Liga Europa

Roma e Milan vencem na Liga Europa, mas Napoli impede semana invencível da Itália

Nesta quinta, com a primeira rodada da Liga Europa, os últimos três times da Itália classificados para torneios continentais puderam estrear. Se saíram bem, com exceção do Napoli: com a sua derrota, impediu uma semana que beiraria a perfeição para os italianos, já que Roma e Milan venceram e juntaram seus triunfos aos de Atalanta, Lazio e Juventus, além do empate da Inter, pela Champions League.

Mesmo enfrentando muitas dificuldades no primeiro tempo, a Roma venceu o Young Boys, de virada, após Paulo Fonseca colocar em campo cinco titulares da equipe e ver saírem dos pés de dois deles os passes que garantiram a vitória giallorossa. No mesmo horário, o Napoli não conseguiu furar a forte marcação do AZ Alkmaar e se complicou em um grupo que, além dos holandeses, ainda conta com a forte Real Sociedad. Por fim, o Milan continuou imbatível. Sem perder desde o fim do lockdown na Itália, a equipe de Pioli viu o seu trio de ataque, liderado pelo eterno Ibrahimovic, brilhar mais uma vez.

O brasileiro Bruno Peres iniciou a virada romanista na Suíça (AS Roma/LaPresse)

Young Boys 1-2 Roma

A Roma viajou até Berna para enfrentar os suíços do Young Boys e sofreu para vencer: fez 2 a 1, de virada. O primeiro tempo dos visitantes foi sofrível, sem nenhuma finalização a gol e direito a um pênalti, duvidoso, dado para os donos da casa e convertido por Nsame. Paulo Fonseca mudou, colocou cinco titulares e a Loba engrenou, a ponto de reverter o placar com gols de Bruno Peres e Kumbulla.

O jogo começou com a Roma espremida no campo defensivo. Sem conseguir sair do campo de defesa e com muitos erros de passe – só o trio de zaga perdeu a bola 26 vezes nos primeiros 45 minutos – o time da Cidade Eterna saiu atrás do marcador aos 12 minutos, após o árbitro Carlos Del Cerro Grande assinalar pênalti de Cristante. O camaronês Nsame foi para a bola e não perdoou.

Depois de mais de 50 minutos sem exigir uma única defesa de David von Ballmoos, arqueiro do time suíço, a Roma chegou ao gol após belo passe de Dzeko, que entrou no começo do segundo tempo. Excelente seja ao finalizar seja ao armar o time, o bósnio deu um belíssimo passe para Bruno Peres – que estava sumido no jogo – anotar o gol de empate para os italianos. Pouco tempo depois, outro titular que saiu do banco, Mkhitaryan, encontrou Kumbulla no meio da zaga do Young Boys. O defensor albanês não titubeou e, de cabeça, virou o jogo para a equipe de Paulo Fonseca.

Apesar do resultado positivo, a fraca atuação da Roma acende um sinal de alerta na equipe italiana – que também não consegue, em seus domínios, apresentar um futebol muito superior ao que vinha apresentando nos últimos jogos da temporada passada. Graças aos titulares, o time de Fonseca pode respirar aliviado pela vitória sobre seu principal adversário no Grupo A da Liga Europa. A Loba está em segundo lugar na chave, atrás do Cluj pelo saldo de gols – os romenos fizeram 2 a 0 sobre o CSKA Sofia.

Koulibaly e Petagna lamentam a derrota do Napoli para o AZ (Getty)

Napoli 0-1 AZ Alkmaar

Diferentemente da Roma, que foi a campo com os seus reservas, o Napoli mandou a campo um forte time titular, que contava com as presenças de Koulibaly, Ruiz, Mertens e Osimhen. Contudo, nem a escalação nem o fato de ser mandante impediu que a equipe napolitana fosse a única das sete italianas que disputam competições europeias a ser derrotada.

Mesmo tendo quase o triplo da posse de bola do AZ (73% a 27%) e quatro vezes mais finalizações (20 contra 5), o Napoli não conseguiu furar a defesa holandesa. Uma retaguarda que se fechou ainda mais depois de a equipe abrir o placar aos 12 minutos do segundo tempo, quando o centroavante De Wit recebeu passe do lateral Svensson e balançou as redes pela primeira e última vez na partida.

Buscando o resultado, Gattuso fez quatro alterações, colocando em campo nomes como Demme, Insigne e Petagna. Completamente fechado, o AZ conseguiu anular Mertens e Osimhen, conseguindo um resultado importantíssimo para as suas pretensões na competição. Por sua vez, o Napoli se complicou bastante na Liga Europa.

Em um grupo complicado – muito mais complicado que os de costume –, o time do sul da Bota terá que reverter o tropeço ante os holandeses nas próximas rodadas. Em terceiro no Grupo F, à frente apenas do Rijeka, o time de Gattuso ainda terá pelo menos três confrontos complicados: dois contra a Real Sociedad e mais um contra o AZ, na partida que fechará a chave.

Díaz anotou um dos gols da boa vitória do Milan sobre o Celtic, na Escócia (Pool/AFP/Getty)

Celtic 1-3 Milan

Em um dos jogos mais esperados da rodada, o Milan venceu o Celtic, em Glasgow, por 3 a 1, com gols de Krunic, Díaz e Hauge. Na partida que reunia dois dos maiores clubes da Europa, Pioli triunfou mais uma vez: sem perder desde a pausa do futebol, por conta da pandemia, o Milan segue imparável, mostrando que pode brigar em mais de uma frente neste ano.

Apesar de o confronto ter sido equilibrado, o Milan conseguiu se impor, graças ao excelente desempenho de seu trio de ataque. Ibrahimovic circulava por todo o setor, sendo a grande referência ofensiva da equipe, segurando a bola e encontrando Díaz, sempre bem aberto pela esquerda. No lado oposto, Zlatan também acionava Castillejo, autor do passe para o primeiro gol com a sua jogada característica, na qual corta para o meio e cruza para a área.

Depois de um bom primeiro tempo dos rossoneri, com gol de Krunic aos 14 minutos e de Díaz aos 42, o Milan foi para o segundo tempo com a sensação de que a vitória não lhe escaparia – como não escapou. Mas, diferentemente da etapa inicial, o Celtic voltou bem, pressionando o adversário e chegando ao seu gol aos 76. Sob pressão, o time de Pioli conseguiu manter a liderança no marcador e ainda anotar mais um, aos 92 minutos, com o jovem norueguês Hauge.

Imbatível, o Milan segue a todo vapor sob o comando de Pioli. Liderada por um Ibrahimovic, que, mesmo aos 39 anos, segue atuando em altíssimo nível, a equipe rossonera parece pronta para voltar a disputar troféus. Uma título no segundo maior torneio do continente seria um bom começo e a trajetória do Diavolo começou bem. A equipe somou três pontos no complicado Grupo H, que ainda tem o Lille na liderança e o Sparta Praga na lanterna.

Deixe um comentário