Serie A

17ª rodada: A primeira grande fuga

Juventus já é campeã de inverno: com sete pontos de vantagem, equipe de Turim começa a escapar na liderança (AP)

A Juventus já perdeu dois jogos nesta temporada, mas nunca esteve tão tranquila nos últimos dois anos. Nem mesmo na conquista do título invicto a equipe de Turim teve vantagem tão grande na liderança da Serie A – atualmente são sete pontos. Os tropeços de Inter e Napoli favorecem a Juve, que já pode se dar ao luxo de, com uma rodada de antecedência à pausa de fim de ano e duas antes do fim do primeiro turno, “comemorar” o título de campeã de inverno. Acompanhe a análise da rodada.

Juventus 3-0 Atalanta
Em sua segunda visita ao Juventus
Stadium, a Atalanta manteve seu papel de ótima convidada. Se a partida
do ano passado ficou marcada por ser a da festa do título da Juve e da
despedida de Del Piero, a dessa temporada será lembrada pela goleada por
3 a 0 que garantiu à Velha Senhora o título antecipado do 1º turno da
Serie A. E o fato ganha mais importância para os juventinos quando
olhamos os números: das 25 vezes em que o time terminou o 1º turno na
liderança, só perdeu o scudetto em seis ocasiões.
Ontem, a equipe de Antonio Conte fez talvez seu
melhor jogo no campeonato e não deu chances para a Atalanta. Muito disso
por conta da grande atuação de Pirlo, que se aproveitou do espaço
deixado pelo 3-4-2-1 de Colantuono no meio de campo para ditar o ritmo
da partida. Com 31 minutos de jogo, já estava tudo decidido: Vucinic,
Pirlo (em bela cobrança de falta) e Marchisio fizeram 3 a 0 e Manfredini
foi expulso, deixando os visitantes com um a menos em campo. Assim, a
Juve abre sete pontos de vantagem para o vice-líder e mostra que não
será fácil destroná-la. (Rodrigo Antonelli) 
 
Napoli 2-3 Bologna

A vingança não veio. Depois de ser
derrotado por este mesmo Bologna na 37ª rodada da última Serie A e por
este ter sido o resultado que praticamente tirou o time napolitano da
Liga dos Campeões, hoje os azzurri queriam se vingar. Mas não deu. O
Bologna, de maneira heroica, saiu de Nápoles com uma histórica vitória
por 3 a 2 e impediu que o adversário alcançasse a vice-liderança do campeonato. O Bologna sobe duas posições, com 18 pontos, e o Napoli segue em
terceiro lugar, com 33 pontos. Stefano Pioli segue
invicto contra o Napoli, com quatro vitórias em cinco jogos.

O Bologna abriu o placar logo aos 10 do primeiro tempo quando
Cherubin cruzou da esquerda, a bola atravessou toda a área e Gabbiadini
emendou para o gol com a coxa. O Napoli não se encontrou na primeira
etapa, que poderia ter terminado com mais gols bolonheses. Mazzari
colocou o Napoli para frente na segunda etapa, com Pandev no lugar de
Britos, passando ao 4-3-3. E deu resultado: logo aos 5 minutos, e depois aos 25, Insigne
fez duas jogadas que terminaram nos gols de Gamberini e Cavani. Tudo parecia resolvido para o Napoli, que teve até Pandev
desperdiçando chance clara dentro da área, em uma jogada individual.
Mas, aos 41 minutos, Garics cruzou da
direita e achou o grego Kone na área, para emendar um voleio perfeito e
fazer o gol mais bonito da rodada. E três minutos depois, Diamanti
cobrou falta da intermediária esquerda e o capitão Portanova, que
voltava ao time após quatro meses de suspensão por envolvimento no escândalo de apostas ilegais, testou para dar a vitória ao Bologna. (Thiéres Rabelo)

Lazio 1-0 Inter

Brilhantismo é um termo que passou longe do que aconteceu no estádio Olímpico, neste sábado. Em um jogo que ficou muito abaixo das expectativas, a Lazio ganhou com um gol de Klose, que garantiu a terceira vitória consecutiva dos laziali sobre a Inter, em casa, pela primeira vez em toda a história. Com o resultado, a equipe de Vladimir Petkovic subiu aos 33 pontos, e ocupa a quarta colocação empatada com o Napoli e apenas um ponto a menos em relação à Inter, vice-líder com 34.

Depois de um primeiro tempo muito equilibrado e sem grandes chances para os dois times, mas no qual a Lazio teve vantagem territorial, no segundo tempo as duas equipes passaram a jogar mais futebol. E a Inter foi melhor, colocando duas bolas na trave, com Guarín e Cassano, e esbarrando em Marchetti, que fez três defesas que garantiram o resultado. A Inter reclamou de um pênalti não dado sobre Ranocchia em um cruzamento para a área, mas preferiu não polemizar e aceitar a derrota. Já a Lazio chegou três vezes ao ataque, mas em duas Klose falhou e não marcou. Na terceira, não perdoou e chegou aos 10 gols no campeonato.



Milan 4-1 Pescara

“Uma importante vitória”. Assim resumiu Allegri o quinto
triunfo consecutivo dos rossonera na Serie A. A segunda goleada seguida, dessa
vez ante o Pescara, no San Siro, no dia em que o clube completava 113 anos de existência, coloca o time milanista ao menos pela briga
nas vagas europeias e o mais importante, trás de volta um pouco do futebol
esperado pela torcida. Atual sétimo colocado, o Milan encontra-se a dois pontos da
Roma, justamente seu próximo adversário e uma concorrente direta. Se vencer,
além de ter um Natal tranquilo, Allegri já pode começar a vislumbrar metas um
pouco mais condizentes com a história do time rossonero.
Porém, contra o antepenúltimo colocado, a goleada não
refletiu o que foi o jogo. Mesmo saindo na frente do marcador com 35 segundos,
após um tento de Nocerino, o Milan não mostrou futebol para o placar, tanto que
o segundo gol veio através de uma cabeçada contra a própria meta do atacante Abbruscato
apenas no segundo tempo. Minutos depois o Pescara diminuiu e ai veio a pressão.
O gol de Terlizi motivou os golfinhos, que por pouco não chegaram ao empate. Mas
em uma infelicidade do brasileiro Jonathas, o Milan chegou ao terceiro gol. Em jogada
parecida com o segundo gol, o avante do Pescara desviou cobrança de escanteio e tirou
qualquer chance ao goleiro Perin. Já no final, El Shaarawy marcou e sacramentou
a vitória e aumentou sua marca na artilharia para 14 gols. (Caio Dellagiustina)

Fiorentina 4-1 Siena
Disseram que ele não vinha, mas olha ele aí. Muita gente não acreditava que Toni pudesse ser útil para a Fiorentina e questionou a sua contratação, no último dia da janela de transferências. Mas o bomber está calando os críticos e fazendo um excelente campeonato. Ao lado de Jovetic, é o artilheiro viola, com 6 gols marcados. Dois deles foram realizados no dérbi toscano contra o Siena, com cabeçadas decididas, um dos carros-chefes do seu repertório realizativo. Toni ainda sofreu pênalti que seria convertido por Pizarro, que também fez boa partida.

Sem muitas dificuldades, a Viola já vencia por 2 a 0 com menos de 25 minutos de jogo, e ainda marcou o terceiro gol na primeira etapa, com Aquilani. Reginaldo, ex-Fiorentina, ainda diminuiu para os senese, mas Toni decretou a vitória. Aquilani ainda poderia ter feito mais um, mas isolou cobrança de pênalti. A Fiorentina continua em quinto, com 32 pontos, e visita o Palermo na semana que vem, podendo virar vice-líder. Já o Siena segura a lanterna, com 11 pontos, e achou melhor demitir Serse Cosmi, que vinha fazendo o que podia. Giuseppe Iachini, que subiu com a Sampdoria, assume, e estreia já contra a Lazio, na Coppa Italia. Pela Serie A, próximo compromisso é em casa contra o Napoli.

Chievo 1-0 Roma

O Chievo nunca tinha vencido a Roma, em casa, pela Serie A. O gol solitário do capitão Pellissier quebrou o tabu no Marc’Antonio Bentegodi e arruinou a série invicta dos giallorossi. A partida em Verona, sob intensa neblina, não teve tantas chances para cada lado. Durante o primeiro tempo, Sorrentino salvou o time da casa com defesas em finalizações de Osvaldo e Totti; ele também levou sorte já que o voleio de Florenzi passou ao lado da meta. Sem De Rossi e Pjanic para esta partida, o técnico Zdenek Zeman repetiu a formação vencedora da rodada passada. No entanto, perdeu Leandro Castan para o jogo contra o Milan, no Olímpico, por suspensão.

Na segunda etapa, com os refletores ligados durante o período vespertino em Verona, Goicoechea fez linda defesa em cabeçada de Rigoni, após escanteio cobrado por Théréau. Retornando de lesão, Lamela entrou no lugar de Pjanic e quase marcou gol em seu primeiro lance. Porém, Sorrentino saiu rapidamente debaixo das traves para encaixar a bola. Aos 43 minutos do tempo complementar, Pellissier recebeu ótimo lançamento, se aproveitou da linha de impedimento que não deu certo, driblou Goicoechea e marcou o gol da vitória do Chievo. Como a Fiorentina venceu, a Roma perdeu uma posição na tabela. Os giallorossi estão em 6º lugar, com 29 pontos. Na próxima rodada, o Ceo, 11º colocado após vencer três partidas consecutivas (o que não acontcia desde 2009), encara o Torino fora de casa.


Catania 3-1 Sampdoria
Depois da virada fora de casa para cima
do Siena na rodada passada, o Catania recebeu a Sampdoria em casa neste
domingo e conseguiu uma virada idêntica: bateu o time genovês por 3 a 1 e
sobe para a oitava posição, a sete pontos da zona de classificação para
a Liga Europa. Já a Samp perde a segunda seguida e vê o Bologna
tomar-lhe a 13ª posição. Os blucerchiati mantêm-se com 17 pontos, três a
mais que o Pescara, primeiro time dentro da zona de rebaixamento. O resultado determinou a queda de Ciro Ferrara, que foi substituído por Delio Rossi.

Assim como a vitória na Toscana na semana passada, os etnei tiveram
como protagonista o argentino Bergessio. Contra o Siena, ele fez uma
doppieta e deu uma assistência. Contra a Samp, ele marcou o seu sexto
gol na Serie A e deu a assistência para os outros gols, dos compatriotas
Castro, que também marcou na semana passada, e Paglialunga, que enfim mostrou a que veio na equipe. A Samp, que jogou melhor na
primeira etapa, marcou aos 29 do primeiro tempo, em um pênalti cobrado
por Maresca. Mas quando Ferrara sacou um volante para colocar um
atacante – Maresca por Éder -, a Samp se abriu e a virada rossoazzurra
foi questão de tempo. Paglialunga bateu de fora da área aos 10 do
segundo tempo e, aos 20, Marchese cruzou da esquerda e Bergessio
cabeceou a queima-roupa, virando o jogo. Aos 47, Bergessio deu um passe
despretensioso para Castro e contou com a falha grotesca de Rossini. O
argentino não perdoou e aumentou. (Thiéres Rabelo)

Udinese 1-1 Palermo
No Friuli, 15 mil pessoas enfrentaram
o frio intenso para ver o empate entre o time da casa e o Palermo, em
confronto que marca a segunda maior distância da Serie A (cerca de 1200
quilômetros). Só a viagem entre Catania e Údine é maior (1400
quilômetros). Dentro de campo, o juiz chamou mais a atenção do que os
jogadores e fez o clima esquentar, com marcações duvidosas. Primeiro,
não marcou um pênalti claro de Danilo em Ilicic. Depois, foi muito duro
ao expulsar o zagueiro Herteaux e deixar a Udinese com um a menos
durante boa parte do segundo tempo.
Dessa forma, o resultado foi mais comemorado pela
Udinese, que esteve muito mais perto da derrota o tempo inteiro e
conseguiu se salvar com um gol já no final do jogo. O Palermo lamenta
porque essa seria sua primeira vitória fora de casa no campeonato e os
três pontos o tirariam da boca da zona de rebaixamento, posição que
ocupa agora. Os gols de Ilicic e Di Natale saíram depois de duas falhas
dos goleiros. Destaque positivo apenas para Ilicic, que acumula uma
série de boas partida e mais uma vez foi decisivo, e Luis Muriel, que
voltou aos campos e já mostrou que pode ser decisivo para a Udinese
daqui para frente. (RA)
 
Genoa 1-1 Torino

No
Marassi, os “desesperados” Genoa, 19º colocado, e Torino, 14º, a dois pontos da zona de
rebaixamento, respectivamente, fizeram um jogo fraco tecnicamente,
porém movimentado, com várias chances desperdiçadas por ambos os lados, o
que evidencia o momento das equipes. O momento do Genoa é tão complicado que o técnico Luigi Delneri abriu mão de seu 4-4-2 para usar o 3-4-3, único esquema tático que deu certo e deu resultados a médio prazo para a equipe nos últimos anos.

Ambos
os gols saíram na bola aérea. Aos 19, Birsa cruzou e o artilheiro e
capitão Bianchi cabeceou, de nuca, contra o gol de Frey. Aos 29, escanteio
para o Genoa e foi a vez de Granqvist, um dos poucos destaques do time
lígure na temporada,
aproveitar o vacilo adversário e bater Gillet, que depois de falhas
contra Juventus e Milan teve boa exibição. Na segunda etapa, Rossi
chegou a marcar para o Genoa, porém, impedido, teve seu gol bem anulado,
enquanto Sgrigna e Vives perderam duas chances claras. (Arthur
Barcelos)

Parma 4-1 Cagliari
E o Parma de
Donadoni voltou a aprontar de novo no Ennio Tardini. Com resultados
irregulares, a equipe emiliana mais uma vez mostrou bom futebol e venceu
com autoridade o Cagliari de Ivo Pulga, cada vez mais em retrocesso,
após o início prolífico, com quatro vitórias no mês de outubro – não
vence desde então. Valdés regeu o time, que contou com boas exibições de
Parolo, Marchionni, Biabiany e Belfodil, a estrela do jogo.

Nos primeiros 45
minutos, empate, com gols de Sau – numa de suas maiores virtudes, sendo lançado
em velocidade nas costas da última linha adversária – e Belfodil,
assistidos por Nenê e Valdés, respectivamente. A
vitória gialloblù saiu na segunda etapa, graças a Biabiany, Valdés (de
pênalti) e Belfodil (num golaço em jogada individual), que garantiram a
goleada dos anfitriões. Belfodil, inclusive, tem apenas 20 anos e é um dos jovens mais subestimados do futebol italiano. Formado na base do Lyon, teve passagem pelo Bologna e, no Parma, já tem 5 gols em 13 jogos no campeonato. Pode estourar. (Arthur Barcelos)

Relembre a 16ª rodada aqui.
Confira estatísticas, escalações, artilharia, além da classificação do campeonato, aqui.

Seleção da rodada

Marchetti (Lazio); Portanova (Bologna), Yepes (Milan), Chiellini (Juventus); Kone (Bologna), Pirlo (Juventus), Pizarro (Fiorentina), Pasqual (Fiorentina); Bergessio (Catania), Toni (Fiorentina), Belfodil (Parma). Técnico: Antonio Conte (Juventus).

Deixe um comentário