Juve comemora: vitória no dérbi antes de pegar o Bayern aumentou moral (AFP)

Neste domingo de Páscoa, todos os jogos da Serie A aconteceram no sábado. As novidades na tabela foram poucas – apenas o Palermo melhorou suas condições, na briga pela salvação do calvário da segundona, e a Lazio voltou a vencer, ganhando uma posição. O destaque, no entanto, foi a vitória da Juventus sobre a Inter no Derby d’Italia, pouco antes do jogo contra o Bayern Munique (que, por sua vez, fez incríveis 9 a 2 no Hamburgo), pelas quartas de final da Liga dos Campeões. Acompanhe o resumo.

Inter 1-2 Juventus

Não importa muito o adversário. A Juventus continua vencendo e segue
seu caminho para conquistar o bicampeonato italiano. Neste sábado, a
equipe de Turim visitou a Inter, uma de suas grandes rivais, e, mesmo
fora de casa, aplicou um 2 a 1 importante para manter a ponta da Serie
A. Com o resultado no chamado “Derby d’Italia”, a Juve chegou aos 68
pontos. Já a Inter caiu para a 6ª posição, depois da
vitória da Lazio. O time de Milão tem 47 pontos, mas um jogo a menos – a ser disputado nesta quarta, contra a Sampdoria.

A partida começou muito parecida com a do primeiro turno. Se naquela
ocasião a Juventus saiu na frente com 18 segundos de jogo, desta vez a
equipe visitante precisou de três minutos para abrir o placar.
Quagliarella acertou um belo chute de fora da área e encobriu
Handanovic, dando tranquilidade à Juventus. A Juve dominava o meio-campo, com Pirlo, e a Beneamata
chegou ao empate apenas no segundo tempo. Kovacic fez boa jogada
e, após passe de Cassano, Palacio deslocou Buffon, aos 9 minutos. A Juventus, no entanto, não se abalou com o gol. Pouco depois, Quagliarella
escapou, deixando Chivu para trás, e cruzou para Matri se antecipar a Ranocchia e, na pequena área, fuzilar
Handanovic. Frustrada pela lesão de Cassano e a pressão desorganizada que fazia, a
Inter aceitou a derrota, que complica sua corrida por uma vaga na Liga
dos Campeões, de forma um pouco rude. Até Cambiasso perdeu a
cabeça e cometeu falta duríssima sobre Giovinco no último
minuto, o que lhe valeu a expulsão direta e uma série de desculpas pós-jogo. (Nelson Oliveira)

Torino 3-5 Napoli

O jogo no Estádio Olímpico de
Turim encerrou a 30ª rodada da Serie A com chave de ouro, com muitos
gols e emoção de sobra para as duas torcidas. O Napoli entrou sem
Cavani, que chegou atrasado para a concentração, por opção de Mazzarri, e
Ventura optou por escalar o Torino só com Barreto no ataque, deixando
Bianchi de fora. Os visitantes, mesmo sem o uruguaio, começaram melhor e
logo aos dez minutos abriram o placar, em belo chute de Dzemaili, após
bom jogada de Hamsík. O empate do Torino veio pouco tempo depois, com
Barreto, que aproveitou falha de Britos. A comemoração dos granata foi
em dobro, uma vez que o atacante estava a 872 dias sem marcar e agora
reacende a esperança de tempos melhores. No primeiro tempo, Hamsík, que
fez ótima partida, ainda perdeu pênalti, mas foi só. 

As maiores emoções ficaram mesmo para a segunda
etapa. Logo nos primeiros minutos, Dzeimali apareceu bem mais uma vez e
fez 2 a 1 para sua equipe. Com a partida ainda em aberto e Insigne pouco
incomodando no ataque, Mazzarri finalmente pôs Cavani em campo. E o
uruguaio entrou para tumultuar. Logo em seu primeiro lance, colocou a
mão na bola e concedeu o pênalti que Jonathas converteu para empatar
novamente para o Torino. E a equipe da casa ainda fez mais: aos 70
minutos de jogo, Meggiorini virou. A torcida já comemorava a vitória
contra o rival do sul, mas Dzemaili, que nunca tinha marcado sequer uma
doppietta na carreira, fez seu terceiro gol do dia, em mais um belo
chute, dessa vez de esquerda. A virada ficou por conta de Cavani, que
acertou cobrança perfeita em falta de 30 metros. Depois, fechou o caixão com
uma cabeçada. Assim, o Napoli mostra sua força e dá o recado para o
Milan: não vai deixar a vice-liderança escapar facilmente. (Rodrigo
Antonelli)

Chievo 0-1 Milan

Preguiçosamente, o Milan deu um passo importante para assegurar uma
vaga na próxima Liga dos Campeões. A equipe venceu o Chievo fora de casa
por apenas 1 a 0, e se manteve à caça de Napoli e Juventus. Com o placar, o Milan se mantém 11 pontos atrás da líder Juventus e um ponto atrás do Napoli,
mas abriu boa vantagem sobre a Fiorentina, 4ª colocada. Agora, os
rubro-negros tem 57 pontos, seis a mais que a Viola, e estão em posição
confortável para garantir uma vaga na Champions. O Chievo, por sua vez,
aparece na 15ª posição, com 35 pontos.

O gol da vitória do Diavolo surgiu aos 25 minutos do primeiro tempo.
Balotelli cobrou falta com força e o goleiro Christian Puggioni
deu rebote. Montolivo aproveitou e fez o gol que definiu o
cotejo. No final da partida, o Chievo ainda teve o zagueiro Dainelli expulso e praticamente ficou com 9 em campo, já que o lateral
esquerdo Dramé distendeu um músculo do braço e atuou no
sacríficio por 15 minutos. (NO)

Lazio 2-1 Catania
Sem vencer na Serie A há mais de
um mês, e conquistando apenas 8 pontos de 30 possíveis, a Lazio voltou a ter
uma apresentação aquém da que acostumou a mostrar, porém conseguiu vitória
importantíssima na briga por uma vaga em competições europeias. Os laziali chegaram a 50 pontos, abrindo três
de vantagem para Inter e Roma, e diminuindo a diferença para a Fiorentina em um
ponto. O Catania, ainda sonhando com uma inédita vaga na Europa League, viu a
própria Lazio abrir cinco de diferença.
Numa
legítima retranca montada por Maran, o Catania praticamente abdicou de atacar no
jogo. Em 45 minutos, o time siciliano sequer deu um chute contra o gol de
Marchetti. A Lazio, por sua vez, teve muitas dificuldades em furar o bloqueio rossoazzurro, especialmente com um Saha
fora de forma, Onazi e Hernanes pouco participativos e Lulic nulo pela
esquerda. A única saída era pela direita, com Candreva, que até fez Andújar
trabalhar duas vezes, mas não o bastante para abrir o placar. Numa rara subida, o Catania
contou com a sorte para marcar o primeiro gol da peleja. Depois de bate-rebate,
Radu foi afastar o perigo, mas acabou tendo seu chutão interceptado por Izco e
a bola passou por Marchetti. Em desvantagem, o time de Petkovic partiu
desesperadamente para o ataque, fez Andújar suar, mas somente em gol contra de
Legrottaglie conseguiu o empate, após cruzamento de Radu. Um minuto depois,
contudo, Ederson foi calçado por Bellusci dentro da área. Na cobrança de
pênalti, Candreva, deu a vitória para o time da capital. (Arthur Barcelos)

Cagliari 2-1 Fiorentina
A Fiorentina
buscava sua quarta vitória consecutiva no campeonato, mas esbarrou num
Cagliari com Pinilla inspirado. A Viola foi derrotada pelos sardenhos por
2 a 1, com dois gols do chileno, na Is Arenas. O resultado, no entanto,
não foi ruim pra a Viola, que viu seus principais rivais na disputa por
uma vaga em competição europeia perderem – Roma, Inter e Catania
(apenas a Lazio venceu e encostou na tabela). A realidade florentina, no entanto, deve ser apenas uma vaga na Liga Europa, já que Milan e Napoli se distanciaram. Enquanto isso, o Cagliari somou pontos
importantes para se manter no meio da tabela.
No primeiro tempo, Pinilla deu a vantagem inicial ao
Cagliari, após assistência de cabeça de Ekdal. O placar ficou mais
largo depois que Cuadrado derrubou Sau na área. O atacante chileno
marcou seu segundo tento ao deslocar Viviano. Sem Borja Valero,
suspenso, Montella recuou Pasqual e montou uma zaga com quatro zagueiros
para que Migliaccio iniciasse a partida ao lado de Pizarro e Aquilani. A
Fiorentina ainda perdeu, por lesão, Jovetic na primeira etapa. Os
visitantes só melhoraram – e esboçaram reação – após as entradas de Toni
e Mati Fernandez. Cuadrado, com um bonito voleio, diminuiu. No fim da
partida, Agazzi ainda salvou a finalização de Toni e uma cabeçada
perigosíssima de Larrondo para garantir a vitória dos rossoblù. Tudo isso, no entanto, longe dos olhos dos torcedores, que mais uma vez tiveram de acompanhar a partida do lado de fora do estádio vazio. (Murillo Moret)
Palermo 2-0 Roma
Zebra rosanero na Sicília. Sem vencer desde novembro no campeonato – em 15
jogos foram 8 derrotas e 7 empates -, o Palermo desencantou com Sannino no
Renzo Barbera. O time siciliano segue na 19ª colocação, agora com 24 pontos, porém
conseguiu diminuir a desvantagem em relação à Siena e Genoa, com 26 e 27 pontos
respectivamente. Já a Roma, que havia perdido apenas uma vez sob o comando de
Andreazzoli, desperdiçou a chance de passar a Inter e ter os mesmos pontos da
rival Lazio, com quem jogará na próxima rodada.
Apresentando-se de forma confusa
na fase defensiva, e sem a mesma efetividade na frente, a Roma de Andreazzoli
deu generosos espaços para o anfitrião atacar. Antes do gol, Kurtic – em mais
uma boa exibição, certamente um dos poucos motivos de felicidade para o
torcedor rosanero – e Miccoli
assustaram Stekelenburg. Aos 21 minutos, Miccoli achou Ilicic em boas condições
nas costas de Leandro Castán. O esloveno cortou o brasileiro e acertou bom chute,
inaugurando o placar. 15 minutos depois, foi a vez de o
camisa 27 retribuir o presente do “Romário de Salento”, que desviou o seu
cruzamento, voltando a marcar depois de dez jogos, coincidentemente
ou não na última vitória do Palermo (3-1 Catania, 25 de novembro). Na segunda
etapa, a Roma tentou chegar ao empate, levando perigo com Lamela e Pjanic, mas
parou em Sorrentino e na falta de pontaria. (AB)

Genoa 2-2 Siena
No Luigi Ferraris, a água
e o vento atrapalharam os times que brigam pela salvezza e, no fim,
prevaleceu o empate. Com o resultado, o Genoa continua um ponto acima do
Siena, na briga direta contra o rebaixamento, mas não tem muito a
comemorar. Afinal, vencer um concorrente direto em casa é sempre importante e, além disso, o Palermo venceu a Roma e já se aproxima
perigosamente. O Genoa começou a partida com muito mais disposição e
logo no primeiro chute a gol, aos seis minutos de partida, Borriello fez
1 a 0. O gol sofrido logo no início não assustou o Siena, que continuou
em ritmo muito baixo e deixando o Genoa jogar. A equipe rossoblù não
aproveitou para ampliar e acabou sofrendo o empate no fim da etapa
inicial, dos pés de Emeghara.
No início do segundo tempo, as decisões do árbitro
Rocchi revoltaram os donos da casa. Isso porque Sestu caiu dentro da
área após divida com Moretti e o juiz não marcou nada. Menos de cinco
minutos depois, porém, ele foi bem menos criterioso para marcar um
pênalti de Bovo no mesmo Sestu. Rosina bateu e virou para o Siena. O técnico Ballardini
não demorou para reagir à desvantagem e colocou Immobile no lugar de
Moretti. E a pressão começou, contra um Siena encolhido na zaga:
Borriello teve duas oportunidades, mas não conseguiu empatar. Jankovic
foi quem conseguiu marcar, a menos de 10 minutos do fim e dar um pouco
de tranquilidade ao Genoa. Mas a briga contra o rebaixamento está longe
de acabar. Para os dois times. (RA)

Parma 3-0 Pescara

O
calvário do Pescara rumo a Serie B não tem fim. A sexta
derrota consecutiva e a consolidação na lanterna da classificação vieram
no
confronto contra o Parma, no Ennio Tardini. Ainda com 21 pontos, a equipe
abruzzese está a seis do Genoa, primeiro time livre da degola. Em campo,
todo o retrospecto negativo pesou e os crociati foram
impiedosos com o a equipe do treinador Bucchi, tanto que desde o
primeiro minuto
pressionaram o gol defendido por Pelizzoli, que trabalhou bastante. Porém o
arqueiro não evitou o gol
de Benalouane, logo aos 18 minutos.
Desorganizados, os abruzzesi mesmo com seu trio ofensivo
formado por Sculli, Abbruscato e Caprari pouco chegaram ao gol de Mirante. Por outro
lado o tridente do Parma, formado por Amauri, Biabiany e  Sansone criava boas oportunidades. De tanto pressionar, o
Parma chegou ao segundo gol aos 7 do segundo tempo, com Paletta, que aproveitou a sobra dentro
da área para finalizar com força, sem chances para o arqueiro albiceleste.  Aos 19, Amauri acertou uma bicicleta da
entrada da área e definiu o marcador, sacramentando a vitória e quase garantindo
a permanência da equipe de Roberto Donadoni na Serie A. (Caio Dellagiustina)
Udinese 0-0 Bologna
No Friuli, Udinese e Bologna não saíram do zero, mas apesar
do placar, o jogo foi bem movimentado. Pior para o time da casa que apesar de
pressionar mais e criar as principais jogadas de perigo, chegou ao terceiro
jogo sem vitória em casa (após também empatar com Napoli e Roma). A equipe bianconera contou com um time
inspirado para envolver o Bologna e teve boas
oportunidades com Lazzari, que parou no goleiro Curci e com os brasileiros Allan e Gabriel Silva que acertaram a trave.

Na segunda
etapa, os friulianos tiveram a chance do jogo
quando Pereyra foi derrubado na área. Mas na cobrança, Di Natale não
bateu bem e Curci defendeu. O Bologna chegou uma única vez com perigo,
em cobrança de falta de
Guarente. Ao final, o empate não ajudou ninguém, pois mantém os
rossoblù ainda com riscos de rebaixamento e praticamente eliminaram
qualquer
chance de competição europeia para a Udinese. (CD)

Atalanta 0-0 Sampdoria
Os bons tempos
distintos não tiraram o zero do marcador no Atleti Azzurri d’Italia.
Atalanta e Sampdoria empataram sem gols. Os visitantes subiram para 36
pontos, na 12ª posição, enquanto a Atalanta subiu para 34. Com oito
rodadas a serem realizadas, o time de Bérgamo – e a Sampdoria também –
ainda lutam contra o rebaixamento. Oito pontos separam Siena, 18º
colocado, da Atalanta.
Com os retornos de De Luca e Cigarini, as equipes
estavam completas para a partida no Azzurri d’Italia. Bonaventura
assustou Romero com uma finalização de longe; Del Grosso foi bloqueado
em sua tentativa de chute e o voleio de Denis foi para fora após ótima
assistência de Bonaventura. O artilheiro Denis ainda viu Romero fazer
grande defesa no primeiro tempo para garantir o empate. Na etapa final,
De Silvestri parou em Consigli, Lucchini foi expulso e Icardi, no fim da
partida, de peixinho, mandou a vitória da Atalanta pela linha de
fundo. (MM)

Relembre a 29ª rodada aqui.
Confira estatísticas, escalações, artilharia, além da classificação do campeonato, aqui.

Seleção da rodada
Agazzi (Cagliari); Biava (Lazio), Rossettini (Cagliari), Paletta (Parma); Candreva (Lazio), Dzemaili (Napoli), Montolivo (Milan), Ilicic (Palermo); Quagliarella (Juventus), Amauri (Parma), Cavani (Napoli). Técnico: Ivo Pulga (Cagliari).

Deixe um comentário