Seleção italiana

Mas que papelão…



Gattuso e Vieira: dois gladiadores em campo.
Jogo ótimo para eles, muitas divididas, raça e suor.

Imprensa toda inflamada durante a semana, San Siro lotado, tifosi fazendo a festa antes da partida, equipes entrando em campo acompanhado de cranças com o uniforme do time adversário, homenagem ao falecido tenor Pavarotti, Fratelli d’italia e La Marseillaise… peraí, La Marseillaise?!?!?!
Mal pode se dizer que houve a execução do hino francês, uma vez que o barulho das vaias italianas deturpiu completamente essa tradicional exibição das pátrias e culturas no pré-partida. De pouco adiantou o apelo do capitão Cannavaro antes da partida, para que os torcedores italianos respeitassem a execução do hino francês. Um começo decepcionante, de uma partida que não viria a ser muito diferente. Muita vontade, muita tensão, muita rivalidade, pouco futebol.

Donadoni levou a Azzurra a campo desta maneira: Buffon no gol, Oddo pela direita, Cannavaro e Barzagli formando a zaga central, e Zambrotta pela lateral esquerda; De Rossi logo a frente da zaga, junto com Gattuso e Pirlo; um pouco mais avançados estavam Camoranesi (pela direita) e Del Piero (esquerda); Inzaghi como centroavante fixo.
Um time sem criatividade, incapaz de armar jogadas envolventes foi o que se pode observar desta formação italiana. Pippo e Del Piero juntos no ataque, mostravam idade demais e agilidade de menos. As notáveis jogadas (se é que podem ser chamadas de jogadas) da Itália foram: Camoranesi tentando carregar a bola sozinho e driblar, o que em nenhum momento deu resultado; Pirlo tentando a ligação direta com Inzaghi, que em muitas tentativas apenas algumas raríssimas vezes deu certo.

A França por sua vez, também não demonstrou grande coisa, Henry e Anelka no ataque não se entenderam em nenhum momento, nenhuma jogada, nenhuma tabela, nada. Ribery em uma ocasião ou outra conseguiu achar espaço, e usou sua velocidade, sem conseguir finalizar com precisão.

No segundo tempo, logo aos 5 minutos, Camoranesi fez sua primeira jogada efetiva. Após pressão italiana na saída de bola francesa, o zagueiro francês se atrapalhou e a bola roubada caiu nos pés do juventino, que dessa vez fez o simples e finalizou de longa distância, para boa defesa de Landreau. Última oportunidade para Camoranesi, que momentos depois foi substituído por Perrotta.
Donadoni fez ao longo do segundo tempo as outras duas substituições esperadas e previsíveis, Lucarelli por Inzaghi e Di Natale por Del Piero. Nada que pudesse mudar o jogo.

Buffon ainda fez duas boas defesas, em raros lapsos da França no ataque. Primeiro num bom remate de Malouda, e depois num lance cara-a-cara com Anelka.

Talvez a Itália tenha merecido um pouco mais a vitória, visto que mostraram mais vontade em campo. Gattuso, De Rossi e Cannavaro esbanjaram raça, como de costume. Destaque para o jogador do barcelona Zambrotta defensivamente muito bem. Oddo também se esforçou pela lateral direita, subindo para tentar ajudar Camoranesi, mas sempre esbarrando no lado esquerdo da defesa francesa, por onde Abidal e Malouda estiveram muito bem. Porém resultado justo se levarmos em conta a apatia dos técnicos com suas formações pouco criativas, e falta de ousadia.

Itália tem a difícil obrigação de vencer a Ucrânia em Kiev, tarefa ainda mais difícil com o importante Gattuso suspenso, após levar mais um cartão amarelo no jogo deste sábado. Donadoni precisará mudar algo nesse previsível time se quiser assegurar seu lugar na Euro 08.



6 comentários

Deixe um comentário