Serie A

Parada de inverno: Inter

Após uma longa pausa no inverno italiano, o calcio finalmente retorna neste fim de semana. A agenda da Serie A encontra-se na coluna à direita, com os jogos e suas respectivas transmissões. Que sua reta final seja pródiga em emoções e bom futebol.

INTERNAZIONALE
Julio Cruz comemora com Samuel e Zanetti: a Argentina que dá certo

A campanha
1ª colocação. 17 jogos, 43 pontos. 13 vitórias, 4 empates, nenhuma derrota. 37 gols marcados, 9 sofridos. O time-base
Júlio César, Maicon, Córdoba, Samuel (Materazzi), Maxwell; Zanetti, Cambiasso, Chivu; Jiménez; Cruz, Ibrahimovic.
O comandante
Roberto Mancini. Lembra-se daquela Inter que contratava meio time antes da temporada, sofria com problemas entre jogadores e, no fim, perdia mais um título? Esqueça-a de vez. Mancini é o responsável pela reestruturação de uma Inter com apenas uma missão: vencer. Com as punições a Milan e Juve, o título italiano em campo era questão de honra, mas Mancio o conseguiu de forma ainda mais espetacular. Nesta temporada a ambição é maior e prevê boa campanha também em nível europeu. Momento para o técnico se superar outra vez e se confirmar como um dos grandes nomes da Europa.
O herói
Julio Cruz, atacante. Ibrahimovic é craque, Cambiasso um carregador de piano que pode tocá-lo sempre que preciso e Júlio César o goleiro seguro que se espera de um time campeão. Mas o herói, na real acepção da palavra, é Julio Cruz. Se não é um oásis técnico, o ótimo posicionamento e o faro de gol do argentino impressiona. Reserva de Crespo na última temporada, desta vez assumiu a titularidade absoluta, é o vice-artilheiro da Serie A e o segundo com melhor média de gols/minuto no torneio.
O vilão
Santiago Solari, meio-campista. Falar de decepção num time que tem sete pontos de vantagem sobre a vice-líder e que se classificou em primeiro em seu grupo da Liga dos Campeões? Se nenhum titular desafina, as honras aqui cabem a Solari, que pouco jogou na temporada. Mas que, quando o fez, não deixou saudade.
A perspectiva
Scudetto antecipado e título da Liga dos Campeões. Com Vieira e Stankovic recuperados de lesão até fevereiro, a Inter retomará a luta pela LC como prioridade. Mesmo porque encontrar o Liverpool logo nas oitavas é um pesadelo para qualquer time que se preze. A questão é: como a Inter estará daqui a quarenta dias? Este sprint pré-Liverpool será decisivo ao fim da temporada. Caso a diferença sobre Roma e Juve se mantenha ou se amplie, é bem possível que o título seja mesmo conquistado com certa facilidade. Porém, se algum dos dois times se aproximar, a luta pelo scudetto poderá, enfim, gerar emoções na reta final do campeonato. Seja por um possível trauma pós-eliminação ou por uma provável prioridade nas fases decisivas da Liga dos Campeões.

3 comentários

  • Nossa.É embasbacante o trabalho de vocês.
    Eu realmente torço para que o portal de vocês cresça ainda mais,e mais ainda que vocês(principlmente você, Braitner) não mudem o ângulo de visão único que faz com que um brasileiro possa entender o que se passa na cabeça de um italiano que assiste futebol.
    Acredito que é isso que faz a diferença no seu(s) trabalho(s).

    Continue(m) o ótimo trabalho!

  • Duas discordâncias já conhecidas nossas.

    Não vejo mérito nenhum no trabalho do Mancini. Quase qualquer um faria o que ele está fazendo com esse elenco. Se ele não conseguia anteriormente, com os elencos passados (que também eram bons), problema dele, outros conseguiriam.

    E a Inter não deve levar a Liga dos Campeões, não. Deve, como sempre, amarelar pelo caminho.

Deixe um comentário