Serie A

30ª rodada: Juventus vence dérbi e conta com derrotas de concorrentes para disparar

A 30ª rodada da Serie A não poderia ter sido melhor para a Juventus. Com a vitória no Derby della Mole e as derrotas de Lazio e Inter, as outras concorrentes ao título, a equipe bianconera abriu uma vantagem de sete pontos – a maior desde que assumiu a liderança. Quem também comemora é o Milan, que venceu com folga no fim de semana e ainda viu Verona, Cagliari e Parma ficarem para trás na briga por uma vaga na Liga Europa, numa corrida que ainda tem Bologna e Sassuolo. Confira como foi a jornada.

Juventus 4-1 Torino

Gols e assistências: Dybala (Cuadrado), Cuadrado (Ronaldo), Ronaldo e Djidji (contra); Belotti (pênalti)
Tops: Ronaldo e Cuadrado (Juventus)
Flops: Lukic e Izzo (Torino)

O Derby della Mole foi o responsável por abrir a rodada e, tão logo o apito trilou, a partida já entrava para a história: é que Buffon alcançava 648 aparições na Serie A e, com isso, superava Maldini como o jogador que mais vezes entrou em campo na primeira divisão. O goleiro, inclusive, ganhou uma homenagem nas mangas das camisas do uniforme juventino. Pouco depois do pontapé inicial, a Juventus também fazia o seu primeiro gol, aos 2 minutos, com Dybala: o argentino passou quase um mês infectado pelo coronavírus, mas vem jogando muito bem desde a volta do campeonato e tem cinco gols em cinco partidas. Ele gosta de inaugurar placares: nesta temporada já fez isso oito vezes. É o jogador que desbloqueia os jogos complicados.

O segundo veio em contra ataque puxado por Ronaldo. O português observou Cuadrado passando como se fosse um papa-léguas e tocou para o colombiano – que vem jogando bem como lateral – bater rasteiro, sem chances para Sirigu. Nos acréscimos, o Torino achou um pênalti quando Verdi chutou e a bola explodiu no braço de De Ligt – pela enésima vez na temporada. Na cobrança, Buffon até pulou no canto certo, mas Belotti bateu forte e diminuiu. O atacante chegou à marca de quatro partidas seguidas encontrando as redes pela primeira vez em sua carreira.

No segundo tempo, a Juve rapidamente cortou a possibilidade de reação do Toro. Assim que os grenás tiveram um gol bem anulado e deram um aviso de suas intenções, tivemos um momento de liberação: depois de 43 tentativas, Cristiano marcou o seu primeiro de falta pela Velha Senhora. Esse gol fez com que ele chegasse à marca de 25 gols no campeonato, se tornando o primeiro jogador da história a conseguir esse feito na Serie A, em La Liga e na Premier League. Também foi o primeiro bianconero a atingir essa quantidade de tentos pelo torneio desde Sívori, em 1961. Com a vitória garantida, a gigante ainda contou com um tosco gol contra de Djidji para fechar o placar em mais um dérbi desequilibrado.

Lazio 0-3 Milan

Gols e assistências: Çalhanoglu (Ibrahimovic), Ibrahimovic (pênalti) e Rebic (Bonaventura)
Tops: Kjaer e Bonaventura (Milan)
Flops: Radu e Correa (Lazio)

Sem Immobile, Caicedo, Lulic e Luiz Felipe, a Lazio viu as chances de título ficarem menores ao ser dominada pelo Milan em pleno Olímpico. Diferentemente dos outros dois jogos de sábado, a partida teve um início fraco e bastante estudado, até por conta da abordagem escolhida por Pioli para deter sua antiga equipe. Focado, o Diavolo também sabia agredir e, ao estabelecer boa vantagem ainda na primeira etapa, encaminhou a vitória que o mantém na zona de classificação para a Liga Europa.

Çalhanoglu abriu o placar aos 23 minutos, quando finalizou de fora da área e contou com leve desvio em Parolo para marcar. Isso animou o time de Milão, que soube se defender e caprichou nos contra-ataques. Ibrahimovic precisou marcar duas vezes para valer: na primeira, foi marcado impedimento; na segunda tentativa, de pênalti, Strakosha quase defendeu, mas a bola acabou passando a linha. A Lazio sentiu falta dos desfalques, já que as peças de reposição não têm a mesma qualidade. Além disso, o time claramente vê seu nível de atuação se reduzir desde a retomada do torneio.

Além das ausências, a Lazio estava cansada. Nas duas últimas partidas, a equipe de Inzaghi foi para o intervalo perdendo e precisou se desdobrar para conseguir viradas. Até parecia que uma reação voltaria a acontecer quando Lazzari marcou: contudo, o espanhol Luis Alberto demorou demais para passar a bola e acabou pegando o colega em impedimento, o que invalidou o tento. O Milan, porém, nada mais sofreu, já que contava com boa atuação defensiva. Para atacar, contava com as arrancadas de Hernandez, que levou os celestes à loucura três vezes: em uma, perdeu gol feito; em outra, participou do lance do tento de Rebic. Após o 3 a 0, a Lazio terá de confiar no Milan para tentar voltar a brigar mais fortemente pelo scudetto: os rossoneri enfrentam a Juventus na terça.

Pênalti perdido por Lautaro marcou atuação pouco inspirada de uma Inter envolta em questionamentos (LaPresse)

Inter 1-2 Bologna

Gols e assistências: Lukaku; Juwara e Barrow (Domínguez)
Tops: Juwara e Skorupski (Bologna)
Flops: Martínez e Gagliardini (Inter)

“Musa do verão, calor do coração”. Numa das zebras da rodada, a Inter sucumbiu aos gambianos chamados Musa e, na quente tarde de Milão, permitiu uma virada totalmente inesperada em San Siro. A derrota deixou a equipe 11 pontos atrás da Juventus e foi mal digerida pelos nerazzurri, a ponto de provocar uma reunião de uma hora nos vestiários entre jogadores, comissão técnica e o diretor Marotta. O Bologna, que nada tem a ver com isso, comemorou seu segundo triunfo seguido como visitante sobre a Beneamata e se manteve cinco pontos atrás do Milan.

Pelo jeito que foi o começo do jogo, parecia que só daria o time mandante. Lukaku teve gol anulado por um domínio com o braço, mas garantiu o seu logo na sequência, num rebote de bom cabeceio de Lautaro na trave. O belga fez o seu 20° no campeonato e se igualou a Meazza, Nyers e Ronaldo como jogadores que atingiram essa marca pela Inter em sua primeira temporada no clube. A bola na trave de Barrow, já no segundo tempo, foi uma rara chegada do Bologna ao ataque.

Quando Soriano foi expulso, ao reclamar de uma falta marcada, e deixou o Bologna com 10 jogadores, a Inter se aproximou mais da vitória. Poderia tê-la garantido três minutos depois, quando teve pênalti a seu favor. Lukaku deixou a cobrança para Martínez, que não vem em grande momento, mas Skorupski defendeu tanto o chute do argentino quanto o rebote, chegando à terceira defesa difícil no jogo. A maré virou ali – mais exatamente, com a entrada de Juwara, aos 65. O jovem Musa, de 18 anos, aproveitou falha de Gagliardini para empatar, aos 74, e ainda cavou a expulsão de Bastoni, aos 77. Num contra-ataque cedido por Sánchez, a Beneamata vacilou e viu Domínguez achar Barrow livre para virar o jogo. Nos minutos finais, o chileno poderia se redimir, mas Skorupski garantiu o triunfo bolonhês com outra defesaça.

Cagliari 0-1 Atalanta

Gols e assistências: Muriel (pênalti)
Tops: Malinovskyi e Hateboer (Atalanta)
Flops: Carboni e Walukiewicz (Cagliari)

A Atalanta chegou a 10 vitórias seguidas, contando todas as competições, mas dessa não teve uma atuação ofensiva tão explosiva quanto de hábito. Gasperini poupou muitos titulares (Gollini, Rafael Toloi, Freuler, Gosens, Gómez, Ilicic e Zapata), mas conseguiu bater o duro Cagliari e se aproximou da Inter. Agora, a meta dos bergamascos é o vice-campeonato, que seria a melhor posição em sua história. Por sua vez, os cagliaritanos continuam sonhando com uma improvável vaga na Liga Europa.

Durante o jogo, a Atalanta chegou a testar o goleiro Cragno algumas vezes, mas ele respondeu com três boas defesas – as primeiras, ante Malinovskyi e Castagne, em sequência, na fase inicial do duelo. O Cagliari chegou a marcar um golaço de fora da área, com Simeone, mas o VAR entrou em ação e anulou o tento por conta de um toque de mão na origem da jogada. A Dea continuou ameaçando e acertou a trave com Muriel, mas só abriu o placar graças a um pênalti do jovem Carboni. O próprio colombiano cobrou e chegou ao seu 16º gol no campeonato. No segundo tempo, o time de Bérgamo teve outras boas chances de marcar, com Hateboer, Pasalic e Zapata, mas pararam novamente em Cragno e na trave.

Ibrahimovic e Bonaventura fizeram boa partida e ajudaram o Milan a vencer a Lazio com autoridade, no Olímpico (Insidefoto)

Napoli 2-1 Roma

Gols e assistências: Callejón (Mário Rui) e Insigne; Mkhitaryan (Dzeko)
Tops: Insigne (Napoli) e Dzeko (Roma)
Flops: Demme (Napoli) e Spinazzola (Roma)

No confronto que fechava a rodada, a Roma encarou o Napoli com uma linha de cinco defensores, no intuito de tentar parar o ataque napolitano e somar pontos preciosos em sua busca por vaga na Liga Europa. Porém, não deu. Perdida em uma crise interna e em atuações pouco inspiradas, o time de Paulo Fonseca vê o Milan encostar – os azzurri se igualaram, com 48 pontos, mas já estão classificados para o torneio continental. Para os romanistas, a nota positiva foi a volta do jovem, Zaniolo, que estava parado desde janeiro, por conta da ruptura dos ligamentos do joelho direito.

No San Paolo, o primeiro tempo foi praticamente inteiro do time da casa. Milik teve um encontro com uma velha conhecida do Napoli – a trave, acertada pelos azzurri 21 nessa temporada – e, no rebote, Callejón desperdiçou. O espanhol se redimiu aos 55 minutos, após um belo cruzamento de Mário Rui. A Roma reagiu e achou o empate na sequência, quando Mkhitaryan aproveitou o bom trabalho de pivô de Dzeko, avançou e, com um chute rasteiro, venceu Meret. Mas o Napoli tinha Insigne: aos 82, Lorenzinho finalizou de fora da área, com uma curva característica de seu estilo, e garantiu o triunfo mandante.

Sassuolo 4-2 Lecce

Gols e assistências: Caputo (Locatelli), Berardi, Boga e Müldür (Berardi); Lucioni (Calderoni) e Mancosu (pênalti)
Tops: Berardi e Boga (Sassuolo)
Flops: Paz e Tachtsidis (Lecce)

Missão cumprida: como ser rebaixado com 40 pontos é virtualmente impossível, De Zerbi já garantiu o Sassuolo em mais uma temporada (a oitava seguida) na Serie A. Agora, é hora de ir atrás de um sonho: a segunda participação na Liga Europa. Os neroverdi estão seis pontos atrás do Milan e a vaga não é prioridade, mas seria a coração do futebol instigante e propositivo dos emilianos. Um estilo que, mais uma vez, ficou evidenciado num jogo frenético no Mapei Stadium.

Logo aos 5 minutos, Caputo recebeu belo lançamento de Locatelli e abriu o placar com um gol de cobertura, chegando aos 15 nesta Serie A. O brasileiro Gabriel viria fazer um milagre após defender uma cabeçada de Ferrari e, no lance seguinte, sairia o gol de empate do Lecce, com o capitão Lucioni. Na segunda etapa, Berardi desempatou com uma cobrança de pênalti, mas os visitantes devolveram na mesma moeda com o especialista Mancosu. Porém, o Sassuolo chegaria à quarta partida consecutiva com três ou mais gols marcados: Boga e Müldür repetiram as boas atuações das últimas rodadas e decretaram o placar final em Reggio Emilia.

Em vitória da Atalanta sobre o Cagliari, Muriel chegou ao seu 16º gol nesta Serie A (LaPresse)

Parma 1-2 Fiorentina

Gols e assistências: Kucka (pênalti); Pulgar (pênalti) e Pulgar (pênalti)
Tops: Pulgar e Venuti (Fiorentina)
Flops: Gagliolo e Gervinho (Parma)

Depois de duas derrotas seguidas, a Fiorentina reagiu com uma boa vitória fora de casa. Pior para o Parma, que acumulou sua terceira derrota consecutiva, se afastou da disputa por uma vaga europeia e, agora, deve se contentar com a permanência na primeira divisão. Assim como a Viola, os crociati devem terminar a Serie A no meio da tabela, sem sustos.

Os toscanos acertaram o travessão com Venuti, em belo chute de longe, e foi o próprio que cavou o primeiro dos três pênaltis do jogo. Os dois primeiros, para a Fiorentina, tiveram cobranças infalíveis de Pulgar, que deslocou Sepe em ambas e deu uma confortável vantagem para os visitantes. O Parma descontou aos 5o minutos, com Kucka, e ficou perto de empatar com o português Bruno Alves, em boa cobrança de falta. Porém, foi só.

Sampdoria 3-0 Spal

Gols e assistências: Linetty, Gabbiadini e Linetty (Ramírez)
Tops: Linetty e Ekdal (Sampdoria)
Flops: Missiroli e Sala (Spal)

A Samp não tomou conhecimento da Spal e mandou a equipe emiliana para a lanterna ao vencer o confronto direto pela permanência na elite – com 32 pontos, sete a mais que o Lecce, o time de Gênova respirou. Os comandados por Ranieri abriram o placar aos 11 minutos, depois de uma sequência de passes errados dos visitantes. Linetty anotaria o primeiro com um chute de fora da área e Gabbiadini repetiria a dose do mesmo jeito, de falta. O terceiro viria ainda na primeira etapa, depois que Linetty aproveitou uma furada grosseira de Missiroli e fez sua doppietta.

Na segunda etapa, a Sampdoria só precisou administrar a partida até o final. O atacante Petagna, que já está vendido para o Napoli, entrou na Spal no segundo tempo e foi o melhor do time, conseguindo boas oportunidades para tentar diminuir o placar. Contudi, Audero e a trave estavam do lado doriano e seguraram o clean sheet.

O futebol insinuante de Boga é uma das marcas do Sassuolo em 2020 (LaPresse)

Udinese 2-2 Genoa

Gols e assistências: Fofana (De Paul) e Lasagna (Fofana); Pandev e Pinamonti
Tops: Fofana (Udinese) e Pandev (Genoa)
Flops: Zeegelaar (Udinese) e Behrami (Genoa)

No duelo dos desesperados, a Udinese teve de amargar um empate no sexto minuto de acréscimo, após abrir 2 a 0 de vantagem. O resultado deixa o time friulano sete pontos acima da zona de rebaixamento e só não foi mais lamentado porque, na quinta, a equipe surpreendeu a Roma no Olímpico. O Genoa, por sua vez, manteve a 17ª posição e abriu vantagem de dois pontos para o Lecce.

Os visitantes, que precisavam ainda mais do resultado, foram para cima logo no começo e quase abriram o placar com Falque, de falta. Musso estava atento e a Udinese viria a responder já no primeiro tempo: De Paul cruzou na cabeça de Fofana, abriu o placar. Aos 73 minutos, o marfinense voltou a aparecer e tabelou com Lasagna, que acertou um chute forte no ângulo, ampliando a vantagem. Valente, o time de Nicola reagiu: numa tentativa de sair jogando de trás, a defesa da Udinese perdeu a bola e viu o interminável Pandev diminuir com um chute cruzado. O lateral Zeegelaar colocou tudo a perder nos acréscimos, quando fez pênalti tolo em Biraschi. Musso chegou a defender a cobrança de Pinamonti, mas o próprio atacante aproveitou o rebote e empatou.

Brescia 2-0 Verona

Gols e assistências: Papetti (Tonali) e Donnarumma
Tops: Joronen e Papetti (Brescia)
Flops: Stepinski e Miguel Veloso (Verona)

Depois de quatro rodadas na última colocação, o Brescia deixou a Spal na lanterna. O pobre trabalho de Diego López ganhou sobrevida com o triunfo no duelo contra um dos maiores rivais dos andorinhas: a vitória dá motivação extra para a equipe lombarda, que agora está a seis pontos de deixar a zona de rebaixamento. O Hellas, por sua vez, continua na oitava posição, mas agora está quatro pontos atrás do Milan: a chance de ir para a Europa League ficou menor.

O Brescia só balançou as redes na segunda etapa. Na primeira, porém, Silvestri não segurou a bola proveniente de um cruzamento de Tonali e Torregrossa acertou a trave, sem goleiro. Depois do susto, o Verona teve quatro boas chances: em duas delas, bastava Borini e Lazovic terem passado para companheiros bem colocados que o gol sairia. O castigo veio com o zagueiro Papetti, que fez 18 anos na sexta e comemorou com um gol graças a perfeita assistência de Tonali. A partida esquentou e os dois times tiveram boas oportunidades, mas o Brescia só voltaria a anotar nos acréscimos, depois que um bate-rebate favoreceu Donnarumma.

Seleção da rodada

Skorupski (Bologna); Cuadrado (Juventus), Müldür (Sassuolo), Kjaer (Milan), Mário Rui (Napoli); Linetty (Sampdoria), Pulgar (Fiorentina), Fofana (Udinese); Berardi (Sassuolo), Ronaldo (Juventus), Juwara (Bologna). Técnico: Stefano Pioli (Milan).

Deixe um comentário