Serie A

Review da temporada: Parma

Biabiany e Lanzafame, Crespo e Morrone: misturar juventude e experiência foi a aposta (Getty Images)

A CAMPANHA 8ª colocação, 52 pontos. 14 vitórias, 10 empates, 14 derrotas
FORA DA SERIE A Eliminado pelo Novara na terceira fase da Coppa Italia
O ATAQUE 46 gols
A DEFESA 51 gols
OS ARTILHEIROS Valeri Bojinov (8 gols), Davide Lanzafame (7) e Jonathan Biabiany (6)
OS ONIPRESENTES Antonio Mirante (37 jogos), Cristian Zaccardo e Daniele Galloppa (34) e Alessandro Lucarelli (33)
O TÉCNICO Francesco Guidolin
QUEM DECIDIU Daniele Galloppa
QUEM DECEPCIONOU Hernán Crespo
QUEM SURGIU Davide Lanzafame e Jonathan Biabiany
QUEM SUMIU Alberto Paloschi
MELHOR CONTRATAÇÃO Daniele Galloppa
PIOR CONTRATAÇÃO Luis Jiménez
NOTA DA TEMPORADA 7

De volta a Serie A após um período sabático na segunda divisão, o Parma parece não ter sentido os efeitos da queda e teve seu melhor desempenho no torneio em seis anos. Parte do sucesso se deve ao trabalho feito por Tommaso Ghirardi e Pietro Leonardi, respectivamente presidente e administrador-delegado do clube, responsáveis pela contratação da espinha dorsal do time: Mirante, Zaccardo, Galloppa, Biabiany e Lanzafame, por exemplo. Francesco Guidolin, que assumiu o time no meio da campanha na cadetta, merece ser elogiado pelo bom trabalho, no qual soube avaliar bem as características de seus jogadores para propor um time sem tantos titulares absolutos, encaixáveis tanto no 5-3-2 quanto no 4-3-3.

No primeiro turno, melhor momento do time nesta Serie A, os crociati contaram com um Galloppa que jogava muito bem e chegou a ser testado por Marcello Lippi, e fecharam 2009 na quarta posição. Porém, a partir de janeiro, sofreram uma natural queda de produção que se alongou demais e colocou em risco o cargo de Guidolin. A paciência da diretoria com o treinador foi recompensada com uma melhora de rendimento, baseada sobretudo no crescimento de Mirante, Biabiany e Lanzafame, que rendeu um inesperado oitavo lugar a apenas três pontos atrás da Juventus, que se classificou para a Liga Europa. Talvez tenha faltado ao time um matador, já que Paloschi se lesionou gravemente e nenhum entre Amoruso e Crespo conseguiu suprir esta carência.

Numa temporada em que brilharam as estrelas de jovens jogadores, destaca-se também a boa participação dos mais experientes. Panucci honrou sua carreira enquanto fez parte do grupo, enquanto Zaccardo retornou a Itália em grande estilo, em temporada que lhe colocou entre os melhores zagueiros do campeonato e ainda revelou uma verve artilheira: foram cinco gols na competição. No meio-campo, enquanto Morrone justificou o posto de capitão, Jiménez – que não é tão velho, mas tem uma carreira consolidada -, decepcionou ao ponto de conseguir ser expulso três vezes em quatro meses. Com um trabalho promissor, o Parma não deve voltar a correr os mesmos riscos de rebaixamento dos últimos anos. Sem Guidolin, que acertou com a Udinese, e podendo negociar Biabiany e Lanzafame, o Parma deve seguir a mesma estratégia desta temporada, muito provavelmente apostando em Pasquale Marino, ex-técnico da mesma Udinese.

Deixe um comentário