Serie A

Balanço final: Bologna

Marcação pesada sobre Di Vaio: ele foi a alma do Bologna nesta Serie A

A CAMPANHA
17ª colocação, 37 pontos. 9 vitórias, 10 empates, 19 derrotas.
FORA DA SERIE A Eliminado pela Roma nas oitavas-de-final da Coppa Italia.
O ATAQUE 43 gols, o 7º pior.
A DEFESA 62 gols, a 2ª mais vazada.
OS ARTILHEIROS Marco Di Vaio (24 gols), Sergio Volpi (3).
OS ONIPRESENTES Marco Di Vaio (38 jogos), Francesco Antonioli (35), Francisco Valiani (34).
OS TÉCNICOS Daniele Arrigoni (1ª à 10ª rodada), Sinisa Mihajlovic (11ª à 31ª rodada) e Giuseppe Papadopulo (31ª em diante).
QUEM DECIDIU Marco Di Vaio
QUEM DECEPCIONOU Davide Marchini
QUEM SURGIU Diego Rodríguez
QUEM SUMIU Massimo Marazzina
MELHOR CONTRATAÇÃO Marco Di Vaio
PIOR CONTRATAÇÃO Coelho
NOTA DA TEMPORADA 4,5

Como dito na parada de inverno, se a salvezza acontecesse, seria por um triz. Não deu outra. O time que contou com três técnicos diferentes ao longo da competição só escapou da degola na última rodada, e graças a vitória por 3 a 1 em cima do Catania, domingo, os rossoblù poderão comemorar seu centenário na Serie A.

É verdade que o time heptacampeão do scudetto não almejava muita coisa essa temporada, mas a permanência poderia ter sido menos sofrida. Se não fossem os 24 gols do desacreditado Marco Di Vaio, com certeza a história seria outra. O atacante, que de eterno reserva no Genoa, passou a essencial no Renato Dall’ara, foi responsável por mais de metade dos gols da equipe e sagrou-se vice-artilheiro do campeonato. Com esses números Di Vaio ganhou o posto anteriormente ocupado por Massimo Marazzina, que passou de herói do retorno à Serie A, na campanha 2007-08, quando marcou 23 gols e foi vice-artilheiro da divisão de acesso, a um mero suplente.

Já Davide Marchini preferia ter passado desapercebido, como Marazzina, do que ter chamado atenção por causa de suas péssimas atuações. Junto com a mudança de comando vinha a mudança de posição, que de nada adiantava. Marchini não satisfez nem na lateral direita, nem no meio campo, apenas decepcionou. Pior que ele só o brasileiro Coelho, que mesmo sem fortes concorrentes, não conseguiu a titularidade na lateral direita.

Deixe um comentário