Mercado

Mercado: as primeiras movimentações

Para continuar vencendo, Inter acertou com Rafa Benítez. Dará certo? (Getty Images)

O mercado, em anos de Copa do Mundo, só começa mesmo a esquentar após o fim do torneio, já que os clubes utilizam o maior palco do mundo para observar possíveis contratações. Se na Itália o mercado ainda está frio no que diz respeito às transferências de jogadores, o de técnicos já ferveu. Antes mesmo da Copa, dez clubes contrataram novos treinadores para esta temporada, incluindo o trio de ferro formado por Inter, Juventus e Milan – além da Sampdoria, que jogará a Liga dos Campeões.

Na multicampeã Inter, Rafael Benítez foi contratado para o lugar de José Mourinho com a expectativa de manter o trabalho do treinador português. Benítez não exercerá a função de manager, como na Inglaterra, e, como será apenas treinador de campo, as contratações ainda seguem a cargo de Marco Branca, diretor esportivo. Quanto ao estilo de jogo, não se deve esperar mudanças: o novo treinador da Inter já declarou, em sua primeira coletiva, que não deve fazer nenhum tipo de revolução, como aconteceu no Liverpool.

O técnico espanhol começou seu trabalho nesta segunda-feira, com um número reduzido de atletas, incluindo os novos contratados: o goleiro Castellazzi (que substitui o aposentado Toldo), o meia Philippe Coutinho e o atacante Biabiany. Ainda existe indefinição sobre a permanência de Maicon e de Balotelli, que não receberam propostas adequadas economicamente, segundo o presidente Massimo Moratti. Entre possíveis contratações, Mascherano, Palombo e Schweinsteiger são os únicos nomes ligados ao clube no momento.

Entre os clubes grandes italianos, o que mais se mexeu no mercado até agora foi a Juventus. Para tentar recuperar-se após a pior temporada da Velha Senhora em 50 anos, a nova diretoria bianconera, com a família Agnelli novamente no comando, fechou com o técnico Luigi Del Neri logo após o fim da Serie A, prometendo uma italianização ainda maior de seu elenco. Até agora, com cerca de 35 milhões de euros gastos em contratações, a promessa tem sido cumprida: dos seis jogadores que já aportaram na pré-temporada em Pinzolo, cinco são italianos.

O goleiro Storari foi contratado para oferecer uma opção mais confiável ao time em caso de ausência do capitão Buffon. Na verdade, deve ser titular da Juve na primeira parte da Serie A, já que Gigì deve estar sem condições de jogo por causa da cirurgia de hérnia de disco que realizou. Na defesa, Motta deve ser o titular de uma lateral-direita que tem causado problemas para o clube nos últimos anos, enquanto Bonucci substituirá Cannavaro e formará com Chiellini a dupla de zaga que também deve ser titular na seleção italiana. Para formar o 4-4-2 de Del Neri, os esternos Pepe e o uruguaio Martínez foram contratados junto a Udinese e Catania, respectivamente, e concorrem a vagas no time titular. Lanzafame, que retorna à Juventus após passagens por Palermo, Bari e Parma, também pode fazer a função de meia aberto pelo lado esquerdo do campo. Por outro lado, Camoranesi e Trezeguet podem deixar o clube.

Enquanto a Juventus se mexeu bastante, Milan e Roma seguem a tendência dos outros clubes e permanecem tímidas. Os rossoneri fecharam com o técnico Massimiliano Allegri, um dos melhores da nova geração, mas até agora não é possível imaginar como ele trabalhará com um elenco tão pouco renovado. Até o início de julho, foram contratados apenas o zagueiro Yepes e o goleiro Amelia (em substituição ao veterano Dida) e especula-se que Ronaldinho possa deixar o clube rumo a um desafio no Brasil ou em outro país europeu. O ambiente romanista, por sua vez, não é o melhor para contratações, neste momento. Embora a família Sensi ainda esteja no comando do clube, o consórcio Unicredit busca compradores para o clube em médio prazo. Com os problemas financeiros, em Trigoria a ordem é vender para depois comprar. Fábio Simplício e Adriano são exceções: foram contratados a custo zero.

No pelotão intermediário, a Sampdoria está mais preocupada em assegurar a permanência de suas estrelas do que em, efetivamente, contratar novos jogadores. Em caso de classificação para a fase de grupos da Liga dos Campeões, Cassano, Pazzini e Palombo devem permanecer e, só aí, o diretor esportivo Sergio Gasparin deve invesitr no mercado. Até agora, os blucerchiati só realizaram reposições: com a saída de Del Neri, o clube acertou com o técnico Domenico Di Carlo, do Chievo, e, com as transferências dos goleiros Storari e Castellazzi, Curci foi contratado. Outra manobra de mercado foi a contratação em definitivo do atacante Pozzi, que estava cedido pelo Empoli. O Genoa, por sua vez, fez duas contratações de relevo: após negociar Floccari em definitivo com a Lazio e emprestar Amelia ao Genoa, os grifoni acertaram a contratação de Luca Toni e do goleiro Eduardo, um dos destaques da seleção portuguesa na Copa do Mundo. Outro jogador que se destacou na Copa do Mundo e jogará na Itália na próxima temporada é o lateral japonês Yuto Nagatomo, contratado por empréstimo pelo caçula Cesena.

Na Fiorentina, a ordem também é vender para depois comprar. Mutu não deve ficar no clube por conta do alto salário, enquanto Vargas deve ser negociado para que o time se reforce em outras posições. Frey e Montolivo também são candidatos a deixar a sociedade viola e, para isto, o time se antecipou: foram contratados o meia D’Agostino – que pode jogar com o ex-regista da Atalanta, mas também pode substitui-lo – e o goleiro Boruc. Parece mesmo o início de um novo ciclo para o time de Florença, que também teve de trocar de técnico, já que Cesare Prandelli assumiu a Azzurra. Sinisa Mihajlovic, que fez ótimo trabalho no Catania, chega com a missão de conduzir uma reformulação importante no elenco.

Reformulação que também deve ocorrer no Palermo, que costuma negociar seus principais jogadores nas janelas de transferências. Desta vez, Simplício e Bresciano saíram em fim de contrato para a Roma e Lazio, enquanto Kjaer foi negociado com o Wolfsburg por 12 milhões de euros. O próximo a deixar La Favorita é o atacante Cavani, que parece muito próximo de um acerto com o Napoli. Até agora, o clube rosanero faz novas apostas: contratou o polonês Glik, 22 anos, para substituir Kjaer, além do lateral direito Darmian, 20, do Milan, e do meia suíço Kasami, 18, que devem ser inseridos no time pouco a pouco. Para o ataque, Abel Hernández deve ser titular no lugar de Cavani, enquanto Pinilla e Maccarone, novos contratados, oferecem boas opções para o banco. Se nenhuma das contratações realizadas pelo Palermo e pelos outros clubes chega a encher os olhos, não é novidade: agosto será o mês em que os clubes sairão às compras.

Deixe um comentário