Serie A

9ª rodada: Os pestinhas

Juventude do Milan deixa a torcida esperançosa por um futuro melhor (Getty)

O Milan é apelidado de Diavolo por seus torcedores. Quando os diabos são comandados por jogadores de menos de 20 anos tomamos a liberdade poética de apelidar esta geração de “os pestinhas”. Pois bem, com exibições fantásticas dos garotos Donnarumma e Locatelli, os rossoneri aprontaram diante dos veteranos da Juventus, a Velha Senhora, e diminuíram a vantagem bianconera na liderança: agora, a Juve tem apenas 2 pontos a mais que Milan e Roma. A 9ª rodada teve 33 gols e, até agora, foi a mais movimentada do campeonato 2016-17. Contribuíram para isso mais uma goleada romanista, o placar bailarino em Cagliari-Fiorentina, o empate entre Torino e Lazio, a reação do Napoli e mais uma derrota da Inter. Confira o resumo do fim de semana.

Milan 1-0 Juventus

Locatelli (Suso)

Tops: Donnarumma e Locatelli (Milan) | Flops: Higuaín e Cuadrado (Juventus)

Quem diria que, após o mercado mais caro dos últimos tempos, a Juventus cairia em San Siro para os dois times em baixa de Milão, algo que não acontecia desde 2009-10, uma época dramática para os bianconeri. Depois da Inter, foi a vez de o Milan vingar tanto tempo apanhando da rival, além de quebrar um tabu de quatro anos sem vencer no confronto pelo campeonato e em casa. Mais incrível ainda é que jogadores nascidos em 1998 (Locatelli) e 1999 (Donnarumma) foram protagonistas na conquista do jovem Diavolo. Na segunda derrota na temporada, a equipe de Allegri viu a diferença na liderança ser diminuída para dois pontos justamente para o adversário de sábado, que agora está invicto há seis partidas.

Depois do primeiro gol como profissional contra o Sassuolo, no início do mês, Locatelli acabou assumindo a titularidade depois da grave lesão do capitão Montolivo. Ainda longe da maturidade, com apenas 18 anos, o meio-campista tem lidado bem com a pressão e fez partida sólida diante do forte meio-campo juventino. Apesar disso, foi seu segundo gol que realmente fez brilhar sua estrela: e que gol, em lindo chute da entrada da área, sem qualquer chance para Buffon. O veterano goleiro juventino, aliás, ainda viu seu xará menor de idade ser decisivo no final – Donnarumma só não parou o gol mal anulado de Pjanic, que deixou os visitantes na bronca. O erro da arbitragem não serve como álibi para o desempenho da Velha Senhora, que perdeu muita criatividade sem Dybala, que se lesionou e foi substituído ainda no primeiro tempo por Cuadrado. O colombiano não foi bem como segundo atacante e isolou Higuaín, que mais uma vez nem sequer acertou o gol.

Roma 4-1 Palermo
Salah (Dzeko), Paredes, Dzeko (Florenzi), El Shaarawy (Salah) | Quaison (Goldaniga)

Tops: Salah e Dzeko (Roma) | Flops: Juan Jesus (Roma) e Posavec (Palermo)

O
melhor ataque do campeonato deu mais uma amostra da sua força,
que aparece especialmente em casa. Para se ter ideia, entre Serie A e Liga Europa, os
giallorossi marcaram mais de três gols em seis partidas e tem Dzeko liderando o ranking europeu de jogadores com mais gols e assistências somados: artilheiro da Serie A, com oito gols, tem também três passes para os companheiros marcarem.

 Dessa vez, contra o fraquíssimo Palermo, a Loba contou a ajuda de Posavec para
marcar seus dois primeiros gols, com Salah e Paredes, os
jogadores mais criativos e essenciais para o sistema de Spalletti. Novamente Dzeko foi decisivo e depois da assistência para o egípcio,
marcou o terceiro graças a uma assistência de Florenzi, que deveria descansar,
mas teve que sair do banco para substituir um desastroso Juan Jesus.
Quaison descontou no final do jogo, mas El Shaarawy respondeu
tranquilizando e assegurando mais uma vitória.

Atalanta 2-1 Inter
Masilello (Kurtic) e Pinilla (Atalanta) | Éder (Brozovic)

Tops: Kurtic e Kessié (Atalanta) | Flops: Icardi e João Mário (Inter)

Bipolar, a Inter chega a uma sequência de três derrotas consecutivas, posterior a uma sequência de vitórias. Apesar dos resultados negativos, o time
de De Boer mostrava crescimento como equipe e melhorava seu jogo, mas,
novamente, a pressão por vitórias e melhor posição na tabela pesaram.
Além das críticas da imprensa e falta de respeito com o
holandês, os jogadores mais experientes da equipe pediram para o
comandante mudar alguns conceitos. Não sabemos ao certo se o treinador
seguiu o conselho ou se os jogadores simplesmente fizeram o que
queriam. O fato é que, diante da Atalanta, histórica asa negra
interista, a Beneamata teve sua pior atuação no campeonato e foi
completamente dominada pela equipe física e intensa de Gasperini, que
dominou a partir de Kurtic e Kessié e com os alas ganhando todas as bolas.

Sem Banega e Candreva, além da postura diferente, a Inter jamais
conseguiu ter controle e trocar passes no campo adversário e nem mesmo finalizou no primeiro tempo, que terminou com 1 a 0 no placar, graças ao gol de Masiello, aos 9 minutos, Pouco após o intervalo, Éder empatou com
golaço em cobrança de falta improvisada com Brozovic, e quase virou, com lance de sorte. No entanto, Santon fez pênalti estúpido e o ex-interista
Pinilla marcou o gol da vitória. Um episódio que reflete bem a confusão
na gestão e em campo que a Inter vive. A Dea, que não tem nada a vez com
isso, já tem quatro vitórias e 13 pontos, enquanto Gasperini pode
respirar mais confortável depois de sequência ruim que quase o derrubou
de um projeto interessante.

Crotone 1-2 Napoli
Rosi (Claiton) | Callejón, Maksimovic (Strinic)

Tops: Callejón e Maksimovic (Napoli) | Flops: Martella (Crotone) e Gabbiadini (Napoli)

Apesar
da expulsão e da má atuação de Gabbiadini, o Napoli voltou a vencer após três derrotas. Longe de jogar bem, até mesmo
porque atuou mais de 60 minutos com um a menos, a equipe de Sarri
cumpriu seu dever e bateu o novato Crotone ainda no primeiro tempo, com
Callejón e Maksimovic. A vitória deixa os napolitanos ainda próximos da
dupla Roma e Milan e diminui a desvantagem para a Juventus.

Em
campo, Callejón e Mertens acertaram bastante o gol de Cordaz, autor de
cinco defesas, mas os dois gols no primeiro tempo foram suficientes para
assegurar a vitória. Não para um jogo tranquilo, já que os anfitriões
reagiram na segunda etapa e ameaçaram o gol de Reina, mas marcaram seu
gol muito tarde, já aos 89 minutos, com Rosi. O rodado lateral foi o autor do primeiro gol dos squali em seu estádio em uma partida da Serie A. Enfim liberado após reformas, o estádio Ezio Scida será uma arma a mais para os calabreses tentarem a improvável salvezza.

Cagliari 3-5 Fiorentina
Di Gennaro (Murru), Capuano (Di
Gennaro), Borriello (Di Gennaro) | Kalinic (Tello), Bernardeschi
(Kalinic), Bernardeschi (Ilicic), Kalinic (Bernardeschi), Kalinic
(Tello)

Tops: Di Gennaro (Cagliari) e Kalinic (Fiorentina) | Flops: Storari (Cagliari) e Tatarusanu (Fiorentina)

O
caos foi visto ontem na Sardenha. Em sete partidas, a Fiorentina de péssima
campanha tinha míseros seis gols marcados, reflexo de um
jogo horizontal até demais de Paulo Sousa. Nesse domingo, porém, a viola
aproveitou a confusão e relaxamento dos anfitriões para marcar quatro vezes
em 20 minutos, a partir do tridente formado por Kalinic, Bernardeschi e Tello.

O croata, que
já tinha se redimido na quinta-feira na Liga Europa, contribuiu quatro
vezes, com três gols e uma assistência. O italiano, melhor jogador no
início de temporada lento, fez dois e deu outra assistência. Já o
espanhol, também apático nas primeiras rodadas, entregou dois
cruzamentos precisos para abrir e fechar o marcador dos visitantes. O
Cagliari, por sua vez, teve péssimo desempenho defensivo e viu a
sequência de três vitórias interrompidas. De qualquer forma, Di Gennaro
teve tanto destaque quanto os adversários goleadores, já que foi autor de um gol e
duas assistências. Cria do Milan, finalmente o meio-campista de 28 anos vai despontando na Serie A.

Torino 2-2 Lazio
Falqué (Zappacosta), Ljajic (pênalti) | Immobile (Felipe Anderson), Murgia (Felipe Anderson)

Tops: Falqué (Torino) e Felipe Anderson (Lazio) | Flops: Baselli (Torino) e Keita (Lazio)

Havia
certa expectativa sobre o confronto entre Torino e Lazio, e as equipes
de Mihajlovic e Inzaghi responderam com um jogo caótico, entre indas e
vindas e muitos contra-ataques em alto ritmo, mas pobre tecnicamente – o que explica as várias perdas de posse de bola e passes errados. Este é um
cenário que exaltas as forças de ambos, mas foi exatamente a falta de
precisão e concentração que evitaram que alguém saísse com a vitória em
Turim.

Os anfitriões abriram o placar com o espanhol Falqué, jogador grená com
maior participação em gols no campeonato (cinco gols e três
assistências), enquanto os visitantes viraram a partir do brasileiro
Felipe Anderson, autor de duas assistências (agora líder no quesito com
quatro). O medalhista de ouro brasileiro contribuiu para o ex-granata Immobile marcar golaço de voleio e o jovem Murgia
virar, com seu primeiro gol como profissional. Até o início da prorrogação do segundo tempo, os laziale venciam,
mas Cataldi fez pênalti e coube a Ljajic, outro ex-romanista, castigar a Lazio.
Resultado que mantém as equipes empatadas na parte superior da tabela,
em 5º e 6º lugares, respectivamente, e que dá ao Toro seu melhor início de temporada desde a histórica gestão de Mondonico, em 1992-93.

Sampdoria 2-1 Genoa

Muriel (Quagliarella) e Izzo (contra) | Rigoni (Edenílson)

Tops: Muriel e Silvestre (Sampdoria) | Flops: Izzo e Orbán (Genoa)

Cumprindo as expectativas, Sampdoria e Genoa protagonizaram mais um ótimo Derby della Lanterna. Dessa vez, por incrível que pareça, o jogo não foi nem tão físico e nervoso, mas acabou sendo bastante movimentado. O time de Giampaolo surpreendeu com postura mais cautelosa, buscando contra-ataques e mudando sua estratégia tradicional de controle e posse de bola – cenário que ajudou bastante Muriel a ser o melhor em campo e exigir bastante de Perin. Com a bola, o time de Juric (que, suspenso, viu o jogo das tribunas) teve dificuldade criativa, mesmo porque não tem jogadores com capacidade para apoiar um jogo de mais mais controle, com exceção de Miguel Veloso.

Sem vencer havia seis rodadas, os dorianos triunfaram a partir de Muriel e Quagliarella: o colombiano abriu o placar, mas o Genoa empatou em uma jogada fotocópia, quando Rigoni desviou cruzamento rasteiro. Quagliarella poderia se consagrar, já que deu assistência no primeiro gol e sofreu pênalti questionável, mas teve cobrança defendida por Perin. O goleiro, no entanto, falhou e espalmou erradamente um cruzamento, que bateu em Izzo e sacramentou a vitória rival. Interessante ainda destacar a participação de Puggioni, veterano goleiro reserva dos blucerchiati, que fez sua estreia no clube do qual é fervoroso torcedor e no qual foi revelado em 1999 justamente no clássico da cidade.

Bologna 1-1 Sassuolo
Verdi | Matri

Tops: Verdi (Bologna) e Cannavaro (Sassuolo) | Flops: Krejci (Bologna) e Iemmello (Sassuolo)

Quem
diria que Verdi, depois de tantos anos de desempenhos apagados na Serie A,
seria o único argumento ofensivo do Bologna de Donadoni. Pois o
talentoso ponta criado pelo Milan novamente foi o destaque dos rossoblù,
abrindo o placar com golaço de falta aos 10 minutos e exaltando sua
ambidestria, ao bater com o pé direito. Apesar disso, o camisa 9 não foi
seguido pelos companheiros, que atuaram em ritmo lento e foram pouco participativos. Já o
Sassuolo deu outra mostra de como joga mal fora de casa, e pouco fez
até o empate de Matri, que surgiu totalmente do acaso e a partir da fatal
desconcentração adversária.

Udinese 3-1 Pescara
Théréau (pênalti), Théréau e Zapata (pênalti) | Aquilani (Caprari)

Tops: Théréau e Fofana (Udinese) | Flops: De Paul (Udinese) e Benali (Pescara)

Nada mal o início do trabalho de Delneri em Údine. Depois da boa partida contra a Juventus, os friulanos venceram em casa e superaram cinco partidas sem vitória. Contra o Pescara, o veterano Théréau, que renovou contrato recentemente, mais uma vez foi o grande destaque da Udinese e marcou dois gols – Kums, Fofana e Zapata também tiveram bom desempenho. No time de Oddo, que tem apenas uma vitória (no tribunal) em nove rodadas, preocupa a falta de resultados diante do bom futebol apresentado, especialmente por Caprari. O jogador formado na Roma e já adquirido pela Inter, acertou a trave dos anfitriões, deu bastante trabalho e passou para Aquilani marcar o único gol dos visitantes. Pouco para evitar a quarta derrota da equipe que mais empatou no campeonato – também quatro vezes.

Empoli 0-0 Chievo
Tops: Costa (Empoli) e Gamberini (Chievo) | Flops: Maccarone (Empoli) e Castro (Chievo)

Que péssimo início de temporada do Empoli: reflexo de um apático Saponara, melhor jogador da equipe. O time do iniciante treinador Martusciello tem apenas uma vitória e chegou a míseros seis pontos com o empate, o que o mantém estacionado na zona de rebaixamento. O Chievo também não viveu um dia bom, especialmente por causa da má atuação de Birsa, principal fonte criativa do time. Os zagueiros Costa e Gamberini acabaram como tímidos destaques, assim como os goleiros Skorupski e Sorrentino, que também não tiveram tanto trabalho. Em um raro lance de perigo, o Chievo pediu gol, mas esqueceu que na Itália a tecnologia é usada para decidir lances assim – foi até engraçado ver o argentino Castro argumentando com o árbitro. Na rodada mais movimentada do campeonato, um 0 a 0 chato protagonizado pelo Chievo não é surpresa, mas a equipe de Maran segue no topo, na 7ª posição com 14 pontos.

*Os nomes entre parênteses nos resultados indicam os responsáveis pelas assistências para os gols

Relembre a 8ª rodada aqui.
Confira estatísticas, escalações, artilharia, além da classificação do campeonato, aqui.

Seleção da rodada

Donnarumma (Milan); Maksimovic (Napoli), Silvestre (Sampdoria), Romagnoli (Milan); Bernardeschi (Fiorentina), Linetty (Sampdoria), Kessié (Atalanta), Locatelli (Milan), Salah (Roma); Dzeko (Roma), Kalinic (Fiorentina). Técnico: Vincenzo Montella (Milan)

A Liga Serie A disponibiliza os melhores momentos da rodada em seu canal oficial. Veja os melhores momentos dos jogos abaixo.

1 comentário

  • 9° giornata. Mais uma vez a Inter decepciona seus torcedores, muito embora o jogo tenha sido no Atleti Azzurri D'Itália. Assim, dos 7 grandes é o pior colocado: 14° colocada. O milan, com o prodígio feito no juventus stadium, ganhou um grande incentivo para brigar ate mesmo pela cabeça da tabela. Se vencer o Genoa hoje no Luigi Ferraris (e eu creio que vença), dorme na liderança. Por outro lado, eu esperava mais do napoli, que sofreu muito para bater o lanterna crotone no ezio scida. Se quer brigar pelo titulo nao pode se apertar contra o lanterna, unico que ainda nao venceu neste campeonato. Quanto a Juventus, nao se confie muito, pois futebol é uma caixinha de surpresas e na sua cola estão grandes clubes com potencial para papar o scudetto. Quem mais se beneficiou na rodada foi a Atalanta, que subiu de 15° lugar para o 8°. As maiores decepçoes foram inter e palermo, que só nao é pior que o crotone. Quanto a jogadores, meu destaque vai para Bernardeschi, meia da squadra nazionale e da Fiorentina que acabou com a pessima defesa do Cagliari em pleno Sant'elia. Arrivederci.

Deixe um comentário