Copa do Mundo

Os estrangeiros do futebol italiano na Copa do Mundo

Huntelaar e Sneijder amargam o vice-campeonato mundial com a Holanda:
o que de pior e melhor a futebol italiano apresentou nesta Copa (Associated Press)

Durante o mês da Copa do Mundo, o Quattro Tratti reduziu suas atividades por causa da competição, mas não deixou o trabalho de lado. Além de acompanharmos a prematura desclassificação da Itália e projetarmos o amanhã da Nazionale, também ficamos de olho no desempenho dos jogadores que atuam no país de Cannavaro, Totti, Zambrotta (ah, Itália!).

Ao todo, excluindo os 23 escolhidos por Marcello Lippi para o grupo italiano que foi à África do Sul, 56 atletas estrangeiros que jogam no futebol italiano foram convocados para defender as seleções de seus países na Copa do Mundo. Ou 59, se considerarmos alguns casos, como o de Victor Obinna (Nigéria e Málaga, emprestado pela Inter), Julio César De León (Honduras e Torino, cortado na véspera da estreia) e Bostjan Cesar (Eslovênia e Grenoble, contratado pelo Chievo no mês de maio).

Desta forma, trazemos uma análise completa da participação dos jogadores que atuaram pelas seleções nacionais de seus países, com um pequeno resumo do desempenho de cada um e estatísticas. Os atletas que não foram citados ou pouco jogaram ou nem entraram em campo no torneio.

Uruguai

Quem atua na Itália: Fernando Muslera (Lazio), Martín Cáceres (Juventus), Walter Gargano (Napoli) e Edinson Cavani (Palermo)

Fernando Muslera
Partidas jogadas: 7
Total de minutos em campo: 660
Gols sofridos, assistências e cartões: 8 gols sofridos
Nota: 5
Comentário: Conseguiu passar a fase de grupos sem sofrer gols, mas a partir das oitavas-de-final, falhou em cinco dos oito gols sofridos pelos uruguaios – nas oitavas, quartas e decisão de 3º lugar. Por outro lado, foi o herói da classificação para as semifinais, ao defender duas penalidades contra Gana.

Martín Cáceres
Partidas jogadas: 2
Total de minutos em campo: 180
Gols, assistências e cartões: 1 cartão amarelo.
Nota: 5
Comentário: Jogou as duas partidas na lateral-esquerda, onde não foi bem. Esteve nervoso contra os holandeses e não conseguiu parar Müller na decisão de 3º lugar.

Walter Gargano
Partidas jogadas: 3
Total de minutos em campo: 103
Gols, assistências e cartões: nenhum.
Nota: 5,5
Comentário: Foi preterido por Óscar Tabárez no meio-campo para acomodar outros bons volantes, como Pérez e Arévalo, mas marcou muito quando requerido. Fez ótima partida contra a Holanda, ao lado dos dois outros marcadores.

Edinson Cavani
Partidas jogadas: 6
Total de minutos em campo: 553
Gols, assistências e cartões: 1 gol marcado
Nota: 6
Comentário: Até as quartas-de-final foi ofuscado por Suárez e ajudou mais na marcação que no ataque. Porém, fez uma partida de muita movimentação contra a Holanda e jogou bem contra Alemanha, quando marcou seu único gol no Mundial.

Argentina

Quem atua na Itália: Mariano Andújar (Catania), Walter Samuel (Inter), Nicolás Burdisso (Roma), Mario Bolatti (Fiorentina), Javier Pastore (Palermo) e Diego Milito (Inter)

Walter Samuel
Partidas jogadas: 2
Total de minutos em campo: 113
Gols, assistências e cartões: nenhum
Nota: 5

Comentário: Teve dificuldades contra os nigerianos na estreia porque tinha de cobrir muitos espaços na zaga albiceleste. Teve uma lesão muscular na segunda partida e ficou de fora do resto da participação argentina na Copa.

Nicolás Burdisso
Partidas jogadas: 5
Total de minutos em campo: 342
Gols, assistências e cartões: 1 assistência
Nota: 5
Comentário: Não teve grandes dificuldades na primeira fase e, em sua estreia, deu um passe de cabeça para gol de Higuaín contra a Coreia do Sul. Contra a Alemanha, nas quartas, sucumbiu junto com o setor defensivo argentino e não evitou dois gols por seu setor.

Mario Bolatti
Partidas jogadas: 2
Total de minutos em campo: 98
Gols, assistências e cartões: 1 cartão amarelo
Nota: 5
Comentário: Não teve nenhum grande teste na Copa. Entrou no fim da partida contra a Coreia do Sul e foi titular contra a Grécia, quando os argentinos, praticamente classificados para as oitavas, apenas cozinharam o jogo.

Javier Pastore
Partidas jogadas: 3
Total de minutos em campo: 36
Gols, assistências e cartões: nenhum
Nota: 5
Comentário: Entrou no fim de todas as partidas que disputou, para segurar a bola no ataque contra a Grécia e para tentar alguma coisa contra a Alemanha, quando o jogo já estava decidido. Não foi brilhante, mas ganhou experiência e deve fazer parte da seleção nos próximos anos.

Diego Milito
Partidas jogadas: 2
Total de minutos em campo: 91
Gols, assistências e cartões: nenhum
Nota: 4,5
Comentário: Milito teve apenas dez minutos de futebol contra a Nigéria e uma partida como titular contra a Grécia, ocasião na qual a Argentina foi preguiçosa e quase não construiu jogadas de gol. Esteve apagado, mas poderia ter recebido mais chances de Maradona, pela boa fase.

Nigéria

Quem atua na Itália: Victor Obinna (Inter, emprestado ao Málaga)

Victor Obinna
Partidas jogadas: 2
Total de minutos em campo: 72
Gols, assistências e cartões: nenhum
Nota: 4
Comentário: Ao lado de seus companheiros de seleção nigeriana, pouco fez na Copa do Mundo. Um primeiro tempo mediano contra a Argentina e só.

Grécia

Quem atua na Itália: Vangelis Moras (Bologna), Sokratis Papastathopoulos (Genoa) e Alexandros Tziolis (Siena)

Vangelis Moras
Partidas jogadas: 1
Total de minutos em campo: 90
Gols, assistências e cartões: nenhum
Nota: 4,5
Comentário: Jogou apenas contra a Argentina e teve boa atuação frente aos atacantes sul-americanos. Mas cometeu uma trapalhada com o goleiro Tzorvas e quase comprometeu.

Sokratis Papastathopoulos
Partidas jogadas: 2
Total de minutos em campo: 127
Gols, assistências e cartões: 1 cartão amarelo
Nota: 5
Comentário: Teve dificuldades jogando como zagueiro contra a Nigéria e foi o escolhido para sair para a entrada do atacante Samaras, quando o time nigeriano ficou com 10 jogadores em campo. Contra a Argentina, grudou em Messi no primeiro tempo e foi bem.

Alexandros Tziolis
Partidas jogadas: 3
Total de minutos em campo: 720
Gols, assistências e cartões: 1 cartão amarelo
Nota: 5,5
Comentário: Fez uma estreia muito ruim contra a Coreia do Sul, jogo em que errou muitos passes. Se redimiu contra a Nigéria, quando foi um dos melhores em campo e chutou forte no lance que deu origem ao gol da vitória. Saiu por cima.

Estados Unidos

Quem atua na Itália: Oguchi Onyewu (Milan)

Oguchi Onyewu
Partidas jogadas: 2
Total de minutos em campo: 170
Gols, assistências e cartões: nenhum
Nota: 3,5
Comentário: Fora de forma por causa de uma grave lesão sofrida em 2009, Bob Bradley bancou sua titularidade assim mesmo. Ficou na média contra a Inglaterra, mas foi desastroso contra a Eslovênia e falhou em um gol. Acabou sacado do time.

Argélia

Quem atua na Itália: Djamel Mesbah (Lecce) e Abdelkader Ghezzal (Siena, transferido ao Bari no fim do torneio)

Abdelkader Ghezzal
Partidas jogadas: 2
Total de minutos em campo: 40
Gols, assistências e cartões: 2 cartões amarelos e 1 vermelho
Nota: 2
Comentário: Na estreia contra a Eslovênia, saiu do banco e foi expulso após somar dois cartões amarelos em 15 minutos. Ainda jogou contra os Estados Unidos, mas pouco fez.

Eslovênia

Quem atua na Itália: Samir Handanovic (Udinese), Jasmin Handanovic (Mantova), Bojan Jokic (Chievo), Bostjan Cesar (Grenoble, contratado pelo Chievo) e Rene Krhin (Inter)

Samir Handanovic
Partidas jogadas: 3
Total de minutos em campo: 270
Gols, assistências e cartões: 3 gols sofridos
Nota: 6
Comentário: Assim como na Udinese, foi extremamente seguro e um dos pontos altos na boa campanha do time esloveno. Fez ótimas defesas especialmente contra a Inglaterra e foi um dos melhores goleiros da primeira fase.

Bojan Jokic
Partidas jogadas: 3
Total de minutos em campo: 270
Gols, assistências e cartões: 2 cartões amarelos
Nota: 4,5
Comentário: Não fez grande competição, justificando que o lado mais forte do time esloveno era o direito. Foi discreto, mas um dos gols dos Estados Unidos surgiu por seu setor.

Bostjan Cesar
Partidas jogadas: 3
Total de minutos em campo: 270
Gols, assistências e cartões: 1 cartão amarelo
Nota: 5
Comentário: Fez boas partidas contra Inglaterra e Argélia, com muita presença e bons cortes de bola. Porém, falhou num dos gols norte-americanos no empate entre as seleções.

Austrália

Quem atua na Itália: Mark Bresciano (Palermo, transferido para a Lazio no início de julho) e Carl Valeri (Sassuolo).

Marco Bresciano
Partidas jogadas: 2
Total de minutos em campo: 132
Gols, assistências e cartões: nenhum
Nota: 5,5
Comentário: Entrou no time após a goleada sofrida contra a Alemanha e ajudou muito no setor de criação.: quase todas as jogadas passaram por seu pé contra Gana e Sérvia. Na partida contra os africanos, participou do primeiro gol dos Socceroos, cobrando falta rebatida por Kingson.

Carl Valeri
Partidas jogadas: 3
Total de minutos em campo: 246
Gols, assistências e cartões: 1 cartão amarelo
Nota: 5
Comentário: Numa seleção cheia de descendentes de italianos, pouco se notou a presença de Valeri em campo. Jogador de marcação, ocupava muitos espaços, mas não teve destaque.

Sérvia

Quem atua na Itália: Aleksandar Lukovic (Udinese), Aleksandar Kolarov (Lazio) e Dejan Stankovic (Inter)

Aleksandar Lukovic
Partidas jogadas: 2
Total de minutos em campo: 164
Gols, assistências e cartões: 3 cartões amarelos e 1 vermelho
Nota: 5
Comentário: Apesar da indisciplina, mostrou bom nível técnico no centro da defesa sérvia, tirando muitas bolas e se arriscando no ataque. Porém, foi expulso no fim do jogo contra Gana, na estreia, e foi um dos responsáveis pela derrota.

Aleksandar Kolarov
Partidas jogadas: 2
Total de minutos em campo: 180
Gols, assistências e cartões: 1 cartão amarelo
Nota: 5
Comentário: Apesar de ser forte no apoio, não correspondeu às expectativas e decepcionou, juntamente com a seleção de seu país. Teve bom papel na defesa, mas fez Copa apagada.

Dejan Stankovic
Partidas jogadas: 3
Total de minutos em campo: 270
Gols, assistências e cartões: nenhum
Nota: 4,5
Comentário: Escalado um pouco mais recuado por Radomir Antic para ajudar no setor defensivo, Stankovic não rendeu bem na função. Apagado, esteve distante de ajudar sua seleção a conseguir uma vaga nas oitavas.

Gana

Quem atua na Itália: Kwadwo Asamoah (Udinese), Sulley Muntari (Inter), Stephen Appiah (Bologna) e Dominic Adiyiah (Milan)

Kwadwo Asamoah
Partidas jogadas: 5
Total de minutos em campo: 480
Gols, assistências e cartões: nenhum
Nota: 7,5
Comentário: Sempre muito perigoso, Asamoah foi um dos principais jogadores de Gana na Copa do Mundo. Reflexo de um time jovem, bem organizado e ofensivo, sempre subia ao ataque, criando chances com passes, cruzamentos e chutes a gol. Aposta certa da Udinese, é mais um que se valorizou muito pelo torneio que realizou.

Sulley Muntari
Partidas jogadas: 4
Total de minutos em campo: 134
Gols, assistências e cartões: 1 gol marcado
Nota: 5,5
Comentário: Perdeu a vaga no time titular para o jovem André Ayew, mas costumava entrar no segundo tempo quando a coisa estava feia para Gana. No jogo em que começou como titular, no empate contra o Uruguai, jogou bem e fez o gol dos Estrelas Negras chutando de fora da área.

Stephen Appiah
Partidas jogadas: 3
Total de minutos em campo: 105
Gols, assistências e cartões: nenhum
Nota: 5,5
Comentário: Sem condições físicas de iniciar as partidas por conta de lesões crônicas, foi usado como arma de segundo tempo por Milovan Rajevac. Pouco fez em duas das três partidas, mas foi importante na pressão de Gana contra o Uruguai, na prorrogação.

Dominic Adiyiah
Partidas jogadas: 2
Total de minutos em campo: 33
Gols, assistências e cartões: nenhum
Nota: 4,5
Comentário: Melhor jogador do último Mundial sub-20, mostrou personalidade na prorrogação contra o Uruguai e mostrou que tem mesmo futuro, mas efetuou mal sua cobrança, na decisão por pênaltis.

Holanda

Quem atua na Itália: Wesley Sneijder (Inter) e Klaas-Jan Huntelaar (Milan)

Wesley Sneijder
Partidas jogadas: 7
Total de minutos em campo: 652
Gols, assistências e cartões: 5 gols, 1 assistência e 1 cartão amarelo
Nota: 8,5
Comentário: Foi o jogador que atua na Itália que teve o melhor desempenho na competição. Vencedor da Bola de Prata e um dos artilheiros do torneio, com cinco gols, foi o principal jogador da campanha holandesa e decidiu uma série de jogos para a Oranje. Na final, esteve um pouco sumido, mas quase decidiu o jogo com um lindo passe para Robben.

Klaas-Jan Huntelaar
Partidas jogadas: 4
Total de minutos em campo: 48
Gols, assistências e cartões: 1 gol
Nota: 4,5
Comentário: Mesmo com as más atuações de van Persie, não ganhou a confiança do técnico para ser titular em nenhuma partida – nem mesmo contra Camarões, quando a Holanda já estava classificada. Acabou marcando um gol, contando com rebote em um chute de Robben.

Dinamarca

Quem atua na Itália: Simon Kjaer (Palermo, transferido para o Wolfsburg em julho), Per Kroldrup (Fiorentina) e Christian Poulsen (Juventus)

Simon Kjaer
Partidas jogadas: 2
Total de minutos em campo: 246
Gols, assistências e cartões: 2 cartões amarelos
Nota: 4,5
Comentário: Não fez boa competição. Não conseguiu organizar a bagunça da defesa dinamarquesa e ainda cometeu muitas faltas. Contra Camarões, participou do primeiro gol ao fazer um lindo lançamento de 50 metros.

Per Kroldrup
Partidas jogadas: 1
Total de minutos em campo: 56
Gols, assistências e cartões: 1 cartão amarelo
Nota: 3
Comentário: Reserva da seleção, foi escalado para substituir o suspenso Kjaer contra o Japão e teve muito trabalho. Na pior partida da Dinamarca no torneio, teve muito trabalho com Keisuke Honda e ainda fez a falta que originou o gol de Yasuhito Endo.

Christian Poulsen
Partidas jogadas: 3
Total de minutos em campo: 270
Gols, assistências e cartões: 1 cartão amarelo
Nota: 4
Comentário: O volante da Juventus teve muito trabalho nesta Copa. Jogador de muita marcação, acabou exagerando na força algumas vezes e, mesmo assim, não conseguiu ajudar sua defesa. Falhou feio no gol de Camarões na vitória de seu time por 2 a 1.

Japão

Quem atua na Itália: Takayuki Morimoto (Catania)

Camarões

Quem atua na Itália: Samuel Eto’o (Inter)

Samuel Eto’o
Partidas jogadas: 3
Total de minutos em campo: 270
Gols, assistências e cartões: 2 gols marcados
Nota: 6
Comentário: Foi o único a tentar alguma coisa na seleção camaronesa, que não tem feito boas apresentações nos últimos anos. Foram dele os dois gols dos Leões na Copa do Mundo.

Paraguai

Quem atua na Itália: Edgar Barreto (Atalanta)

Edgar Barreto
Partidas jogadas: 3
Total de minutos em campo: 111
Gols, assistências e cartões: nenhum
Nota: 5
Comentário: Não sentiu a falta de ritmo de uma temporada em que mal entrou em campo pela Atalanta. Correu bastante, mas confirmou o baixo potencial criativo do meio-campo paraguaio.

Eslováquia

Quem atua na Itália: Martin Petras (Cesena) e Marek Hamsík (Napoli)

Marek Hamsík
Partidas jogadas: 4
Total de minutos em campo: 357
Gols, assistências e cartões: 1 cartão amarelo
Nota: 5
Comentário: Jogou fora de posição durante toda a Copa do Mundo e perdeu a chance de aparecer mais. Sua única boa partida foi justamente contra a Itália, quando criou grandes oportunidades para a Eslováquia e foi um dos melhores em campo.

Brasil

Quem atua na Itália: Júlio César (Inter), Doni (Roma), Maicon (Inter), Lúcio (Inter), Juan (Roma), Thiago Silva (Milan), Júlio Baptista (Roma) e Felipe Melo (Juventus)

Júlio César
Partidas jogadas: 5
Total de minutos em campo: 450
Gols, assistências e cartões: nenhum
Nota: 5
Comentário: O goleiro da Seleção pouco foi exigido durante a Copa, evido ao bom trabalho feito pelos defensores, mas chegou a fazer algumas boas defesas contra Portugal. Contra a Holanda, cometeu falha boba no gol de Sneijder, fechando a temporada irregular.

Maicon
Partidas jogadas: 5
Total de minutos em campo: 450
Gols, assistências e cartões: 1 gol marcado
Nota: 6
Comentário: Defensivamente, fez uma grande Copa do Mundo, marcando muito e sendo um poço de segurança na defesa brasileira. Porém, apesar de ter marcado contra a Coreia do Norte, faltou aparecer mais no ataque com velocidade, como costuma fazer.

Lúcio
Partidas jogadas: 5
Total de minutos em campo: 450
Gols, assistências e cartões: nenhum
Nota: 5,5
Comentário: Líder da defesa brasileira, o capitão mostrou o de sempre: muita força, garra e vontade, mas sem a mesma segurança. Fez ótimas partidas contra Portugal, Costa do Marfim e Chile, mas falhou no gol da Coreia do Norte e não soube acalmar os ânimos dos companheiros na eliminação frente a Holanda.

Juan
Partidas jogadas: 5
Total de minutos em campo: 450
Gols, assistências e cartões: 1 gol marcado e 1 cartão amarelo
Nota: 6
Comentário: Foi o melhor zagueiro do Brasil na Copa, assim como em 2006. Contra o Chile, jogou muito bem e marcou um gol, além de ter feito partidas acima da média contra Holanda e Coreia do Norte. Contra Portugal, por sua vez, jogou muito mal.

Felipe Melo
Partidas jogadas: 4
Total de minutos em campo: 291
Gols, assistências e cartões: 1 assistência, 1 cartão amarelo e 1 vermelho
Nota: 3
Comentário: Felipe Melo fez uma Copa de extremos. De bom, um lindo passe para o gol de Robinho contra a Holanda e uma partida calma contra Costa do Marfim, quando não se envolveu no clima de pancadaria da partida. Porém, falhou ao não acompanhar Drogba no gol de honra dos Elefantes e, contra Portugal e Holanda, perdeu a cabeça: trocou agressões com Pepe e foi o grande vilão da eliminação brasileira ao pisar Arjen Robben e ser expulso, após falhar nos dois gols da Oranje.

Julio Baptista
Partidas jogadas: 1
Total de minutos em campo: 82
Gols, assistências e cartões: 1 cartão amarelo
Nota: 2
Comentário: Como se esperava, o reserva da Roma não conseguiu substituir Kaká à altura contra Portugal. Pouca movimentação, nenhuma criatividade e muitas trombadas.

Suíça

Quem atua na Itália: Stephan Lichtsteiner (Lazio), Reto Ziegler (Sampdoria), Gökhan Inler (Udinese) e Marco Padalino (Sampdoria)

Stephan Liechtsteiner
Partidas jogadas: 3
Total de minutos em campo: 270
Gols, assistências e cartões: nenhum
Nota: 6
Comentário: Muito forte na defesa, Lichtsteiner foi um dos melhores jogadores da seleção suíça na Copa do Mundo. Contra a Espanha, marcou muito as subidas de Andrés Iniesta e impediu várias jogadas da Fúria.

Reto Ziegler
Partidas jogadas: 3
Total de minutos em campo: 270
Gols, assistências e cartões: 1 cartão amarelo
Nota: 5
Comentário: Assim como Liechtsteiner, foi muito bem contra a Espanha, evitando os avanços dos pontas de La Roja. Porém, contra o Chile, sofreu muito com as caídas de Alexis Sánchez pelo seu lado, ponto mais vulnerável da defesa. Assim como o todo time suíço, pouco foi ao ataque.

Gökhan Inler
Partidas jogadas: 2
Total de minutos em campo: 270
Gols, assistências e cartões: 1 cartão amarelo
Nota: 5,5
Comentário: O capitão foi um dos melhores jogadores da seleção suíça no torneio, mas faltou ser mais presente nas horas decisivas. Na vitória contra a Espanha, foi o responsável por anular Xavi, mas nos outros jogos ficou restrito apenas à (boa) marcação, quando poderia sair para o jogo. Contra um adversário mais fraco, como Honduras, deveria colocado em prática uma de suas especialidades, os chutes à distância.

Honduras

Quem atua na Itália: Edgar Álvarez (Bari), Julio Cesar de León (Torino, cortado de última hora) e David Suazo (Genoa).

Edgar Álvarez
Partidas jogadas: 2
Total de minutos em campo: 180
Gols, assistências e cartões: nenhum
Nota: 4,5
Comentário: Sempre uma boa opção para quem precisa de velocidade, Álvarez fez um jogo interessante contra a Suíça, partindo sempre para cima de Ziegler. Contra o Chile, teve de marcar Beausejour, pegou pouco na bola e errou muitos passes.

David Suazo
Partidas jogadas: 2
Total de minutos em campo: 171
Gols, assistências e cartões: 1 cartão amarelo
Nota: 5
Comentário: Lesionado, não enfrentou o Chile. Apesar da falta de ritmo por causa da lesão e por ter jogado pouco por Inter e Genoa na temporada, apareceu bastante contra a Suíça e criou algumas chances de perigo.

Chile

Quem atua na Itália: Mauricio Isla (Udinese), Carlos Carmona (Reggina) e Alexis Sánchez (Udinese)

Mauricio Isla
Partidas jogadas: 4
Total de minutos em campo: 332
Gols, assistências e cartões: 1 assistência
Nota: 6
Comentário: O jogador da Udinese estreou muito bem contra Honduras, com uma assistência para o gol de sua seleção e um dos melhores desempenhos individuas da rodada. No resto da competição, esteve bem na defesa e ainda arriscou alguma coisa no ataque. Alto potencial de evolução para o lateral direito de 22 anos.

Carlos Carmona
Partidas jogadas: 3
Total de minutos em campo: 270
Gols, assistências e cartões: 2 cartões amarelos
Nota: 5,5
Comentário: Cão de guarda à frente da defesa chilena, Carmona marca muito forte e tem boa noção de posicionamento. Manteve a média em todas as partidas, mas precisa ser um pouco menos faltoso. Tem futebol para deixar a Reggina e deve mudar de clube ainda neste mercado: Fiorentina e Lazio monitoram sua situação.

Alexis Sánchez
Partidas jogadas: 4
Total de minutos em campo: 335
Gols, assistências e cartões: nenhum
Nota: 7
Comentário: O jovem Sánchez foi o principal jogador do Chile na Copa do Mundo. Muito rápido e habilidoso, todas as jogadas de perigo de La Roja passavam por seus pés. Porém, gosta de segurar demais a bola e, assim como o time chileno, perdeu gols demais. Poderia ter sido incluído na lista da Fifa para Melhor Jogador Jovem, mas foi preterido por Giovani dos Santos, do México.

Deixe um comentário