Serie A

Balanço final: Udinese

O nome de D’Agostino sobressaiu num campeonato de altos e baixos

A CAMPANHA 7ª colocação, 58 pontos. 16 vitórias, 10 empates, 12 derrotas.
FORA DA SERIE A Eliminada pela Sampdoria nas quartas-de-final da Coppa Italia e pelo Werder Bremen nas quartas da Copa Uefa.
O ATAQUE 61 gols, o 5º mais positivo.
A DEFESA 50 gols, a 9º menos vazada.
OS ARTILHEIROS Fabio Quagliarella (13 gols), Antonio Di Natale (12), Gaetano D’Agostino (11).
OS ONIPRESENTES Fabio Quagliarella, Gaetano D’Agostino e Gokhan Inler (36 jogos).
O TÉCNICO Pasquale Marino
QUEM DECIDIU Gaetano D’Agostino
QUEM DECEPCIONOU Christian Obodo
QUEM SURGIU Kwadwo Asamoah
QUEM SUMIU Luigi Sala
MELHOR CONTRATAÇÃO Kwadwo Asamoah
PIOR CONTRATAÇÃO Fernando Tissone
NOTA DA TEMPORADA 6

O surpreendente início de temporada bianconero fez com que as expectativas, principalmente dos torcedores, fossem muito boas. Porém, o time que chegou a liderar a Serie A logo começou a despencar na tabela e terminou a primeira parte do campeonato ocupando apenas a 12ª colocação, acumulando uma série de oito jogos sem vencer. Nas outras competições que disputava, no entanto, o rendimento era bom, fato que provavelmente assegurou o cargo de Pasquale Marino, que estava com a corda no pescoço por causa dos últimos resultados nacionais.

Gaetano D’Agostino, mais uma vez, foi o comandante do meio-campo friulano, com passes e lançamentos precisos para seus companheiros marcarem os gols da equipe. Para quem estreou na Serie A jogando como atacante na Roma, seu recuo para regista lhe fez tão bem que deve ser confirmado como próximo reforço da Juventus. Quagliarella e Di Natale foram os que melhor aproveitaram a performance do meia, confirmando-se como artilheiros do time. Além disso, o meia teve um ótimo aproveitamento nas bolas paradas, responsáveis por mais da metade de seus gols na temporada.

Já Tissone, contratado pela Udinese graças a sua boa campanha na Atalanta, no ano anterior, não conseguiu se firmar na equipe por causa de lesões ou mesmo por decisões técnicas e perdeu de vez a vaga no time para o chileno Isla, que jogou em praticamente todas as posições ao decorrer do ano. No segundo turno, a estreia do ganês Kwadwo Asamoah foi a grande notícia. O jogador de vinte anos mostrou toda a sua habilidade, força e resistência e logo conseguiu a titularidade, tornando-se uma das grandes revelações do campeonato.

Deixe um comentário