Serie A

24ª rodada: enquanto Juve dispara, Piatek consolida Milan na acirrada briga pela UCL

Na 24ª rodada do Campeonato Italiano, apenas um jogo terminou empatado. Napoli e Torino não saíram do 0 a 0, deixando o lado branco e preto da capital do Piemonte ainda mais feliz: afinal, agora são 13 pontos de vantagem da Juve na liderança. No total, a Velha Senhora somou 66 em 24 rodadas, o que equivale a um absurdo aproveitamento de 91,7%.

Com uma média de 2,6 gols por partida, a jornada foi muito boa para os times de cima da tabela, que, à exceção dos napolitanos, ganharam terreno na busca por seus objetivos. Os mandantes fizeram valer a força de jogar no seu campo e saíram vitoriosos em seis jogos. Os visitantes que se deram bem foram Fiorentina e Milan, que de virada conseguiram levar os três pontos para suas casas. Com os resultados do fim de semana, a dupla de Milão e a Roma deram uma escapadinha, já que quatro pontos separam a Lazio, sétima colocada, da zona de classificação para a Champions League. A disputa deve continuar apertada nas próximas rodadas.

O VAR também trabalhou um pouco nesse final de semana, com um decisão curiosa em Ferrara. A Spal teve seu gol anulado e, no mesmo lance, ainda foi marcado um pênalti para a Fiorentina, por falta que aconteceu no começo da jogada. Do céu ao inferno em segundos. Os spallini se mantêm fora da zona de rebaixamento, enquanto o rival Bologna voltou a adentrar esta região indigesta após a derrota para a Roma, combinada ao triunfo do Empoli por 3 a 0 sobre o Sassuolo. Confira a seguir o resumo dos dez jogos!

Juventus 3-0 Frosinone
Dybala (Ronaldo), Bonucci e Ronaldo (Mandzukic)

Tops: Ronaldo e Dybala (Juventus) | Flops: Sportiello e Zampano (Frosinone)

No último jogo antes do conforto da Champions League contra o Atlético de Madrid, a Juventus recebeu em casa o penúltimo colocado Frosinone. Com a volta da dupla titular de zagueiros, formada por Chiellini e Bonucci, o time da casa não teve dificuldades e administrou a partida do começo ao fim. Logo no início, Dybala abriu o placar com um belo gol de fora da área, após passe de Cristiano Ronaldo. Foi o terceiro gol do argentino no campeonato: todos eles foram marcados nos primeiros 11 minutos de jogo.

Aos 16, veio o segundo. Num escanteio cobrado para a área, Mandzukic cabeceou e Bonucci, em cima da linha, aproveitou o rebote de Sportiello para colocar para dentro e confirmar o gol certo que o arqueiro havia evitado. Szczesny foi um espectador dentro de campo e só experimentou algum perigo em uma falta batida para fora por Viviani, no final do primeiro tempo. Depois do intervalo, o time de Turim só controlou o jogo, apesar das duras faltas que os jogadores do Frosinone fizeram. Com 63 minutos de bola rolando, Bentancur passou para Mandzukic, que só ajeitou para Ronaldo chutar de primeira, no canto do goleiro.

Desde o início do campeonato, Cristiano tem sido muito acionado e decisivo, embora nem sempre brilhante. Agora, na segunda metade da competição, sua regularidade vai se transformando em números expressivos. CR7 é o português com o maior número de gols feitos num ano na Itália e aumentou sua artilharia para 19 gols – ele também é o líder de assistências, com oito. Contra o Frosinone, pela segunda vez na carreira marcou gol e deu assistência por três rodadas seguidas – a outra foi em 2014, pelo Real Madrid. No mais, a Juve continua invicta contra o Frosinone, penúltimo colocado do campeonato com apenas 16 pontos.

Piatek continua a marcar um gol atrás do outro pelo Milan (EFE)

Atalanta 1-3 Milan
Freuler (Ilicic) | Piatek (Rodríguez), Çalhanoglu, Piatek (Çalhanoglu)

Tops: Piatek e Çalhanoglu (Milan) | Flops: Zapata e Berisha (Atalanta)

No grande jogo do sábado, a Atalanta, equipe com o melhor ataque da Serie A, com 50 gols marcados, enfrentou a melhor defesa da Europa desde dezembro – para quem só viu o início do campeonato, pasmem, é o Milan. O começo de jogo foi bem morno, mas o time visitante quase abriu o placar com o Kessié, ex-meia central dos nerazzurri. Os donos da casa responderam com a bola nas redes de Freuler, após uma bela jogada de Ilicic, que deixou o marcador no chão antes de dar o passe. Donnarumma chegou a tocar na bola mas não evitou o gol.

O Milan não conseguia acertar nada depois de ser vazado, mas a estrela de Piatek brilhou e o polonês surgiu para derrubar um tabu: a Atalanta nunca havia perdido jogos em que Ilicic marcou ou deu assistência. Primeiro, o matador rossonero empatou a partida com uma pintura: chute de primeira, no melhor estilo Ibrahimovic, num cruzamento de Rodríguez.

A disputa pela posição de número quatro da tabela estava acirrada, mas o time de Milão fez valer os seis jogos consecutivos sem perder fora de casa e a virada veio logo aos 55 minutos, com o turco Çalhanoglu. O camisa 10 aproveitou corte errado de Hateboer e arriscou um chute de fora da área, sem chances para o goleiro Berisha. Pouco tempo depois, Piatek marcou novamente, dessa vez de cabeça: se antecipou a Zapata eaproveitou saída errada do goleiro albanês para garantir a vitória do time.

O polonês tem seis gols em 400 minutos de jogo com a camisa do Milan, uma média de um a cada 66 giros no ponteiro. Por isso, se tornou o jogador mais rápido da história do Diavolo a alcançar esta marca. Com a vantagem de dois gols, foi só segurar o resultado. A Atalanta não perdia para o Milan havia sete jogos e, agora, ficou um pouco mais distante do sonho Champions, ao passo em que os rossoneri ficaram próximos. Nas 13 últimas campanhas em que somou pelo menos 42 pontos após 24 rodadas, o gigante lombardo ficou entre os quatro primeiros colocados da Serie A.

Inter 2-1 Sampdoria
D’Ambrosio (Perisic) e Nainggolan | Gabbiadini

Tops: Perisic (Inter) e Gabbiadini (Sampdoria) | Flops: Gagliardini (Inter) e Ekdal (Sampdoria)

A partida entre Inter e Sampdoria começou antes de a bola rolar. Icardi, depois de perder a faixa de capitão, ficou fora dos dois últimos compromissos da equipe, o que agitou os bastidores dos nerazzurri. Enquanto a paz entre as partes vai tentando ser costurada, Spalletti teve de fazer um esforço para evitar que as incertezas contaminassem o grupo. Conseguiu, pois a Beneamata jogou bem e conseguiu vencer. A bem da verdade, as duas equipes praticaram bom futebol desde o primeiro tempo, embora o placar não tenha sido aberto. Os goleiros Handanovic e Audero trabalharam muito e no começo do segundo tempo mantiveram o nível.

Foi aos 73 que o jogo ficou insano de verdade, com todos os gols saindo num intervalo de cinco minutos. Depois de ótima jogada e bola cruzada por Perisic, o lateral D’Ambrosio se infiltrou bem na área e abriu placar depois de desvio da zaga. Foi o quarto gol do defensor em dois anos: todos eles ocorreram em momentos difíceis para os nerazzurri e descomplicaram a vida do time, o que tem feito Danilo se tornar uma espécie de talismã. Dois minutos depois, em seu primeiro toque na bola, Gabbiadini aproveitou confusão na zaga mandante e empatou a partida.

A Beneamata não sentiu o golpe e, aos 77, definiu o placar com chute de média distância de Nainggolan. O belga, que quase anotara um golaço na etapa inicial, vinha sendo muito criticado pela torcida, mas parece começar a entrar nos eixos e uma trégua foi ensaiada – vide os aplausos dos presentes em San Siro, no momento de sua substituição. As cenas dos próximos capítulos indicarão se a bandeira branca será hasteada também para o ex-capitão Icardi – que assistiu a partida no estádio ao lado de Wanda Nara, sua esposa e empresária. Enquanto isso, mesmo num momento complicado a Inter respirou e atingiu 46 pontos, voltando a respirar mais aliviada na briga por uma vaga na Champions League. A Samp, por sua vez, perdeu seus três últimos compromissos e se afastou da zona europeia.

Assim como diante do Parma, Nainggolan foi decisivo para a Inter; Perisic também voltou a jogar bem (Getty)

Napoli 0-0 Torino

Tops: Insigne (Napoli) e Sirigu (Torino) | Milik (Napoli) e Aina (Torino)

O único placar zerado nesta rodada aconteceu justo com o Napoli, que precisava vencer para não deixar a distancia da líder Juventus aumentar para 13 pontos. Em seu primeiro jogo da Serie A sem o ídolo Hamsík, o time da Campânia voltou a apresentar dificuldades para colocar a bola nas redes e somou seu terceiro 0 a 0 em cinco rodadas disputadas em 2019. Se há algum alento, ele reside no fato de que a equipe de Nápoles não foi vazada em seus quatro últimos compromissos – uma sequência tão grande não lhe acontecia desde novembro de 2015.

É verdade que chances não faltaram para os dois times, que estão entre as defesas que menos sofrerem chutes ao seu gol, mas isso fez só fez bem ao Torino. Afinal, foi o time que empatou mais vezes sem gols neste campeonato levou mais um ponto para casa. Vale lembrar, ainda, que este resultado aconteceu em dois dos três últimos duelos contra o Napoli. O grande responsável pelo empate foi Sirigu, que fez boas defesas para o time visitante. Pelos azzurri, Milik perdeu chance atrás de chance e, no segundo tempo, Insigne acertou a trave ao bater colocado com a perna direita, num lance que seria um golaço.

Roma 2-1 Bologna
Kolarov (pênalti) e Fazio (De Rossi) | Sansone (Soriano)

Tops: Olsen e Zaniolo (Roma) | Flops: Danilo e Helander (Bologna)

A última partida dessa rodada aconteceu no Olímpico, em Roma, e a equipe da capital da Itália conseguiu a revanche contra o Bologna. Afinal, no primeiro perdeu por 2 a 0 e amargou sua única derrota em 10 jogos contra os emilianos. O primeiro tempo terminou sem gols graças às boas defesas de Olsen, de volta ao time titular após uma lesão. Chances não faltaram para o time visitante, mas faltou qualidade para o ataque bolonhês, que ainda mandou uma bola na trave, com Soriano.

Se a Roma flertou com o fracasso na etapa inicial, no segundo tempo tudo se acalmou após o pênalti de Helander sobre El Shaarawy. O lateral sérvio Kolarov, de pênalti, marcou seu sétimo gol no campeonato e celebrou sua melhor temporada no quesito de tentos marcados. O segundo da partida foi marcado pelo zagueiro Fazio, que ampliou numa jogada de escanteio. Sansone ainda reduziu a desvantagem após jogada de habilidade e um chute rasteiro, fazendo a partida ficar aberta nos minutos finais. Contudo, apesar da exibição digna, os visitantes não conseguiram pontuar. A Roma se mantém encostada na zona de Champions League com um ponto atrás do Milan, enquanto o Bologna voltou para o Z3, precisando agora de três pontos para deixar a região perigosa.

Spal 1-4 Fiorentina
Petagna | Fernandes (Biraghi), Veretout (pênalti), Simeone (Veretout) e Gerson

Tops: Veretout e Fernandes (Fiorentina) | Flops: Felipe e Valoti (Spal)

O primeiro jogo da rodada no domingo aconteceu no Paolo Mazza, em Ferrara. A Spal tentava vencer a Fiorentina pela primeira vez desde que voltou à Serie A em 2017, mas falhou clamorosamente. Embora tenha perdido por três gols de diferença, como na quinta rodada, dessa vez a partida foi equilibrada até os minutos finais, quando os violetas deslancharam. No primeiro tempo, Muriel chegou a acertar o travessão, mas Petagna aproveitou um rebote do goleiro Lafont e, aos 36 minutos, colocou para dentro. Parecia que o tabu seria enterrado, mas os spallini não contavam com o meio-campista suíço Edimilson Fernandes, que empatou a partida com um chute forte, sem chances para Viviano.

Já no segundo tempo, a Spal chegou a marcar um gol, que acabou anulado por interferência do VAR. Para os estensi, o pior é que o tento não só foi comemorado em vão como a arbitragem auxiliar pegou um pênalti para a Fiorentina na origem do lance: Felipe calçou Chiesa. Veretout bateu no canto direito de Viviano e virou a partida, para desespero biancazzurro. Com a vantagem, a Viola aproveitou a perda de serenidade dos donos da casa para tomar conta da partida e ampliar o placar com Simeone, que voltou a marcar depois de sete partidas. Aos 88, o brasileiro Gerson aproveitou uma bobeada de Valoti, que era o último homem e tentou um drible desnecessário, e fechou o placar. Mais próxima da zona europeia, a Fiorentina tem se valido de seu desempenho longe de Florença: o time de Pioli não perde como visitante há nove jogos. O recorde da equipe toscana é de 11 partidas de invencibilidade em 1981-82.

Em sua especialidade, a bola parada, Kolarov vai ajudando a Roma a pontuar (LaPresse)

Genoa 2-1 Lazio
Sanabria e Criscito | Badelj (Immobile)

Tops: Radu e Criscito (Genoa) | Flops: Patric e Cataldi (Lazio)

Numa partida recheada de desfalques, os detalhes fizeram a diferença. De um lado, o Genoa não teve Sturaro, Favilli e Lapadula; do outro a Lazio perdeu Wallace, Parolo, Milinkovic-Savic e Luis Alberto, recuperando Immobile in extremis, embora o atacante claramente não estivesse 100%. Nesse contexto, o Luigi Ferraris, estádio habitualmente ingrato para o time de Roma, novamente lhe foi hostil. Os biancocelesti ficaram sete anos sem vencer contra o Genoa, na Ligúria, até quebrarem o jejum, em 2017, mas voltaram a amargar um resultado negativo. Os rossoblù aproveitaram a deixa da sua freguesa para se afastar da zona de rebaixamento.

Nos primeiros 45 minutos de jogo não tivemos muitas ações. Strakosha fez duas grandes defesas para o time visitante, evitando tentos de Rolón e Sanabria, e deixou o caminho pavimentado para Badelj abrir o placar em uma tabelinha com Immobile, pouco antes do intervalo. A Lazio, que não vence duas vezes seguidas longe do Olímpico desde setembro de 2018, terminou o primeiro tempo pensando que conseguiria a vitória. O segundo tempo começou e a toada era toda dos visitantes: Corrêa finalizou no canto direito e uma ótima defesa de Radu impediu que a bola entrasse, ao passo em que Badelj quase fez o seu segundo gol após um voleio de fora da área explodir no travessão.

A virada genovesa aconteceu no finalzinho. Aos 75 minutos de jogo, Sanabria, emprestado junto ao Betis após a venda de Piatek, marcou seu terceiro no clube. O paraguaio aproveitou um bate-rebate na área e levou sorte: a dividida com Lucas Leiva ricocheteou em suas pernas e estufou as redes. A virada veio com o lateral Criscito, no último lance da partida. O capitão dos grifoni bateu rasteiro de fora da área e levou o Marassi ao delírio.

Cagliari 2-1 Parma
Pavoletti (Ceppitelli), Pavoletti (Barella) | Kucka (Gobbi)

Tops: Pavoletti e Barella (Cagliari) | Flops: João Pedro (Cagliari) e Gervinho (Parma)

Depois de perderem na última rodada, Cagliari e Parma tentavam reencontrar os três pontos na Sardegna Arena, e quem levou a melhor foram os donos da casa, que até hoje só foram derrotados em casa pelos crociati uma vez na história. O primeiro tempo, no entanto, foi de terror para os sardos. Além da séria lesão do lateral-esquerdo Pellegrini, emprestado pela Roma, foi o adversário que abriu o placar. Em uma bola cruzada na área por Gobbi, Kucka apareceu como elemento surpresa e cabeceou bem, encobrindo Cragno.

No segundo tempo, o time visitante se retraiu, querendo segurar o placar, mas não conseguiu parar o time da Sardenha. Com 65 minutos de bola rolando, o empate veio após uma falta cobrada na área e desviada por Ceppitelli. Pavoletti, que não marcava desde novembro, aproveitou a casquinha do zagueiro e colocou para as redes, acabando também com um jejum de três rodadas sem gols para o Cagliari. Com o placar igualado, a partida ganhou emoção e, aos 85 minutos, em outra bola cruzada na área, Pavoletti subiu mais que Gobbi para virar a partida. No final, o brasileiro João Pedro tomou dois amarelos em sequência e desfalcará o Cagliari contra a Sampdoria, no próximo final de semana.

Farias e Krunic destruíram a defesa do Sassuolo e afastaram o Empoli da zona de rebaixamento (Ansa)

Empoli 3-0 Sassuolo
Krunic, Acquah (Diego Farias) e Diego Farias

Tops: Diego Farias e Bennacer | Flops: Consigli e Magnani (Sassuolo)

No duelo entre dois times que não vivem boa fase no campeonato, o Empoli respira. A equipe toscana, que havia somado apenas 2 pontos nas oito últimas rodadas, encarou um Sassuolo que só havia vencido duas vezes em 12 partidas. Os objetivos, porém, eram diferentes: os azzurri estavam mais focados em escapar da zona rebaixamento do que os neroverdi de buscarem algo além do meio da tabela. Isso se verificou no verdadeiro vareio de bola que Iachini aplicou em De Zerbi.

O time da casa não tomou conhecimento do Sassuolo e com 40 minutos de jogo já vencia por 2 a 0, com dois gols em menos de quatro minutos. Krunic, que acertara o travessão, fez um golaço depois de arrancar do meio-campo e passar por três marcadores até tocar por cima do goleiro Consigli. Depois de uns dos lances mais bonitos da rodada, a defesa do Sassuolo mostrou novo desacerto e Diego Farias teve toda a calma para achar Acquah livre dentro da grande área. O ganês só empurrou para dentro.

No início da segunda etapa, tentando uma reação, o Sassuolo mandou Bourabia e Berardi a campo. No entanto, o brasileiro Diego Farias, que estreou na Serie A em 2013, vestindo a camisa do Sassuolo, fez a lei do ex valer. Num contra-ataque deu um belo drible em Peluso, que ficou desamparado, e definiu o placar em 3 a 0. Agora, os azzurri ocupam a 17ª colocação, três pontos acima da zona de descenso.

Udinese 1-0 Chievo
Teodorczyk

Tops: Teodorczyk e De Paul (Udinese) | Depaoli e Meggiorini (Chievo)

Em 2019, tanto Udinese quanto Chievo haviam somado apenas um ponto no campeonato. No duelo entre os times que brigam para fugir da zona de rebaixamento, ficou melhor para o time da casa, que aproveitou as poucas claras chances que teve. O primeiro tempo foi bem fraco, com poucas oportunidades, mas o Chievo ensaio aquela que seria a sua tônica na partida: perder gols feitos. O primeiro da tarde teve como protagonista o lateral Depaoli, que estava livre para cabecear, aproveitando erro de posicionamento friulano, mas mandou para fora. Após o intervalo, Meggiorini saiu cara a cara com Musso, mas facilitou a vida do argentino ao chutar fraco. A dupla ainda desperdiçaria mais uma boa oportunidade.

Por outro lado, a Udinese não conseguia penetrar na grande área e teve suas melhores chances em chutes de média e longa distância. Nuytinck acabou acertando a trave e Sorrentino espalmou finalização de Fofana. Porém, o VAR interviu e a equipe mandante pode aproveitar. Depois de pênalti assinalado para o time de Údine, Teodorczyk cobrou, Sorrentino defendeu mas no rebote o polonês completou. Os milagres do goleiro clivense, rodada após rodada, não são o suficientes para tirar o Chievo dá ultima colocação do campeonato: são apenas 9 pontos em 24 rodadas, que deixam o time de Verona 12 pontos abaixo do Empoli, que está logo acima da zona de rebaixamento. Depois de quatro rodadas, a Udinese voltou a vencer e respira um pouco.

Seleção da rodada
Sirigu (Torino); D’Ambrosio (Inter), Romagnoli (Milan), Criscito (Genoa); Krunic (Empoli), Bennacer (Empoli), Çalhanoglu (Milan), Perisic (Inter); Diego Farias (Empoli), Piatek (Milan), Ronaldo (Juventus). Técnico: Luciano Spalletti (Inter).

Deixe um comentário