Serie A

38ª rodada: Fim do campeonato, não das polêmicas

O pênalti da discórdia: penalidade inexistente convertida por Balotelli abriu o caminho para a vitória do Milan, que garantiu a vaga na Liga dos Campeões. A Fiorentina reclama muito (UOL)

Apenas quatro jogos valiam alguma coisa nesta última rodada da Serie A: Siena-Milan e Pescara-Fiorentina, que valia uma vaga na Liga dos Campeões, e Inter-Udinese e Cagliari-Lazio, que definiria uma vaga na Liga Europa. No fim das contas, Milan e Udinese, que estavam à frente dos rivais Fiorentina e Lazio, acabaram garantindo suas vagas, mas a polêmica falou muito alto no jogo da equipe rubro-negra. Jogando muito mal, o Diavolo ia perdendo para o rebaixado Siena, enquanto via a Fiorentina destroçar o também rebaixado Pescara. Até que, aos 38 minutos do segundo tempo, Mauro Bergonzi cometeu um erro que mudou a história do jogo, marcando pênalti a favor da equipe visitante. Acompanhe o resumo da rodada.


Siena 1-2 Milan
Drama rossonero na Toscana. Porém, com final feliz: a vaga no play-off da próxima Liga dos
Campeões foi garantida, desbancando a Fiorentina. O resultado foi alcançado faltando apenas três minutos para o fim do tempo regulamentar. Ou seja, o Milan de Allegri sofreu mais do que devia e se esperava, porém alcançou o
objetivo traçado no início da “maluca” temporada 2012-13. Já rebaixado, o Siena
tentou mostrar um pouco de dignidade diante sua torcida e deu trabalho para
Abbiati e alguns sustos nos milanistas.
Superior desde o primeiro minuto, o Milan mais uma vez sofreu com a
falta de criatividade na frente, mesmo com a volta de Montolivo, e também nas
conclusões. Antes do gol do Siena – com Terzi, após passe de Rosina -, o time de
Milão já havia finalizado seis vezes contra o gol de Pegolo, que teve grande
noite, apesar da falha no gol da vitória rossonera. Mesmo com as substituições
no segundo tempo, a equipe de Allegri demonstrou muitas dificuldades em chegar
ao empate, o que só viria acontecer depois de perder o capitão Ambrosini,
expulso – Terlizzi, do Siena, também acabou expulso pouco depois. Após marcação
questionável de Bergonzi, Balotelli empatou, cobrando pênalti aos 84. Três minutos
depois, bola levantada na área por Montolivo e Mexès foi mais esperto no
bate-rebate para dar a vitória e a classificação ao Milan. No próximo ano, no entanto, Allegri não deve comandar o time na LC. (Arthur Barcelos)

Pescara 1-5 Fiorentina
Também jogando contra uma equipe rebaixada, a Fiorentina fez a sua parte e aplicou uma goleada avassaladora contra um Pescara cheio de reservas. A equipe violeta não tomou conhecimento do adversário e no primeiro tempo já fazia 3 a 0, com dois de Ljajic e um de Fernández. Todas as jogadas foram criadas pelo lado direito, no qual Fernández, Valero e Cuadrado brincavam, com poucos incômodos.

Com a confiança em alta, a Fiorentina fez 5 a 0 antes dos 15 minutos do segundo tempo, com seus dois artilheiros na temporada: Jovetic (13 gols) e Ljajic (11). O jovem Vittiglio ainda diminuiu para o Pescara e a Fiorentina ainda deu minutos de futebol a Giuseppe Rossi, que não entrava em campo desde outubro de 2011. Com o resultado, a equipe ia se classificando à LC com muita moral, mas tudo foi abaixo após a virada do Milan sobre o Siena, nos últimos minutos. A frustração provocou muita revolta entre jogadores e diretores da equipe, que atacaram a arbitragem de Bergonzi no jogo do Milan. De qualquer forma, a equipe tem muito a crescer na próxima temporada, com a adaptação de Rossi e, sobretudo, com as permanências de pilares como Cuadrado, Valero, Pizarro, Jovetic e Ljajic. E, claro, do técnico Montella. (Nelson Oliveira)

Sampdoria 3-2 Juventus

Sob muita chuva, a Sampdora recebeu a Juve, em Gênova, e se tornou o único time italiano na temporada a vencer a Velha Senhora duas vezes. A única outra equipe a conseguir isso no último ano foi o Bayern de Munique, nas quartas de final da Liga dos Campeões. Porém, não foi fácil alcançar esse feito. A equipe bianconera foi melhor durante praticamente todo o jogo, inaugurou o placar do jogo, mas depois pecou muito nas finalizações. A Samp, por outro lado, aproveitou as poucas oportunidades que teve e permaneceu sempre bem posicionada em campo.  

O primeiro gol saiu depois de grande passe de Pirlo para Quagliarella. O atacante tirou do goleiro e mandou para o fundo das redes. Cinco minutos depois, porém, Chiellini e Icardi dividiram bola no alto, dentro da área, e o juiz marcou penalidade duvidosa para os donos da casa. Éder empatou a partida. A Juve continuou esbarrando no goleiro Da Costa e levou a virada no início do segundo tempo, quando De Silvestri desviou escanteio para o gol. Aos 30 minutos, o jovem Icardi completou contra-ataque fulminante e fez 3 a 1. Giaccherini ainda diminuiu, aos 45, e Bonucci perdeu a chance de empatar, aos 47. (Rodrigo Antonelli)

Inter 2-5 Udinese
A temporada da Inter não poderia acabar de outra maneira se não com um vexame em casa. E, assim foi contra a Udinese: 5 a 2, com direito a papelão da defesa em quatro dos cinco gols. Com os cinco gols sofridos em casa (foi a oitava vez em quase 20 anos), a defesa da Inter se tornou a segunda pior do torneio, com 57 gols sofridos, contra 84 do Pescara. Quem agradeceu foi a Udinese de Francesco Guidolin, que garantiu a classificação à Liga Europa. O próprio Guidolin, que torce para a Inter, chegou a ser especulado para substituir Stramaccioni na Inter. Strama, ao que tudo indica, deve ser demitido – Mazzarri, do Napoli, é o favorito para substitui-lo.

No jogo, três gols aconteceram antes dos 15 minutos – algo que ainda não tinha acontecido no campeonato. Logo no primeiro minuto, Pinzi humilhou Juan Jesus e bateu na saída de Handanovic. Aos 10, Domizzi, sozinho, cabeceou para as redes. Juan até diminuiu, após frango de Brkic, aos 12, e a Inter cresceu no jogo, mas Di Natale marcou um golaço, com um belo chute, aos 40 minutos. No segundo tempo, Gabriel Silva deixou mais um gol brasileiro na partida, depois de contra-ataque que Nagatomo não conseguiu acompanhar. Rocchi diminuiu novamente, mas três minutos depois, a defesa da Inter resolveu fazer o público rir e, em jogada digna de um show de humor, Muriel aproveitou e deu números finais ao jogo e, possivelmente, à azarada passagem de Stramaccioni pelo clube. (NO)

Roma 2-1 Napoli
A passagem de Mazzaeei pelo Napoli, ao contrário, não foi nada azarada. Porém, com derrota, o técnico toscano se despediu de seus cargos em um jogo que não valeu nada, no Olímpico. Mazzarri é o favorito para assumir a Inter e pode ser substituído justamente por um ex-técnico do clube de Milão: Rafa Benítez.

A rivalidade dos dois times, que fazem o Derby del Sole, mal foi vista em campo, numa partida bem jogada, mas em ritmo de treino. A Roma abriu o placar no início do segundo tempo, com um petardo de Marquinho, e ampliou doze minutos depois, aos 14, com um bonito gol de Destro. O Napoli chegou a diminuir com Cavani, que se sagrou artilheiro do campeonato com 29 gols marcados, mas foi só. Na Roma, Andreazzoli pode comemorar: a equipe ficou em 6º, à frente da rival Lazio, que ficou logo atrás. O técnico interino pode encerrar sua passagem com um título justo sobre a adversária romana, se vencer a Coppa Italia no próximo domingo. (NO)

Cagliari 1-0 Lazio

O Cagliari venceu a Lazio por 1 a 0, com gol de Dessena, para encerrar sua participação na Serie A 2012-13. Apesar de não ter as presenças dos defensores Ariaudo, Murru, Del Fabro, Pisano e Perico, a equipe da casa não teve tantos problemas para parar o sistema ofensivo laziale, sem Hernanes. A única chance de gol dos biancocelesti veio com Candreva, posicionado como trequartista atrás de Kozák e Klose, mas Avramov fez boa defesa. O Cagliari também não criou tantas chances assim. Na convertida, Dessena desviou, de cabeça, a falta cobrada por Cossu e deu a vitória ao time da Sardenha.  

A partida em Triste encerrou a temporada do Cagliari em sua casa de veraneio. Ainda existe indefinição de qual estádio os sardenhos utilizarão na próxima época. Do lado laziale, a derrota tirou a Lazio das competições europeias via campeonato nacional. A única chance de jogar a próxima Liga Europa será pela Coppa Italia, que terá no domingo a sua batalha final. (Murillo Moret)

Palermo 1-3 Parma

Após nove anos na elite do futebol italiano, o Palermo deu adeus à Serie A com derrota para o Parma, por 3 a 1, no Renzo Barbera.  O capitão Miccoli teve a primeira chance do jogo, com um voleio aos 3 minutos de jogo, mas Mirante fez a defesa. O goleiro do Parma, aliás, fez milagre na etapa inicial: Abel Hernández chutou na trave, Formica finalizou, no rebote, e Mirante salvou em cima da linha. Miccoli ainda fez o goleiro palermitano trabalhar novamente antes do Parma ter uma clara chance de gol. Aos 37, Sanseverino salvou em cima da linha uma finalização de Belfodil. No entanto, no minuto seguinte, Gobbi fez um golaço, de voleio, para abrir a contagem. Ainda no primeiro tempo, Valdés e Belfodil marcaram, destruindo a equipe palermitana em questão de minutos.

Miccoli fez o único gol da etapa complementar, o único do Palermo. Foram poucos os torcedores do rosanero que compareceram ao estádio, porém, uma enorme faixa foi levada para homenagear o capitão, que está de saída neste verão. O Palermo, que retorna à Serie B, também deve ter a baixa de Ilicic, sondado por grandes clubes para a próxima janela. O Parma termina a temporada bem no meio da tabela, na 10ª colocação. (MM)

Atalanta 2-2 Chievo
Num dos muitos jogos que já não valia nada na rodada, Atalanta e Chievo fizeram
uma partida morna até os minutos finais, quando buscaram desesperadamente
evitar a derrota e acabaram ficando no empate. Digno para os dois,
que terminaram o campeonato em 15º e 12º, respectivamente.
Com uniforme
em homenagem
ao time
campeão da Coppa Italia de 1963
, a Atalanta saiu na frente do placar logo
aos oito minutos, quando Stendardo aproveitou sobra de bola na pequena área. Mais
contundente e com o domínio da posse de bola, a Dea controlou os primeiros 45
minutos, o que se inverteu no segundo tempo. Atrás do empate, o Chievo se
lançou ao ataque e só conseguiu ir às redes no minuto 76, com Théréau. O time
de Vêneto seguiu em cima, porém Giorgi voltou a colocar o time da casa na
frente. No último lance da partida, Théréau voltou a marcar e decretou o
empate, chegando a 11 gols na Serie A. (AB)

Bologna 0-0 Genoa
Depois de conseguir a salvezza
na última rodada com um empate ante a Inter e graças a derrota do Palermo, o
Genoa encerrou a temporada visitando o Bologna, que já havia se garantido na
elite à duas rodadas e fez uma campanha mais que honrosa, com mínimos riscos de
rebaixamento e ainda conseguindo pontos surpreendentes como as vitórias contra
Roma, na capital e o Napoli, por duas vezes seguidas, primeiro na Serie A e na
mesma semana pela Coppa Italia.
No campo do Renato Dall’Ara, equilíbrio no início de jogo,
com boas chances criadas por Borriello, pelo Genoa, e Kone, pelo Bologna, que chegou
a balançar as redes mas em impedimento. Aos 25, o goleiro
Stojanovic fez grande defesa em lance de Floro Flores, no que foi a última
grande chance da equipe no jogo. Após isso, o Bologna tomou conta dapartida e
ainda na primeira etapa teve grande chance de abrir o marcador, novamente com
Kone, que em um belo chute cruzado, acertou o travessão de Donnaruma. Na
segunda etapa, pressão bolonhesa, que obrigou o promissor arqueiro formado na
base do Milan a trabalhar em chute de Christodopoulos e em cobrança de falta de
Diamanti. O trequartista, aliás, fez um grande jogo, no que pode ter sido seu
último pelo time rossoblù. Ao final do jogo, um empate que encerrou a boa
temporada do time emiliano, com 13ª colocação e um pífio 2012-13 lígure. A equipe se salvou por apenas seis pontos, ficando na 17ª posição. (Caio Dellagiustina)
Torino 2-2 Catania
Um duelo em que as duas equipes tiveram o que celebrar.
Enquanto o Catania buscava consolidar a melhor posição e pontuação da equipe na
história da Série A, o Torino se despediu de um grande ídolo que durante cinco
anos fez história na equipe granata, não só levando-a de volta à primeira divisão
como também ajudando a mantê-la entre os 20 principais clubes do Belpaese. No final, um empate que deu a
ambas torcidas, a chance de festejar.
Quem festejou primeiro foram os comandados de Maran, mesmo
antes de abrir o placar, pois a Udinese vencia a Inter, único time que poderia
ultrapassar os sicilianos. Aos 25 minutos, a festa aumentou com o gol de Almirón,
que concluiu cruzamento rasteiro de Castro. O Toro chegou ao gol ainda na primeira
etapa, com Cerci, mas o árbitro Peruzzo anulou. O camisa 11 voltou
a comemorar no início da segunda etapa, dessa vez pra valer. Após receber belo
passe, bateu cruzado, com categoria, sem chances para Frison. Mas,
pouco tempo após o gol de empate, o Torino sofreu o segundo. Ogbonna bobeou
e perdeu a bola na entrada da área, Bergessio aproveitou e fuzilou no ângulo de
Coppola, deixando novamente os rossoazzurri em vatangem. O empate granata chegou
já no final, justamente dos pés de Bianchi, que se antecipou à zaga do Catania
e completou para o gol, marcando seu 77º e último pela equipe de Turim, que
encerra a competição novamente na parte de baixo. (CD)

Relembre a 37ª rodada aqui.

Confira estatísticas, escalações, artilharia, além da classificação do campeonato, aqui.

Seleção da rodada
Júnior Costa (Sampdoria); De Silvestri (Sampdoria), Astori (Cagliari), Mexès (Milan), Gabriel Silva (Udinese); Fernández (Fiorentina), Borja Valero (Fiorentina), Valdés (Parma), Pereyra (Udinese); Ljajic (Fiorentina), Di Natale (Udinese). Técnico: Francesco Guidolin (Udinese).

1 comentário

Deixe um comentário