Jogadores

A dedicação de Gabriele Oriali lhe rendeu até homenagem em música

Gabriele Oriali nasceu em Como, mas iniciou sua carreira nas camadas juvenis da Internazionale em 1966. Foram 17 anos vestindo nerazzurro, com esforço, raça e alguns gols, o volante se tornou uma bandeira interista.

O que poucos sabem é que nas primeiras partidas de Oriali, ele atuou como lateral-direito. Depois disso, a volância foi o caminho natural, pois a sua principal característica era a força defensiva e a raça com que disputava todos os lances. A titularidade veio durante a campanha do vice-campeonato europeu em 1972.

Oriali foi apelidado carinhosamente de “Lele”, mas em campo os adversários não tinham facilidade quando ficavam frente a frente ao mediano. A Eurocopa de 1980 foi sua primeira grande competição com a Squadra Azzurra, porém não desempenhava o papel preponderante na equipe. A Copa do Mundo de 1982 foi sua grande virada na Nazionale, pois quando assumiu a posição entre os onze não largou mais, sendo muito importante para a conquista da taça.

Oriali (centro) foi titular na conquista do tri, em 1982 (Gazzetta dello Sport)

Mas antes do Mundial, fez a sua grande exibição pelos nerazzurri, no Derby della Madonnina em outubro de 1981. Oriali foi violentamente atingido no rosto por Mauro Tassotti, fazendo um corte que exigiu trinta pontos em seu rosto. Ainda assim, ele continuou em ação e se tornou o herói da partida. Após receber lançamento da direta, “Lele” matou a bola com a canhota e finalizou de perna direta. Assim, o mediano de poucos tentos na carreira fez o único gol da partida.

A Copa do Mundo de 1982 na Espanha serviu para mostrar a força de Oriali. O jogador nerazzuro assumiu o posto de titular apenas no último jogo da primeira fase, o empate contra Camarões. E não largou mais o lugar entre os onze. Na segunda fase ocorreu a grande virada da Itália no Mundial, pois nos três jogos anteriores apenas empates.

“Lele” foi ponto chave nessa virada. Pela frente a atual campeão Argentina e o grande Brasil de Telê. Contra os argentinos, ele foi o responsável pela marcação da grande estrela argentina, Mario Kempes. Com Oriali na sua cola, o craque adversário pouco fez. Frente a seleção canarinho, o mediano interista também teve o grande papel na marcação dos craques brasileiros. Depois a Polônia ficou para trás na semifinal.

Oriali marcou seu nome nos dérbis de Milão (Storie di Calcio)

Na final, Oriali foi um dos onze titulares que venceram a Alemanha e ajudou a Nazionale a alcançar o seu terceiro título Mundial. Já campeão do Mundo, Oriali jogou o ano de 1983 pela Inter e após 392 jogos e 43 gols com a camisa nerazzurra se transferiu para a Fiorentina, onde quatro anos depois abandonou os gramados.

A entrega de Gabriele Oriali foi reconhecida através de música por um grande interista. Luciano Ligabue, cantor de rock italiano, compôs a música “Una vita da mediano” (“Uma vida de volante”). A letra exalta o trabalho dos volantes, posição em que se dá pouco valor ao atleta, que trabalha o tempo todo. O nome de Oriali é citado na canção no trecho: “Uma vida de volante, trabalhando como Oriali / Anos de fadiga e porradas, e quem sabe você vença o Mundial”.

Pela Fiorentina, contra a Inter, recebeu homenagem do antigo clube

Gabriele Oriali era consultor de mercado da Inter desde 1999, sendo presença constante no banco de reservas da equipe e nas apresentações de jogadores em Appiano Gentile. E um dos grandes responsáveis pelas glórias recentes interistas. Porém nessa sexta-feira, o ex-jogador e o clube rescindiram contrato. O presidente declarou que agradece aos serviços prestados por Oriali, mas agora clube e ex-ídolo seguem caminhos diferentes.

Gabriele Oriali
Nascimento: 25 de novembro de 1952, em Como
Posição: Volante
Clubes como jogador: Internazionale (1970-83) e Fiorentina (1983-87)
Títulos: 2 Serie A (1971 e 1980), 2 Coppa Italia (1978 e 1982), 1 Mundialito de Clubes (1981) e 1 Copa do Mundo (1982)
Seleção Italiana: 32 jogos e 2 gols

Deixe um comentário