Liga Europa

Roma e Lazio vencem em rodada de jogos definidos no primeiro tempo na Liga Europa



Nesta quinta, Roma e Lazio conseguiram vitórias na Europa League. Os triunfos, porém, tiveram significados diferentes: enquanto os romanistas encaminharam sua vaga para o mata-mata, os celestes apenas adiaram a provável eliminação.

Em partida válida pelo Grupo J, a Roma viajou até Istambul para enfrentar o Basaksehir. Com 5 pontos conquistados em quatro partidas, o time de Paulo Fonseca precisava da vitória sobre os turcos, que tinham 7, para continuar na luta por um lugar na próxima fase. O treinador português escalou sua equipe no 4-2-3-1, mandando força total ao campo de jogo, trocando apenas Spinazzola por Santon.

Desde os primeiros minutos de partida, os giallorossi buscaram controlar a posse de bola, sempre contando com Diawara como opção primária de passe na hora de iniciar as jogadas e tendo Pellegrini como homem capaz de verticalizá-las. Dessa maneira, a Roma dominou completamente a etapa inicial, obrigando os jogadores da equipe turca a realizar perseguições longas, que lhes causaram muito desgaste. Como tempo, a marcação dos mandantes foi ficando cada vez mais frouxa.

Depois de 27 minutos de controle do jogo, com raras escapadas para o contra-ataque da equipe mandante, Veretout achou um bom passe para Kolarov pelo lado esquerdo. O lateral foi até a linha de fundo e cruzou para a finalização de Kluivert, que encontrou os braços de Topal. Pênalti marcado para Roma. Veretout cobrou com maestria, deslocou o goleiro e inaugurou o placar para a Roma.

Depois do gol sofrido, o Basaksehir desafiou o controle territorial da Roma e se lançou ao campo de ataque em busca do gol de empate, o que acabou sendo fatal. Com Smalling e Mancini mais uma vez jogando bem, a Roma conseguiu inibir as tentativas da equipe da casa e aproveitou a péssima transição defensiva dos turcos para aumentar sua vantagem. Aos 39, Pellegrini achou passe longo para Kluivert, que conduziu por 15 metros e bateu na saída do goleiro. Cinco minutos depois, o camisa 7 apareceu novamente, roubando a bola e encontrando Dzeko com um passe lindo por elevação. O bósnio dominou e, com muita categoria, tocou por cima de Günok, fazendo 3 a 0.

É interessante notar como Pellegrini vem sofrendo uma mudança no seu comportamento dentro de campo desde que Fonseca assumiu o comando da Roma. O futebol de Lorenzo se caracterizava pelo trabalho de pressionar a saída de bola rival e por seus atributos físicos, enquanto desde a chegada do português, o meia tem sido fundamental para a criação ofensiva, sendo a peça que consegue achar um passe diferente no terço final do campo. O reflexo direto disso é que Pellegrini tem sete assistências em nove partidas.

Lazio venceu o Cluj, mas está a um passo da eliminação (Getty)

Com a larga vantagem que a Roma construiu no primeiro tempo, a segunda etapa acabou sendo mera formalidade. O Basaksehir não conseguiu somar forças para agredir os visitantes e acabou mostrando uma versão bastante limitada tecnicamente, com muita dificuldade de conectar passes no meio-campo e bastante dependente dos cruzamentos na área. A Roma utilizou a posse de bola como mecanismo de defesa, deixando o tempo passar para garantindo uma vitória crucial em sua luta por uma vaga na próxima fase. Na última rodada, a equipe de Fonseca recebe o eliminado Wolfsberger e se classifica com uma vitória. No outro jogo da chave, Mönchengladbach e Basaksehir duelam pela outra vaga.

Por sua vez, a Lazio teve uma vitória de Pirro. Tendo chegado à penúltima rodada da fase de grupos com apenas 3 pontos conquistados, Inzaghi sabia que a situação da sua equipe na competição era bastante complicada e resolveu levar a campo uma formação bastante modificada contra o Cluj. Deu oportunidade a Vavro no trio de defesa, utilizou Cataldi como volante central no seu 3-5-2 e apostou em Correa e no jovem Adekanye como dupla de ataque. Apesar de ainda poder se classificar matematicamente, os laziali precisarão de um milagre na rodada derradeira: triunfar fora de casa contra o Rennes e torcer para o Celtic, classificado, derrotar o Cluj na Romênia.

A Lazio não entrou em campo com muita intensidade e acabou prejudicada também pelo ambiente frio de um Olímpico bastante vazio. O Cluj sabia que um empate bastava para garantir seu lugar no mata-mata e pensando nisso, o treinador Petrescu resolveu espelhar o 3-5-2 da Lazio, mas com um funcionamento bastante diferente. Sua equipe se portou com linhas baixas, sem muita agressividade na hora de buscar o desarme e apostando totalmente na negação de espaço, para limitar as ações ofensivas da Lazio.

O plano de jogo dos visitantes funcionava bem e a Lazio sofreu para circular a bola em campo ofensivo, com Luis Alberto bem marcado pelo lado direito. Contudo, aos 24 minutos de jogo, Correa recebeu a bola de Adekanye em meio a três defensores rivais e, num lance em que demonstrou toda sua categoria, conseguiu a finalização cruzada e fez 1 a 0.

Mesmo com a vantagem da Lazio no placar, o Cluj não modificou sua postura no restante do primeiro tempo, mantendo o jogo dentro de um ritmo controlado e esperando que a equipe italiana direcionasse suas ações ofensivas. O cenário foi esse até os 15 minutos da segunda etapa, quando Petrescu resolveu desfazer o 3-5-2, passou a jogar com duas linhas de quatro e saiu em busca do empate.

O time romeno conseguiu empurrar a Lazio, somou boas trocas de passe pelo centro do campo, mas pecou muito na hora do passe final. Com mais espaço para transitar, a Lazio criou duas boas chances através da velocidade de Correa, mas o duelo acabou mesmo com o placar da etapa inicial. Se a partida não teve muita utilidade em termos de classificação, ao menos serviu para jovens como Vavro e Adekanye receberem minutos importantes.



Deixe um comentário