Serie A

26ª rodada: em meio a lambança da liga e jogos adiados, Lazio vira líder do campeonato



Mais uma vez, jogos adiados em virtude do surto de coronavírus. Com a desculpa de “proteger o produto Serie A”, a liga da competição adiou jogos da competição que seriam disputados com portões fechados – e já haviam sido confirmados pela própria entidade. A decisão estapafúrdia dos cartolas começa a estrangular o calendário do futebol italiano, desagrada quase todas as torcidas e vai na contramão do que a própria liga havia pregado em outras ocasiões. O tema é tratado de forma mais abrangente neste texto.

O fato é que tivemos apenas quatro partidas na 26ª rodada do Italiano. Nesse contexto de esvaziamento do fim de semana, a Lazio aproveitou para saltar para a ponta da tabela pela primeira vez neste Serie A, enquanto Atalanta e Roma venceram em jogos cheios de gols e o Napoli manteve o seu ritmo de recuperação. Chega a ser tolice falar em posicionamento dos times na tabela, já que há equipes com dois jogos a mais do que outros, mas é o que temos para hoje, enquanto a liga não resolve o problema que ela mesma não soube gerenciar – e não estamos falando de questões de saúde aqui. Confira o resumo dos quatro jogos da jornada.

Lazio 2-0 Bologna

Gols e assistências: Luis Alberto (Immobile) e Correa (Luis Alberto)
Tops: Strakosha e Luis Alberto (Lazio)
Flops: Bani e Danilo (Bologna)

A Lazio entrou em campo pouco depois de a Liga da Serie A confirmar que cinco partidas previamente agendadas seriam adiadas. Com isso, o time de Inzaghi sabia que, se vencesse o Bologna, passaria alguns dias na liderança da competição. Mihajlovic, técnico rossoblù e ídolo celeste, armou um time que levou perigo aos donos da casa, mas não conseguiu somar pontos no Olímpico. Com grande atuação de Luis Alberto no primeiro tempo, ótimas defesas de Strakosha e um pouco de sorte, os romanos assumiram a ponta de forma isolada pela primeira vez no campeonato.

Na etapa inicial, Luis Alberto iluminou a Lazio em praticamente todas as jogadas. Depois de quase marcar de falta e deixar Immobile na cara do gol, o espanhol recebeu a retribuição do artilheiro do campeonato e abriu o placar. Depois foi a vez de Strakosha entrar em ação e, com defesaça, evitar que Soriano empatasse. Isso foi fundamental, pois logo na sequência Luis Alberto acionou Correa e o argentino contou com desvio em Danilo para ver sua finalização balançar as redes. Na etapa complementar, o Bologna protagonizou verdadeiro assédio à área laziale, mas parou tanto em Strakosha quanto em lances irregulares: teve dois gols invalidados pela arbitragem.

Lecce 2-7 Atalanta

Gols e assistências: Saponara (Deiola) e Donati (Saponara); Donati (contra), Zapata (Ilicic), Ilicic, Zapata (Pasalic), Zapata (Ilicic), Muriel e Malinovskyi
Tops: Zapata e Ilicic (Atalanta)
Flops: Lucioni e Rossettini (Lecce)

Coloquem a Atalanta para resolver a epidemia de COVID-19. Provavelmente os comandados de Gasperini conseguiriam eliminar o vírus, porque a impressão que esse time passa é de que ele pode tudo. Mais uma vez, os nerazzurri deram um show de bola. A Dea se tornou a primeira equipe a fazer sete gols contra adversários desde a Fiorentina campeã italiana de 1958-59, e ainda se colocou na história como primeira formação a marcar sete vezes como visitante em duas ocasiões. Pobre Lecce, que ainda chegou a fazer um primeiro tempo digno.

A Atalanta começou marcando duas vezes a partir de cobranças de escanteio de Ilicic, que é candidato a craque do campeonato. Primeiro, Donati errou ao tentar cortar e fez contra; depois, Zapata fuzilou as redes de Gabriel. Saponara ensaiou uma reação com um golaço e uma assistência para Donati se redimir, mas a fraca defesa salentina não seria páreo para a classe de Ilicic, o dinamismo de Pasalic, o brilhantismo de Gómez e a fome de gols de Zapata. O quarteto destruiu o sistema defensivo giallorosso em 17 minutos do segundo tempo. Nos minutos finais, Muriel ainda fez valer a lei do ex e Malinovskyi deu números finais à partida.

Atalanta aplicou sete gols em rivais pela terceira vez nesta temporada (Getty)

Cagliari 3-4 Roma

Gols e assistências: João Pedro (Oliva), Pereiro (Nainggolan) e João Pedro; Kalinic, Kalinic (Mkhitaryan), Kluivert (Kalinic) e Mkhitaryan (Kolarov)
Tops: João Pedro (Cagliari) e Kalinic (Roma)
Flops: Klavan (Cagliari) e Smalling (Roma)

No jogo mais emocionante do fim de semana, o Cagliari continuou em seu percurso de queda livre e a Roma somou mais pontos preciosos em sua busca por vaga na Liga dos Campeões. Embora tenha chegado a 11 partidas sem triunfos, contudo, o time de Maran mostrou alguma evolução e chegou a complicar os visitantes, que contaram com um Mkhitaryan em boa fase e com um surpreendente Kalinic para saírem da Sardenha com a vitória.

Apesar da evolução em seu estilo de jogar, o Cagliari ainda tem pecado muito na defesa – sobretudo por erros individuais, como os de Pellegrini e Klavan. Depois de sair na frente com um golaço de João Pedro, os sardos viram a Roma virar com falhas de seus defensores, que presentearam Kalinic em duas ocasiões. O croata, que marcou seus primeiros pelos giallorossi, ainda contribuiu com pivô esperto para o gol de Kluivert. Contudo, o destaque romanista foi mesmo Mkhitaryan, que sempre que consegue estar bem fisicamente agrega à equipe de Paulo Fonseca. Do lado casteddu, uma marca importante para João Pedro: se tornou o segundo estrangeiro a marcar pelo menos 16 gols na Serie A com a camisa rossoblù.

Napoli 2-1 Torino

Gols e assistências: Manolas (Insigne) e Di Lorenzo (Mertens); Edera (Ansaldi)
Tops: Manolas e Insigne (Napoli)
Flops: Rincón e Baselli (Torino)

No sábado, o Napoli voltou a não fazer uma partida exuberante, mas superou a média demonstrada em grande parte do campeonato para conseguir um triunfo absolutamente tranquilo sobre o Torino. Num jogo em que Ospina quase não trabalhou de um lado, Sirigu teve de se desdobrar para evitar um passivo maior para o Torino, que ainda não venceu sob o comando de Longo. Com a boa sequência, os azzurri se consolidam como fortes candidatos a vaga na Liga Europa, mas ainda observam a corrida pela Liga dos Campeões de longe, visto que Roma e Atalanta têm pontuado.

Tanto no primeiro quanto no segundo tempo, o Napoli criou bastante com Insigne, Ruiz e Zielinski, mas nem sempre foi capaz de balançar as redes – por causa de Sirigu, da trave ou mesmo da má pontaria. Contudo, nos extremos da partida, os partenopei anotaram. Manolas marcou o seu terceiro gol de cabeça na temporada (entre os zagueiros, neste quesito, só perde para Van Dijk, do Liverpool) e, já no finalzinho, Di Lorenzo se redimiu de um erro cara a cara com o goleiro do Toro. No apagar das luzes, Edera aproveitou cochilo da defesa napolitana e descontou para os visitantes.



Deixe um comentário