Seleção italiana

Itália tropeça na Ucrânia em amistoso e Mancini atinge marcas negativas

A zica não termina. Mesmo quando finalmente joga bem, a Itália não consegue vencer. Nesta quarta, em amistoso diante da Ucrânia, a Nazionale mostrou evolução em relação às últimas partidas, mas não foi eficiente nas finalizações e ainda levou o empate numa das poucas chances criadas pelos eslavos. Com o 1 a 1, acabou chegando à quinta partida sem vitórias.

O quinto jogo seguido sem triunfos foi apenas uma das marcas negativas do dia. A Squadra Azzurra não ficava cinco partidas sem somar três pontos desde junho de 2014, durante a preparação do time de Cesare Prandelli para a Copa do Mundo. Além disso, a Nazionale também iguala seu recorde negativo de cinco jogos como mandante sem vitórias – o que só havia acontecido em 1925.

Além disso, pela primeira vez desde 1958 a equipe sofreu gols em oito jogos seguidos: só em três oportunidades foi vazada em nove ou mais compromissos. Para finalizar, Roberto Mancini tem apenas uma vitória em seis jogos à frente da seleção. O último treinador que iniciou sua trajetória pela Nazionale sem conquistar pelo menos dois triunfos nos seis primeiros embates havia sido Fulvio Bernardini, entre 1974 e 1975.

O desenrolar do primeiro tempo não indicava que a Itália tropeçaria diante dos ucranianos. O goleiro Pyatov foi alvo de um verdadeiro bombardeio: antes do intervalo, defendeu chutes perigosos de Bernardeschi, Bonucci, Chiesa e Insigne, e ainda viu as finalizações de Insigne e Barella assustarem. O titular do Shakhtar Donetsk, porém, nunca foi confiável. Mostrou isso mais uma vez ao engolir um frango aos 10 da etapa final.

Sete minutos depois de a Itália abrir o placar, a Ucrânia empatou. Após uma jogada de escanteio, a defesa azul esqueceu Malinovskyi na entrada da área e o meio-campista aproveitou para marcar. O mesmo Malinovskyi assustou na sequência, com uma cobrança de falta que explodiu no travessão de Donnarumma – no rebote, Stepanenko ainda cabeceou e obrigou o goleiro a agir rápido para espalmar.

Mancini mudou para conseguir a vitória, mas suas alterações não surtiram efeito. A Itália não teve profundidade durante toda a partida, nem mesmo com a entrada de Immobile, e continuou abusando doas chutes de fora da área. Verratti, por sua vez, fracassou mais uma vez. Fez a linha mais recuada de meio-campistas com Jorginho (Barella atuou um pouco à frente), e não conseguiu se destacar. Foi o pior do trio em campo e acabou substituído.

No domingo, a Itália enfrenta a Polônia, pela Liga das Nações. A discreta evolução mostrada contra a Ucrânia precisará ser revertida em pontos na competição da Uefa. Senão, o risco de rebaixamento se tornará concreto.

Itália 1-1 Ucrânia

Itália: Donnarumma; Florenzi (Piccini), Bonucci, Chiellini, Biraghi (Criscito); Verratti (Bonaventura), Jorginho, Barella (Pellegrini); Bernardeschi (Immobile), Insigne (Berardi), Chiesa. Técnico: Roberto Mancini.
Ucrânia: Pyatov; Karavaev, Burda, Rakitskiy (Kryvtsov), Matviyenko; Zinchenko, Sydorchuk (Stepanenko), Malinovskyi; Marlos (Tsygankov), Yaremchuk (Kravets, Butko), Konoplyanka (Petriak). Técnico: Andriy Shevchenko.
Local: Estádio Luigi Ferraris, em Gênova.
Árbitro: Rade Obrenovic (Eslovênia)
Gols: Bernardeschi (55) e Malinovskyi (62)

Deixe um comentário