Serie A

21ª rodada: times do topo estacionam e Atalanta ganha terreno com goleada histórica



A 21ª rodada da Serie A tinha potencial de modificar a tabela de cabo a rabo, mas isso passou longe de ocorrer. Primeiro, porque Juventus, Inter, Lazio e Roma deixaram pontos pelo caminho. Além disso, quase todos os times da zona intermediária venceram e isso ocasionou poucas ultrapassagens na classificação.

Apesar do tropeço na abertura do domingo, a Inter acabou se beneficiando pelos resultados desse final de semana. A equipe nerrazzurra diminuiu a vantagem para a líder Juventus e ainda conseguiu manter a segunda colocação da competição graças ao empate da Lazio com a Roma. Os celestes, porém, ainda têm um jogo atrasado contra o Verona e podem assumir a vice-liderança.

Se Juve, Inter, Lazio e Roma não venceram, a Atalanta sim – e foi responsável pela grande vitória da rodada. A equipe de Gian Piero Gasperini conseguiu a maior goleada dessa Serie A ao bater o Torino por 7 a 0, e em Turim. Foi a segunda vez na temporada que a Dea fez sete gols em um único jogo. Nenhum time conseguia marcar tantas vezes em pelo menos dois jogos da mesma campanha desde a Lazio de Zdenek Zeman, em 1995.

O jogaço

Insigne teve sua melhor semana em meses: o capitão do Napoli decidiu duelos importantes contra Lazio e Juventus (Getty)

Torino 0-7 Atalanta

Gols e assistências: Ilicic (Palomino), Gosens, Zapata (pênalti), Ilicic, Ilicic (Gómez), Muriel (pênalti) e Muriel (Gómez)
Tops: Ilicic e Gómez (Atalanta)
Flops: Lukic e Laxalt (Torino)

O melhor ataque de toda a Serie A fez mais uma vítima nessa rodada: a equipe de Gasperini reencontrou os três pontos após atropelar o Torino e chegou aos 57 gols na campanha, estabelecendo 10 de vantagem sobre a Lazio. A vitória esmagadora contra o Toro entra para a história como a maior goleada da Dea como visitante – e também como pior derrota grená como mandante – e também é a maior da competição, superando os 7 a 1 da própria Atalanta sobre a Udinese, na 9ª rodada. De quebra, foi a terceira vez nos últimos cinco jogos que a Atalanta marcou pelo menos cinco gols.

A partida teve domínio completo da Dea. A equipe de Bérgamo acabou o jogo com 57% de posse de bola, 26 finalizações, sendo 14 delas no gol, e sete grandes chances criadas. Com tamanho domínio, os destaques só poderiam ser dos nerazzurri, e o principal deles foi Ilicic. O esloveno fez uma partida perfeita, com direito a uma tripletta, um golaço do meio-campo e quatro passes decisivos. Mas Ilicic não foi o único jogador orobico a ter uma atuação de gala. Papu Gómez também foi magistral: o argentino deu duas assistências, cinco passes decisivos e criou uma grande chance. Gosens, Palomino, Freuler, De Roon e Muriel (nos poucos minutos em que ficou em campo) também foram implacáveis.

Depois de uma semana ruim, na qual foi eliminada para a Fiorentina na Coppa Italia e perdeu para a Spal pela Serie A, a equipe de Bérgamo jogou a má fase para longe e voltou a vencer em uma partida inquestionável. A goleada contra o Torino aumentará, ainda mais, a confiança desse time, que parece ser capaz de tudo. Os nerazzurri ocupam a quinta posição, um pontinho atrás da Roma. Já o Torino divide o 10º posto com Napoli e Bologna.

Olho no lance

Martínez se irritou com a arbitragem e foi expulso no tropeço da Inter ante o Cagliari (Getty)

Napoli 2-1 Juventus

Gols e assistências: Zielinski e Insigne (Callejón); Ronaldo (Bentancur)
Tops: Insigne e Callejón (Napoli)
Flops: Cuadrado e Matuidi (Juventus)

Juventus e Napoli fazem um dos jogos mais quentes da Itália e a grande rivalidade entre o norte e o sul da Bota esteve presente no jogo de domingo, disputado no estádio San Paolo. Os dois maiores campeões de suas regiões se enfrentaram e a vitória ficou com os sulistas de Napóles. De forma relativamente surpreendente, considerando a fase atual de ambos os times.

Além da rivalidade, a partida também representava a volta de Maurizio Sarri ao San Paolo, palco que o alavancou aos trabalhos por Chelsea e Juventus. Foi neste estádio que Sarri bateu de frente com a poderosa Velha Senhora no passado e foi no seu gramado que sucumbiu ao contestado Gennaro Gattuso. Rino fez uma boa leitura do jogo, montou um sistema defensivo forte e conseguiu a sua segunda vitória com o Napoli na Serie A, a primeira diante da sua torcida.

O triunfo azzurro coloca Gattuso em uma breve lua de mel com a torcida partenopea. O time do sul reencontrou a vitória após três jogos sem vencer pela Serie A e voltou a brigar por uma vaga europeia. E, é bom lembrar, já vinha de um resultado importante sobre a Lazio, nas quartas de final da Coppa Italia. Em comum, as partidas tiveram o papel decisivo de Insigne, que também fez as pazes com a tifoseria. Já a Juve perde a sua sequência de cinco vitórias consecutivas e a chance de abrir seis pontos para a Inter, vice-líder.

Roma 1-1 Lazio

Gols e assistências: Dzeko (Cristante); Acerbi
Tops: Smalling (Roma) e Acerbi (Lazio)
Flops: Pau López (Roma) e Strakosha (Lazio)

No último Derby della Capitale da temporada, a Roma surpreendeu e dominou a Lazio do começo ao fim do jogo. Apesar da superioridade, o time de Paulo Fonseca não conseguiu criar grandes chances e acabou ficando apenas no empate. Com o resultado, a Loba interrompeu a sequência de onze vitórias seguidas da equipe laziale e se manteve na zona de classificação para a Champions League.

Apesar do grande jogo protagonizado pela Roma, a partida foi definida por erros indivíduais dos goleiros Pau López e Strakosha. Os dois arqueiros tiveram atuações ruins, cometendo, cada um, um erro grotesco. Já entre os jogadores de linha, os destaques ficaram mais intensos na parte romanista. Smalling anulou Immobile, enquanto Santon infernizou Lulic, fazendo uma partida para lá de consistente. Já Dzeko, autor do único gol romanista na partida, exigiu boas defesas de Strakosha no jogo e foi muito importante tanto na retenção da bola no ataque como referência nos cruzamentos.

Pelo lado laziale, não houve muito o que elogiar. A equipe de Simone Inzaghi foi atordoada pela estratégia de Paulo Fonseca, fez seu pior jogo na temporada e encontrou seu gol em um lance de extrema infelicidade de Pau López. A estratégia do treinador português fazia com que os aquilotti não conseguissem usar o seu meio-campo, tendo como únicas alternativas as ligações diretas, que logo eram interceptadas pela zaga romanista. A partida foi um monólogo giallorosso que a Lazio, ao menos, soube como suportar.

Inter 1-1 Cagliari

Gols e assistências: Martínez (Young); Nainggolan (João Pedro)
Tops: Young (Inter) e Nainggolan (Cagliari)
Flops: Biraghi (Inter) e Oliva (Cagliari)

Inter e Cagliari fizeram um dos jogos mais esperados dessa 21ª rodada, envolvendo o segundo e o sexto colocado. Porém, a partida de domingo no San Siro só reforçou a fase complicada que os dois times enfrentam na Serie A.

Com o empate sobre um Cagliari que não vence a incríveis sete partidas na Serie A, a Inter engatou o seu terceiro tropeço consecutivo e só não viu a Juventus abrir seis pontos de vantagem porque a Velha Senhora perdeu fora de casa para o Napoli. Já o time da Sardenha está em uma situação complicada. A gordura que tinha acumulado já não existe: Parma e Milan empataram em pontos e estão mais do que vivos na disputa pela Liga Europa. Se demorar para reagir, o time sardo verá a briga pela segunda principal competição europeia ficar fora do radar.

O confronto entre a equipe de Antonio Conte e o time de Rolando Maran marcou o retorno de Nainggolan ao San Siro pela Serie A – o Ninja já havia atuado no estádio pelo Cagliari no início do mês, pela Coppa Italia. O capitão casteddu está emprestado pela equipe nerrazzurra e, cumpriu com louvor a famosa lei do ex, anotando com um chute de fora o único gol dos isolani na partida. O jogo também teve a estreia do contestado Young com a camisa interista. Apesar da dúvida de alguns torcedores, o ponta foi muito bem e deu o passe para o primeiro gol da partida. A Beneamata poderia ter matado o jogo, mas pecou nas finalizações e ainda teve Martínez, o autor do gol, expulso por reclamação nos últimos minutos.

Os outros jogos

O exato momento do frango de Pau López: Acerbi aproveitou o erro e deixou o dérbi romano empatado (AFP/Getty)

Brescia 0-1 Milan

Gol: Rebic
Tops: Tonali (Brescia) e Donnarumma (Milan)
Flops: Bisoli (Brescia) e Rafael Leão (Milan)

Brescia e Milan se enfrentaram no estádio Mario Rigamonti e o time de Stefano Pioli manteve a sua sequência invicta. A equipe rossonera não perde desde que Ibrahimovic se juntou ao elenco e estreou na partida contra a Sampdoria. Desde lá são quatro jogos, com um empate diante da Samp e três vitórias na sequência. Os dez pontos conquistados em quatro partidas já foram suficientes para que a equipe de Milão empatasse com o Cagliari na zona de classificação para a Europa League, algo muito difícil de se imaginar algumas semanas atrás.

O gol da vitória veio com o croata Rebic, que vem sendo a sensação da equipe. Após atuar pouco no primeiro turno, o camisa 18 marcou o seu terceiro gol nos últimos dois jogos e deu os três pontos para o Milan pela segunda vez na temporada. Na partida contra a Udinese, também havia sido dele o gol que garantiu o triunfo rossonero.

Apesar da vitória do Milan, é inegável que o Brescia jogou melhor. Os andorinhas fizeram Donnarumma trabalhar, quase sempre em finalizações de Torregrossa, e tiveram Tonali como o principal destaque da partida. A jovem estrela italiana teve uma bela atuação, como de costume. Foram 86 toques na bola, 83% de acerto nos passes (quatro deles decisivos), um terço de cruzamentos corretos, seis de oito lançamentos concluídos, uma grande chance criada, dois chutes travados, quatro interceptações e três desarmes.

Spal 1-3 Bologna

Gols e assistências: Petagna (pênalti); Vicari (contra), Barrow e Poli (Soriano)
Tops: Schouten e Soriano (Bologna)
Flops: Vicari e Valoti (Spal)

Depois de três jogos sem vencer, o Bologna reencontrou a vitória após virar o clássico contra a Spal fora de casa. O time mandante, por sua vez, não conseguiu embalar após o triunfo sobre a Atalanta e segue na zona de rebaixamento, em tríplice empate com Brescia e Genoa.

A partida começou com a torcida biancazurra animada. Aos 23 minutos, Petagna abriu o placar e deu esperanças para a equipe de Ferrara. O time, que está mal no campeonato, sabe que gol de Petagna costuma significar pontos na tabela: o atacante italiano marcou gols em cinco dos sete jogos em que a Spal pontuou na Serie A, sendo responsável por 13 dos 15 pontos dos estensi. Entretanto, a história não se repetiu no sábado.

O Bologna não fez um grande jogo, mas aproveitou os erros da defesa rival e foi bastante efetivo. A equipe visitante criou quatro grandes chances na partida, convertendo três delas em gols. Um minuto depois de sair atrás do marcador, a equipe rossoblù empatou com um gol contra de Vicari. A virada veio com Barrow: no seu segundo jogo com a camisa do Bologna, o atacante de Gâmbia anotou o seu primeiro gol pelo clube e, com bela finalização, encontrou a rede um minuto depois de entrar na partida. Para finalizar, Soriano coroou a boa atuação com assistência para Poli. Barrow não alcançou, mas o capitão apareceu para empurrar para o gol.

Verona 3-0 Lecce

Gols e assistências: Dawidowicz (Miguel Veloso), Pessina (Lazovic) e Pazzini (pênalti)
Tops: Miguel Veloso e Lazovic (Verona)
Flops: Mancosu e Dell’Orco (Lecce)

Um encontro de opostos: essa foi a partida entre Verona e Lecce. Apesar de terem subido da Serie B, os dois times se encontram em momentos e em lugares completamente diferentes na tabela de classificação. Enquanto o Verona parece viver um sonho e surpreende ao brigar por Liga Europa, o Lecce está em um pesadelo que parece interminável.

Parece um milagre que o time de Liverani ainda não esteja na zona de rebaixamento – está um ponto acima dela. O Lecce tem a pior defesa da competição, com 42 gols sofridos, e somou apenas uma vitória nos últimos 16 jogos da Serie A. Já o Verona engatou uma sequência invicta de cinco jogos e só depende de si para entrar na zona de classificação europeia, uma vez que tem uma partida a menos que os seus concorrentes.

A equipe de Ivan Juric foi mais uma vez capitaneada e comandada por Miguel Veloso. O meia português, que é um dos destaques dessa surpreendente campanha do Verona, liderou a equipe com uma assistência, dois passes decisivos e duas grandes chances criadas, além de 86% de aproveitamento nos passes. Outro pilar do Hellas é Lazovic, grande válvula de escape dos butei pelos flancos.

Parma 2-0 Udinese

Gols e assistências: Gagliolo e Kulusevski (Scozzarella)
Tops: Scozzarella e Kulusevski (Parma)
Flops: Musso e Okaka (Udinese)

Parma e Udinese se enfrentaram no estádio Ennio Tardini e o time de Roberto D’Aversa não teve muitas dificuldades para vencer a equipe de Luca Gotti com dois gols no primeiro tempo. Com a vitória, os parmenses empataram com Milan e Cagliari em números de pontos, na sexta posição. A equipe de Údine é a 14ª colocada.

Gagliolo e Kulusevski foram fundamentais para os gols do Parma, na etapa inicial. O bom goleiro Musso, embora tenha feito algumas defesas importantes na partida, acabou falhando no tento anotado pelo meia contratado pela Juventus e prejudicou sua equipe. Isso porque a Udinese cresceu no jogo e exigiu que, do outro lado, o arqueiro Sepe respondesse com intervenções importantes e mantivesse o placar inalterado. O titular crociato foi exigido em quatro oportunidades e foi bem em todas elas.

Com o resultado, a Udinese encarou a sua segunda derrota seguida após uma boa e importante sequência de vitórias. A equipe friulana está longe da zona de rebaixamento e a três pontos de figurar na primeira parte da tabela. O restante de seu campeonato não deverá diferir muito desse contexto.

Fiorentina 0-0 Genoa

Tops: Dragowski (Fiorentina) e Schöne (Genoa)
Flops: Pezzella (Fiorentina) e Pinamonti (Genoa)

Fiorentina e Genoa protagonizaram um dos empates em 0 a 0 da rodada. Mas, se faltaram gols no Artemio Franchi, sobraram grandes defesas. E, num jogo dominado por goleiros, o grande craque da partida foi Dragowski, titular do time violeta.

O goleiro polonês, de apenas 22 anos, pegou tudo e muito mais contra o Genoa. Foram sete defesas (cinco dentro da área), contando ainda com um pênalti defendido – e frente a Criscito, especialista em penalidades. Nos últimos 15 minutos da partida, Dragowski salvou a Fiorentina em diversos momentos. O mais impressionante deles foi quando defendeu, com os pés, um chute de Pinamonti cara a cara.

O Genoa, que vinha de duas derrotas seguidas, teve mais a posse da bola e finalizou menos do que a dona da casa, embora com mais pontaria. Já a Fiorentina simplesmente não acertava o gol. A Viola chutou vinte vezes na direção da meta de Perin e acertou apenas três. No fim, o resultado foi amargo para a equipe de Davide Nicola, que criou mais e ficou a um Dragowski de fazer as pazes com a vitória.

Sampdoria 0-0 Sassuolo

Tops: Linetty (Sampdoria) e Romagna (Sassuolo)
Flops: Ramírez (Sampdoria) e Peluso (Sassuolo)

Se tivemos apenas um jogo terminando em 0 a 0 no sábado, o mesmo aconteceu no domingo. Sampdoria, 16ª colocada, e Sassuolo, 15º, se enfrentaram e não conseguiram encontrar as redes do estádio Luigi Ferraris. O grande destaque individual da partida foi Linetty. O ala esquerdo doriano acertou 71% dos passes, criou cinco jogadas, finalizou uma vez no gol, acertou cinco dos sete dribles tentados, desarmou duas vezes e ainda venceu os adversários em nove dos 15 duelos que protagonizou.

A partida começou a se desenhar logo aos 25 minutos, quando Peluso foi expulso. A partir desse momento, a Sampdoria tentou (e muito) abrir o placar, mas sem sucesso. Foram 25 finalizações da equipe doriana, sendo apenas quatro delas no gol. Já o Sassuolo, apesar da maior posse de bola, só finalizou oito vezes, e só uma delas foi à meta de Audero.

Seleção da rodada

Dragowski (Fiorentina); Palomino (Atalanta), Dawidowicz (Verona), Romagna (Sassuolo); Soriano (Bologna), Tonali (Brescia), Miguel Veloso (Bologna), Gosens (Atalanta); Gómez (Atalanta); Ilicic (Atalanta), Insigne (Napoli). Técnico: Gian Piero Gasperini.



Deixe um comentário