Serie A

36ª rodada: Não foi só um escorregão

Metáfora da temporada interista: gramado ruim, escorregões dentro e fora de campo (AP)

Na 36ª rodada, marcada pelo fato de nenhum mandante ter conseguido vencer, a grande derrota em casa foi a da Inter, que confirmou matematicamente a ausência do time na Europa. A torcida contestou muito o presidente Massimo Moratti e recentes escolhas da diretoria – com razão. O escorregão de Álvarez (foto) não foi o único dos últimos anos (metáfora e literalmente, já que Pazzini também escorregou ao cobrar pênalti, na última temporada): a Inter errou em contratações, errou ao buscar nomes que pareciam mais competentes do que de fato se mostraram – especificamente Marco Fassone, diretor geral – e também ao não reformular o quadro médico.

Enquanto isso, Juventus, Napoli e Milan seguem a ritmo de cruzeiro na ponta da tabela. A briga pela Liga Europa segue viva e, na zona de rebaixamento, Palermo e Siena tiveram derrotas que devem lhes custar a cabeça. Acompanhe o resumo da rodada.

Inter 1-3 Lazio
Perder se tornou um hábito para a Inter. O time de Milão igualou seu recorde de derrotas em uma única temporada (15), que também aconteceu em 1946-47, quando a equipe ficou na 10ª posição da Serie A. Já são três derrotas consecutivas e seis nos últimos sete jogos. Contra Genoa e Udinese, com objetivos no campeonato, as expectativas também não são boas – sobretudo considerando que contra os rossoblù toda a defesa estará ausente e será necessário improvisar. Com a primeira vitória da Lazio no Giuseppe Meazza desde 1998, a Inter chegou ao fundo do poço e, pela primeira vez em 14 anos, não jogará uma competição europeia.

Em campo, a Lazio nem chegou a ser superior. Os dois primeiros gols dos romanos, que saíram no primeiro tempo, surgiram de apagões da defesa. Primeiro, Handanovic saiu mal do gol e espalmou nas costas de Ranocchia, protagonizando um dos gols mais ridículos da temporada. Álvarez até empatou, mas o mesmo Ranocchia cometeu pênalti bobo em Floccari e deu a Hernanes a chance de fazer o segundo. Após o intervalo, a Inter pressionou muito e poderia ter chegado ao empate em vários chutes de Guarín. O colombiano chegou a sofrer pênalti, mas Álvarez escorregou na cobrança e isolou. Pouco depois, o nigeriano Onazi acertou um lindo chute no ângulo e decidiu a partida, mantendo viva a chance de a Lazio chegar à Liga Europa. Os jogadores da Inter continuaram tentando e foram apoiados pela torcida, que reconhece os esforços dos atletas, que tem feito o pouco que podem. A contestação que houve no jogo foi toda para a diretoria. Haverá mudanças nos bastidores. (Nelson Oliveira)

Bologna
0-3 Napoli
Vingança no Renato Dall’Ara. Depois de
ter perdido duas vezes seguidas para o Bologna em pleno San Paolo, inclusive
sendo eliminado da Coppa Italia nas oitavas de final, o Napoli se vingou e conquistou importante
vitória fora de casa. E ainda por cima assegurou a vaga direta na fase de
grupos da Liga dos Campeões, uma vez que o Milan, sete pontos atrás, já não
pode alcançá-lo nos dois jogos restantes. A vitória também foi importante para o técnico Walter Mazzarri, que tem contra Stefano Pioli, do Bologna, seu pior retrospecto como treinador.
Com 40 pontos e tranquilo na tabela, os
anfitriões já não tinham mais o que disputar, porém até o placar ser aberto,
o time emiliano deu trabalho para o os comandados de Mazzarri. Somente aos 53 minutos o time partenopei
marcou, quando Dzemaili passou para Hamsík acertar bom chute da entrada da
área. Dez minutos depois, após Cavani ser lançado por Insigne, o uruguaio foi
derrubado em pênalti infantil do jovem Stojanovic. Na cobrança, o Matador converteu seu 27º gol, ampliando seu primado
na artilharia da Serie A – ao todo, o uruguaio tem 34 gols em 39 partidas na temporada. Pouco depois,
novamente o camisa 7 apareceu em contra-ataque, porém perdeu o controle da bola
na entrada da área. Atento, Dzemaili aproveitou a sobra e definiu o marcador,
chegando ao seu sexto gol em pouco mais de um mês – o nono na temporada, a melhor
marca do suíço em sua carreira. Carreira que anda em alta, já que ele desbancou o compatriota Inler nos últimos
dois meses e assumiu a titularidade. (Arthur Barcelos)

Pescara 0-4 Milan
Na busca pela terceira colocação, o Milan viajou até a
região de Abruzzo para encarar o já rebaixado Pescara. Novamente com El
Shaarawy no banco, Massimiliano Allegri apostou no poderio ofensivo de Robinho,
Niang e Balotelli. E o trio não perdeu tempo em dar as cartas. Com menos de um
minuto, o brasileiro cobrou escanteio, a bola desviou na zaga abruzzese e
sobrou para Balotelli, livre na pequena área, mas o atacante acertou o
travessão. Porém, aos 9 minutos o atacante se redimiu cobrando pênalti sofrido
por Nocerino e abriu o placar para os rossoneri. O Pescara se mostrou um time
totalmente inocente e inofensivo, não causando perigo algum ao time milanista,
que por sua vez controlou o jogo sem maiores dificuldades.

Aos 32 minutos, saiu o segundo gol do Milan. Após cobrança
de falta de Robinho, Muntari acertou um voleio esquisito, mas contou com a
sorte de um desvio em Sculli para encobrir Perin. Na volta da segunda etapa, o
time de Milão voltou decidido e em pouco mais de dez minutos fez mais dois gols.
No primeiro, Robinho aproveitou falha de Zauri, avançou e deixou Flamini com a
missão de apenas concluir para o gol. Minutos depois, Balotelli recebeu
na área, girou em cima de Capuano e marcou seu 11º gol em 11 jogos pela equipe
milanista. A goleada sacramentou a 26ª derrota dos golfinhos, mas ainda não garantiu
a classificação do Milan para a Champions League pois a Fiorentina também
venceu e ainda segue na disputa. Para que a vaga se confirme, bastará uma
vitória nos próximos dois jogos. (Caio Dellagiustina)

Atalanta 0-1 Juventus

O gol de Matri, que deu a vitória para a Juventus, ficou para segundo plano, no Atleti Azurri d’Italia. A Velha Senhora entrou em campo como campeã antecipada e cheia de reservas; a Atalanta conseguiu a salvezza mesmo com a derrota. No primeiro tempo, o árbitro Carmine Russo suspendeu o jogo por dez minutos por conta da atitude imbecil dos torcedores de ambas as equipes. Eles tentavam se atacar com fogos de artifício. Chiellini e Denis, liderados por Antonio Conte (que também já foi técnico da Atalanta), foram conversar com os ultrà para acalmar a situação. Felizmente o jogo continuou.

Com a bola rolando, Pirlo achou Matri com um lançamento magnífico atrás da zaga. O atacante dominou com a perna direita e, com a esquerda, chutou com força para vencer Consigli. Conte voltou a dar chances para jogadores que não estavam sendo usados, como Storari, Cáceres, Padoin, Isla e De Ceglie. Denis, artilheiro da Atalanta, chegou a acertar a trave depois de uma bobeira de Cáceres. Esse foi o único lance de perigo dos donos da casa na partida meia-boca em Bérgamo. A Juve pega o Cagliari no fim de semana; a Atalanta encara a Udinese, fora de casa. (Murillo Moret)

Siena 0-1 Fiorentina

Após a derrota para a Roma, que atrapalhou seus planos de voltar à LC, a Fiorentina voltou a fazer sua parte e venceu o Siena no dérbi toscano. O problema é que os viola precisarão torcer por dois tropeços do Milan (que enfrenta Roma e Siena nas próximas rodadas) para sonhar com a máxima competição europeia. Difícil.

O jogo foi morno e acabou decidido por um gol ainda no primeiro tempo, de Gonzalo Rodríguez. O zagueiro argentino chegou aos seis gols no campeonato e é o grande artilheiro entre os defensores, nesta temporada. Com a vitória, a Fiorentina praticamente rebaixou o rival toscano, já que o Siena agora está seis pontos atrás do Genoa, primeiro time salvo na tabela. Na próxima rodada, os florentinos jogam em casa contra o Palermo e devem ser carrascos de novo. (NO)

Roma 0-1 Chievo
Diante de sua torcida, a Roma fez uma das piores partidas do ano e acabou derrotada pelo Chievo, com gol já no fim da partida. O esforço de Totti (único ligado em campo, mas também muito abaixo da méida) não foi suficiente para furar o bloqueio bem montado da equipe de Verona, que entrou escalada em um 5-3-2. A falta de velocidade e de criatividade da equipe da casa ajudou o Chievo a sair com o bom resultado da capital romana.

Em jogo muito fechado e sem muitas oportunidades do gol, o único destaque individual foi o goleiro Puggioni, que salvou sua equipe nas três vezes em que foi requisitado. O gol da vitória gialloblù saiu aos 90 minutos de jogo, em contra-ataque fulminante que acabou nos pés de Théréau. Com o resultado, o Chievo garante a permanência na Serie A na temporada que vem e a Roma sai da zona de classificação para a Liga Europa. (Rodrigo Antonelli)  

Palermo
2-3 Udinese
Jogo movimentado na Sicília. O Palermo em
busca da salvezza, a Udinese em busca de uma vaga na Liga Europa. Melhor para
os bianconeri, que chegaram a sexta vitória consecutiva, ultrapassaram a Roma e entraram
na “zona Uefa” pela primeira vez numa temporada em que se esperava pouco do
time de Guidolin. A equipe realmente começou mal, porém vem em grande ascensão. Os
anfitriões, por sua vez, foram mais perigosos durante o jogo, mas não conseguiram
os três pontos e ficaram em situação ainda mais complicada na tabela, agora a
quatro pontos do Genoa.
No Renzo Barbera, o colombiano Muriel abriu o placar logo aos nove minutos. Após receber lançamento de Gabriel Silva,
passar por um marcador e finalizar no canto alto de Sorrentino, marcou seu
décimo gol na temporada. Melhor até então, o Palermo só conseguiu empatar aos
34, depois de Miccoli ser derrubado por Heurtaux na área. Na cobrança, o “Romário
de Salento” bateu bem e igualou o marcador. No segundo tempo, também aos nove
minutos, a Udinese teve a chance de ampliar, porém Di Natale teve seu pênalti
defendido por Sorrentino. O camisa 10 só viria se redimir dez minutos depois,
quando cobrou o escanteio e Angella acertou bonito cabeceio (o quarto gol do jovem
zagueiro, todos de cabeça). Hernández voltou a empatar com um chutaço de fora da área, mas, já no final, os visitantes fizeram o terceiro. Após bate-rebate na área rosanero, Sorrentino rebateu e a bola sobrou nos pés de
Benatia. (AB)

Torino 0-0 Genoa 
Em partida entre duas equipes que beiram a zona de rebaixamento, os torcedores que foram ao Estádio Olímpico de Turim não tiveram motivos para se empolgar. Nenhuma das duas equipes se arriscou muito e o jogo ficou mais disputado na força física do que baseado na técnica. O empate começou ainda na escalação dos times, que entraram no 5-3-2, claramente mais preocupadas em não tomar gol.

Até por isso, o resultado foi comemorado pelos dois times. Do lado do Torino, o empate foi importante para interromper a série negativa de quatro derrotas consecutivas. Para o Genoa, o empate fora de casa significou o quinto jogo sem perder, série que o deixa afastado quatro pontos da zona de rebaixamento. Dessa forma, Ventura e Ballardini vêem seus times mais próximos da salvezza e, consequentemente, seus empregos fora de risco. (RA)

Sampdoria 1-1 Catania
O empate em 1 a 1 no Luigi Ferraris e a derrota do Palermo salvou a Sampdoria, matematicamente, do rebaixamento. De Silvestri colocou a equipe mandante na frente do marcador ainda no primeiro tempo. Até a metade do segundo tempo, a Doria era o único time que mandava seus jogos e estava vencendo. Após a tripletta na última rodada, Bergessio não foi à rede em Gênova. No entanto, o atacante deu assistência para Spolli, de cabeça, empatar a partida e definir o resultado final.

Com 52 pontos, o Catania se manteve na 9ª colocação, um ponto atrás da Inter. Na próxima rodada, a equipe da Sicília encara o Pescara, em casa. A Sampdoria tem o mesmo número de pontos que a Atalanta (39) e, após a derrota do Palermo no Renzo Barbera contra a Udinese, o time está salvo do rebaixamento. No domingo, os blucerchiati enfrentam a Lazio, em Roma. (MM)

Cagliari 0-1 Parma
Já sem pretensões na Serie A e esperando as férias, Cagliari
e Parma se enfrentaram em Trieste. Melhor para o time emiliano, que conseguiu
a primeira vitória fora de casa no ano de 2013, graças a um gol no final do
jogo. Por outro lado, os sardos chegaram a terceira partida sem fazer gols e à quarta partida sem vitória. Em campo, a surpresa ficou por conta da não
escalação de Sau no time titular. Em seu lugar, Ivo Pulga colocou Ibarbo para
fazer companhia a Thiago Ribeiro e Nenê. Porém, o ataque rossoblù pouco
produziu enquanto o Parma criou algumas oportunidades com Amauri e Parolo.

Para a segunda etapa, o cenário foi o mesmo. Poucas emoções,
com chances dos dois lados sem muito perigo. Ibarbo obrigou Mirante a fazer uma
bela defesa e Belfodil deu o troco, mas a bola foi salva por Nenê antes que ela
entrasse. Quando se encaminhava para o empate, Amauri cabeceou forte, Agazzi
deu rebote e Rosi completou para o gol para garantir a vitória crociata. Agora
com 46 pontos, o Parma chegou à 10ª colocação e o Cagliari continua na 11ª com
43. (CD)

Relembre a 35ª rodada aqui.

Confira estatísticas, escalações, artilharia, além da classificação do campeonato, aqui.

Seleção da rodada

Marchetti (Lazio); Zúñiga (Napoli),
Rodríguez (Fiorentina), Palombo (Sampdoria), Andreolli (Chievo);
Dzemaili (Napoli), Pirlo (Milan), Flamini (Milan), Onazi (Lazio);
Balotelli (Milan), Muriel (Udinese). Técnico: Massimiliano Allegri
(Milan).

Deixe um comentário