Serie A

Perde toda a Itália

A Fiorentina caiu de pé para o Bayern, mas a Itália deve perder uma vaga
daqui a duas Liga dos Campeões (Getty Images)

Na partida de volta das oitavas-de-final da Liga dos Campeões, bastava uma vitória simples ou qualquer placar com dois gols de vantagem para que a Fiorentina se classificasse. Durante três períodos de tempo, a equipe de Florença estava passando para a fase seguinte: quando abriu o placar; depois, ao aumentar a vantagem para 2 a 0; e, por fim, quando Jovetic devolveu, quase de imediato, o primeiro gol sofrido. Porém, Robben destruiu a grande partida feita pelos italianos, ao marcar um golaço e selar o 3 a 2 final que levou o Bayern de Munique adiante na competição.

Desde o início, os gigliatti partiram para cima dos bávaros, tentando abrir o marcador. O jogo fluía com mais constância pelo lado direito, onde Marchionni poderia ter aproveitado mais a inexperiência do austríaco Alaba, improvisado na lateral esquerda. Porém, o ex-meia da Juventus participou do primeiro gol, anotado por Vargas, que joga do lado oposto. Seu chute de longe, foi rebatido meio sem jeito pelo goleiro Butt, sobrando para que o peruano empurrasse com força para as redes, no rebote. A reação alemã veio logo em seguida, quando Robben aproveitou uma cochilada da defesa para bater com força de dentro da grande área. Porém, Frey fez um de seus costumeiros milagres e colocou para escanteio, no reflexo.

Já no segundo tempo, a Fiorentina esperou menos que o Bayern de Munique desse as cartas do jogo, como fez a partir que marcou seu gol. Gilardino teve duas boas chances (a segunda foi bastante clara), mas perdeu a oportunidade de anotar. Pouco depois, o mesmo Gilardino foi bastante esperto e, de calcanhar, ajeitou para o meio da área uma bola lançada por Marchionni. Próximo a marca do pênalti, Jovetic, desmarcado, completou a jogada com um belo chute cruzado, sem chances para Butt. Assim como na partida de ida, a Fiorentina era melhor em campo, mas os bávaros foram implacáveis nas chances que tiveram.

Logo após o gol dos donos da casa, Ribéry, que estava muito sumido, chamou a marcação para si e tocou para van Bommel, que corria desmarcado na intermediária. O holandês colocou com bastante precisão no canto direito de Frey, que não conseguiu alcançar. O placar durou apenas quatro minutos, já que Jovetic chamou a responsabilidade para si e fez uma jogada individual. Foi desarmado, mas a bola sobrou para Gilardino ajeitar para o montenegrino recolocar a viola nova e momentaneamente nas quartas. Um minuto depois, no entanto, outro gol relâmpago. Robben fez jogada individual e, a cerca de 25 metros de distância do gol, calibrou o chute mais indefensável da noite, acertando o ângulo de Frey. Daí em diante, não adiantaram as alterações ofensivistas de Cesare Prandelli, que até acabaram resultando em gol de Gilardino – corretamente anulado por impedimento. O Bayern ganhou confiança e segurou o resultado até o apito final, ao qual se seguiu um coro revoltado vindo da torcida da Fiorentina, que gritava contra os “ladrões”.

A Fiorentina pode sair de cabeça erguida da Liga dos Campeões. O técnico Cesare Prandelli tomou a ousada decisão de priorizar a competição europeia em detrimento da Serie A e, pelo menos, conseguiu ainda mais prestígio internacional. Desde a primeira fase seu time impressiona, com vitórias e bons jogos contra Lyon, Liverpool e, claro, contra o próprio Bayern. Na Serie A, porém, o bom desempenho não se repete e pode ser tarde demais para acertar o time para o restante da temporada – que, rumores dão conta de que pode ser a que finalizará o ciclo do treinador no clube.

Por enquanto, técnico, diretoria e jogadores tem o mesmo discurso: a prestação do time deve ser enaltecida e o time caiu por consequência direta do erro do árbitro Tommy Ovrebo no jogo de ida. Prandelli chegou a dar uma forte declaração neste sentido, reproduzida pela Trivela: “nós tomamos um gol hoje que não deveria ter dado em nada, mas ao invés disso estamos aqui falando sobre uma eliminação por causa de um gol que estava dois metros impedido”. O erro do árbitro pesou, é verdade, mas fato é que a uma equipe italiana foi eliminada por um clube alemão, prejudicando o coeficiente da Itália no ranking de competições continentais da Uefa, que serve para distribuir as vagas dos torneios da associação entre os países. Com cinco times alemães ainda vivos na Europa contra apenas três italianos e, para piorar, considerando o descarte da temporada 2005-06 ao fim desta temporada, é muito possível que o futebol italiano perca sua quarta vaga para a Liga dos Campeões.

Fiorentina 3×2 Bayern de Munique

Fiorentina: Frey, De Silvestri, Natali, Krøldrup, Felipe (Pasqual); Montolivo, Zanetti; Marchionni, Jovetic, Vargas (Keirrison); Gilardino.

Bayern de Munique: Butt; Lahm, van Buyten, Badstuber, Alaba; Robbe, Schweinsteiger, van Bommel, Ribéry (Pranjic); Gómez (Klose), Müller.

Árbitro: Alberto Mallenco, da Espanha.

Gols: Vargas e Jovetic (2) (Fiorentina); van Bommel, Robben (Bayern).

Cartões amarelos: Krøldrup e Felipe (Fiorentina); van Bommel e Schweinsteiger (Bayern).

1 comentário

Deixe um comentário