Serie A

1ª rodada: A anti-Inter?

Ronaldinho foi o líder do envolvente Milan contra o Lecce.
Ele e Ibra farão do Milan a equipe anti-Inter? (Getty Images)

Esta edição da Serie A mal começou, mas após a grande exibição do Milan na goleada por 4 a 0 sobre o Lecce já gera uma pergunta: o Milan pode bater de frente com a Inter na briga pelo scudetto? Apesar da fraqueza do adversário, que ocasionalmente se posicionava mal defensivamente, o Milan praticou um futebol ofensivo e eficiente o que já pode ser considerado um dedo do técnico Allegri na formatação da equipe.

O talento individual dos jogadores também foi fator de desequilíbrio. Ronaldinho fez partida brilhante e participou de três dos quatro gols da Diavolo, com enfiadas de bola perfeitas. No comando do ataque, Pato fez bela partida, com muita movimentação e aproveitando as chances que teve. Destaque também para Seedorf, que ajudou bastante no ataque e teve a chance de também deixar o seu. Na verdade, o Milan poderia ter ido para os vestiários com uma vitória histórica ainda no primeiro tempo, tamanho o poder de criação que demonstrado. Com a aquisição de Ibrahimovic, não há dúvidas de que o poder ofensivo do time crescerá bastante e o ataque rossonero ficará a pé de igualdade com o da Inter.

Em um dos jogos mais aguardados da rodada, Fiorentina e Napoli ficaram no empate, em um jogo no qual cada equipe dominou um tempo. Na primeira etapa, os azzurri jogaram bonito como na última temporada e levaram muito perigo ao gol de Frey. O gol saiu logo no início, após cabeçada potente de Cavani, escalado como centroavante. O problema é que a bola bateu no travessão e quicou antes da linha do gol, configurando o primeiro gol irregular da temporada. Na segunda etapa, a Fiorentina logo reagiu e empatou com um lindo gol de D’Agostino, escalado como trequartista, devido à lesão de Jovetic. Montolivo, que também fez boa partida, chegava ao ataque para auxiliar D’Agostino e descolou ótimo passe para Gilardino, livre, concluir para a ótima defesa de De Sanctis, que teve boa atuação. No fim das contas, empate justo para duas equipes que jogaram bem, passaram boas impressões e ainda podem melhorar.

Má impressão passou a Juventus, que visitou o Bari com seis novas contratações no time titular e saiu derrotada, graças a um lindo gol de fora da área de Donati. Os dois times foram a campo no 4-4-2, mas os galletti levaram a melhor sobre a Velha Senhora, até por já estarem mais entrosados, com praticamente o mesmo time e o mesmo esquema da última temporada. No meio-campo, destaque para a dupla central formada por Almirón e Donati, que dominaram o setor e não deram qualquer chance para Felipe Melo e Marchisio – este último mais recuado e em partida muito apagada. Nas pontas, Krasic e Pepe, na primeira etapa, ajudaram na fase defensiva, mas criaram muito pouco. Na segunda etapa, Lanzafame e Martínez nada criaram e ainda permitiram que Álvarez e Ghezzal deitassem e rolassem, mas o time da Puglia não aproveitou as chances. A Juventus teve exibição melhor do que qualquer uma realizada no último ano – sobretudo defensivamente -, mas ainda tem muito a melhorar para almejar algo mais, com um conjunto de jogadores bons, mas nem um pouco espetaculares. Pareceu claro que falta um meia de ligação no time.

Entre os outros times que atuaram em competições europeias, o Palermo demonstrou muito cansaço frente ao Cagliari, num jogo que acabou sem gols. Os registas de ambas as equipes (Liverani e Conti) foram deixados de fora, o que permitiu qu os jovens Kasami e Nainggolan começassem a partida. Enquanto Kasami Outro que ficou de fora foi o goleiro Marchetti, que deve deixar o Cagliari até terça. Porém, os torcedores não sentiram falta do goleiro da Nazionale, já que Agazzi fez bom trabalho quando exigido, mesmo com o domínio rossoblù, devido ao cansaço palermitano. A Sampdoria, por sua vez, sofreu no primeiro tempo contra uma Lazio compacta, que viu uma boa estreia de Hernanes, mas conseguiu uma vitória importante, após a eliminação de cabeça erguida na Liga dos Campeões. No segundo tempo, Cassano empatou cobrando pênalti sofrido por Dessena, mas o grande destaque foi Guberti, que mostrou boa forma física e apareceu muito para o jogo. Dele foi o gol da vitória, após Muslera aprontar das suas e falhar feio, saindo mal após cobrança de escanteio.

Boa também a estreia do Parma, que também venceu em casa por 2 a 0, em jogo tranquilo contra o Brescia. Os méritos da vitória crociata vão para Giovinco, que tem a missão pessoal de explodir de vez para não se tornar uma eterna promessa, e fez partida brilhante. Primeiro, a Formiga Atômica deu um passe por cobertura para Bojinov abrir o placar. Ainda na primeira etapa, bateu a falta que acabou no gol de Morrone. O baixinho ainda fez grandes jogadas, que quase permitiram ao Parma ampliar a vantagem. Defensivamente, porém, alguns problemas: Caracciolo – e depois, Éder – deram trabalho aos defensores emilianos. Talvez, se Diamanti já estivesse em forma, o Brescia poderia ter tido melhor destino, o que é um alento para as próximas partidas. Em Verona, o Chievo venceu o Catania por 2 a 1, em uma partida que parecia um Itália x Argentina: nove italianos jogando pela equipe da casa e nove argentinos pela equipe siciliana. No fim das contas, os burros alados puderam comemorar os três pontos (gols de Moscardelli e, claro, Pellissier), mas devem ficar atentos à sua defesa, que perdeu Yepes para o Milan e mostrou desatenção na partida.

Para resultados, escalações, classificação e estatísticas da 1ª rodada, clique aqui.
Para os jogos de sábado, clique aqui.

4 comentários

Deixe um comentário