Serie A

9ª rodada: Sempre azul

Na defesa, e subindo: esteio defensivo da líder Lazio, contra o Palermo
André Dias foi decisivo também no ataque (AP)

Com uma postura cada vez mais convincente de líder, a surpreendente Lazio fez sua quarta vítima seguida atuando longe de casa. Desta vez, foi o Palermo que não suportou o voo de um time muito bem armado, que tem uma base sólida na defesa e joga sem sofrer riscos. Com a vitória, são quatro pontos de vantagem sobre a atual campeã Inter. O azul de Nápoles e Gênova também seguem brilhantes. Lavezzi e Pazzini decidiram as partidas de Napoli e Sampdoria para manter os times na zona Uefa. Confira os jogos da nona rodada.

Palermo 0-1 Lazio

Os biancocelesti atravessaram sem maiores traumas um dos desafios mais complicados na luta pelo título: o Palermo, na Sicília. Com moral, o treinador Edy Reja garantiu aos torcedores que o time terminará ao menos entre os classificados para a Liga dos Campeões. E tem moral para tal: já são sete pontos de diferença sobre o Napoli, quinto colocado. Hoje, a vitória foi mais complicada do que o habitual. O Palermo começou no ataque e quase marcou com menos de um minuto de jogo, mas Muslera salvou ali o resultado. Pela esquerda, Balzaretti foi bem e empurrava Zárate para o campo de defesa. Até que, em uma bola parada, a Lazio marcou seu gol. Ledesma cobrou, André Dias acertou o ângulo de Sirigu.

E ficou nisso. Na pior partida de Ilicic desde sua chegada à Itália, o esloveno foi substituído por Hernández, que entrou bem nos 12 minutos em que esteve em campo antes de um problema muscular, mas não conseguiu incomodar uma Lazio muito compacta. Maccarone não correspondeu e a Lazio só se complicou por conta de um cartão vermelho infantil conquistado por Biava, que perderá o dérbi da próxima semana. Reja sacou Hernanes para segurar o resultado e entregou a partida para que o Palermo atacasse. Menos mal que Muslera manteve as boas exibições da temporada e segurou o placar com boas interveções. 

Bari 0-2 Udinese

Se a ponta de cima tem uma líder inesperada, a ponta de baixo também surpreende. Destaque da temporada passada, o Bari passa por maus bocados, é lanterna com méritos e terá dificuldades para superar a má fase. Ao contrário da Udinese, que começou o campeonato com quatro derrotas e agora conseguiu a quarta vitória seguida. A ressurreição do time passa por pés chilenos: Sánchez recuperou o ótimo futebol e marcou um golaço na tarde de hoje, mesmo jogando no comando de ataque; Isla está se reafirmando como ótimo titular pela faixa direita do campo. No Bari, a terrível campanha passa pela dificuldade em encontrar meias externos e beira o desespero testar Pulzetti e Salvatore Masiello na função. A temporada de Barreto também está bem abaixo da expectativa e o enésimo pênalti perdido pelo brasileiro é um bom exemplo da situação.

Brescia 0-1 Napoli

Na partida em que homenageava os 50 anos de Diego Maradona, o tempo não fez jus ao craque. Muito vento sem direção e chuva condicionaram o futebol apresentado em campo. Em um dos poucos lances lúcidos da partida, Lavezzi, um dos inúmeros “novos Maradonas” que surgiram nestes anos, aproveitou cruzamento de Hamsík para marcar o único gol. O lance aconteceu alguns segundos depois da melhor oportunidade do Brescia no jogo, uma bola na trave de Caracciolo e um quase-gol contra de Campagnaro. Destaque para um Napoli que venceu mesmo poupando os essenciais Cavani e Maggio. No Brescia, a quinta derrota seguida empurra o time para a beira da zona de rebaixamento. Num ambiente tão atribulado quanto o da cidade, a situação torna-se bem incômoda.

Cagliari 2-0 Bologna

Com a segunda vitória do Cagliari na temporada, pode-se dizer que o campeonato do clube sardo começa agora. Cossu vinha de más apresentações, mas recuperou o ótimo futebol contra o Bologna, jogando com menos obrigações defensivas. A primeira proeza foi lançar Nenê em um lance que obrigou Viviano a efetuar um milagre. Depois, distribuiu assistências empurrando o adversário para seu próprio campo. Mas só no segundo tempo é que saíram os gols, primeiro de Nenê e depois de Nainggolan, recém-convocado pela primeira vez para a seleção belga. O Bologna se postou defensivamente e só passou a atacar depois de sofrer o primeiro gol. Desta vez, apenas Di Vaio não foi suficiente. Na vice-lanterna da Serie A, já é hora de Alberto Malesani repensar certas escolhas. O papel de Ekdal e Ramírez, por exemplo, pode ser tão secundário?

Cesena 0-1 Sampdoria

Bastou que se jogassem três rodadas da Serie A para que a imprensa italiana batizasse o time de Massimo Ficcadenti como o “Cesena dos milagres”. Seis rodadas depois, o time está na zona de rebaixamento e corre o risco de perder seu comandante. Além da queda vertiginosa no futebol da equipe bianconera, a falta de sorte também tem sido apontada como adversária. Contra a Sampdoria, o empate parecia justamente definido quando, nos acréscimos, um contra-ataque puxado por Marilungo tornou-se gol pelos pés de Pazzini. Uma vitória inesperada e bastante comemorada, afinal o clima no clube é de incertezas após o confronto entre Cassano e o presidente Garrone que pode fazer o atacante deixar o clube. É a hora ideal para o Cesena acordar: a faixa esquerda, com Nagatomo e Giaccherini, segue em ótima fase. Por aí deve passar qualquer ambição.

Parma 0-0 Chievo

Na pré-temporada, o Parma mostrava um time ofensivo, rápido, envolvente. Para deixar a zona de rebaixamento, protagonizou um jogo fraco e até teve as melhores oportunidades, mas não soube aproveitá-las. Espanta a titularidade incontestável do espanhol Marques, atacante veloz e habilidoso, mas de finalização precária. O Chievo propôs um jogo completamente físico, de defesa, força e contra-ataques rápidos, mas não teve chances reais de marcar e se salvou graças a grandes defesas de Sorrentino. É tempo de Pasquale Marino, no Parma, e Stefano Pioli, no Chievo, reverem alguns conceitos. Em um campeonato nivelado por baixo, há espaço para crescimento, basta se esforçar.

Catania 0-0 Fiorentina

No jogo que fechou a rodada, as emoções ficaram restritas aos oito primeiros minutos. Mutu, retornando depois de oito meses de suspensão, deu trabalho a Andújar. Depois, uma falta cobrada por Mascara causou preocupação a Frey. Mutu ainda teve um cabeceio perigoso perto da trave, mas não passou disso e a partida bem que poderia ter se encerrado com 82 minutos de antecedência. Defensivamente, o Catania tem crescido bastante com a confirmação do 4-1-4-1 com Biagianti na proteção da defesa, mas o ataque com Antenucci teve sérios problemas – Maxi López estava suspenso. Na Fiorentina, a indecisão tática fez Mihajlovic armar um 4-4-2 inédito, que pelo menos não lhe causou problemas. Aos trancos, os viola vão se afastando da zona de rebaixamento. Mas segue longe demais de atingir o potencial destrutivo que possui.

Para resultados, escalações, classificação e estatísticas da 9ª rodada, clique aqui.

Para relembrar os jogos de ontem, clique aqui.

Seleção da 9ª rodada

Storari (Juventus); Burdisso (Roma), Samuel (Inter), André Dias (Lazio); Felipe Melo (Juventus); Koman (Sampdoria), Cossu (Cagliari), Sánchez (Udinese), Vucinic (Roma); Del Piero (Juventus), Lavezzi (Napoli). Técnico: Edy Reja (Lazio)

Deixe um comentário