Serie A

36ª rodada: Milan massacra Torino, mas brigas por UCL e permanência continuam abertas

A última rodada de meio de semana da Serie A 2020-21 não registrou alterações significativas na tabela. Afinal, já temos uma campeã e dois rebaixados, as brigas por vagas em Champions League, Europa League e Conference League continuam disputadas pelos mesmos times e um trio continua tentado evitar o descenso.

Na parte de cima da tábua de classificação, a campeã Inter bateu a Roma e eliminou as irrisórias chances de a Loba tentar voltar à Liga Europa, enquanto Atalanta, Milan, Napoli, Juventus e Lazio venceram: três dessas equipes disputarão a Liga dos Campeões, enquanto aquelas que ficarem na quinta e na sexta posições irão para o segundo principal torneio continental. Sem chances de competir por essas vagas, Roma ou Sassuolo representarão a Itália na Liga da Conferência.

Por fim, mais dois times puderam celebrar a permanência na elite. Com pontos conquistados nesta quarta, Fiorentina e Genoa se livraram do risco de rebaixamento e já podem se planejar para uma campanha mais interessante em 2021-22. O Cagliari está perto de se garantir, enquanto Torino e Spezia seguem ameaçados, mas com vantagem para o Benevento, antepenúltimo colocado. Confira o resumo da rodada.

>>> Classificação e artilharia da Serie A

Torino 0-7 Milan

Gols e assistências: Hernandez (Díaz), Kessié (pênalti), Díaz (Kessié), Hernandez (Rebic), Rebic (Krunic), Rebic (Rafael Leão) e Rebic (Krunic)
Tops: Rebic e Hernandez (Milan)
Flops: Bremer e Lyanco (Torino)

Foi um massacre. Após um primeiro tempo até certo ponto equilibrado, no qual o Torino finalizou mais, o Milan anotou cinco gols na segunda etapa. No fim, goleada histórica por 7 a 0 no estádio Olímpico Grande Torino, e manutenção da boa fase dos rossoneri, que estão a uma vitória de se classificarem para a Champions League.

O croata Rebic foi o artilheiro da partida, com três gols marcados. No entanto, todos eles quando o placar já estava elástico. Hernandez foi quem abriu o caminho para o Milan com um golaço de fora da área, aos 19 da etapa inicial. O lateral-esquerdo ainda marcou mais um, como um verdadeiro centroavante, recebendo passe de Rebic. Já Kessié, anotou seu gol de pênalti, a partir da 18ª penalidade apitada a favor dos rossoneri nesta Serie A – maior marca da competição. O Torino contou com uma atuação desastrosa da dupla de zagueiros brasileira: Bremer e Lyanco. Já o goleiro Sirigu teve pouca culpa nos gols sofridos. Apesar disso, os donos da casa quase conseguiram voltar ao jogo depois que Çalhanoglu deu um presente para Zaza: Donnarumma, contudo, evitou o tento granata.

O que era um jogo dominado, no segundo tempo se tornou um vareio de bola da equipe de Stefano Pioli, que segue na terceira colocação do campeonato, com 75 pontos, o mesmo número da Atalanta. Pelo caminho, o Cagliari e a própria Dea, na 38ª rodada, num duelo que promete ser sensacional. Já o Torino, nocauteado com a goleada, ainda tem chances de ser rebaixado. O time grená possui um jogo a menos, é verdade, contra a Lazio. Essa partida será disputada entre a penúltima e última rodada. Mesmo assim, o perigo de queda existe, já que o Toro tem 35 pontos, apenas quatro à frente do Benevento. O time do técnico Davide Nicola vai precisar juntar os cacos antes de encarar os rivais diretos Spezia e Benevento (além dos laziali), nesta reta final decisiva.

Napoli 5-1 Udinese

Gols e assistências: Zielinski, Ruiz (Zielinski), Lozano, Di Lorenzo e Insigne: Okaka (De Paul)
Tops: Zielinski e Ruiz (Napoli)
Flops: Musso e Bonifazi (Udinese)

Na abertura da rodada, na terça-feira (11), o Napoli goleou de novo. Após anotar 4 a 1 no Spezia no fim de semana, a equipe do treinador Gennaro Gattuso foi além e, diante da Udinese, conseguiu um golzinho a mais para chegar aos 72 pontos no campeonato.

No estádio Diego Armando Maradona, o Napoli foi superior em toda a partida. Martelando desde o início, o time azul abriu o placar com Zielinski, aos 28 minutos. O polonês completou para as redes no rebote de chute de Osimhen, marcando seu oitavo gol na atual Serie A. Logo depois, aos 31, o segundo do Napoli: dessa vez, Zielinski foi o garçom e Ruiz acertou um chutaço, de canhota, de fora da área.

Com o 2 a 0 no placar, o Napoli deu uma leve “descansada” na partida. Foi o suficiente para Okaka descontar a favor da Udinese em mais um belo gol: o nigeriano recebeu na entrada da área, girou como um pivô nato e bateu no canto. No início do segundo tempo, os visitantes até ensaiaram uma reação, mas ela não durou muito tempo. Logo aos 11, o Napoli anotou o terceiro, com Lozano, e basicamente matou o jogo ali. Este gol ainda contou com falha bisonha do goleiro Musso, que errou o passe na saída de bola.

Daí em diante, o Napoli seguiu criando, com o objetivo de estender seu saldo de gols. Já a Udinese, com pretensões modestas na Serie A, assistiu à superioridade do rival sem grande constrangimento. Ainda deu tempo para Di Lorenzo e Insigne completarem a goleada por 5 a 1, que mantém os azzurri na quarta posição do campeonato. Restando duas rodadas para o final do torneio (e com Fiorentina e Verona no caminho), o Napoli se credencia como um dos favoritos a fisgar uma vaga na próxima Champions League. Já a Udinese, apesar da goleada sofrida, já estava garantida, matematicamente, na elite do futebol italiano.

Em noite de grande superioridade sobre a Udinese, o Napoli se aproximou da Liga dos Campeões (Fotoagenzia)

Sassuolo 1-3 Juventus

Gols e assistências: Raspadori (Locatelli); Rabiot (Chiesa), Ronaldo (Rabiot) e Dybala (Kulusevski)
Tops: Rabiot e Buffon (Juventus)
Flops: Berardi e Marlon (Sassuolo)

No Mapei Stadium, a Juventus colocou fim à ótima sequência de resultados do Sassuolo. De quebra, se manteve viva na briga por uma vaga na próxima Champions League. Vencer era crucial para a equipe de Cristiano Ronaldo, já que todos os rivais diretos da parte de cima da tabela triunfaram em seus compromissos. Além disso, a Vecchia Signora precisava reagir após o 3 a 0 sofrido contra o Milan, em Turim.

Só que o roteiro do jogo poderia ter sido completamente diferente. Aos 16 minutos, Berardi desperdiçou cobrança de pênalti. O interminável Buffon, que não fica na Juve para a próxima temporada, fez a defesa. Um gol do Sassuolo logo no início do duelo poderia ter alterado toda a dinâmica e ele poderia ter ocorrido em outros momentos do primeiro tempo, quando o time da casa foi melhor. Quem aproveitou foi Rabiot, que marcou aos 28, com um bonito chute rasteiro de fora da área. O francês também participou do segundo: foi dele a cabeçada que encontrou Ronaldo. O artilheiro do campeonato limpou o zagueiro Marlon e teve tranquilidade com a perna esquerda para marcar seu 28º gol na Serie A e o 100º com a camisa da Juventus.

No segundo tempo, o Sassuolo apertou e conseguiu diminuir. Raspadori tabelou com Locatelli e mandou para as redes. No entanto, apesar de ter mais posse de bola, trocar quase o dobro de passes da Juve e finalizar em maior quantidade, o time da casa não conseguiu chegar ao empate. Dybala ainda marcou o terceiro dos bianconeri, de cavadinha, aos 22 minutos da etapa final, e também chegou ao 100º pela equipe de Turim. Daí em diante, o placar não se movimentou mais.

A Juventus segue na perseguição do G4. Com 72 pontos, a equipe comandada por Andrea Pirlo tem um a menos que Napoli e três a menos que Milan e Atalanta. Tropeçar nesta quarta, diante do Sassuolo, poderia significar um adeus à vaga na Champions. Agora, a Juve encara a campeã Inter e o Bologna, torcendo para que alguém vacile à sua frente. O Sassuolo, apesar da derrota, ainda tem condições de beliscar o sétimo lugar na Serie A. São apenas dois pontos de diferença para a Roma – com Parma e Lazio ainda pelo caminho nas próximas rodadas. De qualquer maneira, esta já é uma temporada memorável, visto que o time ficará, pelo menos, na oitava colocação.

Inter 3-1 Roma

Gols e assistências: Brozovic (Darmian), Vecino (Lukaku) e Lukaku (Hakimi); Mkhitaryan (Dzeko)
Tops: Lukaku e Brozovic (Inter)
Flops: Santon e Darboe (Roma)

Só porque já é campeã vai relaxar no final? Com a Inter não é assim. No estádio Giuseppe Meazza, a dona do scudetto bateu a Roma com autoridade, por 3 a 1, e segue em busca de quebrar mais marcas na história do Campeonato Italiano. Já a Roma, se limita a tentar garantir o sétimo posto e vaga na Conference League, numa melancólica reta final de temporada.

Com apenas 20 minutos de jogo, Brozovic e Vecino já haviam marcado para a Inter. Destaque para a versão “garçom” de Lukaku no segundo gol: o belga já acumula 11 assistências nesta atual edição da Serie A. Vale também mencionar a saída de Sánchez, lesionado, antes mesmo do intervalo. Martínez veio a campo para o lugar do chileno. Aos 31 minutos, Mkhitaryan descontou em um tento que também contou com passe de um centroavante: Dzeko foi quem fez as honras na jogada. Só que a reação da Roma parou por aí. Na melhor chance que os giallorossi tiveram, novamente com o bósnio, a bola explodiu na trave de Radu.

No finalzinho do jogo, Lukaku conseguiu marcar o dele. O vice-artilheiro do campeonato acompanhou Hakimi no contra-ataque e, “gentilmente” recebeu a bola somente para empurrá-la às redes. Foi o 22º gol do centroavante belga nesta temporada, e a 15ª vitória seguida da Inter em casa (um recorde do clube). Neste fim de temporada, a campeã não diminui seu ritmo e vai atingindo marcas históricas. Esta também já é a segunda melhor campanha dos nerazzurri em uma Serie A: 89 pontos, atrás apenas dos 97 conquistados em 2006-07)

Do outro lado, a Roma amarga um fim de temporada frustrante. Eliminada na Liga Europa com direito a vexame contra o Manchester United, a equipe da capital está apenas na sétima colocação, sem chances de alcançar a rival Lazio, uma posição acima e já garantida ao menos na segunda maior competição do continente. No entanto, os giallorossi ainda podem ser ultrapassados pelo Sassuolo e perderem a vaga na Conference League. Já acertada com o treinador José Mourinho, a Roma certamente vai passar por uma reformulação na tentativa de alcançar um patamar maior na próxima Serie A.

Salvador da pátria: Buffon pegou pênalti e manteve a Juventus viva na corrida por vaga na Champions League (imago)

Atalanta 2-0 Benevento

Gols e assistências: Muriel (Malinovskyi) e Pasalic (Zapata)
Tops: Muriel e Malinovskyi (Atalanta)
Flops: Caldirola e Viola (Benevento)

Econômica para seus padrões, a Atalanta bateu o desesperado Benevento por 2 a 0, no Gewiss Stadium, e se manteve na vice-liderança do Campeonato Italiano. O triunfo era fundamental para a Dea, já que Napoli, Milan e Juventus, os seus rivais diretos por vaga na Liga dos Campeões, também triunfaram nesta 36ª rodada.

O primeiro gol foi de Muriel, aos 22 da primeira etapa. O colombiano é o vice-artilheiro da Serie A, com 22 gols, empatado com Lukaku e atrás apenas de Ronaldo. A essa altura, o domínio da equipe de Bérgamo já era evidente. Do outro lado, o Benevento, que não vence há oito rodadas – desde março, quando desbancou a Juventus, em Turim – não mostrou qualquer possibilidade de reação.

Na segunda etapa, Pasalic fechou a conta. Dessa vez, o artilheiro Zapata fez as honras como garçom da jogada. Antes do apito final, ainda deu tempo de Caldirola ser expulso pelo lado da equipe visitante, com dois amarelos em menos de dois minutos. Vitória tranquila e sem qualquer risco. A Dea se mantém firme na segunda colocação, à frente do Milan nos critérios de desempate. No caminho até o fim da Serie A, terá Genoa e o próprio time de Milão, em jogo que, provavelmente, valerá muita coisa nessa reta final.

Nesse meio tempo ainda tem decisão da Coppa Italia para a Atalanta, diante da Juve, no dia 19 de maio. Os próximos dez dias podem trazer, portanto, um título e a vaga pelo terceiro ano consecutivo à Champions para o time de Bérgamo. Mas a linha entre o sucesso e o fracasso, em ambas as competições, é tênue. Nada está garantido, e por isso a Atalanta vai precisar de muito foco nessa arrancada final.

Já o Benevento respira por aparelhos na Serie A. Com 31 pontos, está a quatro do Spezia e do Torino, que tem um jogo a menos. A próxima rodada pode significar uma luz para o Benevento, que enfrenta o já rebaixado Crotone. Para fechar, duelo contra o próprio Torino. Já imaginou se este jogo estiver valendo, simplesmente, a salvação no campeonato?

Lazio 1-0 Parma

Gol: Immobile
Tops: Immobile e Strakosha (Lazio)
Flops: Busi e Dierckx (Parma)

Não foi bonito, mas a Lazio conseguiu sair do Olímpico de Roma com três pontos na bagagem. Diante do Parma, já rebaixado e atual lanterna, Immobile fez o gol salvador no apagar das luzes, após um bate-rebate horroroso dentro da área.

Antes disso, o duelo foi franco. Ambos os times colocaram bola na trave e, por pouco, os visitantes não aprontaram ao longo do segundo tempo. Assim como na última rodada, diante da Fiorentina, a Lazio voltou a mostrar pouca criatividade ofensiva em alguns momentos. Prevaleceram as bolas longas em detrimento de triangulações. Já o Parma investiu em seu contra-ataque veloz para incomodar. E conseguiu, em certas situações.

Quando o confronto parecia fadado ao 0 a 0, um golpe de sorte ajudou os biancocelestes: Lazzari deu um balão para frente, já nos acréscimos da segunda etapa. Immobile ajeitou com o peito, Caicedo tentou o passe e, a partir daí, se desenrolou um verdadeiro lance de fliperama. Dois defensores do Parma tentaram afastar a bola, mas ela rebateu em todo mundo que estava na área antes de retornar ao domínio de Immobile. O goleador não perdoou e fuzilou para as redes do goleiro Sepe com o pé direito.

Tivemos uma pequena demonstração da temporada terrível do Parma: mesmo quando joga bem, não consegue contar com a sorte. Já a Lazio, abusou dela, visto que Strakosha teve de trabalhar contra um rebaixado. Ainda assim, o time romano segue nutrindo esperanças de alcançar uma vaga na Champions League. A missão é difícil: são cinco pontos de distância para a quarta colocada, Juventus, que tem 72 na tabela. No entanto, vale lembrar que os celestes tˆm um jogo a menos. Portanto, nove pontos ainda em disputa (clássico contra a Roma e duelos frente ao Torino e Sassuolo). Matematicamente, é possível. Se mantiver o nível de atuação das últimas duas rodadas, o sonho fica bem mais complicado…

Lukaku e Hakimi, da Inter, deram pequena aula na partida que sacramentou a ausência de chances de classificação da Roma à Liga Europa (IPA)

Cagliari 0-0 Fiorentina

Tops: Godín (Cagliari) e Milenkovic (Fiorentina)
Flops: Nainggolan (Cagliari) e Kouamé (Fiorentina)

Nenhum chute no gol em 90 minutos. Esta frase resume o jogo medonho protagonizado por Cagliari e Fiorentina, na Sardegna Arena. Com medo de arriscar, ambos os times – ainda ameaçados de rebaixamento no início da rodada – basicamente “negociaram” o placar por 0 a 0.

Se alguém fosse obrigado a vencer, este alguém seria o Cagliari. Os mandantes, ao menos, finalizaram mais ao gol e imprimiram certa pressão nos minutos finais. Natural, já que a equipe da Sardenha está abaixo na tabela. Satisfeita com o empate, a Fiorentina foi a campo com um time modificado, tentou algumas alterações durante a partida, mas em nenhum momento conseguiu repetir os desempenhos recentes. Kouamé, que substituiu Ribéry, foi o pior do jogo: errou passes de dois metros, matou contra-ataques e até tropeçou na bola. De qualquer forma, a Viola chega a cinco jogos sem perder em sequência. O Cagliari não perde há seis rodadas.

E já que o jogo foi insosso, os destaques ficaram por conta dos zagueiros. Milenkovic, do lado violeta, evitou uma chance clara de gol dos rossoblù com um corte preciso. Já o experiente Godín, ganhou todas pelo chão e pelo alto contra o ataque da Fiorentina. Conformada com esse clima de “jogo de compadres”, a Viola está livre de qualquer chance de rebaixamento, já que o Benevento perdeu para a Atalanta na rodada. O Cagliari, por outro lado, está a cinco pontos da zona vermelha, com seis ainda em disputa. Ou seja, há chances remotas de queda para a segunda divisão, mas fato é que arrancada no final do campeonato provavelmente serviu para manter o time da Sardenha na elite.

Bologna 0-2 Genoa

Gols e assistências: Zapacosta (Badelj) e Scamacca (pênalti)
Tops: Zappacosta e Perin (Genoa)
Flops: Danilo e Dijks (Bologna)

No estádio Renato Dall’Ara, o Genoa fez um jogo burocrático, porém cirúrgico: converteu as chances que teve e se segurou como pode lá atrás. O resultado foi uma vitória por 2 a 0, fora de casa, diante do Bologna, e que garantiu a manutenção do eneacampeão da Itália na primeira divisão. Vale lembrar que a equipe permaneceu por nove rodadas na zona de rebaixamento durante o primeiro turno, mas respirou desde o retorno do técnico Davide Ballardini. Já o Bologna, também a salvo, decepciona levemente seu torcedor, mas se mantém na estável e justa 11ª colocação.

O Genoa abriu o placar logo cedo, num lançamento de Badelj para Zappacosta, que puxou a bola para o pé direito e disparou no canto superior esquerdo do gol. A bonita finalização foi muito parecida com a que também terminou em gol no domingo, ante o Sassuolo. No mais, só deu Bologna: teve bola na trave, gol perdido dentro da área e Palacio sendo travado na cara do gol. No total, os mandantes finalizaram o dobro de vezes (22 a 11), tiveram o triplo de escanteios (12 a quatro) e trocaram mais que o dobro de passes certos (447 a 185). Nada disso foi suficiente.

Os visitantes contaram com uma noite segura do goleiro Perin. Ele não foi fantástico, mas totalizou seis intervenções, demonstrando confiança. Na segunda etapa, o zagueiro brasileiro Danilo meteu a mão na bola após cobrança de escanteio. Scamacca bateu e colocou números finais à partida. Sem muito brilho, mas fazendo o dever contra equipes próximas na tabela, o Genoa conseguiu se recuperar no campeonato e garantir mais um ano na elite. Agora, a torcida certamente espera por uma temporada 2021-22 mais tranquila do que esta.

Dessa vez com Immobile, a Lazio conseguiu mais um gol na bacia das almas e manteve chances de se classificar à Liga dos Campeões (imago)

Sampdoria 2-2 Spezia

Gols e assistências: Verre e Keita (Yoshida); Pobega e Pobega (Bastoni)
Tops: Keita (Sampdoria) e Pobega (Spezia)
Flops: Gabbiadini (Sampdoria) e Diego Farias (Spezia)

Jogando no Luigi Ferraris, o Spezia teve todas as chances de sair vitorioso contra a Sampdoria e dar um passo gigantesco para se manter na Serie A. Contudo, foram ao menos três chances claras de gol desperdiçadas – duas com o brasileiro Diego Farias. Na primeira, ele isolou de frente para Audero; na segunda, praticamente sem goleiro, mandou na trave. Com isso, o resultado final acabou sendo o empate por 2 a 2.

Pobega abriu o placar logo cedo, aos 15 minutos, para o Spezia. O time visitante começou mais intenso, tanto que teve chances de ampliar o placar na sequência. Falhou e falhou feio. Quem não perdeu a oportunidade que teve foi Verre. O camisa 8 empatou aos 32 após conferir rebote da trave. O VAR teve que entrar em ação para validar o gol.

No segundo tempo, o Spezia readquiriu a vantagem. Novamente com Pobega, que deu um lindo corte no zagueiro Yoshida, dentro da área, antes de marcar com a perna direita. Só que, novamente, o time novato na Serie A não conseguiu sustentar a vantagem. Keita, que entrou já na etapa final, fuzilou para as redes após bela ajeitada de peito do próprio Yoshida. O senegalês foi o atacante mais efetivo da Samp, apesar de jogar menos tempo.

Com o placar de 2 a 2, o Spezia sobe para 35 pontos, somente quatro à frente do Benevento, em 17º na tabela. Caso vencesse, chegaria aos 37, garantindo permanência na elite do futebol italiano, pois tem vantagem no confronto direto. Ou seja, uma baita chance desperdiçada. Na próxima rodada, o Spezia tem uma verdadeira final de campeonato, contra o Torino, que detém os mesmos 35 pontos. O último compromisso é diante da Roma. O time precisa de dois pontos para evitar a queda, sem depender de mais ninguém. Já a Sampdoria, tranquila, encerra a Serie A em ritmo de pré-temporada. Em nono, não almeja mais o oitavo lugar e se limita a defender o posto atual jogando contra Udinese e Parma nas duas últimas rodadas.

Crotone 2-1 Verona

Gols e assistências: Ounas (Simy) e Junior Messias (Ounas); Molina (contra)
Tops: Ounas e Simy (Crotone)
Flops: Ceccherini e Kalinic (Verona)

Já rebaixado para a segunda divisão italiana, o Crotone tenta fazer um final de temporada digno. E no fechamento da jornada, a equipe da Calábria conseguiu vencer o cabisbaixo Verona por 2 a 1. Com o resultado, os tubarões deixaram a lanterna da Serie A pela primeira vez desde a 14ª rodada – na verdade, só não estiveram em último em apenas quatro das 36 rodadas até aqui. Quem segura o posto de pior time do campeonato, agora, é o Parma, com apenas 20 pontos – um a menos do que os pitagóricos.

No estádio Ezio Scida, os mandantes saíram na frente logo aos dois minutos de jogo. O argelino Ounas foi o autor do gol, assistido pelo grandalhão Simy. A partida teve ânimos acirrados, apesar de pouco valer na classificação geral para ambos os times. Ao todo, tivemos 31 faltas, sendo algumas delas bastante violentas.

No segundo tempo, Junior Messias ampliou o placar para o Crotone, apesar de o Verona dominar a posse de bola. Dessa vez, Ounas foi o garçom da jogada. No fim da partida, os visitantes ainda conseguiram diminuir com um gol contra de Molina. Mas não havia tempo para uma reação maior. O time do técnico Ivan Juric (que foi expulso antes do apito final) não vence há oito jogos e faz um segundo turno com desempenho bem inferior ao da primeira metade do campeonato. Apesar do declínio, o Verona segue na 10ª colocação, com 43 pontos. Já o Crotone venceu a sexta no campeonato, mas igualou um recorde negativo: com 91 gols sofridos, tem a pior defesa da história da Serie A, tal qual o Casale de 1933-34.

Seleção da rodada

Buffon (Juventus); Zappacosta (Genoa), Skriniar (Inter), Romero (Atalanta), Hernandez (Milan); Ruiz (Napoli), Kessié (Milan), Pobega (Spezia); Zielinski (Napoli); Lukaku (Inter), Rebic (Milan). Técnico: Stefano Pioli (Milan).

Compartilhe!

Deixe um comentário