Liga Europa

Tríplice liderança: Itália gabarita fase de grupos da Europa League e garante três cabeças de chave

A fase de grupos da Liga Europa terminou e a Itália tem motivos de sobra para comemorar. Apesar da derrota da Roma e do jogo ruim do Napoli, os três representantes da Bota não só se classificaram para a fase de mata-mata como terminaram na primeira colocação de seus respectivos grupos.

Com destaques para Ospina, Hauge e Tatarusanu, Napoli e Milan conseguiram, com algum susto, os resultados que precisavam, nesta última rodada, para garantir a primeira posição. Já a Roma, que tinha assegurado este posto, apenas cumpriu tabela na Bulgária e, com um time repleto de estreantes, perdeu pela primeira vez na competição.

Terminar a fase de grupos na liderança garante um certo alívio para os times italianos, que escaparam de pedreiras como Manchester United, Ajax, Tottenham, Arsenal e Shakhtar Donetsk, por exemplo. Dentre os possíveis oponentes, destaques para Red Bull Salzburg, Benfica, Braga, Real Sociedad (que não pode enfrentar o Napoli) e Lille (que não pode enfrentar o Milan).

Sparta Praga 0-1 Milan

Liderança é com o Milan. Para terminar em primeiro, no Grupo H, o Milan precisava vencer o Sparta Praga, na Chéquia, e ainda torcer para que o Lille tropeçasse, fora de casa, diante do Celtic, último colocado. E o que Pioli faz, nesta temporada, que não dá certo?

Com um time recheado de jovens, como Maldini, Colombo, Hauge e o estreante Kalulu, o Milan venceu os checos por 1 a 0 e ainda contou com uma ajudinha dos escoceses para garantir o primeiro lugar do Grupo H, com 13 pontos – contra 11 dos franceses.

Dentro de suas limitações, o Sparta Praga procurou atacar os rossoneri, fazendo um jogo justo e bastante equilibrado com o líder da Serie A. Nesse cenário, o Milan só conseguiu balançar as redes graças a mais uma belíssima jogada individual de Hauge, um dos maiores destaques da equipe da Bota nesta Liga Europa.

Aos 23 minutos, o jovem norueguês recebeu bom passe de Dalot, aplicou uma linda caneta em Wiesner e bateu colocado, no canto esquerdo do goleiro Heca. Este foi o terceiro tento de Hauge em quatro jogos na competição. Os dois últimos, inclusive, foram uma pintura.

Além de Hauge, Maldini, Tonali e Dalot também foram muito bem. Tonali, que ainda não se firmou na equipe titular, vem se apresentando bem na Liga Europa. Apesar de alguma inconstância, a promessa italiana mostra, diversas vezes, porque o seu futebol gera tanto expectativa. Já Dalot, improvisado na lateral direita, fez mais um bom jogo com a camisa rossonera. Além da assistência para o gol de Hauge, o português também foi responsável pela primeira grande chance do Milan na partida.

Mas não foram apenas os garotos que brilharam na vitória rossonera diante do Sparta Praga. Tão importante quanto Hauge, Tatarusanu, de 34 anos, foi cirúrgico nas duas grandes chances do Sparta na partida. A primeira defesa aconteceu aos 52 minutos de jogo, quando defendeu, com a perna direita, um chute à queima-roupa de Krejcí. A segunda e talvez a mais espetacular defesa, veio no finalzinho do jogo, em um contra-ataque muito bem armado pelos donos da casa. Karlsson foi lançado nas costas da dupla de zaga milanista, ajeitou o corpo e bateu colocado, no canto direito do goleiro romeno, que fez uso de seu 1,98m de altura para impedir o empate que tiraria o Milan do primeiro lugar.

Os dedinhos de Zielinski e Maksimovic indicam: o Napoli ficou na primeira posição do Grupo F (LaPresse)

Napoli 1-1 Real Sociedad

Dominado do começo ao fim pela Real Sociedad, o Napoli sobreviveu com um misto de resiliência, sorte e mérito de Ospina, que fez mais uma boa atuação na meta azzurra. Com o empate, cedido nos acréscimos do segundo tempo, a equipe italiana confirmou o primeiro lugar do Grupo F, com 11 pontos, mesmo com atuações ruins nos últimos dois jogos na competição.

Acuado e sem a bola, o Napoli viu uma Real Sociedad faminta pelo resultado, que sabia se impor e machucava a equipe de Gattuso, principalmente com a forte pressão na saída de bola. Instalado no campo de defesa napolitano, o time basco dominava a posse da bola e chegava com muito perigo pelos lados, principalmente com Januzaj, pesadelo para Mário Rui e grande destaque da partida.

Sufocado em seu próprio campo, o Napoli sofria para se organizar ofensivamente. Em menos de 20 minutos, a equipe visitante já havia exigido duas boas defesas de Ospina, além de ter perdido a grande chance do jogo, aos 18, com Portu. No lance, Willian José ganhou de Maksimovic, na velocidade, e ficou mano a mano com Di Lorenzo, antes de passar para o ponta espanhol finalizar, sem goleiro, para fora.

As melhores chances napolitanas, no primeiro tempo, vieram depois dos 30 minutos, quando a Real Sociedad, cansada, tinha mais dificuldades para impor pressão no time da casa. Aos 33, Lozano puxou um contra-ataque pela direita e cruzou rasteiro para Zielinski finalizar na entrada da área. A finalização do polonês desviou na defesa e foi para escanteio. Insigne levantou na área, Merino tirou, de cabeça, e a bola sobrou para o próprio Zielinski, que matou no peito e acertou um belíssimo chute, sem chances para o paralisado Remiro.

O gol do meia, além de colocar o Napoli na frente do marcador e praticamente garantir a primeira colocação do grupo, entrou pra história por um motivo ainda mais especial. O tento do polonês foi o primeiro anotado no estádio desde a mudança de nome de San Paolo para Diego Armando Maradona, em homenagem ao eterno camisa 10 napolitano.

No segundo tempo, mais pressão da Real Sociedad. Precisando pelo menos de um empate para se classificar para o mata-mata da Liga Europa, o time basco seguiu pressionando e exigindo bastante do bom goleiro Ospina. Com menos de dez minutos, a Real já havia chegado com perigo em duas oportunidades. A primeira veio com Merino, que tirou Bakayoko e Koulibaly com um único corte e finalizou para fora. A segunda aconteceu dois minutos depois. Monreal invadiu a área e cruzou rasteiro. A bola passou na frente de Willian José, que não conseguiu chegar a tempo.

A pressão da equipe basca, que chegou a ter mais de 70% da posse da bola no segundo tempo, foi recompensada nos acréscimos, aos 91 minutos. Barrenetxea cruzou para a pequena área, a bola bateu na cabeça de Januzaj e sobrou para Willian José fuzilar para o gol de Ospina, que nada pode fazer.

Apesar do resultado, as últimas atuações do Napoli, na Liga Europa, foram ruins. Abdicando de jogar e apostando, unicamente, nos contra-ataques, o time do sul da Itália sofreu bem mais do que precisava para garantir o primeiro lugar do Grupo F. A equipe de Gattuso espera, agora, a definição do seu adversário na próxima fase da competição.

O garoto Milanese quase não acreditou quando marcou o seu primeiro gol como profissional (AS Roma/LaPresse)

CSKA Sofia 3-1 Roma

Já classificada, a Roma foi até Sofia, na Bulgária, para enfrentar o já eliminado CSKA, que mesmo sem chances de avançar, aplicou a primeira derrota giallorossa na competição.

Com um time ainda mais alternativo do que vem sendo escalado na Liga Europa, a Roma, que acabou o jogo com mais de 70% da posse da bola, não conseguiu terminar a fase de grupos invicta. A Roma foi castigada por Sowe, atacante gambiano que já vestiu a camisa de oito times italianos e autor de dois dos três gols do CSKA na partida, mas viu um dos seus três garotos, Tommaso Milanese, anotar o seu único tento na partida, ao receber assistência de Borja Mayoral.

Mas se Milanese aproveitou a partida para deixar o seu, Pietro Boer, de apenas 18 anos, não terá muitos motivos para comemorar o seu primeiro jogo como profissional na meta giallorossa. Além da derrota e dos três gols sofridos, Boer, que já vinha sendo relacionado para os jogos do time da capital, não defendeu uma bola sequer.

Além dos já citados Milanese e Boer, outro garoto lançado por Paulo Fonseca no duelo de hoje foi o ala Mory Bamba, natural de Costa do Marfim – e que, assim como Boer, tem apenas 18 anos. Se a partida não serviu para garantir a manutenção da invencibilidade romanista, serviu ao menos para que jovens talentos do clube debutassem como profissionais em uma competição de nível internacional.

Apesar do resultado negativo, a Roma conseguiu o que se esperava dela nesta fase de grupos da Liga Europa: garantir o primeiro lugar. Com o primeiro lugar na mala, a Roma evita adversários mais poderosos, como o Manchester United, o Ajax, o Arsenal e o Tottenham, por exemplo.

Deixe um comentário