Liga dos Campeões

Semana tranquila na Europa

Cavani, com quatro gols, deu nova vida ao Napoli na Liga Europa. Semana foi boa para os italianos (Getty Images)

Quatr vitórias, um empate e uma derrota. Este foi o saldo da participação italiana nesta semana, em todas as competições europeias. Dias positivos,  mas que não escondem as dificuldades que Juventus e Napoli tiveram e ainda terão para seguir em frente na Europa. Ou a Udinese, única derrotada, que terá duas partidas complicadíssimas para definir seu futuro. Mas dias que, por outro lado, viram a classificação antecipada da Inter ao mata-mata da Liga Europa e que praticamente garantiram a Lazio. Acompanhe o resumo.

Juventus 4-0 Nordsjaelland

Depois de perder a invencibilidade na Serie A para a Inter, e três semanas depois do tropeço contra o próprio Nordsjaelland, a Juve entrou com sangue nos olhos nesta quarta, em Turim. Tanto é que a partida foi definida muito cedo e teve pouca história para contar. Ao fim do primeiro tempo, com gols de Marchisio, Vidal e Giovinco, a Velha Senhora já estava à vontade para relaxar e comemorar a primeira vitória nos últimos 11 jogos válidos por competições continentais.

No segundo tempo, jogando com tranquilidade, a Juventus ainda chegou ao quarto, graças a cabeçada de Quagliarella, que já deveria merecer uma chance entre os titulares. É o atacante da equipe que tem mais gols na temporada, mas é apenas uma opção de segundo tempo para a dupla Angelo Alessio e Antonio Conte. Em boa fase, ele pode se tornar o matador que o time precisa.

A vitória foi fundamental para manter a Juventus viva na briga por uma das vagas no grupo B, mas o resultado da partida de Londres, que terminou com uma vitória por 3 a 2 do Chelsea sobre o Shakhtar Donetsk, no último lance, atrapalhou. Agora, ucranianos e ingleses dividem a liderança, com 7 pontos, seguidos pela Juve, que tem 6. Os italianos precisarão vencer os dois jogos para se classificar, sobretudo porque seus adversários pela vaga ainda terão o trunfo de enfrentar o fraco Nordsjaelland. Se a Juve for eliminada, o empate na Dinamarca será lamentado por muito tempo.

Napoli 4-2 Dnipro

O texto da última rodada,
talvez, tenha servido de inspiração para a preleção do Napoli antes da partida no San
Paolo. Contra o Dnipro, os partenopei fizeram um ótimo fim de segundo
tempo e contaram com Cavani para conquistar uma importante
vitória por 4 a 2. O atacante uruguaio abriu a contagem logo aos 7
minutos, após ótimo passe de três dedos de Dzemaili. Ainda no primeiro
tempo, Fedetskiy empatou, com uma ajudinha de Fernández, que não
acompanhou a jogada. No início do segundo tempo, o Napoli cedeu
contra-ataque e Zozulya virou a partida. Nos dois gols, Rosati, apresentando falta de ritmo de jogo, falhou novamente.

Mazzarri já tinha promovido as entradas de Insigne, Hamsík e Pandev
quando Cavani cobrou uma falta no canto superior direito de Lastuvka
para empatar o jogo. Faltando quatro minutos para o fim do tempo
regulamentar, Insigne deu toque de calcanhar para Hamsík cruzar na
pequena área. O camisa 7, matador, empurrou a bola para o fundo do gol e virou o jogo. Nos
acréscimos, uma finalização de bico, da meia-lua, sacramentou o
resultado de 4 a 2, em Nápoles. A vitória sobre o então invicto do Grupo
H levou o Napoli aos seis pontos. O Dnipro lidera com nove. Na sequência,
os partenopei enfrentam o AIK – na partida de ida, 4 a 0 para o time
italiano – e o PSV, no San Paolo, que vem em baixa na Liga Europa. (Murillo Moret)

Partizan 1-3 Inter

Em ritmo lento, a Inter deu continuidade a sua sequência de vitórias na temporada. Com o triunfo na Sérvia, a Beneamata
coleciona 10 triunfos consecutivos pela Serie A e Europa League. Fora
de casa, aliás, o time de Andrea Stramaccioni ainda não sabe o que é
perder: foram 10 jogos, 10 vitórias, 25 gols marcados e apenas 4 gols concedidos. Enquanto
isso, a equipe que iniciou a temporada sem muitas pretensões e com o
objetivo de brigar por títulos somente em 2013, vai se consolidando.

Em
Belgrado, sem contar com os lesionados Ranocchia e Samuel (ambos fora
por 3 ou 4 semanas), Stramaccioni optou por um 4-5-1. Com uma
postura cautelosa, e com apenas Guarín e Pereira produzindo algo, as
chances de gol foram escassas, enquanto Handanovic defendeu duas ótimas
cabeçadas de Ivanov.

Com a entrada de Palacio no intervalo, a equipe
melhorou ofensivamente e o argentino foi responsável pelos dois
primeiros gols, ambos após receber passe de Guarín. O colombiano, em
mais uma ótima exibição, marcou o terceiro, ao receber bom passe de
Cassano (que também entrou no segundo tempo). Atrás, Handanovic segurava praticamente tudo, com uma atuação muito boa, e só não conseguiu defender o chute de Tomic, que aproveitou erro de Jonathan.

Com
os três pontos, a Inter garantiu de forma antecipada uma vaga na
próxima fase da Europa League, juntamente com o Rubin Kazan, ambos com
10 pontos – o time italiano lidera por vantagem no saldo de gols. (Arthur Barcelos)

Lazio 3-0 Panathinaikos
A Lazio também teve vida muito tranquila frente aos gregos do Panathinaikos. Em crise (técnica), a equipe verde ocupa apenas a sexta colocação na Superleague grega e é, de longe, o adversário mais frágil do grupo – mais que o esloveno Maribor, que evoluiu nos últimos anos e está fazendo campanha surpreendente. A equipe grega é tão frágil que, assim como na partida em Atenas, voltou a entregar um gol para os romanos, que mais uma vez jogaram com os reservas.

No primeiro tempo, o nome da partida foi o tcheco Kozák, que tem feito muito dignamente a função de substituir Klose. Primeiro, o tanque marcou um belo gol, encobrindo o goleiro Karnezis. Depois, aproveitando troca de passes desastrada da zaga, ampliou o placar. Marchetti pode descansar em quase todo o jogo. Sobretudo quando, m meados da segunda etapa, Floccari, de cabeça, fechou o placar.

Com os resultados desta quarta, a Lazio fica a apenas uma vitória de garantir a classificação. Com 8 pontos, contra 6 do Tottenham e 4 do Maribor, basta aos italianos vencer um dos dois adversários para passar ao mata-mata da competição. Até mesmo um simples empate com a equipe eslovena classifica a Lazio.

Udinese 2-3 Young Boys

A
temporada da Udinese está praticamente comprometida. Já
sem muitas ambições na Serie A, o time que enfim da alguma prioridade à
Liga Europa, não consegue fazer boas apresentações e será obrigado a
vencer os dois
últimos jogos, ante Liverpool e Anzhi, respectivamente para sonhar com
uma vaga
na próxima fase. Nesta semana, a equipe de Údine foi a única italiana a não vencer na competição.
Os friulianos só estão nessa situação porque tropeçaram nos
dois jogos contra a equipe menos tradicional do grupo, o Young Boys. Os suíços que até o
início da terceira rodada já se viam eliminados, respiraram, vencendo a Udinese
primeiro em Berna, na Suíça e nessa quinta na Itália para ficar em boa situação
na chave.
O grande nome do jogo na Suíça foi Aldo Bobadilla, atacante
argentino, que fez uma rara apresentação, marcando três gols. A boa atuação no
primeiro confronto com os italianos não se repetiu, mas em uma bela cobrança de
falta, ele abriu vantagem para os suíços.
Antes do intervalo, a Udinese teve a chance do empate com um pênalti a seu
favor. Mas, para comprovar a má fase, nem mesmo Di Natale ajudou e desperdiçou
a cobrança.
Porém, Totò não se abateu e bastaram poucos minutos da
segunda etapa para que igualasse o placar. Mas, com dois chutes de longa
distância, o Young Boys definiu o jogo. Primeiro Farnerud acertou um belo tiro no
canto e depois Nuzzolo aproveitou rebote de Brkic para marcar o terceiro. O
arqueiro bianconero, aliás, foi muito criticado por falhas nos gols.
Já no final, Fabbrini deu alguma esperança para os
friulianos, mas o jogo acabou mesmo no 3 a 2. A derrota deixou a Udinese na
lanterna do grupo, que ainda está muito embolado, e deixa um pouco de
esperança. Porém, para vencer Liverpool e Anzhi, a equipe precisará jogar muito melhor
do que jogou nos confrontos ante os suíços. (Caio Dellagiustina)

Deixe um comentário