Serie A

Review da temporada: Lazio

Hernanes liderou, com muita categoria, a Lazio durante boa parte do campeonato, mas faltou gás no final. Mesmo assim, chegar à Liga Europa foi lucro (Getty Images)

A campanha: 5ª colocação, 66 pontos. 20 vitórias, 6 empates, 12 derrotas.
Ao final de 2010: 2ª colocação.
Fora da Serie A: Eliminada pela Roma nas oitavas de final da Coppa Italia.
O ataque: 55 gols
A defesa: 39 gols sofridos, a segunda melhor
Time-base: Muslera; Lichtsteiner, André Dias, Biava, Radu; Brocchi (Matuzalém), Ledesma, Mauri; Hernanes; Zárate, Floccari.
Os artilheiros: Hernanes (11 gols), Mauro Zárate (9) e Sergio Floccari (8)
Os onipresentes: Fernando Muslera, Hernanes (ambos com 36 jogos), Giuseppe Biava e Mauro Zárate (35)
O técnico: Edy Reja
O decisivo: Hernanes
A decepção: Mark Bresciano
A revelação: Libor Kozák
O sumido: Tommaso Rocchi
Melhor contratação: Hernanes
Pior contratação: Javier Garrido
Nota da temporada: 7,5

Apesar do descontentamento da torcida, a Lazio jogou mais do que pode em 2010-11. A ótima primeira parte do campeonato, que teve a equipe romana na ponta da tabela, brigando com o Milan pela liderança, tinha prazo de validade: o elenco iria cansar, naturalmente. Por não ter um elenco tão forte e extenso, a Lazio acabou dependendo demais de Mauri e Hernanes, que caíram fisicamente no segundo turno – o primeiro por já ter 31 anos e, o segundo, por ter jogado pelo São Paulo até julho e não ter tido férias nem pré-temporada com o novo clube. Quando foi contratado, dificilmente o torcedor laziale esperava uma adaptação tão rápida do Profeta à Itália. O meia esbanjou toda a sua técnica e carregou a equipe por muitos jogos, chegando inclusive a igualar a marca de Pavel Nedved, como meio-campista que mais fez gols pelo clube em um campeonato italiano – 11, no total.

Na reta final, o time perdeu fôlego e jogava um futebol previsível, apesar de Ledesma tentar dar conta das lacunas, com boas partidas e assistências. Acabou perdendo três jogos seguidos – para Udinese, Inter e Juventus. Além disso, perdeu também no confronto direto para o Napoli. Apesar de não ter sido um final de temporada festejado pela exigente torcida, que culpa Edy Reja por não ter conseguido manter a quarta posição, que daria vaga na Liga dos Campeões, houve mais pontos positivos do que negativos na campanha – a começar pelo fato de o clube ter terminado o campeonato à frente da rival Roma. Tendo em vista que na temporada 2009-10 a equipe conquistou a salvezza apenas na penúltima rodada e poucas contratações foram feitas, fica difícil não elogiar o esforço de Reja, que salvou o clube na última temporada e acabou construindo este time. O treinador de 65 anos tem o elenco nas mãos.

Entre os pontos positivos desta Lazio, além da dupla de meio-campistas, a defesa da equipe biancoceleste teve grandes méritos pela campanha, demonstrando uma solidez inesperada. Embora Muslera não seja um goleiro que passe muita confiança, houve alguém que desempenhasse muito bem esse papel na equipe: o zagueiro Biava. Sua experiência foi vital para que o recém-chegado André Dias e o lateral-esquerdo Radu, que herdou a posição de Kolarov, atuassem com mais segurança ao seu lado. À frnete da defesa, Ledesma e Brocchi (ou Matuzalém ou González) ajudaram bastante e, com essa fórmula, o time chegou a emplacar uma série de oito jogos sem perder, dos quais sete foram vitórias. Para a próxima temporada, o elenco precisa de ajustes, principalmente no ataque, já que Zárate não é grande finalizador, Floccari e Rocchi encaminham-se para o final da carreira e Kozák, que tem ótimo potencial de crescimento, só rendeu bem quando entrou na segunda etapa e deve ser emprestado. Opções de banco para Hernanes e Mauri também são bem vindas, já que Bresciano decepcionou bastante.

Deixe um comentário