Serie A

36ª rodada: Juventus vence Sampdoria e conquista inédito eneacampeonato



Demorou, mas chegou. Na 36ª rodada da Serie A, a Juventus conquistou o seu nono título italiano consecutivo, superando os muitos percalços que teve nesta temporada. Tropeços que fizeram o trabalho de Sarri ser questionado e a trajetória rumo à taça ter sido mais complicada do que em sete dos anos anteriores. A força do elenco, porém, falou mais alto e a Velha Senhora chegou ao 36º scudetto – o dobro de Inter e Milan.

No jogo que garantiu o caneco para a Juventus, Ronaldo marcou um gol e perdeu um pênalti, permitindo que Immobile ficasse com grande vantagem na artilharia da Serie A. Após uma tripletta contra o Verona, o italiano disparou: chegou aos 34, empatando com Lewandowski na liderança do prêmio Chuteira de Ouro. Ciro tem duas partidas para superar o polonês e também o recorde de gols numa temporada do campeonato. Atualmente, Higuaín é o dono do feito, com 36.

Enquanto a Lazio de Immobile, Inter e Atalanta já se garantiram na Champions League, Roma e Milan duelam ponto a ponto por vaga na fase de grupos da Liga Europa. Na parte de baixo da tabela, o último rebaixado ficará entre Lecce e Genoa. Para escaparem, os salentinos precisam vencer seus dois jogos restantes e torcer para que os genoveses façam menos de dois pontos. Confira como foi a 36ª rodada.

Juventus 2-0 Sampdoria

Gols e assistências: Ronaldo (Pjanic) e Bernardeschi
Tops: De Ligt e Rabiot (Juventus)
Flops: Thorsby e Tonelli (Sampdoria)

A Juventus fez o último jogo da rodada e nele conseguiu o seu nono título seguido. A conquista significou o décimo scudetto da carreira de Buffon, recordista absoluto na Serie A, e também foi importante para Chiellini – o único presente em todas as campanhas. Sarri, de 61 anos, ainda se tornou o técnico mais velho a garantir a taça. Em campo, o time da casa dominou a Sampdoria do início ao fim, mas no primeiro tempo teve dificuldade de quebrar a defesa adversária. A Velha Senhora chegou a ter 70% de posse de bola, mas não a transformava em chutes a gol.

Para chegar ao primeiro gol, a Juve teve de colocar em prática uma jogada ensaiada. Na cobrança de falta, Pjanic tocou para Ronaldo, que estava escondido atrás da marcação e se movimentou para receber a bola na entrada da área, de onde chutou forte e venceu Audero. Com esse tento, Cristiano chegou a 735 em partidas oficiais e empatou com Gerd Müller em quinto lugar no quesito.

Se Ronaldo tem muitos na temporada, Bernardeschi chegou ao primeiro só depois de sua finalização de número 43 no campeonato – o que mostra o seu fraco desempenho nesta temporada, apesar das várias oportunidades. No segundo tempo, o ponta italiano aproveitou o rebote de Audero num chute de Ronaldo e fez 2 a 0. A Sampdoria queria adiar a festa do título, mas Szczsny estava lá para garantir o primeiro clean sheet da Juve em um mês. Perto do fim do jogo, Ronaldo teve a chance de empatar com Felice Borel em número de gols marcados numa única temporada da Serie A, mas mandou a bola no travessão. Agora, para a Juventus, foco no Lyon, adversário das oitavas da Champions League. A equipe perdeu Danilo e Dybala por lesão, faltando poucos dias para a volta do torneio, o que gera preocupação nos bastidores.

Genoa 0-3 Inter

Gols e assistências: Lukaku (Biraghi), Sánchez (Moses) e Lukaku (Brozovic)
Tops: Lukaku e Godín (Inter)
Flops: Zapata e Criscito (Genoa)

Buscando se afastar da zona de rebaixamento, o Genoa não somou pontos contra a Inter, como era de se esperar. Com um triunfo tranquilo, a equipe nerazzurra assumiu a vice-liderança da Serie A, enquanto os grifoni continuam quatro pontos acima da zona de rebaixamento. Depois de um primeiro tempo estudado, mas com domínio interista, no qual Eriksen e Lukaku vinham trabalhando bem a bola, o belga abriu a contagem. Aos 34 minutos, Biraghi cruzou na medida e Romelu se livrou de Zapata para cabecear para as redes.

No segundo tempo, a Inter manteve a mesma toada. Moses tinha bastante liberdade pelo lado direito e, em uma das jogadas que tentou por ali, achou Sánchez – que entrou mais ligado do que Lautaro e anotou. Com o jogo controlado, a Beneamata cozinhou a bola em fogo baixo, para evitar surpresas, mas Lukaku estava com fome de gol: nos acréscimos, ele recebeu de Brozovic, driblou dois e bateu colocado, fazendo um golaço. O camisa 9 ampliou seu recorde de tentos como visitante na Serie A para 15 e chegou aos 23 em sua primeira temporada com a Inter, ficando atrás somente de István Nyers (26) e Ronaldo (25).

Festa em Turim: a Juventus é eneacampeã (Arquivo/Juventus)

Verona 1-5 Lazio

Gols e assistências: Amrabat (pênalti); Immobile (pênalti), Milinkovic-Savic, Correa, Immobile (Lukaku) e Immobile (pênalti)
Tops: Immobile e Milinkovic-Savic (Lazio)
Flops: Radunovic e Pessina (Verona)

A Lazio atropelou o Verona mesmo depois de sair atrás. O time treinado por Juric – que renovou seu contrato no meio de semana, sendo valorizado pelo bom trabalho no clube – marcou num pênalti bobo cometido pelo brasileiro Luiz Felipe: ele perdeu a bola e acabou derrubando Zaccagni. Um dos melhores do Hellas nesta temporada, Amrabat, já vendido para a Fiorentina, converteu.

Depois dali, começou o show da Lazio, comandado por Immobile. Ciro foi derrubado na área e, após revisão no VAR, o pênalti foi marcado: o próprio camisa 17 converteu. Entre os gols do capitão, houve tempo para Milinkovic-Savic e Correa deixarem os seus, em finalizações desviadas no meio do caminho. O quarto, segundo de Immobile, foi um golaço: Ciruzzo recebeu de Lukaku e bateu colocado no canto, com muita curva. Para encerrar, o laziale sofreu leve pênalti de Radunovic e pode anotar sua tripletta, chegando a 34 na Serie A. Com duas rodadas pela frente, tem grandes chances de ser o Chuteira de Ouro da Europa: no momento, está empatado com Lewandowski, do Bayern Munique.

O atacante da Lazio também se tornou o maior artilheiro italiano numa única temporada e, ao menos por enquanto, é o terceiro principal goleador de uma edição do campeonato, atrás somente de Nordahl, autor de 35 gols pelo Milan em 1949-50, e de Higuaín, que fez 36 pelo Napoli em 2015-16. Com a tripletta desse domingo, Immobile ainda superou os 100 tentos na Serie A: tem 101 e é o terceiro maior artilheiro laziale na competição, atrás de Signori (107) e Piola (143).

Milan 1-1 Atalanta

Gols e assistências: Çalhanoglu; Zapata
Tops: Donnarumma (Milan) e Gómez (Atalanta)
Flops: Biglia (Milan) e Malinovskyi (Atalanta)

A abertura da antepenúltima rodada aconteceu na sexta-feira, com um empate ruim tanto para Atalanta quanto Milan. As duas equipes continuam sendo as melhores em termos de rendimento desde a retomada da Serie A, mas perderam terreno na corrida por seus objetivos: a Dea caiu para a terceira posição, com os mesmos 75 pontos da Lazio, enquanto o Diavolo viu a Roma abrir dois pontos de vantagem e ficar em boas condições para conquistar a última vaga direta na fase de grupos da Liga Europa.

O duelo foi resolvido no primeiro tempo. O primeiro grande lance foi o gol do Milan. Çalhanoglu, que completou 100 jogos com a camisa rossonera, fez seu 21º pelo clube ao cobrar uma falta sem ângulo e marcar um golaço. A Atalanta teve uma boa oportunidade de empatar logo de cara, depois de Biglia atingir Malinovskyi, que já estava caído dentro da área. O próprio ucraniano cobrou, mas Donnarumma (capitão do time, na ausência de Romagnoli) acertou o canto e defendeu sua terceira penalidade na competição. A alegria duraria pouco: depois de Freuler tentar chutar duas vezes, a bola sobrou para Zapata sozinho finalizar e empatar.

No restante do jogo, as defesas seguraram bem os ataques adversários, mas alguns feitos já haviam sido alcançados. A Atalanta chegou a 24 partidas seguidas marcando gol na Serie A, um recorde do clube. Por sua vez, o Milan fez 28 gols nas 10 partidas que realizou desde o lockdown: a mesma quantidade que tinha marcado em 26 partidas. Efeito Pioli.

Mostrando suas origens, Lukaku comemora seus gols na vitória da Inter (Live Media)

Roma 2-1 Fiorentina

Gols e assistências: Veretout (pênalti) e Veretout (pênalti); Milenkovic (Pulgar)
Tops: Veretout (Roma) e Pulgar (Fiorentina)
Flops: Diawara (Roma) e Lirola (Fiorentina)

Brigando para conseguir a vaga direta para Europa League, a Roma contou com a lei do ex para levar os três pontos neste domingo. Em seu último jogo no Olímpico nesta temporada, os giallorossi estrearam seu uniforme para a campanha de 2020-21 e precisaram de 45 minutos para anotarem o primeiro com ele. Lirola derrubou Bruno Peres dentro da área e fez pênalti. O especialista Veretout, ex-jogador da Fiorentina, deslocou o goleiro e fez. Ainda no primeiro tempo deu tempo para Pezzella acertar a trave da Loba depois de desviar uma cobrança de falta.

O empate da Viola veio novamente em jogada de bola parada arquitetada por Pulgar. O chileno cobrou escanteio na cabeça de Milenkovic, que só colocou. Pouco tempo após o gol, o sérvio se chocou com Pellegrini, que teve de ser substituído e deu lugar a Zaniolo. Ao longo do segundo tempo, a Roma pressionou e acertou a trave com Mkhitaryan e com Kolarov. Na sequência do chute cruzado do lateral, aos 85 minutos, Carles Pérez obrigou Terracciano a operar um milagre e, no rebote, o árbitro Chiffi marcou um pênalti bastante generoso devido ao choque do goleiro com Dzeko. Veretout cobrou bem outra vez e deu três pontos importantes para sua equipe.

Bologna 3-2 Lecce

Gols e assistências: Palacio, Soriano (Barrow) e Barrow (Orsolini); Mancosu e Falco (Petriccione)
Tops: Barrow (Bologna) e Falco (Lecce)
Flops: Denswil (Bologna) e Donati (Lecce)

No primeiro jogo do domingo, um Bologna de férias recebia um Lecce desesperado por pontos – e que precisará de duas vitórias nas duas últimas rodadas para tentar escapar do descenso. O time da casa chegou a construir ótima vantagem, sofreu com a reação dos visitantes e arrancou o triunfo apenas nos acréscimos, com Barrow. O gambiano foi o nome da partida, com participação nos três gols dos rossoblù, e travou um belo duelo com Falco, ótimo camisa 10 salentino.

O Bologna foi para cima com tudo,assim que o juiz apitou e em apenas cinco minutos fez 2 a 0: primeiro com Palacio depois de dominar o passe de calcanhar de Barrow, desviado pela defesa, e mandar para as redes; depois num contra-ataque bem puxado pelo gambiano e finalizado com tranquilidade por Soriano. Em grande momento, o atacante do Bologna chegou a acertar a trave no primeiro tempo, mas o Lecce é que viria a diminuir no final da primeira etapa, depois de uma trapalhada da defesa do Bologna.

Um dos poucos destaques do Lecce, Falco incendiou a partida após o intervalo. O camisa 10 acertou a trave num chute forte desviado por Skorupski (que se redimiu do erro no primeiro gol) e, aos 66 minutos, passou pela marcação e finalizou forte, empatando a partida. Falco quase marcou sua doppietta, com um chute colocado no canto, mas Krejci estava atento e se movimentou com perfeição para tirar a bola em cima da linha. Com o Lecce pressionando pela vitória no fim do jogo, o Bologna aproveitou os espaços e, num contra-ataque de três contra um, Barrow marcou o seu depois de Santander desperdiçar chance.

Com tripletta, Immobile levou a bola do jogo contra o Verona para casa e chegou aos 34 na Serie A (Getty)

Napoli 2-0 Sassuolo

Gols e assistências: Hysaj (Zielinski) e Allan (Mertens)
Tops: Hysaj e Zielinski (Napoli)
Flops: Berardi e Müldür (Sassuolo)

Um jogo em que o Napoli teve marcadores improváveis, enquanto o Sassuolo teve quatro gols corretamente anulados: foi assim que terminou o amistoso de luxo do sábado, visto que as equipes só cumpriam tabela. O primeiro gol dos mandantes foi o primeiro de Hysaj em cinco anos de casa: aos 8 minutos, o albanês arriscou de longe e venceu Consigli.

Depois disso, o Sassuolo produziu bastante e conseguiu ter quatro gols corretamente anulados por impedimento. Ainda mais inacreditável para os neroverdi, que fizeram boa partida no geral, foi o fato de o Napoli – que nada tinha nada a ver com o sofrimento do oponente – conseguir anotar o segundo nos acréscimos, com chute cruzado do brasileiro Allan. Pouco antes, Politano quase fez valer a lei do ex, mas acertou a trave.

Cagliari 0-1 Udinese

Gols e assistências: Okaka (Larsen)
Tops: Larsen e De Paul (Udinese)
Flops: Ceppitelli e Klavan (Cagliari)

A Udinese entrou em campo sabendo que já estava salva do rebaixamento, devido à derrota do Lecce. Mesmo sabendo que estava apenas cumprindo tabela, o time friulano marcou o seu primeiro gol aos 2 minutos: Okaka ajeitou bonito o lançamento de Larsen, segurou a marcação e finalizou no canto esquerdo de Cragno.

Depois deste começo, o jogo foi dominado pelos goleiros – dois dos melhores do campeonato. A vitória no meio de semana contra a Juventus animou a Udinese, que parou três vezes em Cragno. No segundo tempo foi a vez de Musso aparecer. O argentino defendeu três finalizações e, na quarta chance criada pelo Cagliari, o brasileiro João Pedro acabou desviando para fora um cruzamento na medida de Simeone.

Capitão milanista por um dia, Donnarumma defendeu cobrança de pênalti de Malinovskyi, da Atalanta (Image Photo Agency)

Brescia 1-2 Parma

Gols e assistências: Dessena (Torregrossa); Darmian (Kulusekvski) e Kulusekvski (Siligardi)
Tops: Kulusekvski e Darmian (Parma)
Flops: Semprini e Spalek (Brescia)

A partida que abriu o sábado reuniu dois times que não têm mais pelo que brigar no campeonato, mas mesmo assim fizeram um jogo movimentado. O sueco Kulusekvski foi o homem da partida e ditou o ritmo desde o começo. No fraco primeiro tempo, o ponta recebeu ligação direta de Sepe, passou pela defesa e pelo goleiro, mas na hora de finalizar estava sem ângulo e chutou por cima do gol.

Já na etapa final, Caprari acertou a trave, depois de pegar na bola de letra. Mas o dia era mesmo de Kulusevski: primeiro, ele ajeitou para Darmian, com toda a calma do mundo, finalizar para o gol aberto e inaugurar o placar. Aos 81, o jogador contratado pela Juventus anotou uma pintura com o pé “ruim”: de direita, finalizou com curva e mandou no ângulo de Andrenacci. Entre os tentos dos crociati, o apático e rebaixado Brescia chegara a empatar com Dessena, após um erro da defesa do Parma, que saiu jogando errado.

Spal 1-1 Torino

Gols e assistências: D’Alessandro (Dabo); Verdi (Rincón)
Tops: D’Alessandro (Spal) e Verdi (Torino)
Flops: Di Francesco (Spal) e Meïté (Torino)

Com o revés do Lecce, o Torino precisava apenas de um empate para se manter na Serie A e conseguiu – ainda que ter perdido pontos para a já rebaixada Spal tenha sido mais um momento emblemático da decepcionante campanha grená. Um sentimento que ficou nítido no rosto do presidente Cairo, ao apito final. O cartola sabe que a equipe precisa melhorar muito se não quiser brigar para não cair de novo na próxima temporada.

O primeiro tempo foi bem fraco e truncado, com muitas faltas e cinco cartões amarelos. O primeiro gol saiu apenas aos 57 minutos, com o melhor em campo. Verdi recebeu de Rincón e marcou um golaço ao chutar no ângulo do goleiro Thiam. Pelo Toro, Zaza teve duas boas chances, mas as desperdiçou, ao passo em que Verdi teve azar ao acertar a trave e tirar tinta do poste em duas finalizações. Quem acabou marcando foi a Spal, depois de o desatento Meïté perder a bola no meio-campo e propiciar contra-ataque, concluído por D’Alessandro.

Seleção da rodada

Donnarumma (Milan); Hysaj (Napoli), De Ligt (Juventus), Godín (Inter), Spinazzola (Roma); Kulusevski (Parma), Veretout (Roma), Rabiot (Juventus); Lukaku (Inter), Immobile (Lazio), Barrow (Bologna). Técnico: Maurizio Sarri (Juventus).



Deixe um comentário