Jogos históricos Liga dos Campeões

Super Ilicic: com show do esloveno, Atalanta chega às quartas em estreia na UCL

Bérgamo está em festa! Contida e reservada, mas está. A Itália passa por uma crise sanitária por conta da epidemia de coronavírus e, como todas as atividades do país foram paralisadas e até as fronteiras foram fechadas, o jeito foi comemorar em quarentena, cada torcedor dentro de sua própria casa. Apesar do momento calamitoso, a Atalanta fez história: passou pelo Valencia graças a um placar agregado de 8 a 4 e chegou às quartas de final da Champions League na temporada de sua estreia na competição.

Na partida de ida, tivemos um 4 a 1 com domínio da Atalanta, o que deixava a vaga bem encaminhada para os italianos. O jogo de volta tinha tudo para ser tranquilo para a Dea e, apesar de a passagem para a próxima fase não ter sido colocada em xeque em momento algum, tivemos um duelo eletrizante, terminado em 4 a 3 para os visitantes, com show de Ilicic.

Se, dentro de campo, o espetáculo foi do craque esloveno, fora dele os torcedores da Atalanta marcaram um golaço. Como a partida teve portões fechados, os 40 mil euros que seriam gastos para reembolso dos ingressos dos visitantes acabaram tendo um destino diferente. Antes da partida, os tifosi da Dea autorizaram que o valor fosse doado para hospitais da cidade, com o intuito de ajudar no combate à epidemia de COVID-19.

A Atalanta foi ao Mestalla com grande parte do time titular. As duas mudanças eram na defesa: Sportiello foi titular no lugar do lesionado goleiro Gollini, ao passo que Caldara ganhou a vaga de Rafael Toloi, o que alterou o posicionamento da zaga. O camisa 3 atuou como central, Palomino foi deslocado à esquerda da linha de defensores e Djimsiti fez o setor direito. Por sua vez, o Valencia estava sem sua dupla de zagueiros titular (Gabriel Paulista e Mangala), mas teve o atacante Rodrigo Moreno de volta.

Como sempre, Gasperini não quis saber de jogar com o regulamento de baixo do braço e manteve o estilo do seu time, que pressiona com marcação alta e troca passes com velocidade. Isso proporcionou que Diakhaby, do Valencia, fosse um dos destaques da partida – só que negativamente. O zagueiro francês sucumbiu com pouco mais de 1 minuto, quando derrubou Ilicic após ser driblado dentro da área. O esloveno marcou o primeiro do dia de pênalti e deu enorme tranquilidade à Atalanta, que teria de tomar cinco gols para ser eliminada.

Ilicic levou o prêmio de melhor em campo e a bola para casa (Uefa/Getty)

A torcida do Valencia tentou de todas as maneiras de incentivar seu time. Além de ficarem nos arredores do estádio, os torcedores reproduziram seus cânticos em caixas de som no estádio. Se isso representou algo para os che, é difícil dizer. Mas o fato é que os alvinegros empataram o jogo. Gameiro marcou o seu aproveitando uma habitual falha de Palomino. Porém, Diakhaby ajudou a Atalanta novamente e cometeu novo pênalti no fim do primeiro tempo, ao colocar o braço na bola. Ilicic converteu de novo e levou os times para o intervalo com um placar agregado de 6 a 2 para Dea.

Embora a Atalanta tivesse a classificação nas mãos, Gasperini fez uma troca ofensiva no fim da etapa inicial. De Roon teve de sair após uma pancada no olho e o técnico optou pelo atacante Zapata. Gómez e Pasalic foram recuados e, no fim das contas, o meio de campo nerazzurro ficou sem marcadores de origem. Ao mesmo tempo, o Valencia precisava fazer cinco gols e foi ao ataque. Os espanhóis até conseguiram a virada, com Gameiro e Ferran Torres, mas a empolgação durou pouco.

Quatro minutos depois do 3 a 2, Ilicic acabou com a farra do time da casa. Aos 71, o esloveno aproveitou a postura ofensiva dos che e teve facilidade para puxar um contra-ataque, tabelar com Zapata e finalizar no canto do goleiro Cillessen – que, minutos antes, fizera uma defesaça ante o centroavante colombiano. Josip estava esgotado, mas ainda encontrou espaço e tempo para marcar o seu quarto na peleja.

O camisa 72 da Dea se juntou a nomes como Messi, Lewandowski e Mario Gómez como jogadores que já marcaram quatro ou mais gols em um mata-mata de Champions League. Com seu 14º gol em 2020, também se tornou o jogador mais velho a marcar um poker como visitante nas fases eliminatórias da competição.

A Atalanta também conseguiu marcas importantes com o resultado. Se tornou a primeira equipe estreante na Champions a chegar às quartas da LC desde o Leicester, em 2017, e a primeira debutante italiana a alcançar esta fase desde a Lazio, em 2000. Os nerazzurri também são os primeiros italianos a marcarem oito gols no placar agregado de um mata-mata de Champions. Não é à toa que o time de Gasperini tem um dos melhores ataques da Europa, com 87 tentos em 34 partidas. Essa classificação só premia o grande trabalho realizado.

Agora, a Dea aguarda adversário e, principalmente, um posicionamento da Uefa sobre as suas competições. Em virtude da epidemia  de coronavírus, até esta terça, 10/3, 12 ligas europeias estão paralisadas ou realizando jogos com portões fechados. A pressão das federações de futebol para que a máxima entidade do continente suspenda o torneio e adie a Eurocopa está forte e a evolução dos contágios leva a crer que a paralisação das competições não é uma questão de “se”, mas de “quando”.

Deixe um comentário