Serie A

34ª rodada: Grito preso na garganta

Vidal pode comemorar: título da Juve está próximo (AP)

Sem muitas surpresas, a 34ª rodada apenas confirmou que a Juventus deve confirmar o título e o Napoli o vice. Nas brigas por vagas europeias, Milan e Fiorentina seguem disputa ponto a ponto e, por enquanto, o Milan leva a melhor. Para a Liga Europa, a Udinese resolveu se intrometer de vez no grupo de times que brigam por uma vaga e aproveitou os tropeços de Inter e Lazio para assumir a 6ª posição, logo atrás da Roma, 5ª colocada. E, na zona de rebaixamento, o Pescara, praticamente na Serie B, continua acompanhado do Genoa, e ganhou a companhia do Siena, que foi ultrapassado pelos grifoni e também pelo Palermo, que respira. Acompanhe o resumo da rodada.

Torino 0-2 Juventus 

Em um dérbi bem mais equilibrado que o do primeiro turno, a Juventus conseguiu a vitória só no final, depois de jogo muito intenso, e agora precisa de apenas mais um ponto nos próximos quatro jogos para se sagrar bicampeã italiana. Contra o Torino, o time de Conte deixou evidente sua maior qualidade: o meio de campo. Vidal e Marchisio marcaram os gols que decidiram a partida, e Pogba foi o melhor em campo, apresentando ótima marcação e boas chegadas ao ataque.  

Para conter o 4-2-4 de Ventura, Conte escalou a Velha Senhora com quatro defensores, recuando Lichtsteiner e deixando Chiellini aberto na esquerda, para evitar aproximação de Cerci. A tática deu certo e a líder começou o jogo melhor, criando boas chances com Vucinic e Pogba. No segundo tempo, o Torino voltou melhor, mas ainda sem conseguir agredir os visitantes. Aos 41 minutos da etapa final, então, Vidal acertou belo chute de fora da área e abriu o placar. Marchisio fez o segundo já nos acréscimos. A semana será de preparação para a festa do scudetto, que deve vir contra o Palermo, no Juventus Stadium, domingo que vem. (Rodrigo Antonelli)

Pescara 0-3 Napoli

De forma esperada, o Napoli atropelou o Pescara fora de casa e evitou que a Juventus comemorasse o título ainda nesta rodada. Em jogo morno, dominado sempre pela equipe visitante, foi fácil verificar como andam os ânimos dos dois times: os pescareses já estão moralmente rebaixados e devem ter seu retorno à Serie B confirmado no próximo fim de semana. Já os napolitanos estão muito próximos de garantir sua vaga na fase de grupos da Liga dos Campeões.

Cavani não fez a menor falta para os napolitanos, que escalaram Pandev e Insigne – o último é um ex-Pescara – e foram incisivos no ataque. Na primeira etapa, Insigne teve gol bem anulado e acabou passando em branco contra seu ex-clube. Pandev, não. Depois que Inler abriu o placar, no início do segundo tempo, o atacante macedônio deixou belo gol, após excelente girada sobre um marcador e praticamente sacramentou a vitória. Dzemaili, que coordenou o meio-campo ao lado de Hamsík, ainda guardou o seu, com chutaço de fora da área. (Nelson Oliveira)

Milan 4-2 Catania

Num jogo complicado, o Milan venceu o Catania por a 4 a 2, no San Siro, e retomou a 3ª colocação. No primeiro tempo, Legrottaglie desviou a cobrança de falta de Lodi para colocar o time visitante na frente do marcador. Isso porque o Milan já tinha perdido chances com El Shaarawy e Balotelli. Na sequência, Amelia defendeu um chute perigoso de Bergessio. Aos 32 minutos, El Shaarawy foi ao fundo e cruzou. Nocerino, Flamini e Boateng chutaram na tentativa de marcar o gol, porém, se não o goleiro Frison, a defesa do Catania bloqueou todos os remates. O empate chegou no fim do primeiro tempo: Abate cruzou, Boateng ajeitou e Flamini, de primeira, bateu no contra-pé de Frison.   

Bergessio marcou o primeiro gol da etapa final, recolocando o Catania na frente da partida. No entanto, Pazzini, o super-reserva, saiu do banco para balançar a rede por duas vezes (no intervalo de dois minutos). Após virar o jogo, o Milan ainda teve um pênalti a favor, convertido por Balotelli já nos acréscimos. Com 62 pontos, o rossonero recebe o Torino no próximo domingo; pela próxima rodada, o Catania, 9º colocado, pega o Siena. Atrás, a Fiorentina segue nos calcanhares; já o Catania ainda busca seu recorde histórico de pontos. (Murillo Moret)

Sampdoria 0-3 Fiorentina
Esperança em Florença. Restando
quatro partidas para o final do campeonato, o time toscano conta com o bom
momento após os sustos em janeiro e fevereiro para conseguir uma vaga na
próxima Champions League, que não vem desde a era Prandelli. Um ponto apenas
separa o time do terceiro colocado, Milan, de quem tem vantagem no confronto
direto (3-1 e 2-2) e no saldo de gols – a equipe de Montella tem o terceiro
melhor ataque do campeonato (65 gols), atrás de Juventus (66) e Roma (68).
Números que podem fazer diferença se a disputa se mantiver acirrada até a última rodada. Em franco descenso depois de alguns momentos de tranquilidade com a
chegada de Delio Rossi, a Sampdoria não vence há quase dois meses e perdeu os
três últimos jogos em casa. Apesar disso, os blucerchiati não têm muito com o que se preocupar: o time está a dois pontos da salvezza – considerando a média dos
últimos 17º colocados.
Neste domingo, o time teve
relativo controle do jogo até os 30 minutos, mas bastou um gol toscano para
tudo desandar. Cuadrado acertou forte chute fora da área, abrindo o placar. Pouco
depois, Ljajic marcou bonito gol, “vingando” Delio Rossi – saiba mais sobre o assunto aqui. Com a vantagem
adquirida em cinco minutos, restou à Viola fazer o que sabe de melhor:
controlar a posse de bola. Com uma ou outra chance desperdiçada, os visitantes
ainda ampliaram com Aquilani, após jogada de Ljajic. O sonho está vivo. (Arthur Barcelos)

Roma 4-0 Siena
Como brincou o jornalista Gian Oddi, no Twitter, “fosse o Zeman no banco, a gente já saberia o placar final: 3 x 2 Siena”. Isso porque aos 16 minutos do primeiro tempo, a Roma já batia o Siena por 2 a 0. A equipe da capital, no entanto, não romou: os giallorossi venceram os bianconeri por 4 a 0, empurrando o rival para a zona do rebaixamento. Osvaldo abriu os trabalhos com um toque por cima do goleiro Pegolo, após passe de Lamela, aos 15. Menos de um minuto depois, Totti lançou Lamela, que acertou um belo sem-pulo para ampliar a vantagem da Roma. Antes do intervalo, Florenzi roubou a bola de Ângelo e rolou para Osvaldo marcar novamente.  

Para o segundo tempo, a Roma voltou com Pjanic, que ainda não está 100% fisicamente, no lugar de De Rossi, machucado. Osvaldo marcou seu terceiro gol, o quarto romano, para dar números finais ao jogo. O Siena de Emeghara, único jogador que deu trabalho a Lobont na partida, estacionou nos 30 pontos e está na penúltima colocação. As vitórias de Genoa e Palermo fizeram com que os bianconeri entrassem na zona do rebaixamento. Na próxima rodada, o Siena encara o Catania, fora de casa. A Roma, por sua vez, subiu à 5ª colocação, com 55 pontos. Os giallorossi encaram a Fiorentina, no sábado, em pleno Artemio Franchi. (MM)

Cagliari 0-1 Udinese
Quatro vitórias. Ainda sonhando
com uma vaga na próxima Europa League, a Udinese de Guidolin mostra grande
recuperação na reta final do campeonato. Com a vitória em Trieste, a poucos quilômetros
de sua casa – Údine, no nordeste italiano -, o time bianconero chegou a quatro
vitórias consecutivas na Serie A e está a apenas um ponto da zona de
classificação para a Liga Europa. Com uma tabela relativamente tranquila (Sampdoria,
Palermo, Atalanta e Inter), o clube do Friuli tem boas condições de se garantir
pela terceira vez consecutiva em competições europeias.
No Nereo Rocco, o Cagliari parecia jogar na casa do adversário. E, em campo, as equipes fizeram jogo sem muitas oportunidades de gols e com excesso de faltas –
foram 39 ao todo, oito cartões amarelos e uma expulsão. Sem maiores pretensões
depois de ter garantido a salvezza e
uma de suas melhores temporadas na elite do futebol italiano, o time rossoblù só
foi reagir depois dos visitantes terem aberto o placar aos 56 minutos. Domizzi
fez boa jogada individual e passou para Pereyra chutar colocado no ângulo de Agazzi.
(AB)

Palermo 1-0 Inter
O grande destaque negativo da rodada aconteceu em Palermo. Não que tenha havido algum lance violento, polêmica e arbitragem ou qualquer lance grotesco. Para qualquer amante do futebol, será uma tristeza não contar com o futebol de Javier Zanetti por um período de 6 a 8 meses. O argentino, com quase 40 anos, terá de comemorar a chegada da nova década, em agosto, no departamento médico, após romper o tendão de Aquiles. Uma lástima para a Inter, que perde sua grande referência de liderança e uma das maiores referências técnicas não só para a reta final desta temporada mas também para os primeiros meses de 2013-14. Outro problema para a renovação do elenco.

Em campo, o Palermo foi superior e marcou em poucos minutos. Silvestre, ex-Palermo, deu um presente para seus ex-companheiros, em falha bisonha. Ilicic aproveitou e não deu chances a Handanovic. Em outros momentos do jogo, Miccoli e Hernández poderiam ter ampliado. A Inter só respondeu com Álvarez, em chutes que assustaram Sorrentino. O resultado, no entanto, foi suficiente para que o time rosanero deixasse a zona de rebaixamento, aproveitando derrota do Siena. Ah, além de Zanetti a Beneamata ainda perdeu Silvestre, que também se machucou. Este, para o alívio dos interistas, não deve mais voltar a vestir o manto azul e preto do clube. (NO)

Parma 0-0 Lazio
O placar do jogo exemplifica bem a má fase pela qual passam Parma e Lazio. Os emilianos não marcam um gol sequer já há quatro partidas. E olha que Amauri está em forma, sem lesões. A Lazio, por sua vez, não sabe o que é vencer fora de casa desde 22 de dezembro do ano passado. Por isso, a equipe biancoceleste, que já esteve entre os líderes do campeonato, vê cada vez mais distante a possibilidade de disputar uma competição europeia na próxima temporada. 

O jogo no Ennio Tardini não ofereceu grandes momentos aos espectadores, mas contou com pelo menos três grandes oportunidades de gol. Quem desperdiçou primeiro foi o ítalo-brasileiro Amauri, que girou dentro da área e chutou na trave. Depois, Kozák viu Mirante fazer grande defesa e evitar o gol da Lazio. Perto do fim, foi Radu quem recebeu livre na área, mas cabeceou para cima. No último lance do jogo, a Lazio chegou a marcar, mas o gol de Kozák foi bem anulado. Com o 0 a 0, a Lazio fica com 52 pontos, três atrás da Roma, primeira classificada para a Liga Europa. O Parma chega a 40 e já não tem pretensões no campeonato. (RA)

Atalanta 1-1 Bologna
De ponto em ponto o Bologna vai alcançando o objetivo
principal da temporada, a salvação. O quinto empate seguido da equipe rossoblù
veio fora de casa, contra a Atalanta, que tem objetivo idêntico e uma campanha
recente parecida, com três empates nos últimos cinco jogos. E o primeiro tempo
mostrou porque está tão difícil ver uma vitória de ambas equipes. Apesar da
movimentação e do empenho de Denis e Gilardino, poucas foram as chances de
perigo.
O time da casa voltou melhor para a segunda etapa, criando
boas oportunidades com Livaja e Brivio, ambas paradas com boas defesas de
Curci. De tanto pressionar, o gol bergamasco não demorou a sair. Após cruzamento
de Brivio, o goleiro Curci espalmou para o alto e a bola sobrou nos pés de
Giorgi, que não teve trabalho para estufar as redes. Mas, em menos de dez
minutos o Bologna empatou. Após belo passe de Diamanti, o sempre esperto Gilardino
dominou, fintou Lucchini e deu um leve toque na saída do goleiro, empatando o
jogo. Com seus 39 pontos, a Atalanta fica a sete da zona de rebaixamento e o
Bologna, agora com 40, alcançou a meta estabelecida no começo da temporada, por
Stefano Pioli, mas que ainda não garante a permanência matemática. Está perto para os dois times. (Caio Dellagiustina)
Chievo 0-1 Genoa
Depois de mais de dois meses sem vencer (a última vitória
foi no dia 17 de fevereiro), o Genoa se reabilitou na competição. Venceu o Chievo,
em Verona, e só não saiu da zona de rebaixamento devido a vitória do Palermo. Se
o resultado foi ótimo, em campo, o time demorou a se acertar. Ficou quase todo
primeiro tempo acuado e proporcionando chances de gol ao Chievo, que não soube
aproveitar. A dupla Stoian e Paloschi, inventada por Corini na véspera do jogo,
não deu resultado.

O Genoa voltou melhor para a segunda etapa e criou boas
chances de gol logo no início, mas as finalizações de Floro Flores e Marco Rigoni
deram pouco trabalho à Puggioni. Somente aos 27 da segunda etapa que o gol
enfim saiu. Borriello aproveitou cruzamento de Moretti e cabeceou despretensiosamente
no canto do goleiro gialloblù que se esticou todo mas não alcançou. O Chievo
ainda tentou, mas nada que evitasse mais uma derrota, o que deixou o time mais
perto do perigo do rebaixamento. Por outro lado, o Genoa, embora ainda
frequente a parte de baixo, terá pela frente o Pescara, lanterna do campeonato. Para tentar se salvar, a equipe de Gênova pode rebaixar os golfinhos já na próxima rodada. (CD)

Relembre a 33ª rodada aqui.
Confira estatísticas, escalações, artilharia, além da classificação do campeonato, aqui.

Seleção da rodada

Viviano (Fiorentina); Burdisso (Roma), Benatia (Udinese), Chiellini (Juventus); Cuadrado (Fiorentina), Ilicic (Palermo), Dzemaili (Napoli), Flamini (Milan), Ljajic (Fiorentina); Osvaldo (Roma), Pazzini (Milan). Técnico: Vincenzo Montella (Fiorentina).

Deixe um comentário