa, os cinco jogadores citados foram os autores dos gols – ainda que Bojan e Emanuelson tenham precisado de desvios na zaga para marcarem.

Além da boa (não ótima, mas satisfatória) atuação da equipe, surpreendeu ainda a boa adaptação de Constant à lateral esquerda, onde jogou improvisado. O crescimento de Bojan também é significativo e, enquanto isso, Alexandre Pato assiste a tudo sentado do banco de reservas. Tanto ele quanto Robinho terão dificuldades para adquirirem espaço na equipe e podem deixar Milão em janeiro. A nota negativa na partida do Diavolo foi o gol marcado por Pellissier, que aconteceu em jogada de bola parada. Foi a nona vez na temporada que os rossoneri sofreram um gol após cruzamento na área.

Catania 4-0 Lazio

A goleada mais acachapante da rodada aconteceu na Sicília. Jogando em casa, o Catania devastou uma Lazio que vem caindo de produção nas últimas rodadas. Agora treinado por Rolando Maran, um estreante na Serie A, o Catania faz valer a conservação dos jogadores e do esquema tático da última temporada, deixando viva a herança do ótimo trabalho de Montella. Humilde, o novo treinador faz bem em não impor sua filosofia. Afinal, em time que está ganhando não se mexe. A Lazio, por sua vez, sentiu muita falta de Hernanes, que voltava ao time após cumprir
suspensão, mas parecia que nem havia descido para o gramado. Klose,
lesionado, também fez falta aos biancocelesti.

O caminho que levou ao atropelamento (no primeiro tempo, o Catania já
vencia por 3 a 0) foi construído pela faixa esquerda, graças a uma ótima
prestação de Marchese e uma tarde de gala de Gómez, que infernizou
Cavanda, marcou dois gols e ainda deu passe para o gol de Barrientos,
que fechou a conta, no segundo tempo. O capitão Lodi, de pênalti,
guardou o outro gol da tarde. Com o resultado, os etnei ficam na sétima posição, com 15 pontos. Já a
Lazio, que fez apenas um ponto nos último nove disputados, caiu para o quinto posto. Com 19 pontos, apenas dois a mais que a Roma,
justamente na semana que antecede ao quente dérbi romano, a tensão se abate sobre Formello.

Napoli 1-1 Torino

É incrível como o Napoli vai mal quando joga sem Cavani ou quando o uruguaio está mal. Voltando de lesão e totalmente sem ritmo de jogo, o Matador até abriu o placar, aos seis minutos, depois de cruzamento de Hamsík, mas esteve mal. Errou muitos passes e desperdiçou oportunidades em contra-ataques que poderiam ter definido o jogo em favor dos azzurri. Hamsík também perdeu uma grande chance, no segundo tempo, depois de driblar o goleiro Gillet, e Pandev e Insigne não fizeram boas partidas. A necessidade de um atacante reserva é latente.

O Torino, por sua vez, segue fazendo um campeonato muito sólido. É a única equipe, juntamente com a Inter, a não ter perdido fora de casa, e novamente ao lado dos nerazzurri, tem a terceira melhor defesa do campeonato, com apenas 10 gols sofridos. No San Paolo, a equipe jogou de igual para igual ao Napoli e foi muito superior no segundo tempo, ditando o ritmo do jogo e encurralando o os azzurri. Tanto é que o Toro teve mais posse de bola e vantagem territorial na partida. O gol de Sansone, que só surgiu depois de uma lambança de Aronica, foi mais que merecido. E liga o alerta na Campânia, uma vez que já são dois jogos sem vitória e pelo menos um mês de mal futebol azzurro.

Roma 4-1 Palermo

Após duas derrotas seguidas, a Roma fez sua melhor partida da temporada até aqui e venceu bem o Palermo, no estádio Olímpico. E a vitória, acompanhada de bom futebol, não poderia ter vindo em hora melhor: no domingo que vem, os comandados de Zeman enfrentam a Lazio, no dérbi da capital. No momento, apenas uma posição e dois pontos separam os times na tabela. A Lazio é quinta colocada, com 19 pontos, e a Roma sexta, com 17. Totti, Osvaldo, Lamela e Destro marcaram para os donos da casa e Ilicic descontou.

Para o jogo de ontem, o técnico romano fez três alterações importantes na equipe. Destro, Pjanic e Piris, que vinham sendo titulares, começaram no banco e deram lugar a Osvaldo, Bradley e Taddei. E as substituições deram resultado. O time foi mais consistente e conseguiu ser vertical durante todo o jogo. Mesmo na frente no placar, a equipe não deu mole e continuou atenta, mostrando que aprendeu com as viradas que levou nos últimos jogos. O Palermo só assistiu e não conseguiu sair para o jogo. Com a derrota, continua afundado na penúltima colocação, com apenas oito pontos. (Rodrigo Antonelli)

Sampdoria 1-2 Atalanta

Jogando em casa, a Sampdoria chegou à sexta derrota seguida no campeonato e o técnico Ciro Ferrara já balança no cargo. A Sky Sports já dá como certa a demissão, mas nada oficial foi divulgado ainda. Apesar da derrota, porém, a Sampdoria não fez partida tão ruim. Depois de tomar um gol logo aos três minutos, de Bonaventura, a equipe genovesa conseguiu reagir e chegar ao empate, com belo gol de Maresca, já no segundo tempo. Mas a sorte não estava mesmo do lado doriano, que viu De Luca fazer 2 a 1 e fechar o placar para a Atalanta.

A Samp tentou e esteve bem perto de igualar o placar depois, mas esbarrou em Stendardo, que cortou na hora h em duas ocasiões. No fim, o time com mais equilíbrio emocional e futebol melhor ficou com os três pontos. Estagnado com dez pontos, o time de Ferrara já começa a se preocupar com a zona de rebaixamento. Enquanto isso, a Atalanta continua sua boa campanha e já tem 15 pontos, na nona posição. (RA)

Pescara 2-0 Parma

Em seus domínios, o Pescara conseguiu a terceira vitória na competição e já respira um pouco mais aliviado, com 11 pontos, na 14ª colocação. Após quatro partidas sem triunfar, o resultado salva a pele do técnico Stroppa, que já começava a ser contestado por parte da torcida. A equipe não havia marcado nenhum gol no mês de outubro e começava a incomodar a diretoria, que estaria próxima a demitir o treinador. Os dois gols de ontem, então, valem muito. Ainda mais por marcarem a primeira vitória do time por dois gols de diferença nessa Serie A. Os autores foram Abbruscato e Weiss.

Donadoni até tentou dar à vitória ao parma, colocando três atacantes depois que o time levou o primeiro gol. Mas a estratégia não funcionou e, mesmo contra um Pescara esgotado fisicamente, o time ainda tomou o segundo, já nos acréscimos. A campanha dos emilianos, porém, não preocupa. Jã são 15 pontos conquistados em onze jogos. A torcida lamenta porque o time estava quase encostando no pessoal que briga por vaga em competição europeia. (RA)

Bologna 1-1 Udinese

No Renato Dall’Ara, Bologna e Udinese fizeram partida morna, com poucas chances de gol. Os bolonheses continuam mostrando porque não conseguem vencer – são apenas duas vitórias em 11 jogos, com sete derrotas -, já que dependem demais de Diamanti e Gilardino, mas, sobretudo, se descuidam na defesa. Depois de um primeiro tempo fraco, o Bologna fez 1 a 0 com menos de um minuto, graças a seu capitão Diamanti, mas um erro de marcação permitiu que Di Natale ficasse sozinho e aproveitasse rebote, para empatar, aos 28. 

A verdade é que dificilmente as duas equipes conseguirão algo mais que o meio da tabela (hoje, a Udinese ocupa a 11ª posição e o Bologna é o 17º). Enfraquecida, a Udinese parece milhas distante de equipes intermediárias, como Fiorentina – que deve brigar mais em cima -, Lazio e até mesmo Catania. Os emilianos, no entanto, precisam entrar nos trilhos de uma vez, já que tem qualidade para tal. Esperar demais pode render dramas desnecessários ou uma tragédia inesperada no fim do campeonato.

Siena 1-0 Genoa

O outro time da cidade de Gênova também se deu mal na rodada e passa por maus bocados na parte de baixo da tabela. Fora de casa, o Genoa mostrou, mais uma vez, poucas opções táticas e muita desatenção em campo. Agora, a equipe já contabiliza quatro derrotas consecutivas (três com o novo técnico, Del Neri) e já bate à porta da zona de rebaixamento – é o primeiro time fora da área vermelha, com nove pontos.

O Siena, por sua vez, agradece a Paci, autor do único gol do jogo, pela conquista de três pontos importantíssimos para uma equipe que começou o campeonato com seis pontos a menos e, com elenco reduzido, precisa se esforçar muito para conseguir a salvezza. Na tabela, o time ainda é o último colocado, mas o desempenho não é tão ruim assim. Se não fosse a punição, os bianconeri já somariam 12 pontos, que os deixariam em posição relativamente confortável. (RA)

Relembre a 10ª rodada aqui

Relembre o dérbi entre Juventus e Inter aqui.

Confira estatísticas, escalações, artilharia, além da classificação do campeonato, aqui.

Seleção da rodada

Perin (Pescara); Nagatomo (Inter), Marquinhos (Roma), Rodríguez (Fiorentina), Marchese (Catania); Cuadrado (Fiorentina), Guarín (Inter), Montolivo (Milan), Gómez (Catania); Milito (Inter), Totti (Roma). Técnico: Andrea Stramaccioni (Inter).

Deixe um comentário